Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1043
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO >

Oi! Eu sou a burra do diploma!

Por Fernanda Pereira da Cunha Souza em 23/06/2009 na edição 543

Desde que ‘me entendo por gente’, venho buscando a minha realização profissional. Entre outros esforços, estou do outro lado do mundo em busca de aperfeiçoamento. Agora mesmo acabo de receber a notícia de que o Supremo Tribunal Federal decidiu que para ser jornalista não é preciso mais diploma.

Qual é a novidade? O Brasil é um país onde o atual presidente se orgulha de ter chegado lá sem ter um curso superior! Um lugar em que as ‘profissões’ mais almejadas são participante de reality show e namorada de jogador de futebol. Uma sociedade em que as pessoas não lêem absolutamente nada, acham que shoppings centers são pontos turísticos e cirurgias plásticas são obras de arte. Uma cultura na qual esperteza é tirar vantagem, qualificação profissional é ‘arrumadinho’ e malandragem é sabedoria…. O que eu podia imaginar?

Mas o problema sou eu

Eu é que sou muito burra, eu que não nasci sabendo fazer um projeto de Assessoria de Imprensa, já que é tão fácil analisar uma empresa – os objetivos, os funcionários, as estratégias. Eu sou uma estúpida por precisar das ‘dicas’ dos meus professores para elaborar uma notícia! É tão simples, somente vomitar informações num papel e o leitor que se vire pra entender!

Eita, povinho desocupado!

Inacreditável que precisei de ajuda para aprender a fazer uma diagramação bem feita ou entrevistar uma pessoa que mal sabe – ou não quer – falar e ainda fazer aquilo tudo ter sentido… É tudo tão fácil e eu não nasci sabendo? Tsc, tsc, tsc.

Eu deveria saber desde criança todas as inúmeras diferenças da escrita para a rádio, TV, revista e jornal! Sem falar claro, em pesquisas científicas; analisar, criticar, tomar por base teorias, criticar teóricos… Tão fácil e eu ainda precisei de um curso superior para me ensinar?

Fico pensando nos jornalistas que, literalmente, dão e deram a vida pela informação. Nos professores e seus muitos anos de dedicação a teorias e no tanto que isso me ajudou… Penso nos estudantes recém-aceitos nas faculdades, cheios de vida e vontade de mudar o jornalismo brasileiro, que já não é dos melhores… Eita, povinho desocupado!

******

Jornalista, New Providence, Nova Jersey, EUA

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem