Custa pouco ter seguidores no Twitter | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Domingo, 19 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

E-NOTíCIAS > PLANETA DIGITAL

Custa pouco ter seguidores no Twitter

Por Austin Considine em 16/10/2012 na edição 716
Reproduzido da Folha de S.Paulo/The New York Times, 15/10/2012, intertítulo do OI

Como humorista, Dan Nainan tinha muitos fãs. Mas faltava uma coisa. “O número de seguidores que eu tinha no Twitter, comparado às pessoas no mundo que me conhecem, era mínimo”, disse. Assim, em junho, Nainan comprou seguidores em número suficiente para povoar uma cidade. Por US$ 424,15, seus seguidores no Twitter passaram de cerca de 700 para mais de 220 mil.

“Quando as pessoas veem que você tem tantos seguidores, elas pensam 'uau, esse cara é popular, acho que vou ir em um show dele'“, explica.

Talvez seja o segredo mais mal guardado da Twittersfera. Aquele amigo que se gaba de ter mil ou até 100 mil seguidores no Twitter pode não ter conquistado os seguidores com muito esforço e trabalho de networking social -pode simplesmente tê-los comprado no mercado negro.

A prática é surpreendentemente fácil. Uma busca feita no Google por “comprar seguidores no Twitter” rende dezenas de sites como InterTwitter.com e FanMeNow.com, que vendem seguidores no Twitter aos milhares (e, em muitos casos, “curtir” no Facebook e visualizações no YouTube). No BuyTwitterFollow.com, o usuário simplesmente registra seu nome no Twitter e seu número de cartão de crédito para ver seus seguidores se multiplicarem em poucos dias.

“E o custo é tão baixo!”, diz Will Mitchell, fundador da empresa de marketing Clear Presence Media. Mitchell contou que comprou 250 mil seguidores por US$ 2.500 -ou seja, um centavo de dólar por cada um.

Número máximo

Heddi Cundle, fundadora de uma empresa de San Francisco que ajuda pessoas a levantarem dinheiro para viagens, gastou US$5 em um site, Fiverr, para comprar 200 seguidores.

No mês seguinte, “já tínhamos entre 1.100 e 1.200 pessoas no Twitter e no Facebook, o que foi incrível”, contou. “Precisávamos daquilo para deslanchar.”

A questão dos falsos seguidores no Twitter virou manchete em julho, quando os seguidores do candidato presidencial americano Mitt Romney aumentaram em mais de 100 mil em um fim de semana. Várias reportagens na mídia expuseram a prática da compra de seguidores. A campanha de Romney negou a compra.

É possível comprar seguidores no Twitter de duas maneiras. Os seguidores “mirados” são conseguidos com a ajuda de softwares que procuram usuários do Twitter com interesses semelhantes e os seguem, apostando que muitos devolverão o favor. Os seguidores “gerados” vêm de contas inativas ou são criados por computadores que enviam mensagens de spam. Esses computadores frequentemente são descritos como “bots”.

A prática já se tornou tão comum que a empresa de gerenciamento de mídia social StatusPeople, de Londres, lançou uma ferramenta chamada Fake Follower Check (checagem de seguidor falso).

De acordo com a ferramenta, 71% dos quase 29 milhões de seguidores de Lady Gaga são “falsos” ou “inativos”. O mesmo seria o caso de 70% dos quase 19 milhões de seguidores do presidente Obama.

O Twitter vem reprimindo a prática. Em abril o site moveu uma ação num tribunal federal americano contra cinco remetentes de spam, incluindo os que criam falsos seguidores.

Dan Nainan não se desanimou com isso. Há pouco tempo, ele procurou descobrir qual seria o número máximo de seguidores no Twitter que ele poderia teoricamente comprar. “Disseram: 'Você provavelmente poderia conseguir mais de 1 milhão, ou 1,5 milhões'“, contou o humorista. “E eu disse: 'Por que não? Tenho dinheiro para isso.'“

***

[Austin Considine, do New York Times]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem