Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

E-NOTíCIAS > REDES SOCIAIS

Descentralização e outras discussões

Por Gilberto Silva em 18/02/2014 na edição 786

Com o advento das novas tecnologias, principalmente com os dispositivos móveis, o cidadão passou a ficar cada vez mais conectado. E com isso as redes de computadores ganharam mais espaço e força, e dessa forma passaram a ter a maior fatia do tempo que as pessoas ficam online.

Os dispositivos móveis revolucionaram a forma de se comunicar, cada vez mais compactos e tecnológicos as pessoas passaram a ter informações com muito mais rapidez. E a cada dia os dispositivos estão convergindo para um só local e tudo está à disposição na ponta dos dedos. Consideramos tecnologias móveis digitais os notebooks, smartphones, câmeras digitais, tablets, gravadores digitais, pendrives e outros dispositivos portáteis similares.

Hoje, gravador, câmera digital, navegação na web, produção de textos, tudo está disponível na palma da mão, através dos smartphones tão atuais e modernos. Esse processo de convergência de equipamentos e plataformas possibilita que o usuário tenha conteúdo em tempo real, e que ele possa gerar conteúdo reconstrói a forma tradicional de comunicação onde poucos informavam a muitos. A descentralização promovida especialmente com o advento das redes sociais faz que a comunicação dê uma atenção especial para esse setor.

Opção viável

Contemporaneamente percebe-se um esforço no sentido de entender como o jornalismo está sendo transformado pela tecnologia e por um novo contexto social. É nesse contexto científico que percebemos a necessidade de análise sobre as transformações da circulação jornalística no cibermeio. “A descentralização propõe a apropriação do produto jornalístico pelo público para que esse seja parte atuante dos mecanismos de circulação, modificando ou não o conteúdo em si, mas sempre se manifestando para a propagação desse conteúdo” (SCHWINGEL, ZANOTI, 2010, p.58).

Empresas e instituições viram nas redes sociais uma possibilidade viável para suas divulgações. Nesse sentido, as assessorias de comunicação passaram a utilizar as redes sociais para levar aos internautas, através de textos ou imagens suas ações. Essas empresas perceberam que as cada vez mais as pessoas buscam a informação através da rede. A internet possibilita que uma notícia veiculada chegue rapidamente nas mais diversas partes do globo e com a consolidação das redes sociais, o rápido evoluiu para o instantâneo. Hoje o caráter de distribuição desse conteúdo, aliado a participação dos usuários transformou uma rede social como o Facebook num espaço de divulgação de conteúdo jornalístico e oficial.

Podemos observar que a capacidade de interatividade, faz com que as redes sociais sejam uma boa opção na veiculação de conteúdo jornalístico através das assessorias de comunicação, principalmente pelo fato de se mensurar os resultados na tela do computador com eficiência. Por conta dessa interatividade, onde os usuários passam a repercutir informações de outros usuários, é gerado mais interesse do que é veiculado através de um perfil numa determinada rede social, como o caso do Facebook.

E dessa forma agindo e interagindo, que o usuário participa diretamente dos conteúdos, e por isso que a fanpage se mostra uma opção viável na veiculação de conteúdos de empresas, políticos e instituições. E você… Concorda com esse ponto de vista?

******

Gilberto Silva é jornalista, Santa Cruz do Capibaribe, PE

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem