Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

E-NOTíCIAS >

A ‘snowfallização’ das narrativas brasileiras

Por Deise Ribeiro Carvalho em 10/06/2014 na edição 802

A experiência de John Brach ao criar a narrativa vertical “Snowfall” para o The New York Times  tem aberto caminhos para que outras histórias possam ser contadas explorando vários recursos como os que ele utilizou e para, além disso. A partir daí, muitas narrativas verticais vêm surgindo na internet. Recursos como vídeo, imagens estáticas e animadas, infográficos e ilustrações têm tornado a experiência do leitor cada vez melhor. E no Brasil muitas têm sido criadas inspiradas em Snowfall.

O jornal Folha de S.Paulo criou a série “Tudo sobre” em finais de 2013, com o objetivo de criar matérias completas com temas previamente escolhidos que buscam reunir vários recursos multimídias enriquecendo as narrativas já feitas pelo jornal na plataforma online. Um exemplo é “Por dentro de Guantánamo”, um dos projetos trabalhados pela Folha. É dividida em cinco seções que correspondem aos cinco dias que a equipe do jornal ficou na base especial de Guantánamo. Por seis dias, a Folha esteve em Guantánamo, acompanhando parte do júri de Khalid Shaikh Mohammed, considerado o mentor do 11 de Setembro. A repórter especial Patrícia Campos Mellocobriu toda a trajetória. Em cada um dos cinco dias o projeto procurou explorar recursos variados.

Na página inicial temos a opção de escolher qual dia desejamos visitar dentro da narrativa. No dia 1, logo no início da página, temos os botões de compartilhamento e interação para as redes sociais, seguido pelo texto de apresentação que introduz a matéria e por slideshow de imagens, mapa interativo e vídeo. No segundo dia temos a abertura com uma ilustração, seguida por texto, mapa interativo, um slideshow mostrando o antes e depois de Manhattan com os atentados terroristas, mais texto e em seguida um mapa interativo mostrando passo a passo como ocorreram os ataques de 11 de setembro de 2001, imagem estática e vídeo da TV Folha mostrando as instalações de Guantánamo. Nos próximos três dias, a narrativa continua com desenhos e animações que reforçam a narrativa dando a ela dinamicidade e interatividade.

Potencialidades  da  internet

Em relação aos recursos multimídia empregados foram identificados dois vídeos, quarenta e duas imagens, dois infográficos interativos, sete desenhos e animações, além de um mapa interativo. A narrativa foi dividida em cinco seções (os cinco dias) e em cada uma delas podemos ver unidades que se integram auxiliadas pelos recursos utilizados. Assim, podemos perceber que, para além de uma agradável visualização, “Por dentro de Guantánamo” obtém sucesso ao interpor os elementos de maneira a valorizar o texto.

O portal G1 também tem participado da snowfallização brasileira. Em “Guerra na Selva” acompanhou, em Manaus, o treinamento considerado o mais difícil e controverso do Exército brasileiro, que prepara militares de todos os continentes para combates em florestas. Já na tela inicial percebemos o diferencial da narrativa: na parte superior da tela temos o menu de navegação onde o leitor pode escolher qual seção visualizar; através do kit de rolagem a tela desce verticalmente através da narrativa. As etapas do treinamento, como funciona, depoimentos, tudo sobre o treinamento a que são submetidos os militares que irão combater na floresta.

Vários recursos foram utilizados: mapa estático mostrando as localizações do treinamento, fotorreportagem, hiperlink para a galeria de fotos, infográficos, vídeos, animação, linha do tempo, mapas, infográfico interativo, desenhos ilustrativos e todos esses recursos somados exemplificam não só mais uma narrativa verticalizada, como também demonstram as suas potencialidades para trazer um diferencial ao jornalismo digital.

Mais do que perceber as potencialidades das narrativas verticais é preciso deixar claro que esse tipo de narrativa também tem suas limitações. Devido aos recursos utilizados e número de pessoal envolvidos entendemos que uma matéria factual não se encaixa nesse tipo de narrativa que para ser elaborada e executada requer tempo e dedicação, algo mais adequado as matérias frias como os exemplos citados. Apesar disso, enxergamos em Snowfall um exemplo de trabalho que deu certo e assim nosso objetivo é mostrar que é possível criar histórias fantásticas usando os recursos multimídia disponíveis na web. Snowfall ajuda a termos uma nova visão sobre as potencialidades da internet, um meio de comunicação interativo, envolvente e comunitário e que se renova a cada dia, sempre com algo novo para explorar e aprender. Assim, Snowfall surgiu como um incentivo para o surgimento de novas narrativas digitais que buscam a exploração máxima de recursos multimídias como uma ferramenta na arte de narrar histórias online.

******

Deise Ribeiro Carvalho é estudante de Comunicação Social

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem