Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

E-NOTíCIAS > REDES SOCIAIS

Adeus ao Orkut

Por Renato Cruz em 08/07/2014 na edição 806
Reproduzido do Estado de S.Paulo, 6/7/2014; intertítulo do OI

Em 2007, quando a rede social Orkut vivia o auge do sucesso, seu criador, o engenheiro de software Orkut Buyukkokten, visitou o Brasil. A popularidade do serviço era tanta que o gerente de produtos do Google chegava a ser reconhecido na rua. “Às vezes as pessoas ficam olhando. No geral, são bastante gentis e educadas”, disse Buyukkokten, numa época em que havia 43 milhões de brasileiros na rede social, o que equivalia a 56% do total de usuários no mundo.

O Google anunciou que vai desativar o Orkut a partir de 30 de setembro. O caso da rede social é um ótimo exemplo de como os produtos de internet surgem e desaparecem. No fim do ano passado, eram somente 6 milhões de brasileiros que usavam o Orkut. De líder de audiência, em seis anos, o site passou a quinto lugar entre as redes sociais no País.

Além do Brasil, o Orkut só fez sucesso na Índia. Lá também foi substituído pelo Facebook. O Orkut foi criado por Orkut Buyukkokten (que homenageou a si próprio ao batizar o serviço) num programa do Google que permitia aos desenvolvedores dedicar 20% do tempo a projetos pessoais, que não fossem relacionados às suas atividades do dia a dia.

Quando visitou o Brasil, o engenheiro de origem turca viveu dias de astro pop. Mas o cenário lá fora já era outro. Os Estados Unidos, onde o Orkut nunca fez sucesso, viviam a decadência do MySpace e a ascensão do Facebook. O serviço criado por Mark Zuckerberg é hoje dominante na maioria dos países, incluindo o Brasil. Há poucas exceções, como China e Rússia, com redes sociais locais maiores que o Facebook.

Enjoo geral

Quando esteve aqui, Buyukkokten disse que a pergunta que mais faziam para ele era sobre os motivos do sucesso do Orkut no Brasil. Na verdade, ninguém tinha uma explicação satisfatória para isso. No começo, era preciso conseguir o convite de um amigo para participar da rede. Todo mundo queria participar. No final, todo mundo estava no Orkut, até que as pessoas enjoaram e partiram para o Facebook.

Até agora, a história tem mostrado que rede social tem prazo de validade. Esse é o grande desafio do Facebook. Quando abriu o capital, há dois anos, muitos questionaram a capacidade de a rede social de Zuckerberg conseguir fazer a transição para o mundo dos celulares inteligentes. O Facebook teve sucesso, pelo menos até agora. A empresa conseguiu avançar no faturamento com publicidade móvel e fez aquisições importantes, como o Instagram e o WhatsApp.

As pessoas enjoaram do Orkut, entre outras coisas, quando os pais começaram a usar o serviço, e passaram a ver o que os filhos faziam, e quando a rede social passou a ser mais inclusiva. Foi criado até um termo preconceituoso, “orkutização”, aplicado a serviços que se tornam populares.

******

Renato Cruz é colunista do Estado de S.Paulo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem