Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

E-NOTíCIAS > HIPERCONECTIVIDADE

O tambor do aldeião

Por Jota Alcides em 16/03/2015 na edição 842

Globalização é uma ideia original de fundamento da primitiva Igreja Cristã, desde a ordem de Jesus aos apóstolos: “Ide e pregai a todos os povos, até os confins da terra”. Depois, a própria Igreja criou uma simbologia solene de universalidade na coroação do papa Celestino II, em 1143, com a introdução da benção apostólica Urbi et Orbi (para a cidade e para o mundo), tradição até os dias atuais. James Joyce, o genial romancista, contista e poeta irlandês, ao escrever Finnegans Wake (1939), transformou isso, numa parte do livro, em urban and orbal.

Mas foi Marshall McLuhan, o profeta canadense da comunicação dos anos 1960, admirador e leitor de Joyce, quem cunhou a expressão “aldeia global”, quando viu a Guerra do Vietnã sendo transmitida pela televisão, via satélite, para todo o mundo. Para o filósofo, educador e escritor, autor de O Meio é a Mensagem, Guerra e Paz na Aldeia Global,A galáxia de Gutemberge Os meios de comunicação como extensões do homem, pioneiro dos estudos culturais e filosóficos das transformações sociais provocadas pela Revolução da Comunicação, enquanto a imprensa escrita havia destribalizado a humanidade, a televisão, meio de comunicação de massa, havia retribalizado a sociedade global.

Entretanto, nem McLuhan conseguiu imaginar uma sociedade planetária hiperconectada como atualmente. Enquanto sua aldeia global era alcançada por comunicação unidirecional da televisão, em um único fluxo, sem a interação dos telespectadores, a aldeia global da internet é alcançada pela comunicação multidirecional, com a interação instantânea de milhões de internautas. Se McLuhan, falecido em 1980, visse o que é o aldeião da internet hoje ficaria, ao mesmo tempo, perplexo e superfeliz pela realização de sua profecia além do imaginado.

Realmente, o crescimento, a cobertura e a força da internet no mundo são espantosos e incríveis. De acordo com a ITU (União Internacional de Telecomunicações), agência da ONU, em junho de 2012, mais de 2,4 bilhões de aldeões – mais de um terço da população mundial – já usavam os serviços da internet; cerca de 100 vezes mais do que em 1995. O uso da internet cresceu rapidamente no Ocidente da década de 1990 ao início dos anos 2000 e desde a década de 1990 no mundo em desenvolvimento. Em 1994, apenas 3% das salas de aula estadunidenses tinham internet, já em 2002 esse índice saltou para 92%.

A sociedade globalmente retribalizada

Desde meados da década de 1990 a internet tem tido um enorme impacto sobre a cultura e o comércio mundiais, pelo aumento da comunicação instantânea através de e-mails, mensagens, “telefonemas” VoIP, chamadas de vídeo interativas, fóruns de discussão, blogs, redes sociais e sites de comércio online. Segundo relatório anual da ITU, em 2014 o mundo já possuía quase 3 bilhões de usuários na internet – cerca de 40% da população mundial. O número de aldeões conectados cresceu 6,6% em 2014, impulsionado principalmente por países em desenvolvimento, onde duplicou nos últimos cinco anos.

Agora, o programa Connect 2010 Agenda prevê a inserção de mais 1,5 bilhão de aldeões no mundo online até o final desta década. Conforme o NIC-BR (The Brazilian Network Information Center), em 2013 já existiam no Brasil 85,9 milhões de usuários de internet. Entre 2008 e 2010, segundo o MEC, 56 mil escolas brasileiras ganharam internet permitindo o acesso à web de 2,4 milhões de crianças.

Levantamento da ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), órgão mundial responsável pelo controle de registro de domínios na internet, revela que já são mais de 220 milhões de domínios registrados no mundo. O crescimento médio é de, 4 5 milhões de domínios por trimestre. O Brasil é um dos poucos países (Brasil, Austrália, China, Japão, Alemanha, Itália, Holanda, Rússia, Reino Unido e EUA) com mais de um milhão e meio de domínios registrados.

Onde isso vai parar? Não vai. O sistema de funcionamento da internet atual está projetado para conexão simultânea de 4,3 bilhões de computadores. Mas, pelo crescimento explosivo da Internet, um novo sistema já foi desenvolvido prevendo conexão vastamente maior, podendo alcançar facilmente os 7,2 bilhões de habitantes atuais do mundo. É a maior mídia do planeta. É impossível aos jornais enfrentar essa mídia tão gigantesca e, por isso, estão em crise, sobretudo nos Estados Unidos, onde a Internet é poderosíssima.

É a maior revolução cultural da história. O mundo da internet é o benéfico e maléfico mundo novo em conexão virtual de pessoas, fatos, ideias, finanças, políticas, padrões, religiões, costumes, tradições, violências, maldades, valores sócio-culturais, modas, imaginários, símbolos e rituais em escala planetária. É a sociedade humana interligada, integrada e unificada, sem fronteiras e, instantaneamente, em escala mundial; Ou, como antecipou McLuhan, retribalizada globalmente, com o tambor tribal batendo, conectivando e interativando o aldeião.

******

Jota Alcides é jornalista e escritor

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem