Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

E-NOTíCIAS > MÍDIAS SOCIAIS

A serviço do leitor e do jornalismo

Por Wemerson Augusto em 01/03/2011 na edição 631

O que as redes sociais têm a ver com o jornalismo? Existe uma frente de jornalistas e um crescente número veículos de imprensa, principalmente os portais, que utilizam as mídias sociais para interagir com leitores e fontes e, de quebra, diferenciam seus conteúdos e reforçam posições no ciberespaço da notícia. Por outro lado, há órgãos que ainda defendem que não há relação alguma e que elas são espaços, apenas, de jovens desocupados.

Portais, blogs e jornalistas que utilizam os artefatos a serviço do jornalismo, têm conseguido credibilidade e leitores. O uso correto da tecnologia tem dado retorno. A avaliação é baseada nos comentários expostos nos perfis dos veículos. Os que possuem feedback, de forma humana e precisa, conquistam leitores mais exigentes, críticos e formadores de opinião.

A situação dos grandes portais é diferente. Muitos apostam numa prática mecânica de conversar com o leitor. Lotes de informações são disponibilizados de maneira robótica. Jogam todo ou quase boa parte do conteúdo, sem muita preocupação em dar retorno aos internautas. A existência automática destes sites está com os dias contados. Eles precisam mudar ou vão continuar perdendo leitores.

800 milhões de usuários em 2012

Entender as redes sociais como um universo complexo e rico de impressões pode ser um caminho para a empatia de leitores e diferenciação do conteúdo. Nelas é possível encontrar pessoas com os interesses distintos. Propor e buscar informações das pessoas que interagem com o perfil é um passo adiante neste processo. A prestatividade na troca de informações poderá avançar a relação.

É preciso reconhecer que a tecnologia digital é um produto de nossas intenções e propósitos, como afirma Raquel Recuero, em seu livro Redes Sociais na Internet. Para a autora, ‘o modo como nos apropriamos delas, os usos que fazemos, reinventam constantemente suas características’. O argumento orienta, entre outras possibilidades, a tentativa de buscar encaminhamentos e mecanismos para conversar com os internautas.

Público este que cresce diariamente no mundo inteiro. Até 2012, as mídias sociais terão mais de 800 milhões de usuários, segundo estudo da IBM. Já o Brasil é um dos países que seus internautas passam maior parte do tempo nas redes sociais. A constatação foi realizada pelo instituto Nielsen, no ano de 2010. A pesquisa fez o comparativo com 10 países, entre eles, Estados Unidos, França, Alemanha, Espanha e Austrália.

******

Jornalista, especialista em Linguagem, Cultura e Ensino; tecnólogo em Gestão Pública, Foz do Iguaçu, PR

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem