Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

E-NOTíCIAS > ELEIÇÕES 2008

A imprensa e os corruptos

Por Alberto Dines em 13/06/2008 na edição 489


Estranhamente, a imprensa também não se mobiliza para discutir a decisão do TSE, que não vai impedir a candidatura de cidadãos com ficha suja na Justiça.


Cada vez mais monotemática e cada vez menos abrangente, nossa imprensa está perdendo uma nova oportunidade de ajudar o saneamento político do país. Na terça-feira (10/6), o Tribunal Superior Eleitoral decidiu por quatro a três que um cidadão processado pode candidatar-se enquanto não for condenado em tribunal. Quem provocou a decisão foi o tribunal regional da Paraíba, que solicitava o embargo de candidatos com a ficha suja.


Na quarta-feira (11), só o Globo destacou a decisão do TSE e, na quinta, só o Globo manteve o assunto na primeira página, comentou o retrocesso do tribunal em editorial e na coluna de Merval Pereira. Nos jornalões paulistanos o silêncio, exceto no espaço do Estado de S.Paulo onde Dora Kramer expõe a sua dose diária de indignação. Enquanto isso, duas siglas míticas, a CNBB e a OAB, voltaram a juntar-se para protestar contra a decisão do TSE apoiadas por uma série de ONGs ligadas ao Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral.


É compreensível o interesse do Estadão e da Folha nos casos da venda da Varig e da ressurreição da CPMF, mas a degradação do Poder Legislativo é uma questão de Estado, prioritária, antecede as demais. Enquanto nosso Legislativo, em todos os seus níveis, admitir parlamentares sem os atributos mínimos de decência, continuaremos a assistir à incessante exibição de escândalos e ilícitos.


Maus elementos


A qualificação moral dos representantes do povo é essencial para a qualidade da nossa República. As eleições municipais estão aí e, caso prevaleça a última decisão do TSE, teremos em outubro quase 60 mil novos vereadores no país (59.591), muitos dos quais deveriam estar há muito na cadeia.


Convém lembrar que o número anterior era de quase 52 mil (51.748) vereadores, mas a generosidade dos deputados federais ampliou recentemente a brecha para a eleição de mais maus elementos nas gaiolas de ouro.


O assunto é grave, urgente, e a mídia não pode minimizá-lo.


Leia também


Criminosos com mandato – Luciano Martins Costa

Todos os comentários

  1. Comentou em 16/06/2008 jonas sanches

    Sr. Marco Antônio Leite, desculpe-me, mas de que planeta o senhor é? Se o Lula é espartalhão (?!), o que o senhor é?! Candidate-se, então, a presidente da república e vá lá e tente fazer melhor do que ele. Com a sua mentalidade cheia de preconceitos, rótulos e chavões o senhor não duraria nem uma semana no governo! Criticar é muito fácil, ainda mais repetindo chavões, clichês. Quero ver o senhor ou tantos outros que só ficam no blábláblá chegarem lá e, partindo do contexto real (político, econômico, social) em que vivemos, fazerem pelo menos a milésima parte do que o Presidente Lula está fazendo pelo país e pelo povo brasileiro!

  2. Comentou em 14/06/2008 Marluce Viégas Viégas

    Não gostaria de entrar em detalhes sobre a questão democrática de direito,apenas registrar a minha indignação contra decisão do TSE.Aprendi com meu pai que ser uma pessoa íntegra é fundamental.Portanto não acho justo que uma pessoa esteja sendo julgada por improbidade administrativa possa pleitear um cargo público.Isto não seria um forte agravante para um candidato?Espero que os eleitores procurem se informar mais sobre a vida pregressa dos candidatos que respodem a processos e desta forma possam dizer não aos mesmos na hora do voto.

  3. Comentou em 14/06/2008 Cláudio Dias

    Cid Elias, não existe Vice-Procuradoria. Existe a Procuradoria-Geral da República, quem tem um Procurador Geral e um Vice-Procurador. Esse órgão, Vice-Procuradoria, não existe, tá bom? Você, que é um cara inteligente (sem qualquer demagogia), fica tão cego na hora de defender seu rei (o partidão), que sequer lê direito. É claro que eu não citei o PSDB, pois eu estava citando a BASE ALIADA do PT… O que eu quis dizer é que, não obstante o PT tenha tido ‘apenas’ 10 partidários cassados, ele se aliou com outros partidos que são tão corruptos como DEM e PSDB (e gostaria de dizer que PSDB e DEM SÃO CORRUPTOS MESMO). Eu não sei se todos são iguais, mas o fato é que nenhum deles têm dado motivo de orgulho para o cidadão brasileiro. De um lado, corrupção paulista na Alston e na gestão tucana no RS e, de outro, dossiê e venda ‘só da parte boa’ da Varig para um grupo de empresários ligados ao cumpadre do Lula, mediante pressão da Casa Civil (as denúncias não têm sua origem na ‘imprensa golpista’, mas em pessoas ligadas ao próprio PT [José Aparecido, no caso dossiê, e Denise Abreu, no caso da Varig. Ambos do grupo do Dirceu]). Enfim, só lamento que pessoas de boa-fé, como acredito ser o seu caso, dêem mais importante a agremiações políticas do que à cidadania. Já leu as críticas de Marx a Hegel? Para Hegel, o cidadão participa da política por meio de corporações. Marx criticou isso.

  4. Comentou em 14/06/2008 Ana Eliza Oliveira

    Não creio que no Brasil o jornalismo seja de quinta categoria, como disseram acima. O problema é individualizado, tudo depende de qual linha o jornalista escolhe seguir em sua carreira; o que ele resolve defender ou não.
    Realmente a decisão do TSE não foi sábia. Como deixar um político acusado de corrupção ou seja lá o que for se canditar para um cargo ,sendo ele acusado?
    Mas há muito tempo, decisões justas já não fazem parte desse país.
    Quanto a omissão de imprensa são poucos os meios de comunicação e jornalistas que lutam por esse ideal.

  5. Comentou em 14/06/2008 Ana Eliza Oliveira

    Não creio que no Brasil o jornalismo seja de quinta categoria, como disseram acima. O problema é individualizado, tudo depende de qual linha o jornalista escolhe seguir em sua carreira; o que ele resolve defender ou não.
    Realmente a decisão do TSE não foi sábia. Como deixar um político acusado de corrupção ou seja lá o que for se canditar para um cargo ,sendo ele acusado?
    Mas há muito tempo, decisões justas já não fazem parte desse país.
    Quanto a omissão de imprensa são poucos os meios de comunicação e jornalistas que lutam por esse ideal.

  6. Comentou em 13/06/2008 Marco Antônio Leite

    O povo esta afundando na areia movediça chamada Brasil, enquanto os políticos pisam em terra firme. Nas instâncias superiores poucos se salvam do vírus da corrupção que atacou os cofres públicos, os quais são atacados por mãos indecentes sejam elas dos três poderes, como também da iniciativa privada. Nós o povo já estamos atolados até o pescoço na areia movediça sem que aja uma mão caridosa para nos tirar dessa situação. Ademais, uma parcela considerável da imprensa se omite porque ela também tem a calda presa com os partidos políticos, nesse embrulho estão a OAB, CNBB entre outras instituições burguesas. Infelizmente, não há salvação para tirar esta nação dos tentáculos dessa máfia. Enquanto isso falta muito pouco para que fiquemos sem ar para respirar sem uso de balão de oxigênio?

  7. Comentou em 13/06/2008 marcos andre santos

    Dines há leitores do outro lado das linhas da internet que, verdadeiramente, se emocionam e aplaudem as idéias de jornalistas como voce, Dora Kramer, Arnaldo Jabor, Verissimo, Elio Gaspari, Miriam Leitão e outros. Nao se cale. Imagine o Jabor ser processado pelo que disse dos políticos! A população espera por uma tábua de salvação para agir contra tanta ilegalidade, só nao sabe como. À maioria de nós resta a leitura silenciosa e solitária dos jornais diários.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem