Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

E-NOTíCIAS > ORKUT & RBS

Abelhas plenas de amor e ódio

Por Marta Rolim em 16/11/2004 na edição 303

Uma colméia. Cada favo hexagonal, cada célula representando uma reunião de pessoas, uma comunidade que se reúne especialmente para tratar de um assunto. Por vezes, nem para conversar muito, mas apenas para manifestar seu sentimento em grupo, sua opinião. Pois essas milhares de células-comunidade, cada qual com seu foco de discussão, todas reunidas, compõem a colméia, formam o Orkut.

Esse conjunto é o Orkut, mas não apenas isso. Não basta citarmos as comunidades-células, é preciso considerar um fator importantíssimo: a comunicação.

Cada abelha dessa grande colméia pode se comunicar com qualquer outra, não importa em que favo ou célula esteja. Melhor dizendo, cada pessoa que ingressa no Orkut pode se comunicar, virtualmente, com qualquer outra pessoa que lá dentro esteja. Pode freqüentar quantas comunidades quiser, se associar a elas, vincular amigos ao seu cadastro, de modo que seus rostos fiquem visíveis na sua tela. Também pode convidar a sua rede de amigos, que ainda não ingressou no Orkut, a entrar na colméia.

Aliás, só ingressa na colméia quem for convidado por um amigo. Isso transforma o Orkut numa rede de relacionamentos.

Claro que muitos desses amigos presentes no Orkut não passam de pessoas desconhecidas, mas que acabam se encontrando por afinidade de interesses ou se identificando por morarem no mesma região, talvez até no mesmo bairro e, de repente se tornando amigos de fato.

Toque mágico

Há comunidades de caráter bastante regional, como a comunidade do Chimarrão, e algumas comunidades se tornam espaços virtuais de comunidades "reais", como a comunidade dos moradores do bairro Petrópolis de Porto Alegre. Contudo, note-se que, por exemplo, na comunidade do Chimarrão há pessoas do Rio de Janeiro, de São Paulo e outros estados, que também ali se reúnem por apreciarem a bebida e a tradição gaúcha. Isso nos lembra que mesmo o que tem caráter regional congrega pessoas de qualquer parte do Brasil e do mundo. O regional no Orkut é, evidentemente, de acesso mundial. Então, é parte interessante do Orkut essa reunião de uma diversidade de pessoas interessadas num mesmo tema, não importando onde elas estejam. E se essas pessoas já se conhecem, são amigos na vida cotidiana, o Orkut permite que também possam se encontrar na colméia, em seu espaço virtual, sem dificuldade alguma, só para falar do assunto preferido!

Assim, amigos de escola podem ter a sua comunidade; freqüentadores de um clube ou de um barzinho podem ter a sua comunidade; estudiosos de um dado assunto podem ter a sua comunidade etc. Uma infinidade de desejos e objetivos formam e integram comunidades.

Outro aspecto interessante é que você pode descobrir que tem uma comunidade de ex-alunos da UFRGS, formandos em Medicina, ano 1994. E daí você entra e encontra velhos amigos, a turma inteira. Ingressar na colméia também pode significar uma volta ao passado, reencontros, o que não deixa de ter um toque mágico.

Eis o Orkut – disponibilizado pelo Google.

Já existem outros serviços, semelhantes ao Orkut, sendo oferecidos, mas por enquanto ainda carecem de maior adesão.

Bem, onde entra a RBS (Rede Brasil Sul de comunicação) nisso tudo?

Fiz uma pesquisa das comunidades que falam sobre a RBS.

O número de brasileiros no Orkut é significativo (ronda os 50%) e, dentre estes, o número de gaúchos e porto-alegrenses é elevado. Contudo, verificar as comunidades que falam da RBS não é falar em dados estatísticos. Acho que é falar, talvez exclusivamente, dos sentimentos e percepções dos orkutianos, sem poder generalizar para outras áreas e campos. É uma curiosidade, mas que nos faz pensar!

Começo digitando no buscador do Orkut a sigla RBS, fiz isso numa sexta-feira, 12 de novembro de 2004.

Encontrei 5 comunidades. Ai vão elas, na ordem em que se apresentaram na página:

Eu Odeio a RBS, com 261 membros. Esta é a comunidade no alto da página. A frase de chamada diz "Comunidade para quem odeia a Rede Brasil Sul de comunicação e não agüenta a manipulação desavergonhada da verdade!"

ClicRBS, 86 membros. "Comunidade dos profissionais que trabalham no ClicRBS (também dos que foram sumariamente demitidos). Em suma: A comunidade dos sobreviveram há (sic) anos de tortura com a comida da Graxa."

RBS – Rede Brasil Sul, 79 membros. "RBS TV, RBS jornal, RBS rádio, RBS online, RBS rural. Missão: Facilitar a comunicação das pessoas com seu mundo. RBS conta com 6 jornais, 22 estações de rádio, o portal clicRBS, com programações totalmente voltadas para as realidades locais e uma empresa de marketing de precisão – RBS Direct. É a maior rede regional de televisão do país – 17 emissoras afiliadas à Rede Globo, duas emissoras de TV comunitária e uma operação no Segmento Rural – comprovando a vocação de liderança que a RBS desempenha no mercado do Sul do Brasil."

Obs.: Quase toda a mensagem acima está repetida em inglês. Finda com "Porto Alegre – Rio Grande do Sul".

Monstros RBS, 66 membros. "Comunidade pra quem gosta dos monstros da campanha O amor é a melhor herança."

Comentando os dados desta página do Orkut:

Ódio no ORKUT não necessariamente implica ódio de fato. É preciso esclarecer que para cada tipo de comunidade há sempre alguma para odiar isso ou aquilo. A maioria delas traduz sentimentos que variam de uma simples antipatia à gozação bem-humorada. Contudo, algumas comunidades de "odeio isso" manifestam protesto consistente contra alguém ou alguma coisa, são freqüentadas por pessoas que defendem opiniões. O mesmo se poderia dizer das comunidades de "amo isso", algumas não passam de uma manifestação de simpatia ou de gozação, enquanto outras reúnem verdadeiros fãs apaixonados.

O teor da chamada à porta da comunidade, logo que se visualiza o ícone da comunidade, geralmente uma foto pequena, dá o tom. É como quem diz "entre aqui se você se identifica com o que proponho".

Curiosidade esporádica

No caso da comunidade Eu Odeio a RBS, pelo tom da chamada, que é forte – "Comunidade para quem odeia a Rede Brasil Sul de comunicação e não agüenta a manipulação desavergonhada da verdade!" – podemos supor, no mínimo, que a reunião dos 261 membros se dá como forma de protesto, como manifestação de indignação grupal.

É um dado que chama a atenção na página, pelo número de membros. Não se pode dizer que é uma comunidade grande, pois há outras muito maiores, com mais de 3 mil membros. Todavia, comparativamente às outras comunidades cujo tema é a RBS, essa é enorme.

Muitas vezes as comunidades nem são tão movimentadas em termos de diálogo nos fóruns, mas o número de membros não pára de crescer. Para muitos dos associados às comunidades de protesto ou de apoio, o que importa é simplesmente se unir aos que pensam da mesma forma e dar força ao movimento ali divulgado e promovido. Só o ato de aderir (to join) à comunidade já tem a função de comunicar seu interesse e apoio ao ali promovido.

É verdade que também há aqueles associados que ingressam numa comunidade apenas por curiosidade ou para deixar alguma mensagem esporádica, mas nesses casos a tendência é que logo deixem a comunidade por falta de identificação com o grupo ou fiquem de vez entre os novos amigos.

interesses institucionais

Comunidades crescem e diminuem, algumas desaparecem por falta de adesão. A comunidade Eu Odeio a RBS tinha, no dia 6 de novembro, 247 membros. Seis dias depois (12 de novembro) tinha 261. Há um crescimento nessa comunidade, embora, no presente, eu não tenha idéia do ritmo desse crescimento.

A segunda comunidade, a ClicRBS, 86 membros, tem uma proposta diferente da primeira – "Comunidade dos profissionais que trabalham no ClicRBS (também dos que foram sumariamente demitidos). Em suma: a comunidade dos sobreviveram há (sic) anos de tortura com a comida da Graxa."

Nota-se um certo ressentimento na chamada desta comunidade, fazendo referência aos "sumariamente demitidos". Ainda que se possa dizer que o tom é bem-humorado, um certo ressentimento é visível, pois não haveria necessidade de se fazer referência aos demitidos na chamada, exceto se há lembrança deles, refletindo um certo amargor quanto ao episódio. Esta comunidade, no dia 6 de novembro tinha 86 membros e no dia 12, os mesmos 86 membros, o que faz supor que se trata de um grupo mais "fechado", estável, de funcionários do ClicRBS.

A terceira comunidade listada na página – a RBS – Rede Brasil Sul – é claramente institucional. Não sei se o fundador da comunidade é funcionário da RBS, mas o teor da comunidade é claramente ditado por interesses institucionais. A chamada cita e divulga o número de veículos de propriedade do Grupo RBS, exalta sua liderança no mercado.

Ressentimentos e ambigüidades

Esta comunidade RBS – Rede Brasil Sul tinha 73 membros no dia 6 de novembro e no dia 12 do mesmo mês contava 79 membros. Podemos presumir que os associados a essa comunidade sejam os funcionários da RBS, já que a chamada não parece ser iniciativa de um fã, e sim de um executivo informando os dados da empresa. Mas também podemos esperar que a comunidade reúna admiradores não-funcionários.

A quarta comunidade, Monstros RBS – "Comunidade pra quem gosta dos monstros da campanha O amor é a melhor herança" – convida os fãs dos monstrinhos a se reunirem. No dia 6 de novembro contava 67 membros, já no dia 12 do mesmo mês, eram 66 os membros, um a menos, portanto. Trata-se de uma comunidade curiosa, pois gira em torno de uma campanha publicitária da RBS, cujo fim seria educativo. Os monstrinhos da campanha arregimentaram a simpatia de crianças e adultos e parece que, por tabela, contribuem para melhorar a imagem da RBS. Mais uma comunidade com fim institucional? Bem, 66 membros não é muito.

Concluindo, a comunidade Eu odeio a RBS soma mais do que as três outras comunidades reunidas, sendo que a comunidade ClicRBS tem uma chamada ambígua, que também reflete algum sentimento de ressentimento pelos colegas sumariamente demitidos.

Forte afirmativa

O que isso quer dizer? Que há hoje 261 pessoas no Orkut, espontaneamente reunidas, querendo mandar um recado ao maior grupo de comunicação do Sul do país. Um recado de forte afirmativa. Agora, se esse recado é apenas a ponta de um iceberg ou se esse recado é passageiro, uma onda fugaz, só o futuro poderá dizer. No presente existe o grito maior dessas 261 pessoas no Orkut.

Pensando numa confirmação desses dados que o Orkut revela, pesquisei alguns dos principais nomes da RBS. Lembrei dos seguintes: Lasier Martins (um dos principais comunicadores – TV e Rádio); Paulo Sant’ana (comentarista esportivo, um dos principais cronistas do jornal Zero Hora); Maurício Saraiva (comentarista esportivo); Luis Fernando Verissimo (escritor, um dos mais queridos cronistas de Zero Hora); Moacyr Scliar (escritor, cronista de Zero Hora); Martha Medeiros (escritora – cronista de Zero Hora); Olavo de Carvalho (filósofo, escritor, colunista de Zero Hora). Haveria muitos outros nomes, mas sobre esses encontrei comunidades. Por exemplo, sobre o nome Sirotsky não encontrei nenhuma comunidade, quer elogiosa, quer crítica. Tampouco encontrei comunidade(s) no nome Rosane de Oliveira. [editora de política da ZH]

Resumidamente, cito as comunidades de cada uma dessas personalidades ligadas ao grupo RBS:

Lasier Martins

Eu odeio o lasier martins (grafado em letras minúsculas mesmo). A comunidade conta com 268 membros (12/11/04): "Pra todas as pessoas q odeiam esta figura lamentavel da televisao e suas opinioes toscas".

Eu odeio Lasier Martins (nesta segunda comunidade o nome do jornalista está com iniciais maiúsculas). Conta com 27 membros. "Esta comunidade é para todas as pessoas que não agüentam mais o puxa saquismo e a babação de ovo da RBS desse cara…"

Lasier Martins – 13 membros. "Uma Comunidade para quem admira o linguajar deste magnífico jornalista. Com ele falar ‘papel’ virou uma arte. Seus trejeitos com os "ls" das palavras criaram vários fãs. Junte-se a nós e fale que nem o Lasier!!! Papel, Mel, Animal,…"

(Hehehe! Ai, essa tá muito engraçada! 🙂

EU ODEIO O LASIER MARTINS (grafado em letras maiúsculas). Conta com 8 membros. "ESSA COMUNIDADE SE DESTINA AQUELES QUE NÃO AGÜENTAM MAIS ASSISTIR O JORNAL DO ALMOÇO E AGÜENTAR O MALA DO LASIER!!!"

Somando as três comunidades de "ódio" temos 268 + 27 + 8 = 303 associados. Alguns devem se repetir nas comunidades, mas como são 3 comunidades distintas, faço a soma dos integrantes. E tem a comunidade que faz brincadeira com a pronúncia do jornalista, num clima mais ameno, satirizando a função de fã do jornalista.

Esse sentimento em relação a Lasier Martins parece casar com o antagonismo dirigido à RBS, inclusive no número de membros, que são próximos. Não me dei ao trabalho de verificar se os associados ao grupo Eu odeio o lasier martins (268 membros) são os mesmos associados ao grupo Eu Odeio a RBS (261 membros). Lasier Martins é descrito como tendo opiniões toscas (grosseiro, rude, inculto), sendo puxa-saco da RBS e mala (pessoa bajuladora, desagradável, inconveniente). Por outro lado, também se faz referência bem-humorada a seu jeito caricato de falar.

A voz de Lasier Martins parece ser a voz da RBS, pelo menos nesse contexto, ambas sendo alvo de recados de protesto.

Paulo Sant’ana

EU DETESTO PAULO SANT’ANA (grafado em letras maiúsculas). Com 26 membros. "Para todas as pessoas que compartilham dessa idéia".

Paulo Sant’ana – com 3 membros. "Comunidade dedicada ao maior gênio da crônica esportiva gaúcha. Suas tiradas jocosas e a irreverência de seus comentários aliados ao pessimismo torna-o uma personalidade ímpar, fora tudo isso, é o gremista mais ilustre que existiu, contando também com a simpatia de muitos colorados. Sejam bem-vindos e divirtam-se!"

Embora, sabidamente, Paulo Sant’ana seja um dos colunistas campeões de cartas no jornal Zero Hora, parece que no Orkut essa popularidade não se refletiu, pelo menos não até o momento em que escrevo esse texto. Daqui a semanas tudo pode ter mudado de figura. Contudo, essa informação é interessante, pois pode estar indicando que o Orkut congrega mais pessoas que têm visão crítica da RBS e de ZH. Tais pessoas estariam representando apenas parcela pequena da população gaúcha. Uma minoria com aguda consciência crítica? Talvez.

Existem mais 3 comunidades dedicadas ao Sant’ana, contudo, são comunidades idênticas à descrita acima, com o mesmo texto de chamada de apresentação, inclusive. Muito provavelmente foram abertas por engano, por inexperiência do usuário. Todas tem 0 membros associados.

Maurício Saraiva

Eu odeio o Maurício Saraiva conta com 794 membros. "Se tu não aguenta os comentários do Maurício Saraiva nos jogos de futebol, tu não tá sozinho!!!" (sic).

Eu odeio o Maurício Saraiva – com 61 membros. "Para aqueles que consideram esse cidadão, apresentador do TVCOM Esportes e comentarista da RBS e do SporTV, um mala sem precedentes fiquem à vontade de dar sua opinião. Essa comunidade servirá como um termômetro da antipopularidade desse sujeito. Comentários sobre sua conduta como comentarista e apresentador também são bem-vindos."

Essas duas comunidades me fazem lembrar aquele dito "falem mal, mas falem de mim". Quer dizer, enquanto o fundador pretende que a comunidade sirva de "termômetro de antipopularidade", ela pode estar demonstrando, justamente, a popularidade do comentarista. Não havendo uma crítica mais efusiva e séria, a comunidade trata apenas de reunir-se em torno de uma figura polêmica, acompanhando avidamente seu desempenho profissional, que passa a ser o centro de divertidas e amigáveis discussões, temperadas pela paixão futebolística.

No entanto, 794 pessoas dizerem que não agüentam o Maurício Saraiva, somando-se às 61 pessoas da comunidade vizinha, é um número considerável, totalizando 855 rivais do Saraiva.

Podemos levar na esportiva? ;o )

Não há comunidade favorável ao comentarista, até o presente momento.

Luis Fernando Verissimo

Luis Fernando Verissimo – com 2.433 membros! "Um lugar ao sol para se rememorar as maravilhosas obras desse grande escritor!"

Luis Fernando Verissimo – com 387 membros. "Luis Fernando Verissimo – O Bem Amado. Para lembrar, discutir e rir das melhores do Melhor."

Luis Fernando Verissimo – com 21 membros. "Comunidade destinada a este brilhante gaúcho, criador de personagens inesquecíveis como o Analista de Bagé, Ed Mort, Velhinha de Taubaté, entre outros."

Comentando os dados: o bem-amado, realmente, congregando 2.841 pessoas em louvação ao escritor.

Não se faz nenhuma referência, pelo menos nas chamadas de convite às comunidades, ao fato de LFV escrever para Zero Hora. Quer dizer, é como se o escritor não tivesse ligação com o jornal ou simplesmente essa informação não fosse considerada importante. Parece dizer que o autor independe da mídia para "existir" no meio literário. Ele "existe por si só", por seu mérito, à parte de Zero Hora.

Naturalmente, essa é a leitura que faço, pois é curioso que as demais personalidades até agora vistas sejam imediatamente enquadradas, pelos próprios criadores de suas respectivas comunidades, como tendo vinculação com programas da RBS ou com o espaço ocupado em Zero Hora. Todavia, isso não acontece com Luis Fernando Verissimo. Talvez se possa dizer que LFV é uma tal unanimidade que está acima de questionamentos, seu reconhecimento independe do veículo que o divulga. A situação se inverte, é o veículo que obtém respeito ao publicar o autor.

Não há nenhuma comunidade do tipo "odeio" dirigida a Luis Fernando Verissimo. Mais um indício da aprovação ao escritor e do carinho a ele dedicado.

Moacyr Scliar

Moacyr Scliar – com 37 membros. "‘Escrevo pelo prazer de criar situações e personagens (nesta ordem, infelizmente)’ – Moacyr Jaime Scliar nasceu em Porto Alegre em 23 de março de 1937. É autor de mais de 30 obras entre romances, ensaios, contos e artigos. Tem traduções de seus livros em vários idiomas, entre eles, alemão, francês, espanhol, inglês, italiano, hebraico e sueco. Entre suas obras mais importantes estão: A história de um médico em formação (1962); A guerra do Bom Fim (1972); O exército de um homem só (1973); Mês de cães danados (1977); O centauro no Jardim (1980); A orelha de Van Gogh (1988); Olho enigmático (1988) e A Mulher que escreveu a Bíblia (1999)".

Moacyr Scliar – com 5 membros. "Bem-vindos admiradores, leitores e conhecedores deste grande cronista e escritor que é Moacyr Scliar. Consegue traduzir o bom humor judaico à nossa brasilidade e cenários de nossa realidade social e classe média urbana de nossa terra. Sem dúvida, um homem de seu tempo e um de nossos melhores talentos literários, junto com seu conterrâneo, Luis Fernando Verissimo."

A mesma independência em relação ao jornal é observada nas comunidades criadas para Scliar: não se faz menção ao fato de o escritor publicar em Zero Hora. A popularidade de Moacyr Scliar é bem menor que a de Verissimo, pelo menos a julgar pelo número de membros das comunidades. As de Scliar somam 42 associados.

É interessante comparar o número de adesão às comunidades não simplesmente para determinar quem é mais ou menos popular no Orkut, mas como forma de abstrair que pensamentos motivam a formação das comunidades. Também, ao comparar os tipos de comunidades, podemos obter informações sugestivas e refletir sobre elas. Isso tanto pode ser um exercício inútil, reconheço, como pode revelar tendências e mesmo a atitude e o pensamento de uma parcela da população gaúcha. São dados objetivos, resta-nos "ouvi-los".

A primeira comunidade dedicada a Moacyr Scliar parece ter sido criada por um admirador que busca ser isento de paixão. A chamada para ingresso na comunidade é bastante racional, intelectualizada, se resume a citar os feitos do autor, por si só notáveis. Não há um elogio mais pessoal, de caráter mais íntimo, do tipo "eu amo Scliar". Podemos pensar num grupo seleto de leitores intelectuais, não num fã clube lotado de tietes.

Já na segunda comunidade o espírito é outro. Um fã confesso convida outros a compartir sua paixão literária. Pensei que talvez o fundador da comunidade fosse um judeu, como Scliar, tendo em vista a referência ao humor judeu traduzido à nossa brasilidade. No mínimo um conhecedor do humor judeu, deduzo.

Por último, renovo minhas dúvidas, não deveria a comunidade de Scliar ser maior no Orkut? Ou é isso mesmo: a fatia da população que freqüenta o Orkut dá seu tributo a Scliar, dedicando-lhe 2 comunidades, mas sua popularidade não chega a ser das mais impressionantes. Cabe lembrar que há escritores e personalidades não representados na efervescente colméia. Adicionalmente, não existe comunidade do tipo "odeio" para Scliar, o que indica índice de rejeição baixo ou inexistente.

Recordo outra coisa a considerar: é que há as comunidades criadas espontaneamente pelos freqüentadores e existem as criadas por interesses financeiros, publicitários ou profissionais. Atribuo mais valor as comunidades que emergem autentica e naturalmente do desejo dos orkuteiros, sem nenhum tipo de artifício.

Martha Medeiros

Martha Medeiros – com 734 membros. "Um ponto de encontro para os admiradores da obra da escritora Martha Medeiros".

Eu amo a Martha Medeiros! – com 143 membros. "Aqui acredita-se que o bom leitor sabe diferenciar o que é cultura do que é futilidade…".

Eu odeio a Martha Medeiros – com 89 membros. "Para os que detestam a futilidade disfarçada de cultura."

Odiamos a Martha Medeiros! – com 8 membros. "Martha Medeiros é mais uma escritora de livros de auto-ajuda que não quer assumir o título, pois é pseudopolitizada. Escreve sobre o universo clitoriscêntrico e pensa que está fazendo alguma contribuição para a literatura nacional. Tem grande potencial a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, afinal, é muito fraquinha. E sem fotos, pois já é mais que suficiente (aliás, excedente) sua coluna dominical na Zero Hora".

Eu Adoro ler Martha Medeiros – com 6 integrantes. "LER MARTHA É MUITO BOM! TODA QUARTA E DOMINGO NA ZH! LEIAM TB O LIVRO "DIVÃ" !

Aqui retorna a ligação da personalidade ao jornal, quer dizer, pelo menos duas das comunidades relacionam Martha Medeiros à Zero Hora (não custa lembrar: jornal integrante do grupo RBS).

As comunidades de Martha Medeiros foram as que mais confrontaram opiniões. Duas do tipo "amo" e duas do tipo "odeio". As primeiras contabilizaram 883 membros. Um número considerável de fãs. E as segundas contabilizaram 97 associados, evidentemente um número bastante inferior.

O que chama a atenção é a acusação feita à escritora, de que escreveria futilidades clitoriscêntricas de auto-ajuda. Crítica forte e estruturada, demandando uma postura crítica pensada e membros convictos de suas opiniões. Mas o número de orkuteiros apreciadores da escritora, igualmente convictos, é bem superior.

Mais uma vez, comparando dados: o número de pessoas associadas às comunidades "odeio" Martha Medeiros é pequeno em relação aos 883 membros que a adoram, contudo, esse número pequeno (97) é maior do que o número total de admiradores de Scliar (42).

Curioso, não?

Acho que isso se explica pela polarização de sentimentos que certas personalidades despertam, quer sejam escritores, comentaristas ou jornalistas. Martha Medeiros desperta paixão em alguns e ódio ou repulsa em outros, desperta sentimentos antagônicos. Scliar já não parece ser esse tipo de pessoa, talvez devido ao seu jeito ponderado e tranqüilo de falar, talvez porque suas obras alcancem um público mais erudito e menos dado às tempestades sentimentais. O mesmo se pode dizer de Verissimo, também ele não desperta ódios. É difícil imaginar um grupo tendo necessidade de criar uma comunidade do tipo "odeio Verissimo" ou "odeio Scliar", todo mundo os respeita e adora. Já Lasier Martins é o contrário, porque opina fortemente defendendo dados interesses e, conseqüentemente, desperta reações em contrário. Talvez por isso não exista, até o presente, nenhuma comunidade do tipo "amo Lasier Martins", e claro que falo de uma comunidade de formação espontânea, não alguma formada somente por parentes ou colegas de RBS.

Os números nas comunidades se explicam, em parte, pela capacidade dessas personalidades de despertar fortes sentimentos, quer de amor, simpatia, quer de ódio, de antipatia. São as paixões que motivam a abertura de muitas dessas comunidades e a posterior adesão a elas. Não que tais paixões mobilizadoras não tenham suas justificativas racionais, suas bases inteligíveis e dignas de crédito. Daí vai de cada um querer compreender esses universos, o seu e o dos outros.

A princípio, as empresas estão interessadas em conhecer o que pensam seus clientes e, conseqüentemente, a RBS deveria estar interessada em conhecer esse universo do Orkut e suas comunidades "eu odeio" e "eu amo", ainda mais quando os números adversos à instituição se avolumam. Talvez julguem não representativo e ponto final.

Eu acho tudo isso bem interessante! 😮 )

Olavo de Carvalho

Olavo de Carvalho – com 900 membros. "Comunidade para discussão sobre as idéias e obras do filósofo brasileiro Olavo de Carvalho. Ideas and works of the Brazilian philosopher Olavo de Carvalho"

Olavo de Carvalho nos odeia! – 364 membros. "Apesar de não sermos comunistas nem estarmos envolvidos em escala global de Kofi Annan. Dedicada a congregar, num espaço virtual, todas as pessoas de bom-humor que acham hilárias as besteiras do nobre pensador tupiniquim. OBS: Essa é a mesma boa e velha ‘Eu odeio Olavo de Carvalho’, só que melhor".

Filosofia em Olavo de Carvalho – 126 membros. "Comunidade para discussão da filosofia na vida e obra de Olavo de Carvalho."

Rindo de Olavo de Carvalho – 35 membros. "Essa comunidade é dedicada aqueles que esperam o dia de sábado para ler e comentar e rir um pouco da coluna de Olavo de Carvalho no Globo.

Olavo de Carvalho – 8 membros. "Comunidade NÃO MODERADA com o fim de discutir as idéias e publicações do filósofo brasileiro Olavo de Carvalho. Não haverá nenhum ditador para julgar o que é um post ofensivo e cada um que responda pelo que postou. Todos são bem-vindos e o moderador se compromete a não apagar post algum seja qual for seu conteúdo."

EU ODEIO OLAVO DE CARVALHO – 6 membros. "Para quem odeia, acha graça, tem medo, tem alegria, é normal, quer a sua demissão d’O Globo, quer que ele assuma realmente a sua posição, enfim, quem NÃO gosta desse cara."

Outra personalidade que desperta admiração e rejeição, ainda que bem-humorada. A ligação de Olavo de Carvalho com a mídia é citada, mas apenas mencionando-se o jornal O Globo. Zero Hora não é lembrada, pelo menos não nas chamadas das comunidades.

Um total de 6 comunidades, sendo 3 pró e 3 contra. A personalidade que mais gerou comunidades nessa pesquisa.

O número de integrantes das 3 comunidades que parecem favoráveis a Olavo ultrapassa um milhar. São elas: Olavo de Carvalho, Filosofia em Olavo de Carvalho e Olavo de Carvalho. Digo que essas comunidades "parecem favoráveis" porque a chamada dessas 3 apenas convidam à discussão, não fazendo referência nem positiva e nem negativa. Por outro lado, o número relativamente grande de integrantes nas 3 comunidades atesta o interesse que as idéias do filósofo provocam.

As outras 3 comunidades: 2 satirizam o filósofo e uma é do tipo "odeio". São elas: Olavo de Carvalho nos odeia!, Rindo de Olavo de Carvalho e EU ODEIO OLAVO DE CARVALHO. Somam 405 membros. As três fazem crítica leve ao filósofo, bem-humorada. Nenhuma delas faz uma crítica mais contundente.

Apanhado geral

Fazendo um apanhado geral do visto até agora, concluo que alguns profissionais atuantes na RBS também são alvo, no Orkut, de comunidades que comunicam forte rejeição, como, indubitavelmente, Lasier Martins e Maurício Saraiva.

Paulo Sant’ana parece se encontrar num limbo no Orkut, porque qualquer das comunidades a ele dedicadas arregimentou poucos participantes. O que destoa da popularidade real que o colunista desfruta no jornal Zero Hora. Daí há que se pensar no público freqüentador do Orkut, que representa fração "x" do universo de leitores, de ouvintes e telespectadores.

Já Verissimo e Scliar têm só comunidades elogiosas, não-críticas, comunidades que não fazem referência à ligação dos escritores com a RBS.

Martha Medeiros e Olavo de Carvalho têm comunidades que fazem referências à ligação dos colunistas com a mídia (com ZH e outro com O Globo) e ambos têm comunidades do tipo antagônica ou "odeio", o que sugere uma divisão entre fãs e críticos, embora o número de admiradores seja significativamente maior.

Parece claro que personalidades que funcionam como porta-vozes da RBS ou porta-vozes de opiniões defendidas com paixão são alvo maior de rejeição no Orkut, como é o caso de Lasier Martins e Maurício Saraiva.

Para terminar, disponho os dados das comunidades do jornal Zero Hora.

Zero Hora

JORNAL ZERO HORA – com 35 membros. "O JORNAL ZERO HORA é um dos jornais mais importantes e respeitados do país, circulando em todo o Estado do Rio Grande do Sul, Brasil e Mundo. No mercado gaúcho, possui 1.328.000 leitores segundo o Ibope, sendo o jornal mais lido do Estado. O Rio Grande do Sul tem um PIB maior do que países como Romênia, Marrocos e Ucrânia, tem a melhor qualidade de vida (IDH) e a 2ª maior expectativa de vida do país. Além disso, o mercado gaúcho tem um potencial de consumo per capita em média 43,52% maior do que a média do Brasil. Economicamente o RS é o 3º maior exportador do país, o 2º maior potencial de consumo de serviços médicos, o 2º maior potencial de consumo de imóveis e o 3º maior potencial de consumo de automóveis (Florenzano Marketing)."

Encerra com resumo em inglês e o nome do site em letras grandes, conforme está abaixo.

WWW.ZEROHORA.COM.BR

Eu Odeio a Zero Hora – com 21 membros. "Para todos os que ficaram indignados com a forma como a Zero Hora manipulou as informações nas eleições de 2002 para Governador, desrespeitando todo o povo gaúcho, o mesmo povo que tornou a Zero Hora o maior jornal do Estado do RS. Vamos mostrar que não nos esquecemos desta e de tantas outras manipulações. Vamos mostrar que o povo gaúcho não gosta nem um pouco de ser tratado como um idiota, de ser manipulado como se fosse um aculturado ou semi-analfabeto qualquer".

A primeira comunidade tem características claramente institucionais, divulgando a empresa jornalística. Os 35 membros são, provavelmente, funcionários da empresa. Digo isso porque a comunidade não tem perfil de comunidade constituída por fã, ao contrário, tem todo o perfil de iniciativa da própria instituição. Os 35 integrantes representam pouca participação, considerando que se trata de um dos maiores jornais do Rio Grande do Sul.

A segunda comunidade é, evidentemente, de protesto espontâneo e de manifestação de indignação. Os 21 membros não representam muito, mas, talvez, dadas as circunstâncias, tenham um peso não desprezível, já que a grande empresa figura como um Golias organizado, mas tendo apenas 35 membros associados, e a pequena comunidade revoltosa, seus 21 Davis! De qualquer forma, em termos práticos, ambas as comunidades são pequenas.

Objetivamente, a comunidade Eu Odeio a Zero Hora mostra o descontentamento com um jornal que pertence ao grupo RBS, colocando em xeque, mais uma vez, a credibilidade do veículo. Enquanto a comunidade JORNAL ZERO HORA tem um cunho menos passional, visando divulgação da empresa no Orkut, muito provavelmente tendo sido aberta por um funcionário.

Conclusão

Cabe lembrar que os dados aqui mostrados e comentados são voláteis. O Orkut é dinâmico e os números de adidos numa comunidade pode variar rapidamente, tanto para mais como para menos. Inclusive, comunidades podem ser criadas e deletadas muito facilmente, a critério do usuário fundador. Pretendo acompanhar a evolução de algumas dessas comunidades, enquanto tiver interesse por elas.

Também, com relação a outros nomes por mim pesquisados, aqui não incluídos, há três possibilidades: 1) pesquisei o nome no Orkut e não havia nenhuma comunidade dedicada a ele; 2) havia uma comunidade, mas eu não a achei por ter nome inesperado. Sim, porque há tantas comunidades que pode existir alguma com um título diferente; 3) posso ter esquecido de algum nome relevante.

Fica o convite para você mesmo observar e acompanhar a evolução das comunidades dedicadas à RBS no Orkut. É um pouco como acompanhar a direção de uma colméia e que células irá construir ou destruir. Um movimento vivo e guiado por alguns milhares de pessoas. E o melhor é que a gente pode participar.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem