Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

E-NOTíCIAS > TV / PUBLICIDADE

Keila Jimenez

13/04/2004 na edição 272

‘O chororô e o aperto de cintos do ano passado deram lugar a confetes nas TVs no primeiro trimestre deste ano, pelo menos nos departamentos comerciais. As três maiores redes abertas comemoram o crescimento de cerca de 30% de faturamento nos três primeiros meses do ano em relação ao mesmo período no ano passado.

Inovações tecnológicas na venda de espaços comerciais, Big Brother Brasil 4, ou aumento da audiência no período de férias em relação a 2003: não são poucas as justificativas dos profissionais para explicar a retomada do interesse de investimentos do anunciante.

‘O mercado de propaganda de 2004 se apresenta mais confiante, não sofrendo incertezas políticas e econômicas geradas pela mudança do governo FHC/Lula em 2003’, fala o superintendente Comercial da Record, Walter Zagari. ‘Dois dos nossos grandes negócios no início do ano foram a programação de verão do Bahia 50º e as transmissões de futebol.’

Na Globo, um dos programas que engordou o faturamento da rede foi a quarta edição do BBB. Sucesso de audiência, o programa arrebanhou mais investimentos publicitários do que as edições anteriores. ‘Houve um crescimento no número de ações de merchandising e interatividade’, afirma o superintendente Comercial da Globo, Octávio Florisbal. ‘Acreditamos que o 2.º semestre também será melhor que o de 2003’, continua. ‘A Olimpíada irá impulsionar esses resultados.’

No SBT são as vendas on line de espaços comerciais na rede que animam o superintende Comercial do canal, Cláudio Santos. ‘Tivemos um crescimento de 30% de faturamento em relação ao início do ano passado e boa parte disso tem a ver com as reservas de espaços feitas pelos anunciantes eletronicamente’, diz ele. ‘Tivemos 25% desse tipo de reserva no primeiro trimestre.’

Santos acredita que grandes apostas da emissora para o segundo semestre, como um pacote de filmes blockbusters e a volta de Casa dos Artistas, vão gerar resultados financeiros ainda melhores. ‘Sou um otimista, creio que as emissoras este ano vão terminar bem. O meio TV deve crescer em faturamento em 2004 cerca de 10%.’’



DA COR DO PECADO
Leila Reis

‘‘Já fiz muitas heroínas, queria um papel de má’’, copyright O Estado de S. Paulo, 10/04/04

‘Giovanna Antonelli, 28 anos, já teve grandes papéis na TV: Jade (O Clone), Anita Garibaldi (A Casa das Sete Mulheres). Mas a vilã Bárbara, da novela Da Cor do Pecado, deve ocupar um lugar muito especial no currículo de Giovana. Mais malvada do que bruxa de contos de fadas, Bárbara tem propiciado grandes momentos na novela da 7. Nesta entrevista, Giovanna fala um pouco da megera, dos seus projetos e defende o amigo Reynaldo Gianecchini: ‘Ele está dando tapa de luva de pelica naqueles que o criticaram’.

Estado- O que é mais divertido: ser bondosa como Jade ou pérfida como Bábara?

Giovanna Antonelli – Fazer a Bárbara é muito mais divertido porque me dá a possibilidade de brincar. Ela é uma maravilha para qualquer atriz, a cada cena que leio, eu enlouqueço. Faço-a histérica, frágil, dou um desequilíbrio à personagem. Ela é melhor de fazer do que a Jade, a Capitu (Laços de Família). Tenho 16 anos de carreira, nove novelas. Já fiz muitas heroínas, queria uma personagem má como a Bárbara.

Estado – Seu coração não aperta quando você maltrata um garotinho?

Giovanna – Tem dia que dói um pouco mais, afinal, toda agressão a crianças é muito pesada. Mas eu e o Felipe (Latgé) somos muito amigos, ele me ajuda a estudar meu texto, é muito profissional. Quando eu bato, pergunto: ‘Doeu?’ E ele: ‘Não, só fez coceguinhas’. Felipe é muito fofo.

Estado – É consenso que Bárbara está fazendo sombra para a Preta, assim como Laura está ofuscando a Maria Clara, em Celebridade. Por que acontece isso?

Giovanna – Toda novela tem a heroína e a vilã. E cada grupo de personagens tem um momento de maior exposição. Acho que o foco está agora no núcleo da Bárbara. Adoro a Taís (Araújo), comecei minha carreira com ela em Xica da Silva. Papel de mocinha é mais limitado, sofre muito, chora muito e, por isso, é mais passiva.

Estado- As mulheres andam pedindo o corte de cabelo da Bárbara a seus cabeleireiros. Você gostou da mudança?

Giovanna- O Wanderley Nunes, que fez o meu cabelo, me contou isso mesmo.

Passei 26 anos da minha vida com cabelo comprido, claro que fiquei assustada com a mudança. Mas depois adorei, porque este cabelo me deu um estilo diferente.

Estado – E emagreceu bem…

Giovanna – Perdi oito quilos em duas semanas e meia. Sou muito caxias e como tinha uma grande passagem de tempo, quis mudar: deixar meu rosto menos redondo, mais de mulher, como se pode ver na reprise de Corpo Dourado, que fiz há sete anos.

Estado – Você já fez par com Reynaldo Gianecchini no filme ‘Avassaladoras’ e agora em ‘Na Cor do Pecado’…

Giovanna – Trabalhei também com ele em Laços de Família. Conheço a história do Giane e acho que ele está dando um tapa com luva de pelica em todos que o criticaram. Ele é muito sério, a gente espera a hora da gravação batendo papo, mas ele está sempre estudando. As pessoas foram muito cruéis, ele foi injustiçado.

Estado – Mas os grandes críticos da participação de modelos em novelas são os atores…

Giovanna – Hoje tem muito ator que faz desfile, então por que o preconceito?

Os grandes talentos precisam de oportunidade para surgir. Eu comecei no programa da Angélica, como Angeliquete, aos 14 anos, porque queria ser atriz. Com 11 anos, juntei uma turma e montei uma peça em um teatro na Tijuca, porque ser atriz era a coisa que sempre quis. Foi frustrante, teve cinco pessoas na platéia, mas fui atrás. Sou de colocar uma pastinha embaixo do braço e ir atrás de patrocinadores. Tenho milhões de projetos.

Estado – Quais são?

Giovanna – Estou fazendo o piloto de um programa de TV, quero produzir um filme e estou negociando os direitos de uma peça que não é montada há 15 anos para depois que terminar a temporada de Dois na Gangorra, que está em cartaz no Procópio Ferreira.

Estado- Que papel você gostaria de fazer?

Giovanna- Queria interpretar uma doente mental, como o personagem do Rodrigo Santoro no filme Bicho de Sete Cabeças. É a possibilidade de entrar em um universo que não conheço, além de não me preocupar com a aparência.

Estado- Você aceita convites para ser vip em festas?

Giovanna – Não vou a festas, só vou às realizadas pelos patrocinadores de minha peça, dos comerciais que me contratam. Só faço propaganda de produtos que acredito e gosto. Há dois e meio, uso roupas da Riachuelo.’



TV BANDEIRANTES
Daniel Castro

‘Band faz projeto para rapaz das Casas Bahia’, copyright Folha de S. Paulo, 11/04/04

‘Famoso pela frase ‘Quer pagar quanto?’, Fabiano Augusto, 28, garoto-propaganda das Casas Bahia, deve estrelar no segundo semestre um programa infanto-juvenil chamado ‘O Menino da Calça Verde’. Esse é o nome do projeto que Marlene Mattos, diretora artística da Band e empresária de Fabiano, desenvolve para ele, com a ajuda de uma escritora. ‘Estou ansioso para ver o projeto prontinho. Sou muito simpático à proposta do programa e quero trabalhar com crianças’, diz Fabiano Augusto. O ator, que negocia a renovação de seu contrato com as Casas Bahia, ainda não assinou com a Band e diz que foi sondado pelo SBT.

OUTRO CANAL

Viagem

Repórter da Globo, William Waack recusou polpuda proposta da Record. O jornalista preferiu virar correspondente da Globo em Nova York, onde fica pelo menos até novembro, quando ocorrem as eleições presidenciais dos EUA, às quais irá cobrir.

Biografia

O atual livro de cabeceira de Silvio Santos é em espanhol. Chama-se ‘El Tigre -Emilio Azcarraga y su Imperio Televisa’, biografia do homem que consolidou a Televisa, rede mexicana de TV que tanto influencia o SBT.

Pano

Craque em novelas de época, Walcyr Carrasco ainda não terminou de escrever ‘Chocolate com Pimenta’, mas já pensa em sua próxima obra. Será uma história atual.’



TV GLOBO
Cláudia Croitor

‘Globo põe na tela suas armas para 2004’, copyright Folha de S. Paulo, 11/04/04

‘Se, como dizem, no Brasil o ano novo só começa depois do Carnaval, na TV Globo o ano só começa depois da final do ‘Big Brother Brasil’. Como a babá Cida já está usufruindo os R$ 500 mil que ganhou no programa, é hora de a Globo estrear as mudanças de ano novo e voltar com sua programação normal.

As principais novidades, que começam a ir ao ar nesta semana, são as novas sitcoms ‘A Diarista’ e ‘Sob Nova Direção’, que foram exibidas no final de 2003 como especiais e agora ganham horário fixo na grade da emissora.

Protagonizada por Cláudia Rodrigues, de ‘Zorra Total’, ‘A Diarista’ estréia na terça, após o ‘Casseta & Planeta’. Rodrigues é Marinete, uma empregada doméstica que trabalha em várias casas no Rio de Janeiro. A série, cujo primeiro episódio foi escrito pela novelista Glória Perez, terá como personagens donas de casa -as patroas de Marinete-, porteiros de prédio etc.

‘Sob Nova Direção’ passa a ir ao ar a partir do próximo domingo, após o ‘Fantástico’. Heloísa Périssé e Ingrid Guimarães vivem Belinha e Pit, duas amigas que resolvem reabrir um bar -ganho por Belinha no término de seu casamento- escondido num subúrbio carioca. A sitcom terá ainda participação de Otávio Müller, o Queiroz de ‘Celebridade’, que deixa a novela das oito para ter um papel fixo no programa.

Logo após ‘Sob Nova Direção’, a Globo exibe a segunda temporada do premiado seriado americano ‘24 Horas’. Na série, filmada em tempo real, cada episódio de uma hora corresponde a uma hora de um dia atribulado na vida do agente secreto da CIA Jack Bauer, vivido por Kiefer Sutherland.

Outra estréia, hoje, é o quadro ‘As 50 Leis do Amor’, dentro do ‘Fantástico’. Uma mistura de sitcom com esquetes de programas antigos de comédia, fala de relacionamentos, casais, romances e é escrito pela dupla criadora do seriado ‘Os Normais’, o casal Alexandre Machado e Fernanda Young.

Volta

Com o término do ‘BBB’, também voltam ao ar os programas fixos da Globo que estavam em férias. Na terça, acontece o retorno de ‘Casseta & Planeta Urgente!’, que reestréia com quadros novos -entre eles, dois desenhos animados: ‘Os Suplicympsons’, uma paródia da família Suplicy, e ‘Os Ministros Superpoderosos’, apresentando Paloccinho, Dirceuzinho e Gilzinho.

‘Casseta’ também promoverá uma campanha para melhorar o marketing das Organizações Tabajara, com participação dos publicitários Washington Olivetto, Duda Mendonça e Nizan Guanaes, que gravaram depoimentos para o programa.

Quinta-feira, ex-dia de prova do líder no ‘BBB’, volta ao ar ‘A Grande Família’, um dos campeões de audiência da Globo. Logo em seguida, retorna o policial ‘Linha Direta’.

Na sexta-feira, após o ‘Globo Repórter’, voltam os caminhoneiros Pedro (Antonio Fagundes) e Bino (Stênio Garcia), com 16 episódios inéditos do seriado ‘Carga Pesada’.

E até quem não saiu de férias vai ao ar nesta semana com reformulações, como o ‘Vídeo Show’. O programa, exibido diariamente às 13h45, ganha um novo quadro, o ‘Quem É Vivo Sempre Aparece’, que vai mostrar como estariam hoje personagens marcantes de novelas idem. Na estréia, amanhã, Regina Duarte revive Maria do Carmo, personagem que viveu na novela ‘Rainha da Sucata’, em 90.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem