Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 6 E 7/3

Carta Capital

09/03/2010 na edição 580

TECNOLOGIA
Felipe Marra Mendonça

Esqueça o que ele disse

"‘Nunca tivemos vergonha de roubar grandes ideias.’ A frase é de Steve Jobs e foi dita durante a gravação de um documentário de 1996, intitulado Triumph of the Nerds. O CEO da Apple explicava o processo que deu origem ao Macintosh, e sustentava que uma parte importante da criação daquele computador revolucionário e de subsequentes produtos da Apple era ‘tentar expor as melhores coisas que os humanos já fizeram e trazer isso para o que você está fazendo’.

A mesma frase serve como contraponto para o processo que a Apple instaurou contra a taiuanesa HTC na terça-feira 3, ao alegar que ela tinha violado mais de 20 patentes relativas ao hardware do iPhone e partes de seu sistema operacional. Em declaração distribuída pela assessoria de imprensa da Apple, Jobs disse que ‘podemos ficar parados e assistir competidores roubando nossas invenções patenteadas, ou podemos fazer algo sobre isso. E decidimos fazer algo sobre isso. Acreditamos que a competição é saudável, mas a competição deveria criar sua própria tecnologia original, e não roubar a nossa’. Aparentemente, roubar grandes ideias não é algo tão bem-visto pelo mesmo Steve Jobs, 13 anos depois.

A maioria das reclamações da Apple é relacionada à interação do usuário com a tela sensível ao toque, os gestos feitos para manipular o sistema e alguns aspectos gráficos da interface, como ícones e disposição de objetos na tela. É curioso que a Apple não tenha processado outras empresas antes da HTC, já que muitas outras utilizam conceitos semelhantes em seus celulares – o Samsung Wave, mostrado abaixo no Prazer de Ponta, é apenas um exemplo dessa tendência.

Fica claro que existe uma terceira intenção por trás do processo contra a HTC. Ela é a cocriadora do Nexus One, primeiro celular do Google e principal competidor do iPhone. A Apple mira na HTC para acertar nele e também derrubar o Android, seu sistema operacional para celulares, até porque cita explicitamente os celulares da HTC que rodam esse sistema. Não existe qualquer menção aos celulares da HTC que rodam o Windows Mobile, da Microsoft.

A Apple percebeu na ascensão do Android uma ameaça à liderança do iPhone entre os consumidores e o ataque indireto ao Google talvez seja o estopim de uma batalha entre duas empresas que, até pouco tempo atrás, eram parceiras. O CEO do Google, Eric Schmidt, foi parte do conselho da Apple até agosto de 2009, mas a distância entre as duas empresas ficou clara quando Jobs, em palestra interna na Apple, teria dito a um funcionário que o lema do Google de ‘não fazer o mal’ era ‘uma besteira’. Na verdade, o termo exato usado por Jobs em inglês foi um pouco mais forte e tem relação com o esterco bovino.

Em 1983, enquanto o Macintosh era desenvolvido pela Apple na Califórnia, a equipe responsável pela criação do produto hasteou uma bandeira pirata na sede da empresa. Na mesma época, Jobs disse àquela equipe que era melhor ‘ser um pirata do que fazer parte da Marinha’, um ataque às grandes corporações e às burocracias inerentes a essas organizações. A Apple parece infelizmente ter deixado para trás esse espírito e se alistou na Marinha. Antes a empresa enfrentava a competição com produtos cada vez melhores. Agora parece ter escolhido a força bruta. É uma estratégia triste para uma empresa que até agora era tida como criativa e diferente pelos consumidores."

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem