Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

ENTRE ASPAS > TERÇA-FEIRA, 09/01

Chávez anuncia estatização
das teles venezuelanas

Por Luiz Antonio Magalhães em 10/01/2007 na edição 415


Leia abaixo os textos de terça-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 9 de janeiro de 2007


VENEZUELA
O Estado de S. Paulo


Chávez anuncia nacionalizações


‘O presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou ontem que irá nacionalizar os setores elétrico e de telefonia do país e ameaçou mexer nos projetos de empresas estrangeiras para exploração de petróleo na Bacia do Orinoco. ‘Todos esses setores estratégicos que foram privatizados – como o de eletricidade – serão nacionalizados’, disse, durante a cerimônia de posse de seu novo gabinete. ‘Eles são muito importantes para todos nós.’


Chávez, que chegou a citar o nome da CANTV, a maior operadora de telefonia da Venezuela, explicou que pretende agilizar as nacionalizações pedindo à Assembléia Nacional (parlamento) que aprove uma ‘Lei Habilitante’ – instrumento que permite ao chefe do Executivo governar por decreto ao tratar de vários assuntos, especialmente os referentes à economia.


Em 2001, esse dispositivo permitiu que Chávez aprovasse 49 leis sem votação na Assembléia, incluindo a polêmica Lei de Terras. Como todos os deputados hoje são chavistas (a oposição boicotou as últimas eleições legislativas), o presidente venezuelano não terá dificuldade em conseguir o que quer também dessa vez.


Segundo Chávez, a Lei Habilitante (definida por ele como ‘a mãe das leis revolucionárias’) também servirá para acabar com o controle de empresas estrangeiras sobre o processamento de petróleo extra-pesado na Bacia do Rio Orinoco, o mais promissor campo de exploração do país.


Atualmente a British Petroleum, a francesa Total, a norueguesa Statoil e as americanas Exon Mobil, ConocoPhillips e Chevron Texaco trabalham, em parceria com a estatal PDVSA, em quatro projetos bilionários na região. Chávez não deixou claro se pretende nacionalizar totalmente os projetos ou obrigar as companhias a aceitarem que a PDVSA se torne a sócia majoritária nas joint-ventures.


‘Ao anunciar que as nacionalizações poderão afetar o campo petrolífero do Orinoco, Chávez vai afastar os investimentos externos no setor’, disse ao Estado o economista venezuelano Jose Toro Hardy, ex-diretor da PDVSA. ‘O problema é que a estatal venezuelana necessita de parceiros externos porque há anos deixou de investir na produção.’


As mudanças, segundo Chávez, visam colocar a Venezuela no caminho do modelo que ele batizou de socialismo do século XXI. ‘Estamos em um momento existencial da vida venezuelana’, disse o presidente. ‘Estamos na direção do socialismo, e nada nem ninguém poderá evitar isso.’


A CANTV é controlada pela americana Verizon Communications (que detem 28,5% de suas ações). Outra companhia que seria afetada seria pelas nacionalizações seria a Eletricidade de Caracas, controlada pela americana AES Corporation.


‘Se alguém ainda tinha alguma dúvida se era seguro investir aqui, essa é a gota d´água’, disse ao Estado Francine Jácome, diretora do Instituto Econômico Venezuelano de Estudos Sociais e Políticos. ‘Ao afastar investimentos, Chávez torna a economia venezuelana ainda mais dependente dos preços do petróleo, o que no futuro pode ser uma armadilha que resultará em desemprego e baixo crescimento.’


Durante o discurso, o presidente venezuelano também afirmou que irá mudar as leis que regulam os negócios e a economia para adequá-las ao seu modelo socialista. Ele prometeu, ainda, uma emenda constitucional para acabar com a autonomia do Banco Central venezuelano. ‘O BC não deve ser independente – isso é uma idéia neoliberal’, disse.


Reeleito em dezembro com 63% dos votos, Chávez deve tomar posse oficialmente amanhã. Seu madato vai até 2013. Nas últimas, semanas ele anunciou uma série de medidas que irão aumentar seu controle sobre o Estado e a sociedade venezuelanos. Além de avançar nas nacionalizações, Chávez pretende reformar a Constituição e unificar as correntes governistas num partido único.


No total, 26 dos 27 ministros prestaram ontem juramento. Apenas o titular da pasta de Integração e Comércio Exterior não foi anunciado. Do velho gabinete, apenas dez ministros não foram trocados pelo presidente que, segundo analistas, privilegiou políticos mais radicais e comprometidos com as mudanças.


Também prestou juramento o novo vice-presidente, Jorge Rodríguez, um militar que esteve na direção do Conselho Nacional Eleitoral em 2004, quando foi realizado o referendo no qual a população confirmou que queria manter Chávez no poder. Na Venezuela, o vice é nomeado pelo presidente depois de eleito. O ex-vice José Vicente Rangel era o civil de maior influência no regime chavista.


AS MEDIDAS DE CHÁVEZ


Estatização – Nacionalização de setores estratégicos que foram privatizados, como o de eletricidade e o de telefonia


Petróleo – Fim do controle de algumas companhias estrangeiras sobre o processamento de petróleo extra-pesado no Rio Orinoco


Poder – Pedido ao Parlamento que aprove uma lei habilitando o Executivo a fazer novas regras para agilizar as nacionalizações


Economia – Adequação das leis econômicas ao ‘socialismo do século XXI’ e ampliação do controle do governo sobre o Banco Central


Gabinete – Criação de pastas para assuntos indígenas e de telecomunicações


AP E REUTERS, COM REPORTAGEM DE RUTH COSTAS, JOSÉ EDUARDO BARELLA E NICOLA PAMPLONA’


***


Venezuela compra jornal boliviano e quer TV


‘Com o apoio do governo boliviano, a Venezuela quer estabelecer um sistema oficial de comunicação na Bolívia, comprando diversos veículos de imprensa que estavam nas mãos de bolivianos, disse ontem o diretor da TV Cadena A, Jorge Tejerina. Segundo Tejerina, o governo de Hugo Chávez adquiriu recentemente o semanário ‘La Epoca’, e a petrolífera estatal da Venezuela, a PDVSA, ‘tenta comprar um canal de TV’ para colocá-lo a serviço do governo boliviano. Chávez também tem adotado medidas polêmicas no setor de comunicação em seu próprio país. O presidente venezuelano chamou ontem de ‘idiota’ o secretário-geral da Organização dos Estados Americano, o chileno José Miguel Insulza, e pediu sua renúncia. O ataque foi feito depois que Insulza criticou a decisão de Chávez de não renovar a licença de uma TV oposicionista, que expira em maio.


Em Cochabamba, intensos confrontos foram travados ontem entre a polícia boliviana e camponeses ligados ao presidente Evo Morales. Várias pessoas ficaram feridas no protesto pela renúncia do governador opositor Manfred Reyes Villa. O governo destituiu o chefe da polícia local. AP’


SADDAM EXECUTADO
O Estado de S. Paulo


Novo vídeo vaza para internet e mostra imagem chocante do corpo de Saddam


‘BAGDÁ – Um novo vídeo mostrando o corpo de Saddam Hussein, com um grande ferimento no pescoço, foi divulgado na noite de ontem na internet. A gravação, provavelmente feita com uma câmera de celular, tem 27 segundos e mostra o corpo ex-ditador logo após ser executado, em 30 de dezembro. Enquanto alguém puxa o lençol para mostrar a cabeça de Saddam, um homem diz: ‘Depressa ou você vai nos colocar em uma catástrofe.’ E outro responde: ‘Só mais um segundo, Abu Ali, estou terminando.’


O vídeo foi divulgado em um site de notícias iraquiano, mas foi logo colocado no site de vídeos do Google. É a segunda gravação do ex-ditador depois da execução que vaza para a internet. A primeira, que o mostrava na forca sendo insultado por guardas, gerou protestos de muçulmanos sunitas em todo o mundo. O vídeo veio à tona no mesmo dia em que um áudio foi apresentado no julgamento sobre a operação Anfal, na qual 180 mil curdos foram mortos. Nela, Saddam e seu primo, Ali Hassan al-Majid (o Ali Químico), conversam sobre o massacre com armas químicas. Uma voz identificada como a do ex-ditador diz: ‘elas (as armas químicas) são eficazes, exterminam aos milhares’. No trecho tido como de Ali, ouve-se: ‘Vou atacá-los com armas químicas e matar todos. Quem vai dizer alguma coisa? A comunidade internacional? Dane-se a comunidade internacional.’ AP E REUTERS’


CASO CICARELLI
Ricardo Westin


RS cria paródia de Cicarelli na praia


‘Governo gaúcho exibe na internet vídeo em que mosquito da dengue faz sexo na água


O vídeo mais comentado da internet em 2006 está de volta, numa versão educativa e debochada. No lugar da modelo Daniella Cicarelli e do namorado, Renato Malzoni Filho, o casal protagonista são dois mosquitos gigantes, que aparecem em tórridas cenas de amor na praia.


As cenas foram feitas pelo governo do Rio Grande do Sul para uma campanha contra a dengue. ‘É na água que mosquito da dengue se reproduz’, alerta o vídeo, enquanto os insetos simulam sexo dentro da água.


A campanha é uma paródia escrachada do polêmico vídeo filmado por um paparazzo e colocado na internet em setembro. Nas imagens, o casal Cicarelli e Malzoni Filho é flagrado numa praia da Espanha em carícias explícitas na areia e numa suposta cena de sexo no mar.


A versão gaúcha foi filmada na orla do Rio Guaíba, em Porto Alegre. O mosquito fêmea veste um biquíni de bolinha, está de óculos escuros e usa batom. O macho veste uma sunga verde.


A propaganda é pontuada por frases em espanhol. No vídeo original, Cicarelli toma uma bebida e se lê ‘sangría para refrescarse’. Na paródia, a frase que aparece é ‘sangre para refrescarse’ – é de sangue que o mosquito se alimenta.


No final, as frases – em português – alertam que não se deve deixar água parada, pois é nesse ambiente que o transmissor da dengue se reproduz. Após as cenas de amor, sorridente, o casal de mosquitos sai do mar ajeitando as roupas de banho.


A propaganda está sendo divulgada exclusivamente na internet, no YouTube (www.youtube.com/watch?v=lsegA8ijcNQ), o mesmo site que mostrou as imagens de Cicarelli pela primeira vez.


‘A dengue está muito batida. A população olha e diz: ‘De novo aquela informação, daquela mesma forma’. Com o vídeo, tentamos renovar o interesse’, explica Francisco Paz, diretor do Centro de Vigilância em Saúde.


Rio Grande do Sul e Santa Catarina são os únicos Estados onde não há o vírus da dengue. Os poucos doentes se contaminaram em outras regiões. Esses Estados têm o mosquito Aedes aegypti – daí a necessidade de campanhas. Em 2006, 280 mil pessoas contraíram a doença no País.


A campanha foi colocada na rede em 22 de dezembro e, segundo o governo gaúcho, já foi vista por quase 280 mil internautas. ‘Além de um custo menor que um comercial de TV, esse tipo de vídeo tem ‘capacidade viral’: a pessoa vê e quer compartilhar com os amigos’, afirma Eduardo Axelrud, da Escala Comunicação, a agência que criou a campanha.


O casal Cicarelli e Malzoni Filho processou os sites que reproduziram o vídeo. O governo gaúcho diz que não teme ser levado à Justiça. ‘Nosso único objetivo é conscientizar a população’, diz Paz. Assessores de Cicarelli disseram que ela não falaria sobre a paródia.’


Valéria França e Alexandre Barbosa


Operadoras bloqueiam YouTube


‘A Brasil Telecom e a Telefônica bloquearam ontem o acesso ao YouTube a todos os internautas que usam suas estruturas para navegar pela internet. Donas de provedores conhecidos como iG, iBest e BrTurbo (Brasil Telecom) e Speedy (Telefônica), as duas empresas cumpriram a ordem da liminar, assinada pelo desembargador Ênio Santarelli Zuliani, na quarta-feira, que determinada o bloqueio do site para todos os internautas brasileiros. De acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Peritos de Comércio Eletrônico a medida afeta 3 milhões de usuários.


A decisão da Justiça tem como objetivo punir o YouTube por continuar a exibir o vídeo da apresentadora Daniella Cicarelli e o namorado Tato Malzoni na praia de Cádiz, na Espanha. O filme gravado por um paparazzo mostra cenas picantes e indiscretas do namoro do casal no ano passado. Foram indiciadas duas outras companhias do ramo, Embratel, Global Crossing, Telecom Itália, que ainda analisam a decisão judicial.


Conforme o YouTube, o maior site de vídeo do mundo, o filme de Cicarelli foi removido anteriormente, não por conta da decisão judicial brasileira, mas pelo fato de o material violar a política de uso do site. No ano passado, o desembargador Zulliani havia estabelecido uma multa diária de R$ 250 mil para os sites que insistissem em permanecer com o vídeo no ar.


‘Apesar de a administração do site ter retirado o vídeo, um usuário voltou a alimentá-lo com o mesmo material’, diz Jaime Schopflin, porta-voz do YouTube, nos Estados Unidos. Em agosto de 2006, o Google comprou o YouTube por US$ 1,7 bilhão, transformando-se no negócio mais comentado do ano.


Segundo o site, são publicados diariamente em suas páginas mais de 65 mil vídeos. A política do YouTube é estimular a própria comunidade de usuários a filtrar conteúdos inapropriados. ‘Temos pessoas removendo arquivos impróprios 24 horas por dia’, disse Schopflin.


‘A rapidez da Brasil Telecom prova que o meu laudo estava certo. É muito fácil bloquear o site’, diz Paulo Cesar Breim, perito judicial em internet, que forneceu a base técnica para a ação de Tato Malzoni, que pede o bloqueio do site. Na prática, para impedir o acesso dos internautas, usa-se um esquema parecido com o de um programa antivírus do tipo Firewall. ‘A ferramenta é programada para não reconhecer os números de acesso ao YouTube’, diz Breim.


Bloqueia-se o site, mas isso não quer dizer que o vídeo desapareça da rede. ‘É quase impossível retirá-lo definitivamente da web’, diz o advogado Renato Opice Blum, especialista em internet. Há sempre um internauta com o material arquivado, que pode jogá-lo de volta à rede.


‘Uma medida complementar cabível seria investigar as pessoas que realimentam a web com esse vídeo’, diz Blum. ‘Seria educativo e ajudaria a acabar com a sensação de impunidade .’Para o advogado de Tato Malzone, Rubens Tilkiam, as demais empresas devem acatar a decisão da Justiça.’


Camilla Rigi e Fabiano Rampazzo


Na web, ameaça de boicote ao programa de apresentadora


‘O bloqueio do site YouTube vem revoltando os internautas e já resultou em abaixo-assinado online e na criação de sites que propõem boicote ao programa da apresentadora Daniella Cicarelli e aos produtos que ela anuncia. ‘Conseguir bloquear o vídeo dela é uma coisa, mas o site inteiro é demais’, afirma o professor Rogério Maciel.


No abaixo-assinado, os internautas explicam que o YouTube é ‘muito mais do que o vídeo da Cicarelli’. Já na página que pede o boicote à apresentadora, o criador explica que seu objetivo é ‘defender um Brasil sem censura’.


No Orkut, 50% das 185 comunidades relacionadas ao tema já explicam passo a passo o que fazer para ter o YouTube de volta. ‘É uma palhaçada sem tamanho’, definiu a estudante Bárbara Magalhães, de 21 anos.’


INTERNET
Elder Ogliari


Polícia usa Google Earth para achar criminoso no RS


‘O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) do Rio Grande do Sul recorreu ao site Google Earth para localizar e prender o foragido Joel Campos da Silva, de 27 anos, conhecido como Matador, no final da noite de domingo, na estação rodoviária de Tramandaí, no litoral do Rio Grande do Sul. O site criado pelo Google, ferramenta de busca mais popular da internet, permite visualizar imagens detalhadas de todo o planeta, captadas por satélites.


Matador é considerado pela polícia como responsável pela metade dos 12 assassinatos cometidos pela facção Os Manos, que tem ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC) de São Paulo e orienta crimes de dentro das penitenciárias gaúchas. Foragido desde 9 de maio de 2006, ele portava uma pistola, documentos falsos e uma pequena quantidade de maconha quando foi preso.


A polícia começou a fazer escutas telefônicas no celular de Silva, com autorização da Justiça. Depois de identificar as coordenadas geográficas, a investigação usou o Google Earth para descobrir o local da emissão dos sinais e chegou a um bairro do município de Imbé, também no litoral gaúcho.


Na seqüência, foi identificada a casa freqüentada pelo foragido. Os moradores passaram a ser observados discretamente. No domingo, um deles foi à rodoviária de Tramandaí. A polícia acompanhou o movimento a distância e encontrou o foragido chegando de uma viagem.


O delegado Juliano Ferreira admite que os investigadores poderiam ter chegado ao mesmo resultado recorrendo aos mapas convencionais, mas acredita que a busca foi acelerada pela possibilidade da consulta rápida e respostas precisas do Google. ‘É um instrumento que tende a ser usado cada dia mais pela polícia’, afirmou.’



O Estado de S. Paulo


TRF mantém vitória das telefônicas fixas


‘O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1.ª Região, em Brasília, manteve ontem a liminar que garante ampla participação das concessionárias de telefonia fixa na licitação de freqüências de banda larga sem fio (WiMax) para acesso à internet. A sexta turma do TRF negou, por unanimidade, um recurso da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que tentava impor restrições às teles. A licitação está suspensa desde setembro de 2006 por decisão do TCU.’


***


Google é o melhor patrão dos EUA


‘O Google é a melhor empresa para se trabalhar nos Estados Unidos, segundo o ranking anual da revista Fortune. O segundo lugar na lista ficou com a empresa de biotecnologia Genentech, que liderou o ranking no ano passado. Em terceiro lugar ficou a Wegmans Food Markets Inc.


A liderança do Google deve-se à série de comodidades que a empresa oferece aos empregados, como lavanderia, spa com piscina, comida gourmet, massagens no local de trabalho e médicos no escritório. O ranking da Fortune, que chega à décima edição, foi feito com base nas respostas de 105 mil empregados de 446 empresas. REUTERS’


TELEVISÃO
Etienne Jacintho


Band ganha pontos


‘A Band deu o pontapé inicial na cobertura de futebol de 2007, com a transmissão da partida do Sul-Americano entre Brasil e Chile, anteontem. A exibição deu resultado e a emissora obteve 5 pontos de média de audiência no horário do jogo, com picos de 7,5. No último trimestre de 2006, a média da Band nessa faixa – das 20h30 às 22h30 – foi de 4 pontos. Como com o jogo, a rede teve crescimento de 20%.


O placar positivo no ibope é uma prévia do que está por vir na Band – que quer voltar a ser o canal do esporte, slogan que carregou por anos. Com a parceria da rede com a Globo para transmissão do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil e do Brasileirão, a Band já disponibilizou cinco cotas de patrocínio para seus eventos esportivos nacionais de R$ 53 milhões cada uma. E já vendeu a primeira delas para uma marca de cerveja.


A Band comemora ainda o desempenho dos noticiários. A audiência do Brasil Urgente registrou 5,2 pontos de média na primeira semana de janeiro – no último trimestre de 2006, a média foi de 4,8 pontos. Já a média do Jornal da Band na primeira semana do ano está em 7 pontos e superou dezembro que teve média de 5,8.’


***


Ibope faz testes no Rio de Janeiro


A implementação da coleta de dados de audiência em tempo real no Rio de Janeiro, operação que deve começar a funcionar em breve, ainda está em fase de testes. Quando o sistema passar a valer no Rio, São Paulo deixará de ser termômetro exclusivo de audiência em tempo real. Já houve quem se queixasse que, por isso, as redes acabam pautando a programação nacional pelas preferências da Grande SP. Nas outras sete capitais onde o Ibope mede audiência via peoplemetter, aparelho acoplado à TV, os dados continuarão a ser coletados com um dia de defasagem.


entre-linhas


Amazônia estreou com 34 pontos, mas a audiência foi caindo no decorrer da semana, fechando com uma média de 29 pontos. A partir de hoje, a atração ainda será prejudicada com o início do BBB7.


A nova novela da Record, escrita por Ana Maria Moretzsohn e que substituirá Bicho do Mato, já tem nome definido: Luz do Sol.


O Canal Brasil estréia no domingo, às 20h30, o Retalhão, de Zéu Britto. O programa de variedades contará com Zé Celso Martinez Corrêa, Jorge Mautner, Augusto Boal, Ferreira Gullar e Aldir Blanc.’


Cristina Padiglione


Globo reforma Big Brother para ganhar fôlego na 7.ª edição


‘Como primeiro capítulo de novela, feito sob medida para apresentar todos os personagens e deixar um lastro de suspense para o segundo dia, o Big Brother Brasil inicia hoje sua 7ª edição com a promessa de bombar logo na estréia. Quem promete é o dono da casa, Boninho. Vá lá, é o maior interessado em atrair a atenção do respeitável público, mas há motivos para dar crédito ao homem.


Agora são 16 participantes, não mais 14, sem prazo extra para eliminar mais 2 personagens – o que pressupõe overdose de guilhotina em algum momento, talvez hoje mesmo. E o anjo, personagem que só existe no Big Brother brasileiro, criado para movimentar a dinâmica do jogo, desta vez terá poderes restritos – um sorteado, a cada rodada, terá chance de vetar a escolha do líder, eliminando assim o eleito da semana para ter imunidade.


Outra decisão que muda os rumos da casa, em relação às três últimas edições, é o fim do sorteio que escolhia dois candidatos de última hora. O público, explica o apresentador Pedro Bial, acabava associando os dois sorteados como ‘os mais pobrinhos, quando não necessariamente eram’. ‘No Big Brother anterior, a mais pobre era a motogirl de São Paulo, que foi defenestrada e saiu sem um tostão, e o Agostinho, que era o gerente de supermercado, classe média baixa, dono de casa própria e tal, era identificado como o pobre’, completa. Bial resume que ‘havia uma vontade de se fazer justiça social através de um programa de televisão, e o compromisso do Big Brother é divertir, mais nada’. O mediador aposta que, sem o sorteio, as pessoas terão de ganhar o jogo dentro da casa, e não pelo que elas são fora dali. ‘Fica mais emocionante.’


Boninho não nos conta quanto sai essa brincadeira de bancar a hospedagem vigiada de um time de pessoas por quase três meses em cenário nada modesto, mas a conta não é modesta. O diretor diz que todas as despesas se pagam comercialmente, ou seja, pelo investimento dos anunciantes. As ligações telefônicas, que angariam boas cifras, não sustentam, segundo ele, nem um terço da conta.


SÓ PARA MAIORES


Dito isso, é compreensível que a Globo crie, agora, mais um derivado de BBB para afagar a clientela. Além da extensão do programa ao canal pago Multishow, dos pacotes vendidos via Globo.com e pay-per-view 24 horas, a própria TV Globo terá mais um programa semanal para aquecer o jogo. Na virada de quarta para quinta-feira, após o seriado 24 Horas, irá ao ar um certo BBB Só para Maiores. Não espere ver ali cenas tórridas vetadas na faixa nobre. O propósito é reunir o eliminado da véspera com um time de telespectadores aficionados por BBB, sob mediação de Vinícius Valverde, o repórter que prepara aquelas entrevistas de rua para aquecer os paredões do Grande Irmão.


Goste ou não, o Big Brother alcança a massa com eficiência, aqui e em mais 20 países, e merece respeito para ser analisado. Se vale como retrato do brasileiro, o BBB traduziria seu público como conservador. Em seis edições, a platéia tem reprovado sexo na casa (eliminando quem se aventurou a tanto), e aprovado o romance.’


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 9 de janeiro de 2007


POLÍTICA CULTURAL
Felipe Seligman


Em nota, PT critica Gil por demissões de auxiliares na pasta


‘O PT divulgou nota ontem criticando as demissões do presidente da Funarte, Antônio Grassi, e do secretário de Articulação Institucional do Ministério da Cultura, Márcio Meira.


Publicada no site do partido, a nota foi elaborada pela Secretaria Nacional de Cultura do PT, que diz discordar ‘no mérito e na forma’ das demissões.


Ambos souberam do afastamento, no final de 2006, por intermédio do chefe de gabinete do ministro Gilberto Gil, Adolpho Netto, e pelo secretário de Políticas Culturais, Alfredo Manevy. Esse é um dos motivos de crítica petista. ‘Demitir alguém pela imprensa, e ainda mais por intermediários, não honra o Ministério da Cultura’, afirma a nota.


Quanto ao mérito das demissões, a nota diz que se trata ‘do afastamento de dois servidores competentes, comprometidos com o programa apresentado pelo presidente Lula ao Brasil e que ao longo dos quatro anos de governo sempre foram leais ao presidente e ao ministro da Cultura’. Segundo a nota, a decisão do Ministério da Cultura de demiti-los contradiz a avaliação interna e externa ‘altamente positiva’ do desempenho dos dois.


‘A atuação de Antônio Grassi e sua equipe à frente da Funarte [Fundação Nacional de Arte] reergueu a instituição depois de um longo período de abandono.’ Já a ‘condução de Márcio Meira e sua equipe às atividades da Secretaria de Articulação Institucional resultou na assinatura do protocolo que abre caminho para a constituição pactuada do Sistema Nacional de Cultura, política estruturante indispensável para a consolidação do Minc como mecanismo republicano de formulação de políticas públicas de cultura’, diz a nota.


Outro lado


Gilberto Gil preferiu, ontem, não se manifestar a respeito da nota. Sua assessoria de imprensa informou que a demissão de Grassi já foi explicada na última sexta-feira por meio de um comunicado. A nota diz que ‘o Minc realiza algumas alterações pontuais entre seus quadros dirigentes’ em meio a um ‘novo ciclo de trabalho, marcado pelo aprofundamento e pela ampliação das políticas’.


Gil se reunirá hoje com Grassi no Rio de Janeiro, para informá-lo pessoalmente sobre a demissão. Ainda não há previsão de Gil se encontrar com Meira.


Um dos nomes cotados para suceder Grassi é o do também ator e petista Celso Frateschi. Ele foi secretário de Cultura das prefeituras de São Paulo e Santo André nos governos Marta Suplicy e Celso Daniel. O compositor José Miguel Wisnik foi sondado para o posto, mas recusou a oferta.’


CRÔNICA
Carlos Heitor Cony


A informação que falta


‘Durante séculos, a humanidade bastou-se com poucos e concentrados problemas e mistérios. Não havia a tal comunicação de massa, e as coisas aconteciam anonimamente, com nenhuma ou poucas testemunhas, só as bastantes. A morte de César, a ressurreição de Cristo, a batalha das Termópilas, o herói da Maratona, a travessia do Helesponto, a conquista das Gálias, a Dieta de Worms -enfim, a história foi feita privadamente, quase solitariamente.


Hoje, tudo se torna público, tudo é oferecido em cadeia nacional ou internacional, via satélite, com patrocínio das boas drogas do ramo. A faina humana seguiu o seu curso inexorável -bem podíamos dispensar o olho da câmera devassando a intimidade das coisas e das pessoas. Excesso de informação não solicitada só consegue ser pior que a informação do excesso que não solicitamos e que mesmo assim nos servem diariamente, friamente, como alimentos eletrônicos que não matam a nossa fome, fome real e merecida.


Os entendidos garantem que a informação é a mercadoria mais valiosa do mundo moderno e uma das mais caras. Agora mesmo, na onda de violência que invadiu o Rio de Janeiro, as autoridades declaram que o importante é ter informação, o resto seria decorrência.


Acontece que as informações estão escancaradas. Sabe-se que os assaltos são comandados dos presídios, sabe-se os pontos onde são freqüentes os assaltos, sabe-se de onde vem o poder de fogo dos bandidos, não é por falta de informação que vivemos aterrorizados, mas bem informados.


Passar na Linha Vermelha ou na sua co-irmã, a Amarela, é uma temeridade. Não há carioca que não tenha essa informação, que é também uma advertência. A única informação que falta é saber onde estão os ossos de Dana de Teffé.’


VENEZUELA
Folha de S. Paulo


Chávez anuncia estatização de tele e energia


‘Às vésperas de começar um novo mandato, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou ontem que estatizará empresas de telecomunicações e elétricas, e defendeu a reforma da Constituição para implantar na Venezuela o que tem sido chamado de ‘socialismo do século 21’. Ele afirmou também que planeja aumentar o controle estatal sobre projetos petrolíferos na região da bacia do rio Orinoco, onde a Petrobras e a estatal PDVSA identificaram, no ano passado, um campo gigante de petróleo.


‘Tudo o que foi privatizado, deixe que seja nacionalizado’, disse Chávez, em discurso durante a posse do novo gabinete.


‘Estamos nos movendo em direção à República Socialista da Venezuela, e isso requer um profunda reforma da nossa Constituição nacional’, afirmou, repetindo uma promessa de campanha. ‘Estamos em um momento existencial da vida venezuelana. Estamos rumando ao socialismo, e nada nem ninguém pode impedi-lo.’


Entre as reformas defendidas pelos governistas está a reeleição para presidente sem limite de mandatos. Chávez inicia amanhã o seu terceiro mandato, o segundo sob a Constituição de 2000, redigida por uma Assembléia Constituinte convocada por ele.


O presidente venezuelano também anunciou que pedirá em breve à Assembléia Nacional a aprovação de uma lei que lhe dará poderes para implementar mudanças por decreto. ‘Vamos pedir poderes especiais para um conjunto de leis revolucionárias que devem ter um impacto muito maior do que a Lei Habilitante de 2001’, disse, referindo-se à legislação que catalizou greves empresarias contra seu governo.


O Parlamento venezuelano é totalmente controlado pelos governistas por causa da decisão dos partidos da oposição de boicotar as últimas eleições legislativas, em 2005.


Estatização


No seu discurso, Chávez foi vago sobre as empresas que poderão ser estatizadas. Citou apenas a Companhia Nacional Teléfonos de Venezuela (Cantv), principal companhia de telefonia do país, privatizada em 1991. A empresa domina a telefonia fixa e a internet e disputa a telefonia celular com outras duas companhias.


‘A nação deve recuperar a propriedade sobre os meios estratégicos de soberania, segurança e defesa’, afirmou ele.


Os ADRs (recibos de ações de empresas estrangeiras negociados na Bolsa de Nova York) da Cantv, a maior empresa de capital aberto da Venezuela, caíram 14,2% imediatamente após as declarações. Entre os acionistas da telefônica estão o Deutsche Bank e a Brandes, firma de investimentos com sede na Califórnia.


Em agosto, Chávez já havia ameaçado nacionalizar a Cantv, caso a empresa não ajustasse as pensões que paga ao nível do salário mínimo.


Os planos de Chávez também devem afetar a empresa de distribuição Electricidad de Caracas, pertencente à companhia americana AES, que no Brasil comprou a Eletropaulo.


Petróleo


Chávez também disse que projetos lucrativos na bacia do rio Orinoco devem estar sob controle estatal, mas não especificou se haverá uma nacionalização completa.


Ele disse que o período conhecido como ‘abertura do petróleo’, anterior ao seu governo, deve ser revertido. ‘Estou me referindo a como as companhias internacionais têm controle e poder sobre todos aqueles processos de melhoria do óleo pesado da região do Orinoco. Aquilo deveria se tornar propriedade da nação.’


Desde o ano passado, o governo Chávez tem negociado com empresas estrangeiras quatro projetos de refino de óleo pesado para a formação das chamadas ‘empresas mistas’, no qual o Estado tem o controle acionário.


A Petrobras estuda investir até US$ 10 bilhões, em parceria com a PDVSA. Os projetos incluem certificação das reservas de óleo e gás no Orinoco e têm como contrapartida o investimento venezuelano na construção de uma refinaria em Pernambuco.


Banco Central


Chávez, que tem entrado em atrito com diretores do Banco Central, que se opõem à pratica do governo de buscar recursos do Tesouro para incrementar os gastos com programas sociais, também defendeu mudanças na instituição.


‘O Banco Central não deve ser autônomo, essa é uma idéia neoliberal’, afirmou.


Recentemente, Chávez, também divergiu do Banco Central sobre o cálculo da inflação venezuelana, que chegou a 17% no ano passado, a maior taxa da região. Ele quer que sejam incluídos dados de lojas subsidiadas pelo Estado.


O ex-ministro das Finanças Nelson Merentes se tornará um diretor do Banco Central.


Com agências internacionais’


***


Venezuelano chama secretário da OEA de idiota e pede sua renúncia


‘O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, pediu a renúncia do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), o chileno José Miguel Insulza, e o chamou de ‘idiota’ e ‘insosso’.


Os ataques aconteceram durante a cerimônia de posse dos ministros do novo mandato de Chávez.


Na semana passada, Insulza divulgou nota em que criticou Chávez por sua decisão de não renovar a concessão de um canal privado de televisão, a Radio Caracas Televisión (RCTV). O secretário-geral disse que a medida ‘não tem precedentes nas últimas décadas de democracia na América Latina’.


‘Deveria renunciar à secretaria-geral da OEA o insosso doutor Insulza, por se atrever a fazer o papel de vice-rei do império’, disse Chávez.


‘Ele perdeu todo o moral para estar à frente da OEA, a menos que pretenda convertê-la de novo no ‘ministério das colônias’, como já foi definida antes por Fidel Castro.’


O presidente venezuelano prometeu ‘jogar na cara’ de Insulza a ‘ingerência’ e denunciá-lo em todas as cúpulas latino-americanas. Promete fazer isso nas cerimônias de posse dos presidentes Daniel Ortega, na Nicarágua, e Rafael Correa, do Equador.


Chávez disse que ‘ninguém impedirá que se cumpra’ sua decisão. Ele acusa a RCTV, criada em 1953, de ter apoiado a tentativa de golpe contra ele, em 2002.


‘Parece censura’


Para Insulza, apesar das ‘acusações severas’ contra a RCTV, ‘se houve alguma ilegalidade, deve-se acusá-la perante à Justiça, é o caminho que se toma em uma democracia’.


O secretário-geral disse que a medida parece uma censura à liberdade de expressão e uma ameaça aos demais meios de comunicação.


Quanto às ‘implicações políticas’ do seu ato, mencionadas por Insulza, Chávez disse que o chileno ‘dá pena, dá vergonha’. ‘Que implicações políticas? A Venezuela é livre e soberana’, discursou.


Ironicamente, Chávez foi um dos grandes defensores da eleição de Insulza para o cargo – contra o então chanceler mexicano Luis Ernesto Derbez.


O venezuelano brigou com o ex-presidente mexicano Vicente Fox algumas vezes – e chamou-o de ‘filhote do império’. E fez campanha por Insulza.


Insulza, 63, é o político que ficou mais tempo consecutivo como ministro no Chile. Foi chanceler do ex-presidente chileno Eduardo Frei e ministro do Interior do ex-presidente Ricardo Lagos.


Trabalhou na chancelaria chilena em tempos de Salvador Allende e ficou quinze anos no exílio, durante a ditadura do general Augusto Pinochet.


Pertence ao mesmo Partido Socialista da presidente Michelle Bachelet. Para muitos analistas políticos chilenos, ele é um dos presidenciáveis que deve concorrer à sucessão dela, em 2009.’


Fabiano Maisonnave


Venezuelano lembra Fidel, diz analista


‘Especialista em Venezuela, o cientista político americano David Myers, da Universidade Estadual da Pensilvânia, diz que Hugo Chávez busca controlar o fluxo de informação. Leia, a seguir, trechos da entrevista concedida ontem à Folha:


FOLHA – O que mudará se as empresas de eletricidade e a Cantv forem estatizadas?


DAVID MYERS – A Electricidad de Caracas foi, por um longo tempo, a obra-prima da elite empresarial venezuelana. Quando Chávez assumiu, incentivou esses empresários a vender a empresa, a maior da Venezuela, que abastece toda a região de Caracas, para a americana AES. Teria sido mais fácil nacionalizar uma empresa venezuelana ao invés de uma estrangeira. Há várias empresas elétricas privadas na Venezuela, todas nas grandes cidades. Essas empresas nunca foram do governo. As empresas elétricas fora das grandes cidades estão nas mãos da estatal Cadafe (Companhia Anônima de Administração e Fomento Elétrico). Portanto, isso vai afetar apenas as grandes cidades. Mas é uma grande mudança, dada a história da eletricidade na Venezuela.


FOLHA – E a Cantv?


MYERS – Quando era estatal, era muito ineficiente. O problema agora é que, na medida em que você paga pelo telefone, eles são bem eficientes, mas reticentes em oferecer serviços onde as pessoas têm problemas para pagar. Mas o aspecto ideológico é importante aqui. O governo controlará a internet, e isso é que Chávez realmente quer, porque ele entende que as idéias estrangeiras chegam pela rede. E, juntando isso com a decisão de não renovar a licença da emissora RCTV, é uma tentativa de controlar todo o fluxo de informação na Venezuela em um nível impressionante.


FOLHA – As medidas de hoje [ontem] são surpreendentes?


MYERS – Chávez foi vago na campanha sobre coisas específicas, ele repetiu que criaria nova república socialista do século 21, mas foi cuidadoso em não dizer sobre que nacionalizaria. Ele disse que reformaria a Constituição e que renomearia o país, de República Bolivariana da Venezuela para República Socialista da Venezuela.


Um dos novos pontos interessantes é a nomeação do seu irmão Adán Chávez como ministro da Educação. Ele é um intelectual marxista que defende que os professores deveriam ter aulas de ideologia bolivariana.


É quase um Fidel Castro dos anos 1960 numa versão mais benigna, sem o uso da violência contra oposição, a não ser deixá-la isolada para que seque.’


Paulo Paranaguá


Centralismo e nepotismo se acentuam


‘DO ‘LE MONDE’, EM CARACAS – Antes de tomar posse, amanhã, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, se desfez de seu vice-presidente, José Vicente Rangel, 77, favorável ao diálogo com a oposição. A Constituição inspirada pelo atual presidente prevê a nomeação -e não a eleição- do vice-presidente.


Rangel dirigiu em 1999 a diplomacia venezuelana e também foi ministro da Defesa. Tornou-se vice-presidente após a tentativa de golpe de Estado de 2002. Ele está sendo substituído por Jorge Rodríguez, ex-presidente do Conselho Eleitoral Nacional.


Apesar das críticas da oposição ao ‘nepotismo’ em Caracas, o irmão mais velho do presidente, Adán Chávez, foi nomeado para o Ministério da Educação. O pai do presidente é governador de Barinas, Estado no qual Chávez nasceu. Asdrubal Chávez, seu primo, integra a direção da PDVSA, a poderosa estatal do petróleo.


O presidente promove periódicos rodízios nos postos de comando, o que provoca uma adesão incondicional a ele. ‘Ele é um distribuidor de poder’, diz um diplomata em Caracas.


Chávez lembrou sua vocação centralizadora ao exortar seus partidários, em dezembro, ao ser reeleito com 62,8% dos votos, a formarem um único partido, o Partido Socialista Unificado da Venezuela. Entre todos os 24 partidos que o apóiam, o que não gostasse da idéia deveria deixar a coalizão. O Partido Comunista Venezuelano, fundado em 1931, já convocou um congresso extraordinário em março para talvez se autodissolver. Mesmo assim, o PCV está mergulhado num debate sobre a autodissolução.


‘A experiência histórica demonstra que a identidade entre o Estado e um partido contradiz a idéia de democracia’, diz o sociólogo Edgardo Lander.’


YOU TUBE CENSURADO
Constança Tatsch


Empresa bloqueia YouTube após decisão pró-Cicarelli


‘A Brasil Telecom bloqueou na última sexta o acesso dos internautas brasileiros ao site YouTube. A Telefônica prometia fazer o mesmo ainda ontem, em razão da decisão judicial que proíbe a exibição do vídeo em que a modelo Daniela Cicarelli e o namorado, Renato Malzoni Filho, aparecem trocando carícias em uma praia espanhola em setembro de 2006.


A medida já afetou pelo menos 5,5 milhões de clientes dos três provedores de acesso da Brasil Telecom (IG, Ibest e BrTurbo), de acordo com a companhia, que presta também serviço de provedor de acesso a outras empresas.


Na semana passada, foi divulgada uma decisão do desembargador Ênio Santarelli Zuliani, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que exigia o bloqueio apenas do vídeo do casal, atendendo a uma solicitação do namorado da modelo.


De acordo com a assessoria do tribunal, Zuliani confirmou que sua intenção não é impedir o acesso à página.


As operadoras, porém, receberam no final da semana passada ofício expedido pela 23ª Vara Cível que pede ‘o bloqueio do site www.youtube.com, da co-ré Youtube Inc, aos internautas brasileiros’. Em entrevista à Folha, o juiz responsável, Lincon Antônio Andrade de Moura, não descarta a possibilidade de que tenha ocorrido um equívoco.


‘O ofício tem por finalidade apenas cumprir a ordem do desembargador, dr. Ênio. Só isso. Se realmente existe essa questão quanto a não ter saído nos exatos termos que o desembargador determinou, isso tem que ser corrigido imediatamente. Não há de ser nada, amanhã [hoje] mesmo vou pedir que esses autos retornem para mim para que haja conferência do teor do ofício.’


Pela decisão do desembargador, o juiz de primeira instância deveria oficiar às empresas para promover a restrição do acesso ao vídeo.


O problema é que, segundo especialistas ouvidos pela Folha, é quase impossível bloquear o vídeo, já que eles são disponibilizados na rede pelos próprios usuários. ‘É mais fácil bloquear tudo’, diz o advogado Renato Opice Blum.


A Telefônica afirmou que ‘recebeu o ofício determinando o bloqueio ao acesso do site por todos os provedores de internet que utilizam a rede da empresa no Brasil. A empresa esclarece que cumpre a ordem da Justiça e que atendeu à decisão a partir de hoje [ontem]’.


De acordo com o perito Paulo Cesar Breim -responsável pelo laudo que embasou a decisão do desembargador-, são oito empresas (as que hospedam a extensão .com) no país que devem ser comunicadas, entre elas a Brasil Telecom, a Telefônica, a Embratel, a Global Crossing e a Impsate. Breim afirma que o laudo foi feito visando à retirada de um site com extensão .com e não de um vídeo específico.


A decisão revoltou diversos internautas que discutiam, na página BR-Linux, formas de burlar esse bloqueio. A notícia também chegou ao exterior e foi destaque nos sites do jornal ‘The New York Times’ e da rede de televisão CNN. Procurada, a Google, empresa responsável pelo site, não quis se manifestar. Colaborou ROGÉRIO PAGNAN, da Reportagem Local’


TELEVISÃO
Marcelo Bartolomei


Para Bial, espectador do ‘BBB’, que volta ao ar, ‘defenestra’ sexo


‘‘O público defenestrou o sexo e mandou embora quem disse que fez.’ A declaração é de Pedro Bial, apresentador do ‘Big Brother Brasil’, que volta ao ar nesta noite, em sua sétima edição. Para ele, o espectador prefere romance, a exemplo do vivido por Grazielli e Alan, que escondiam com as mãos os beijos mais calientes. ‘É algum sintoma da nossa cultura.’


A novidade do novo ‘BBB’ é o programa ‘Só para Maiores’, veiculado nas madrugadas. Apesar do nome e do apelido de ‘Proibidão’, a atração não será pautada por sexo e cenas picantes, o que desagradaria a audiência, na avaliação da Globo.


A idéia é discutir o que acontece dentro da casa com convidados tidos como aficionados pelo ‘BBB’. Segundo o diretor-geral J.B. de Oliveira, o Boninho, são blogueiros e pessoas que a produção identificou como fãs do ‘reality show’.


‘Esse nome foi escolhido porque eles poderão falar o que quiserem’, disse Boninho.


A partir do dia 17 de janeiro, logo após a exibição do seriado norte-americano ‘24 Horas’, o repórter Vinícius Valverde estará com 20 espectadores e os eliminados da semana.


Além disso, os eliminados serão julgados pelos convidados numa espécie de tribunal. Quem for considerado ‘do mal’ será submetido a uma chuva de tomates.


‘Não é para exibir cenas de sexo nem nada que não tenha sido mostrado antes na casa. A intenção é fazer com que eles contem o que sentiram logo após saírem e que os convidados os emparedem, batendo de frente com o que disserem’, afirmou o repórter.


Segundo Boninho, não houve sexo na casa nas seis edições. ‘Há apenas uma dúvida [no caso dos participantes Solange e Rogério, da terceira edição]. Foram três tentativas. Duas ficaram só nas preliminares e o resto foi romance’, disse o diretor-geral do programa.


‘A rigor, tudo o que aconteceu na casa, em todas as edições, foi mostrado. Claro que de maneira sutil. É um programa para a família. As crianças adoram e meu filho de oito anos vê’, disse Pedro Bial.


Para quem não gosta de ‘Big Brother’, Boninho deu uma péssima notícia: a Globo tem contrato para a produção do programa até 2012.’


Márvio dos Anjos


‘Law&Order – SVU’ ganha nova temporada


‘Oitava temporada é para poucos, e o seriado ‘Law & Order – Special Victims Unit’ adentrou esse clube. O resultado será visto a partir de hoje no Universal Channel, numa temporada que promete calafrios nos fãs que esperam mais que parceria dos detetives Elliot Stabler (Christopher Meloni) e Olivia Benson (Mariska Hargitay, que levou o Emmy 2006). No primeiro episódio, Olivia ainda está no distrito de Manhattan que investiga crimes sexuais. No segundo, será substituída pela detetive Dani Beck (Connie Nielsen, de ‘Gladiador’). Calma, fã, ela voltará. Sua partida -programada devido à gravidez de Hargitay- é explicada neste episódio, ‘Informante’. Uma mulher, com sinais de abuso sexual, surge num pronto-socorro pedindo a pílula do dia seguinte, mas se recusa a fazer o corpo-delito. Olivia decide levar a investigação adiante e acaba descobrindo que a mulher é ligada a uma ONG que serve de fachada para ecoterroristas. A edição ágil, os conflitos de interesse entre os dois órgãos e as atuações de Meloni e Hargitay garantem o ritmo da série, melhor produto da franquia ‘Law & Order’. Espera-se apenas que o Universal Channel não corte a temporada no meio, como fez no ano passado, retomando-a meses depois.


LAW & ORDER – SVU – 8ª TEMPORADA


Quando: hoje, às 23h


Onde: Universal Channel’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem