Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > QUINTA-FEIRA, 22/7

Chávez quer controlar 48,5% da TV privada

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 22/07/2010 na edição 599


Leia abaixo a seleção de quinta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quinta-feira, 22 de julho de 2010


 


VENEZUELA


SIP condena intenção de Chávez de controlar 48,5% de TV privada


A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou o anúncio do presidente venezuelano, Hugo Chávez, de que seu governo pretende controlar quase a metade das ações da TV privada Globovisión.


A organização, com sede nos EUA, classificou a ação de ‘atropelo flagrante à liberdade de imprensa e à liberdade de empresa’ na Venezuela.


A Chancelaria dos EUA disse que observará ‘cuidadosamente’ o caso.


Anteontem, Chávez disse que o governo passaria a controlar 48,5% das ações da emissora. O montante equivale à soma das ações do banqueiro Nelson Mezerhane, que fugiu para os EUA após seu banco ser submetido a intervenção federal, e de Luis Teófilo Nuñez, morto em 2007.


Chávez também afirmou que nomearia representante para o conselho da empresa.


Ontem, no entanto, a emissora negou qualquer intenção em mudar sua linha editorial, de crítica aberta a Chávez, e disse que a entrada de um novo membro no conselho teria de ser aprovada pelos demais.


‘Resistiremos aos atropelos do caudilho’, disse Alberto Federico Ravell, dono de 10% das ações do canal.


A SIP lembrou que há quatro anos denuncia uma campanha do governo Chávez contra a Globovisión e o seu proprietário, Guillermo Zuloaga.


Zuloaga, premiado ontem pela organização com o Grande Prêmio à Liberdade de Imprensa, deixou a Venezuela após ter sua prisão decretada. Ele acusa o governo de persegui-lo por razões políticas.


 


 


ELEIÇÕES 2010


Debate Folha/UOL vai ter transmissão de 14 veículos


O debate Folha/UOL com os três principais candidatos à Presidência, no dia 18 de agosto, em São Paulo, com transmissão ao vivo pela internet, já conta com a participação de outros 14 veículos.


Já confirmaram que vão transmitir ao vivo o debate: JC Online (Recife), ‘O Povo’ (Fortaleza), Cosmo (Campinas), Vírgula (São Paulo), MTV (São Paulo), Videolog (Rio de Janeiro), Mix FM (Rio de Janeiro), Portal Imprensa (São Paulo), Congresso em Foco (Brasília), Convergência Digital (Brasília), Última Instância (São Paulo), Jus Navigandi (Teresina), Blog do Josias e Blog do Noblat.


O evento ocorrerá no teatro Tuca, em São Paulo, às 10h30, com a presença confirmada dos candidatos Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).


A Folha e o UOL disponibilizarão a seus assinantes 150 ingressos para o debate. Os interessados em participar ao vivo do evento podem se inscrever a partir de hoje.


Internautas já podem participar enviando suas perguntas, de até 20 segundos, pelos sites de eleição do UOL e da Folha.com.


‘O debate fortalece a internet como veículo de comunicação e reforça a característica democrática da web’, afirma Benira Maia, editora do JC Online, portal de internet do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, o maior de Pernambuco.


Demócrito Dummar, diretor de mídia digital do jornal cearense ‘O Povo’ e responsável pelo portal O Povo Online, diz que ‘a participação na rede de retransmissão do debate qualifica ainda mais nossa cobertura das eleições 2010, em que pela primeira vez a discussão passa fundamentalmente e de forma interativa pela internet’.


Com o objetivo de democratizar o acesso ao encontro, todos os meios de comunicação interessados poderão compartilhar e transmitir o sinal de áudio e vídeo do debate. Portais de internet, emissoras de rádio, TVs e outros veículos terão amplo acesso para fazer a cobertura jornalística do evento.


Para Ricardo Noblat, editor do Blog do Noblat, ‘é uma obrigação transmitir um evento dessa natureza, que terá grande relevância’.


Para Josias de Souza, do Blog do Josias, ‘o encontro promovido pela Folha e pelo UOL é o máximo a que se chega em termos de um debate mais livre, sem as regras rígidas impostas à TV’.


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Lula chora


Lula durante entrevista a Adriana Araújo no ‘Jornal da Record’, no alto, e na capa do tabloide paulistano ‘Meia Hora’ pelo segundo dia seguido


Lula surgiu em entrevistas ao ‘Jornal da Record’ e ao recém-lançado ‘Meia Hora’, ontem.


No primeiro, chorou ao fazer balanço do governo e recordar a assinatura de um empréstimo de R$ 200 milhões do BNDES a uma cooperativa de catadores de papel, ‘embaixo daquela ponte lá no Glicério’. Na manchete do ‘JR’, ele ‘fala da hora da despedida, se emociona e diz que não vai se aposentar da política’. O portal R7 enfatizou a frase ‘em política nunca dá para dizer ‘não, nunca mais vou fazer isso’.


No tabloide, defendeu ‘Felipão’ para treinador da seleção, pela ‘autoridade moral e respeitabilidade’.


BAN KI-MOON DE SAÍDA?


No ‘Washington Post’, ‘Funcionária da ONU chama de deplorável a liderança de Ban Ki-moon’. Inga-Britt Ahlenius, que chefiava a supervisão interna, questionou o secretário-geral por decisões em sua área e por ‘liderar a instituição global a uma era de declínio’. Dela, em relatório: ‘Eu lamento dizer que o secretariado está num processo de decadência’. O porta-voz da missão americana na ONU concordou e declarou ao ‘WP’ que ‘a mudança que se aproxima na liderança é uma oportunidade para trazer melhora significativa na sua performance’.


Aos palestinos


No topo das buscas no Yahoo News, com Associated Press, ‘Brasil dá US$ 14 milhões para ajudar a reconstruir territórios palestinos’. Foi o que informou o chanceler Celso Amorim, dizendo que os recursos devem ir para a ONU, para ajuda internacional à Faixa de Gaza.


Fósforo branco


A BBC Brasil destacou, em reportagem da correspondente Guila Flint, que ‘Israel promete limitar fósforo branco em guerras futuras’, em documento enviado à ONU. A substância, proibida por lei internacional, foi usada para os ataques a Gaza em janeiro do ano passado.


DAGONG VS. MOODY’S


No ‘Financial Times’, o presidente da Dagong Global Credit Rating, Guan Jianzhong, diz que ‘as agências de classificação de risco ocidentais são politizadas e não adotam padrões objetivos’. Como ‘a China é o maior país credor, precisávamos ter uma voz sobre como os riscos de créditos são julgados’.


Acusa Moody’s, S&P e Fitch de terem escondido o risco, o que ‘levou todo o sistema financeiro dos EUA à beira do colapso’. Aliás, ‘os EUA são insolventes e estão diante da falência como uma nação puramente devedora, mas as agências ainda dão nota alta.’


Corrida à China


O ‘FT’ deu que a Agrifirma quer ser a primeira brasileira com ações na Bolsa de Hong Kong. E a Bloomberg ouviu da Bolsa que ‘está em negociações com mais de uma empresa brasileira’.


BRI


Jim O’Neill, do Goldman Sachs e criador dos Brics, falou à CNBC sobre o risco da retirada do estímulo nos EUA -e afirmou que Brasil, Rússia e Índia ‘vão gerar tanto crescimento quanto os EUA nesta década’.


‘TEA PARTY’ VS. LULA


‘New York Times’ e outros cobriram a abertura da representação política do movimento ultraconservador Tea Party em Washington. Para evitar a acusação de racismo, o grupo destacou membros negros e hispânicos, inclusive uma brasileira que foi para os EUA em 1986. Diz ela: ‘O que estamos vendo acontecer é exatamente o que aconteceu na América Latina sob ditadores como Lula no Brasil. Vamos pelo mesmo caminho do marxismo do século 21.’


FAVELA LÁ No inglês ‘Guardian’, sob o enunciado ‘Brixton encontra Brasil’, um vídeo mostra construção de um modelo de favela do Rio para o Festival Brazil, em Londres


 


 


TELEVISÃO


Audrey Furlaneto


SBT troca filmes por novelas e melhora audiência em 50%


‘Sabe quanto custa um blockbuster? Tem filme de US$ 2 milhões [R$ 3,5 mi]!’, diz o diretor comercial do SBT, Henrique Casciato, para explicar o fim do ‘Cinema em Casa’, sessão vespertina de filmes que a emissora substituiu por reprises de novelas.


A operação financeira surtiu resultado na audiência: se a ‘sessão da tarde’ do SBT rendia em média 4 pontos, as novelas do acervo (‘Pérola Negra’, de 1998, e ‘Esmeralda’, de 2004) aumentaram em 50% a média vespertina, que, agora, chega a 6 pontos.


Com outros três dias dedicados a filmes (terças, sextas e sábados), além do extinto ‘Cinema em Casa’, a demanda ultrapassava os 200 filmes por ano. ‘Esse sistema entrou em estado de exaustão’, afirma Casciato.


Antes da ‘exaustão’, o SBT chegou a comprar e exibir filmes da série infantil ‘Harry Potter’ -este na faixa de preço dos blockbusters, citada pelo diretor comercial.


As novelas, por outro lado, são muito mais econômicas: por serem parte do próprio acervo da emissora, os produtos saem quase de graça. É preciso, porém, pagar direitos a atores, por exemplo.


Para o diretor comercial, a mudança de conteúdo afeta também o perfil do público da tarde no SBT: as reprises perdem os espectadores mais jovens, mas atraem as donas de casa.


Desfalque Com a audiência de ‘Ribeirão do Tempo’ abaixo dos padrões da emissora (faz 9 pontos de média, contra 13 em tramas anteriores), a Record tem outra questão a driblar até a próxima novela: perdeu recentemente um de seus principais atores, Gabriel Braga Nunes, de volta à Globo.


Entressafra 1 Viciados em séries (e nem tanto em baixá-las na internet) ficam órfãos em breve, com o fim de temporadas e ainda sem data para as novas. Na Sony, por exemplo, ‘Private Practice’, ‘Drop Dead Diva’, ‘Cougar Town’ e ‘Community’ terminam nos próximos dias.


Entressafra 2 No Universal, chegam ao fim agora ‘Brothers & Sisters’ e ‘The Good Wife’, sem previsão do início das sequências. Já ‘Law & Order’ se despede de vez.


Disciplina A cinco meses da estreia, Gilberto Braga e Ricardo Linhares já entregaram à produção 24 capítulos de ‘Insensato Coração’, substituta de ‘Passione’.


Fica a dica Amaury Jr. usou em sua atração na Rede TV! cenas do filme ‘Um Dia de Fúria’ -o mesmo trecho que virou hit na rede durante a Copa, com dublagem imitando Dunga. Ele discutiu a ‘síndrome do pavio curto’. E alternou com imagens de tai chi chuan, ‘caminho para relaxar’.


De Bruno a Brad Nem a Igreja Universal deixou de exibir o caso Bruno em sua programação de TV. O crime integrou debate sobre monogamia no ‘Fala que Eu te Escuto’, na Record, com um pacote eclético de imagens -do goleiro a Ronaldo, passando por Brad Pitt e Catherine Zeta-Jones.


 


 


INTERNET


Jornais nos EUA passam a proibir comentários anônimos em sites


Alguns sites de notícias, especialmente nos Estados Unidos, estão começando a tomar medidas para proibir os comentários anônimos.


É o caso do ‘Sun Chronicle’, de Massachusetts, que passou a exigir número de cartão de crédito para verificar a identidade do internauta.


O ‘Buffalo News’, do Estado de Nova York, também passou a exigir medidas para que os usuários assinassem os comentários com o nome real.


Com essas medidas, eles querem reduzir os comentários agressivos e, muitas vezes, difamatórios que, em alguns casos, surgem nos comentários anônimos -e também com as implicações jurídicas que isso pode causar.


A editora do ‘Buffalo News’, Margaret Sullivan, afirmou à Canadian Press que os comentários anônimos são muitas vezes ‘racistas e sexistas’ e ‘derrubaram o teor e a reputação’ do site do jornal norte-americano.


 


 


Facebook afirma ter alcançado 500 milhões de usuários ativos


Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, disse ontem que a maior rede social mundial tem 500 milhões de usuários ativos.


Em blog, o executivo afirmou que ‘nunca poderia ter imaginado’, quando criou o site, há seis anos, as diferentes maneiras pelas quais as pessoas usariam o Facebook. Zuckerberg também divulgou um vídeo em que agradece aos internautas pela marca.


Aproximadamente 70% dos usuários da rede social são de fora dos Estados Unidos. De acordo com o Facebook, seus usuários gastam 700 bilhões de minutos no site todos os meses.


Para comemorar, o site lançou um aplicativo que reúne histórias sobre como o Facebook já afetou a vida das pessoas. No Facebook Stories, as pessoas poderão contar suas histórias e ler as de outros usuários.


 


 


37 Estados dos EUA vão investigar Google Street View


O procurador-geral do Estado de Connecticut, Richard Blumenthal, afirmou que já são 37 os Estados norte-americanos que vão investigar o Google Street View, serviço de mapeamento da empresa de tecnologia.


Segundo ele, a lista conta com Estados como Texas, Flórida, Illinois, Missouri, Massachusetts e Kentucky.


O serviço de mapeamento vem sendo alvo de polêmica em vários países (como França, Alemanha e Austrália) porque coletou dados de internautas por meio de redes de internet sem fio desprotegidas. O Google afirma que a coleta de dados foi acidental.


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quinta-feira, 22 de julho de 2010


 


ELEIÇÕES 2010


Vera Rosa


Dilma nega guinada e rejeita controle da mídia


Empenhada em desfazer a imagem de que dará uma guinada à esquerda no governo, se vencer a eleição, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, disse ontem que é ‘rigorosamente contrária’ ao controle de conteúdo da mídia e mostrou disposição para enquadrar as alas radicais do partido.


Em entrevista ao programa 3 a 1, da TV Brasil, a petista pregou a liberdade de expressão e o direito à crítica. ‘É inadmissível a censura à imprensa’, afirmou Dilma. ‘O único controle que admito é o controle remoto, na mão do telespectador, porque ele muda de canal.’


A candidata fez a comparação em tom bem humorado ao ser lembrada sobre as propostas preparadas pelo PT para seu programa de governo, sugerindo o combate ao monopólio e o controle social dos meios de comunicação. A plataforma chegou a ser apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas, diante da repercussão negativa, esse e outros trechos polêmicos acabaram retirados do documento.


Sem citar nominalmente o candidato do PSDB, José Serra, Dilma deu várias estocadas indiretas no adversário e disse que há pessoas tentando explorar ‘temores obscuros’ em relação a um novo governo do PT. Ao ser questionada se conseguirá dominar as tendências mais à esquerda no mosaico ideológico do petismo, caso chegue ao Palácio do Planalto, ela garantiu que não alimenta essa preocupação.


‘O poder de um governo é descomunal em relação a um partido’, afirmou a ex-ministra da Casa Civil, numa referência à sua intenção de enquadrar os radicais. Dilma lembrou que o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrentou uma campanha de temores quando era candidato, em 2002. ‘Chegaram a falar: ‘Eu tenho medo de que Lula seja eleito’, disse ela, em alusão à atriz Regina Duarte, que fez o comentário no programa de TV do então candidato Serra.


Perguntada sobre o apoio dado pelo governo Lula a países que não respeitam os direitos humanos, como Cuba, Dilma respondeu com outra indagação: ‘E Guantánamo respeita os direitos humanos, companheiro?’


Para a ex-ministra, Lula não interfere na política externa dos outros países e trabalha para construir um ambiente de paz, não de atrito. Mais uma vez, ela defendeu a liberdade de expressão. ‘Sou contra preso político por crime de opinião, sou contra alguém ser preso político’, reiterou. ‘Nós respeitamos a liberdade de imprensa.’


Em nova alfinetada indireta na direção de Serra, Dilma disse que ‘jamais’ ligará para um editor de jornal com o objetivo de reclamar de reportagens. ‘Acho inadequado alguém telefonar para o editor e pedir punição a jornalista’, insistiu. Apesar de indagada sobre a quem se referia, a candidata do PT não respondeu. ‘Você é que sabe’, devolveu, abrindo um sorriso.


Dilma confundiu Honduras com El Salvador ao dizer que El Salvador sofreu um golpe de Estado, mas se corrigiu e pediu desculpas. No capítulo do programa de governo, ela também se manifestou contra a taxação sobre grandes fortunas – outro ponto que consta das diretrizes do PT para sua plataforma -, sob a alegação de que a medida é ‘inócua’.


 


 


Luís Fernando Bovo


TV Gazeta e ‘Estado’ fazem debate com presidenciáveis


Representantes das campanhas de José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) assinaram compromisso oficial com a TV Gazeta e o Estado para o debate entre os candidatos à Presidência no dia 8 de setembro, a partir das 23 horas.


Dilma Rousseff (PT) não enviou assessores para o encontro de ontem. Se ela não for, a bancada com seu nome ficará vazia, segundo normas definidas pelos demais partidos. A participação de Dilma, no entanto, não está descartada. Caso ela compareça, terá de aceitar as regras já assinadas.


O debate será transmitido ao vivo pela TV Gazeta, pelas rádios Gazeta e Eldorado e, na internet, pelo portal da Gazeta e pelo estadão.com.br. Mediado pela apresentadora Maria Lydia Flândoli, terá a participação de Paulo Markun (comentarista da TV Gazeta), Silvia Corrêa (chefe de redação da emissora), além de dois jornalistas do Estado – Celso Ming, colunista de Economia, e João Bosco Rabello, diretor da sucursal de Brasília e colunista de Política.


Os jornalistas farão perguntas aos candidatos no 1.º e no 3.º blocos. No 2.º e no 4.º, o candidato responderá questões formuladas por outro candidato. Haverá sorteio para definir quem pergunta a quem. Nesses blocos, se o sorteado para responder não estiver presente, o sorteado para formular a questão poderá falar durante 1 minuto e meio sobre o assunto que lhe interessar.


Disputa estadual. A TV Gazeta e o Estado também já confirmaram o debate entre candidatos ao governo de São Paulo, no dia 24 de agosto, que será transmitido a partir das 22h.}


 


 


Wladimir DAndrade


A web como praça


Candidato a deputado federal pelo DEM, o empresário Aleksandar Mandic, um dos fundadores do iG, instalou seu comitê eleitoral em um escritório na Avenida Rebouças, em São Paulo. Mas, ao contrário de seus concorrentes, não planeja andar pelas ruas da cidade nem sair em carreata com carro de som e bandeiras.


A campanha faz jus à sua trajetória empresarial. Sua corrida ao Congresso será totalmente virtual. Mandic, que se autodenomina um ‘candidato 2.0’, fez de um blog seu principal canal de comunicação, revelou na internet seu celular e lançou o santinho eletrônico – um cartão com sua foto e seu número enviado para usuários do iPhone.


‘Creio que estou adiantado no tempo. Sou o primeiro candidato 100% online’, orgulha-se. Mesmo aberto ao público, o comitê não costuma receber muitas visitas. Em compensação, seu blog já recebeu quase 6 mil curiosos. E ainda tem as redes sociais Twitter, Facebook, LinkedIn e Foursquare. Na visão dele, a campanha pela web torna mais rico o contato com a população. ‘Na rua, o eleitor aperta a mão, mas não conversa comigo. Na internet, a pessoa poderá fazer isso’, acredita.


Suas principais propostas estão ligadas à internet. Ele promete ‘Wi-Fi (rede sem fio) para Todos’, internet gratuita em praças, escolas e áreas comunitárias, e a Infovias – internet sem fio nas estradas pedagiadas do País. ‘Marechal Rondon fez rodovias, e Mandic dará Infovias’, promete. Se sua campanha virtual vai ‘pegar’, ele só saberá quando o resultado das urnas for apurado.


 


 


VENEZUELA


Disputa por ações de grupo de TV é nova tática chavista para conter mídia


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, mudou sua estratégia para submeter a imprensa do país. Da pressão pessoal – por meio de assédio fiscal e legal – sobre proprietários de empresas de comunicação e ameaças de cassar concessões de emissoras de rádio e TV, o regime chavista busca agora uma nova abordagem, com a qual tenta obter o controle acionário dos grupos de mídia que são críticos a seu governo.


A nova tática ficou evidente na terça-feira, quando Chávez anunciou a intenção de indicar um dos membros do conselho diretor da TV Globovisión, a única crítica de sua administração que ainda transmite para todas as grandes cidades da Venezuela.


Segundo o presidente, o governo já teria 45,8% das ações da emissora, já que 25,8% pertenciam ao Banco Federal, de Nelson Mezerhane, que sofreu uma intervenção federal em junho por problemas de liquidez. Os outros 20% seriam do empresário Luis Teófilo Núñez, morto em 2007, que – na interpretação do governo – deveriam passar para as mãos do Estado.


Ontem, Alberto Ravell, ex-diretor da emissora, afastado do cargo em fevereiro, afirmou que o governo está errado sobre a composição acionária da Globovisión. Mezerhane teria 20% das ações e Teófilo mais 20%. ‘Não sei de onde o presidente tirou esses números’, disse.


Segundo Ravell, Chávez não terá voz na empresa, mesmo que tenha representantes na direção. ‘De acordo com o estatuto social, só quem tem a maioria das ações pode nomear membros da diretoria’, afirmou.


Segundo Chávez, não há direito de herança sobre o setor de comunicações, por isso o Estado poderia adquirir a parcela de ações do acionista falecido (mais informações nesta página). Ravell rejeita a tese. ‘Não existem pessoas físicas como acionistas, e sim pessoas jurídicas’, disse. ‘Sobre as ações de Teófilo, estão nas mãos de sua filha e herdeira.’


Segundo o diretor da empresa Datanálisis, Luis Vicente León, uma medida de força para fechar a Globovisión arrasaria a popularidade de Chávez às vésperas das cruciais eleições legislativas de 26 de setembro, o que explicaria a súbita adoção de sutileza em seus métodos. Em outras ocasiões, ele já foi bem mais direto. Até 2005, ele acusava de ‘golpista’ a rede Venevisión, do empresário Gustavo Cisneros. Pressionada com ameaças de uma devassa fiscal, a emissora moderou as críticas e sobreviveu ao rolo compressor chavista.


Os dois principais jornais, El Nacional e El Universal, também reduziram o tom das críticas após ameaças do governo. Em 2007, Chávez não renovou a concessão da Rádio Caracas Televisão (RCTV), após 54 anos no ar, acusando-a de ter apoiado o fracassado golpe de Estado de 2002. Desde janeiro, revogou concessões de 240 emissoras de rádio AM e FM, sob a alegação de extinção da concessão após a morte do concessionário.


Reação. O governo americano afirmou ontem que estará atento à tentativa do governo venezuelano de tomar o controle da Globovisión. ‘Observaremos atentamente’, declarou o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley. / REUTERS, EFE e AP


PARA ENTENDER


Concessão sem herdeiros


A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela, criada em 2000 como agência reguladora para os meios de comunicação no país, estabelece que a concessão da frequência radio-elétrica não pode ser objeto de herança ou sucessão. No entanto, no caso da Globovisión a concessionária é uma pessoa jurídica: a Corpomedios GV Inversiones. Assim, as ações de Luis Teófilo, que se referem à empresa, foram distribuídas entre seus sucessores


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Net vende HBO sem Telecine, na surdina


Há quase dois meses em vigor, a venda de pacotes com canais HBO sem a condição de levar junto os do Telecine, pela Net, está praticamente escondida. Sem ver ações de divulgação da novidade, a coluna ligou para a central da Net, e, além de não saber informar sobre a venda isolada da HBO, o atendente seguiu seu discurso oferecendo somente pacotes casados. Procurada, a Net garante que há transparência e divulgação da novidade e que sua equipe ainda está em treinamento. A HBO nega que essa divulgação exista. Por isso, a marca planeja ações agressivas de marketing, incluindo treinamento de atendentes, assim que a burocracia do acordo for resolvida.


8 pontos de média de audiência registrou CSI Miami, anteontem, deixando a Record na liderança de ibope no horário (da 0h25 à 1h17)


‘Para nós (a separação) foi uma surpresa muito grande.’ Xororó, ao Vitrine, da Cultura, confidencia a vontade de ver os filhos Sandy e Júnior cantando juntos novamente


A RedeTV! está comprando um pacote de séries da CBS para exibir na faixa noturna. São elas: Three Rivers, Dexter, Havai 5.0, Defenders e Blue Bloods. Apesar do nome, não se trata de uma genérica de True Blood, da HBO.


Ti-Ti-Ti manteve sua audiência de estreia na terça-feira: registrou média 29 pontos de ibope.


Um spa será o centro da próxima trama de Walcyr Carrasco na Globo. Ainda sem título, a sucessora de Ti-Ti-Ti terá gravações no Japão e no interior de São Paulo.


A MTV busca patrocinadores para dois projetos que está negociando com a Endemol: uma deles é Six Pack, formato em que jovens, cansados da TV convencional, resolvem fazer seu próprio programa de TV.


O SBT iniciou há um mês uma campanha que pretende identificar e resolver, com a ajuda dos telespectadores, eventuais deficiências de qualidade da imagem e do som em afiliadas da rede pelo País.


A campanha, que tem chamadas na programação e intervalos do canal, convoca o público para reclamar de falhas na recepção do sinal do SBT. Os dados são consultados pela diretoria e pela equipe técnica da emissora.


Estrela da festa do Peão de Barretos, em agosto, Mariah Carey já é alvo de disputa de programas de TV. Faustão está no páreo.


O canal Esporte Interativo exibirá o campeonato Sub-20 de futebol, que começa dia 25, e o Campeonato Argentino, que será em agosto.


Não é só em São Paulo que Raul Gil, do SBT, está impressionando em audiência. A última edição do programa alcançou a liderança em ibope no Rio por duas horas consecutivas, registrando média de 12,5 pontos no horário.


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem