Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > TERÇA-FEIRA, 27/02

Chinaglia poderá investigar
compra de reportagens

Por Luiz Antonio Magalhães em 28/02/2007 na edição 422


Leia abaixo os textos de terça-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 27 de fevereiro de 2007


MÍDIA & POLÍTICA
Ranier Bragon e Letícia Sander


Chinaglia analisa se compra de reportagens fere regras


‘O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou ontem que vai analisar se o fato de deputados usarem dinheiro público para comprar ‘reportagens’ em órgãos de imprensa regionais está ‘de acordo com as regras ou não’.


Reportagem da Folha publicada no domingo mostrou que só em janeiro, mês de férias congressuais, a Câmara reembolsou 488 deputados num total de R$ 5,9 milhões por gastos alegados com a verba.


‘Vou pedir para o primeiro-secretário analisar essa circunstância de compra de espaço na forma de entrevista, se está de acordo com as regras ou não’, disse, evitando criticar diretamente o fato.


‘Você imagina, por exemplo, não é o meu caso, mas se o cara é dono do jornal, e o jornal dele é o mais importante do pedaço, não sei se seria ou não [irregular]. Caso ele se sinta à vontade de fazer, minha dúvida é: existe algum impedimento pelas regras ou não? Talvez esse debate venha a ser feito’.


À Folha o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN) admitiu ter usado parte da chamada ‘verba indenizatória’ a que os parlamentares têm direito para pagar a um jornal que controla, a ‘Tribuna do Norte’, pela publicação de reportagens benéficas a ele.


A verba, um extra de R$ 15 mil mensais, é destinada a despesas com consultorias, aluguel de escritórios, combustível e ‘divulgação do mandato’.


Alves disse à Folha considerar a compra de reportagens normal. Citou inclusive que recebe descontos por ser diretor-presidente da instituição.


Primeiro-secretário da Câmara, Osmar Serraglio (PMDB-PR) evitou críticas ao líder de seu partido.


‘Eu vou ter que ver como é. Não vi a reportagem, não tem como falar hipoteticamente. Não posso falar nada’, afirmou.


Serraglio disse, entretanto, que a divulgação do mandato parlamentar em forma de publicidade estaria de acordo com as regras regimentais.


‘Se você paga, é publicidade, não importa o nome que você dê. E se for publicidade, ele tem o direito de divulgar.’’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Nem Chávez nem Bush


‘Escorrendo ironia, o espanhol ‘El País’ questiona em editorial o ‘fracasso’ anunciado por Hugo Chávez para a visita de George W. Bush e avalia que os países da região querem tanto a ‘generosidade venezuelana’ quanto a ‘compreensão de Washington’. A exceção é ‘o Brasil de Lula, o gigante latino-americano’ que ‘se considera acima de tudo o que Chávez pode oferecer’:


– Seu lema é nem Caracas nem Washington, só Brasília. Por isso, Lula receberá Bush com satisfação.


Nem tanto. Após agradar a Bolívia, Lula está no Uruguai e, como notou a Globo, vai ‘discutir o futuro do país no Mercosul’ e, para não deixar que caia nos braços dos EUA, promete ‘uma usina termelétrica da Petrobras’, entre outros generosos presentes.


‘BEWARE’


O ‘Barron’s’, de grande influência, versão dominical do ‘Wall Street Journal’, avisou no texto ‘Cuidado com o poder do Brasil sobre o açúcar’, de Devon Maylie, que a ‘complacência com a predominância do país’ pode levar a ‘aumentos drásticos de preço’. Para açúcar ou etanol, ‘não existe outro fornecedor de verdade de açúcar bruto’ no mundo.


ÚLTIMAS CARTAS


Depois de tudo conseguir por aqui, com a Globo no meio, ‘Chegou a Buenos Aires uma missão do Japão para promover a TV digital’, destacou o argentino ‘La Nación’. Jogam ‘suas últimas cartas para convencer os funcionários do governo’ de que o padrão japonês de NEC, Sony, Panasonic etc. é melhor que o europeu de Telefónica, Siemens etc.


YOUTUBE VS. TV


O gráfico do Hitwise, com a linha vermelha do YouTube ultrapassando a azul dos sites de conglomerados de TV dos EUA, semana passada


O blog BuzzMachine, de Jeff Jarvis, e outros festejam pesquisa da Hitwise mostrando que as visitas ao YouTube cresceram 14% desde que a Viacom (de canais como MTV e Comedy Central) mandou o site de compartilhamento de vídeo tirar seus produtos do ar. Jarvis, pioneiro dos blogs de mídia, saudou como nos velhos tempos a notícia complementar de que o YouTube passou todos os sites de TV somados. No título do post, ‘Quem precisa da MSM?’ ou mídia ‘mainstream’. Hoje parte do Google, o YouTube na verdade é tão ‘mainstream’ quanto a Viacom.


JOOST VS. YOUTUBE


A Viacom, no confronto com o Google, levou uma das maiores atrações de vídeo da internet, seu ‘Daily Show’ com Jon Stewart, para o Joost. É o site -em experiência- idealizado pelos criadores de Kazaa e Skype, com imagens de qualidade bem melhor que YouTube e assemelhados. ‘Não é vídeo de web, é TV’, diz um dos empreendedores ao ‘New York Times’ de hoje, sublinhando que o Joost é ‘dentro das regras’, em contraste com Kazaa e YouTube.


Dias atrás, note-se, ‘engenheiros’ do Google disseram à Reuters que a web não comporta serviços tipo Joost.


QUEM LÊ TANTO VÍDEO?


O mesmo ‘NYT’ noticiou que, segundo pesquisa CacheLogic, 60% do tráfego na internet já é de vídeo -e pode chegar a 98% em poucos anos. Em tal universo, YouTube, o próprio Google Video, Yahoo Video e outros não servem como ferramenta de pesquisa. E a estrela ascendente é o Blinkx, de San Francisco, que pesquisa nos próprios vídeos, não em suas legendas.’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Edir Macedo libera missa do papa na Record


‘A guerra de audiência falou mais alto do que a guerra religiosa. Por determinação do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal, a Record vai transmitir quase na íntegra a visita do papa ao Brasil, em maio.


A TV de Macedo inicialmente pretendia cobrir a visita como a de qualquer outra autoridade internacional, apenas nos telejornais. Agora, deve transmitir ao vivo boa parte da missa que Bento 16 rezará em São Paulo (Campo de Marte).


Na última quinta, a Record surpreendeu as demais redes ao anunciar, em uma reunião na Globo, que decidira integrar o pool de emissoras que participarão da cobertura. No pool, cada TV ficará responsável por imagens de determinado evento ou local. As imagens irão para um satélite, ao qual todas as redes terão acesso. A Record irá gerar do mosteiro de São Bento, onde o papa ficará hospedado e se encontrará com bispos.


A Globo, coordenadora do pool, gerará a missa do Campo de Marte. A parte da Band será cobrir um encontro do papa com jovens no Pacaembu. O SBT cederá um helicóptero.


A mudança de posição da Record é mais comercial do que institucional. A emissora avaliou que perderia audiência se limitasse a visita do papa aos jornais. Além disso, Edir Macedo concluiu que esta é a chance de a Record reparar um ‘erro’ de 12 anos atrás, o episódio em que um bispo da Universal chutou a imagem de uma santa.


SONO FORTE 1 Despencou a audiência da transmissão do Oscar. A cerimônia deste ano rendeu apenas 11 pontos à Globo, segundo dados preliminares do Ibope na Grande SP. Em 2005, quando a Globo voltou a exibir a festa, o ibope foi de 18 pontos. Em 2006, já havia caído para 13.


SONO FORTE 2 A audiência da Globo caiu 12 pontos em três minutos de Oscar. A emissora culpa a maior duração (o Oscar de 2007 foi até as 2h21, quase 40 minutos a mais do que o de 2005) e a falta de brasileiros na disputa.


SONO FORTE 3 O estilo da Globo também pode ter contribuído para a queda de ibope. A rede fez uma exibição limpa e enxuta, quase uma tradução simultânea comentada. Deu sono.


QUAL A ROUPA 1 A Globo só começou a transmitir o Oscar na íntegra depois de 40 minutos (e quatro prêmios) do início da festa. Por outro lado, o canal pago TNT fez uma cobertura extensa, mostrando a chegada das estrelas, e repleta de problemas de áudio.


QUAL A ROUPA 2 No TNT, os vestidos das atrizes eram quase tão importantes quanto o prêmio em disputa. Quando o canal ouvia alguém, a segunda informação a aparecer em legenda era a grife da roupa (Valentino, Armani).


CANAL UNIVERSITÁRIO O SBT se deu ao luxo de exibir domingo, no horário nobre, um programa sobre Silvio Santos que nada mais era do que uma tese de conclusão de curso universitário com imagens um tanto amadoras.’


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 27 de fevereiro de 2007


TELEVISÃO
Cristina Padiglione


Record x SBT


‘Em comunicado distribuído ontem a publicitários e jornalistas, o vice-presidente comercial da Record, Walter Zagari, estampa a celebração da emissora por ter fechado o balanço de audiência nacional do mês de janeiro à frente do SBT. Os números se resumem à faixa das 18 h à 0 h. No total do dia, dentro do Painel Nacional de TV (PNT), o SBT ainda é vice-líder.


De toda forma, a defesa do SBT ao crescimento desfilado pela Record em São Paulo sempre tem sido o PNT, onde a TV de Silvio Santos, em números absolutos, leva a melhor. Agora, a superioridade da TV de Edir Macedo na faixa nobre começa a se refletir em território nacional.


Entre 18 h e 0 h, somando seus números no PNT, a Record fechou janeiro com 7,9 pontos de média, ante 7,1 do SBT. O share, participação da audiência entre o total de aparelhos ligados, foi de 13,6% a 12,3%. Em janeiro de 2006, o SBT vencia a Record nessa faixa por 7,9 a 7,0 pontos na audiência e por 13,6% a 12,1% em share.


A inversão de posições alimenta ainda mais a tendência de afiliadas do SBT em se aliarem à Record. Para alguns, é só uma questão de aguardar o fim de contrato.


entre-linhas


O SBT recruta em seu site participantes para um game show ‘do tipo O Céu É o Limite’. Além de pedir a inscrição dos interessados, Silvio Santos quer sugestões de temas para o desafio.


Marcos Palmeira está na mira da Record para integrar o elenco da próxima novela das 22 h na casa, Caminhos do Coração, que substituirá Vidas Opostas. O convite partiu do autor Tiago Santiago. Recentemente, Palmeira recusou papel em Paraíso Tropical, de Gilberto Braga, na Globo, por causa da possibilidade de a HBO gravar a segunda temporada da série Mandrake.


Sábado, às 14h30, estréia na TV Rá Tim Bum o programa Mundo da Criança. No quadro Toquinho no Mundo da Criança, o cantor interpreta canções acompanhadas por animações.


A matéria de Pedro Bial sobre o fim da Guerra do Golfo no Jornal Nacional, em 1991, poderá ser vista novamente no site G1 amanhã, quando a reportagem completa 16 anos. Na bancada do JN estava Cid Moreira.


Depois de sua licença-maternidade, a atriz Mariska Hargitay volta ao seriado Law&Order: Special Victims Unit, no episódio que vai ao ar dia 6, às 23 horas, no Universal Channel.


O canal VH1 traz amanhã, às 23 horas, o inventário das donas de casa desesperadas. A atração fala do sucesso de Desperate Housewives e do salário e ganhos das protagonistas da série.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem