Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

ENTRE ASPAS >

Comunique-se

03/11/2009 na edição 562

O PRESIDENTE E A MÍDIA
Comunique-se

Lula se sente injustiçado pela imprensa

‘Em entrevista ao jornal venezuelano El Universal, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse se sentir injustiçado pela imprensa. Ao ser questionado sobre a relação do colega venezuelano Hugo Chávez com os veículos de comunicação daquele país, Lula saiu pela tangente: ‘Não vou entrar nas questões internas da Venezuela’, disse. Entretanto, falou sobre a sua relação com a imprensa brasileira.

‘Sou duramente criticado no Brasil por boa parte da imprensa, muitas vezes de forma injusta na minha opinião, mas isso não altera em nada a minha convicção de que a liberdade de imprensa é essencial’, afirmou.

De acordo com o presidente, a imprensa brasileira ‘goza de total liberdade’ e os leitores, ouvintes e telespectadores estão ‘cada vez mais maduros e mais atentos a tentativas de manipulação’.

‘Por isso mesmo, os órgãos de comunicação que não respeitam o público e distorcem os fatos, mais cedo ou mais tarde, perdem credibilidade’, disse.

Lula está na Venezuela para discutir assuntos bilaterais com o governo local, incluindo o acordo de parceria para o desenvolvimento e implantação do sistema de TV Digital nipo-brasileiro naquele país.’

 

INTERNET
Izabela Vasconcelos

Redes sociais ajudam na cobertura da imprensa

‘Jornalistas participantes do debate ‘O que um jornalista precisa para se integrar à Era das Novas Mídias’, do 3º MediaOn, defenderam o uso das mídias sociais como uma forma de colaboração na cobertura. O painel foi formado por Tiago Dória, jornalista e editor de blog sobre cultura, web, tecnologia e mídia hospedado no IG ,e José Roberto Toledo, jornalista especializado em política e jornalismo de precisão. A discussão foi mediada por Carlos Drummond, coordenador do curso de jornalismo multimídia das Faculdades de Campinas (Facamp).

‘No caso da prova do Enem, o Estadão descobriu o suspeito por meio do Orkut e Facebook, isso primeiro que a Policia Federal. O que mostra como é importante um jornalista fazer parte de uma rede social’, declarou Toledo.

O jornalista também disse que o Twitter é uma importante ferramenta para os jornalistas. ‘As pessoas colocam informações jornalisticamente relevantes lá’, defendeu Toledo, que ainda acrescentou. ‘O Twitter é como um garfo, você pode usar pra se alimentar ou para espetar alguém’.

Tiago Dória destacou que no uso das redes sociais deve haver uma cooperação entre jornalista e leitor. ‘É necessário levar as pessoas a conhecer melhor o mundo, mas fazer também com que elas te ajudem nessa missão’.

Dória também abordou a questão da quantidade de informação, do fácil acesso e da disputa do tempo dos leitores. Para ele, a receita do sucesso online vai além da parte operacional. ‘É preciso dominar os conceitos e não as ferramentas. Elas são um meio para ir a algum lugar. Hoje é o Twitter, amanhã é outra ferramenta. As ferramentas vão e voltam e os conceitos ficam’, declarou.’

 

Twitter é conhecido por 91% dos internautas brasileiros, revela pesquisa

‘Um estudo apontou que 91% dos internautas brasileiros conhecem ou já ouviram falar do Twitter, microblog de sucesso mundial. A pesquisa foi feita pelo Instituto QualiBest, que entrevistou 1.731 internautas. De todos os entrevistados, 34% declaram ter uma conta no Twitter.

Além de questionar a popularidade do serviço, o estudo revelou que o microblog é utilizado com frequência, já que 34% dos internautas disseram acessar o Twitter cinco vezes por semana, sendo que 58% deles revelam que podem acessar redes sociais no ambiente de trabalho.

De acordo com dados da Nielsen Online, divulgados em setembro, no Brasil o Twitter conquistou 9,2 milhões de internautas. Segundo a pesquisa do Instituto QualiBest, os twitteiros brasileiros acessam o microblog em média 40 minutos, três vezes por semana, principalmente no período noturno. O estudo também revelou que os internautas estão otimistas com o serviço. Para 68% deles, o Twitter continuará a ganhar espaço na web.’

 

LIBERDADE DE IMPRENSA
Comunique-se

Jornais censurados podem recorrer direto ao STF

‘Veículos de imprensa que forem censurados e se sentirem prejudicados em decisões de primeira e segunda instâncias poderão recorrer diretamente ao Supremo Tribunal Federal (STF). As ações devem ser encaminhadas pelo instrumento legal chamado reclamação, que pode ser usado caso sentenças de tribunais inferiores contrariem decisões já tomadas pelo STF.

O procedimento pode ser usado apenas se a decisão do STF tiver sido tomada por Ações Diretas de Inconstitucionalidade, Ação Declaratória de Constitucionalidade ou Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, como foi o caso da derrubada da Lei de Imprensa.

Com isso, os veículos podem pular etapas processuais, economizando tempo e dinheiro, já que as decisões são finais e os gastos com deslocamentos e advogados diminuem.

As informações são de O Globo.’

 

ESPORTE
Izabela Vasconcelos

Para editor da Folha, jornalismo esportivo online é ‘feito de colagem’

‘Para o editor do caderno de esporte da Folha de S.Paulo, José Henrique Mariante, o jornalismo esportivo na web ainda não existe. Segundo Mariante, os veículos online se alimentam de outras plataformas. ‘O jornalismo online é feito de colagem de outras plataformas que existem’, declarou. O jornalista participou do 3º MediaOn, nesta quinta-feira (29/10), em São Paulo.

A respeito da imprensa escrita, em que atua, Mariante destacou que, apesar de muitas críticas aos jornais, esses veículos investem nas coberturas. ‘Muita gente se perguntava se com os correspondentes iam acabar com a vinda da Internet e íamos só publicar o que a AFP mandasse. Mas não acabaram, isso porque temos que nos diferenciar’, explicou.

O jornalista também falou do investimento no impresso feito por J. Hawilla, que comprou o Diário de S. Paulo. ‘O J. Hawilla não é de perder dinheiro. Ele comprou um jornal nesta cidade por cerca de R$ 100 milhões. Talvez ainda dê dinheiro’.

As redes sociais e a audiência

No mesmo debate, Luiz Fernando Gomes, editor-chefe do diário esportivo Lance!, apresentou as múltiplas plataformas do Lance!, e ressaltou o poder das mídias sociais no negócio. ‘O Orkut corresponde à nossa terceira maior fonte de audiência, e o Twitter, pela oitava’.

Gomes deu um conselho aos diários impressos. ‘O jornal tem de prever e analisar o que vai acontecer. Sobreviverão as empresas de comunicação que souberem se adaptar ao que o público quer, não o que a gente acha que ele quer’.

O jornalista foi seguido por Julio Gomes, editor do site ESPN.com.br, que destacou a importância das redes sociais para os veículos de comunicação. ‘Muitas coisas que os internautas comentam, nós usamos em alguma matéria. Além disso, o Twitter hoje é a nossa terceira fonte de audiência’, contou.

Julio disse que a meta da empresa é estar em todos os lugares e a todo o momento com a convergência de conteúdos. Além da TV, rádio, portal de notícias e vídeos, no próximo mês o canal lançará também uma revista.

A discussão foi mediada por Wanderley Nogueira, apresentador e repórter da Rádio Jovem Pan AM, que encerrou o debate com relatos de casos cômicos e curiosos dos profissionais participantes.’

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Terra Magazine

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem