Segunda-feira, 25 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

ENTRE ASPAS > SBT

Cristina Padiglione

29/07/2005 na edição 339


‘Helicóptero próprio, motolinks em São Paulo, Brasília, Rio, Belém e Porto Alegre – sem contar as unidades móveis de que já dispõem as afiliadas do SBT – são alguns dos recursos adquiridos por Silvio Santos para o SBT Brasil. O noticiário ancorado por Ana Paula Padrão vai ao ar das 19h15 às 20 horas e tem estréia marcada para o dia 15. Para quem duvidava que o patrão fosse de fato fazer seu jornalismo ressuscitar das cinzas, outro dado surpreendente: o telejornal terá correspondentes próprios em Beirute, Roma, Paris, Londres, Nova York e Buenos Aires.


Em algumas praças brasileiras, o SBT está bancando a contratação de equipes (cinegrafista, repórter e editor) que servirão exclusivamente ao jornal de Ana Paula. Em um workshop que uniu representantes de filiadas e afiliadas da emissora, os cinegrafistas tiveram direito a sessão especialmente dirigida a eles. ‘A gente explicou coisas como o modelo a seguir quando o entrevistado não quer se identificar, formatamos alguns itens para não escorregar no que não seja de bom gosto’, conta Ana Paula. Segundo ela, a emissora não criou um manual editorial, mas há um procedimento técnico a seguir e isso foi repassado a todas as praças. ‘Também contratamos um personal stylist que gravou um vídeo que foi distribuído a todo’, completa. E, detalhe relevante quando a questão é aparecer no vídeo: ‘contratei uma maquiadora para dar treinamento às meninas das praças, para que elas saibam ressaltar o que têm de melhor’.


PRESTÍGIO


Há alguns dias, Ana Paula deu um giro de três dias por Brasília, território onde fez suas principais fontes de informação e que domina bem. Mesmo assim, conta, ficou surpresa com a receptividade que teve em encontros com os ministros Antonio Palocci, Dilma Rousseff, Márcio Thomaz Bastos, além de Henrique Meirelles, Renan Calheiros, José Sarney, entre outros expoentes do cenário político-econômico nacional, todos dando as boas-vindas à iniciativa de jornalismo no SBT.


Uma consultoria externa foi contratada para orientar os profissionais da casa na concepção do cenário. O noticiário não será dentro da redação, ‘é um cenário no estúdio, mas tem elementos de redação nele, é superversátil’, conta Ana Paula. ‘Não é um cenário clássico de estúdio, é bem mais amplo, com muito mais recursos, tem muitos telões e plasmas’, adianta. Mas as telas, explica, não servirão para exibir a imagem de repórteres conversando com o estúdio, como ocorre, por exemplo, no SP-TV, da Globo. ‘É um cenário claro, com muito branco e cinza.’


Os câmeras estarão livres das fitas: tudo será registrado em disco ótico. O time de comentaristas conta com os jornalistas Eliane Catanhêde e Sérgio d’Ávilla, mas eles não terão entradas fixas no ar. ‘Não quero nada amarrado, quanto mais liberdade, melhor.’


Ana Paula conta que não terá substituto nas edições de sábado, pelo menos durante o primeiro mês do SBT Brasil. ‘Nos primeiros sábados, eu vou fazer todas as edições, até porque o jornal precisa azeitar. A própria equipe deverá estar mais presente nesse início’, fala. Depois que esse período for superado, a jornalista conta que tem dois nomes cotados para substituí-la, um homem e uma mulher, ambos já contratados. ‘Já tenho um palpite, mas quero testar os dois no cenário antes de me decidir.’’



TV RECORD


Laura Mattos


‘Rezende se recusa a falar com Pinóquio ‘, copyright Folha de S. Paulo, 29/07/05


‘Ex-apresentador de telejornal ‘mundo cão’, Marcelo Rezende pediu demissão da Record nesta semana, entre outros motivos, por se recusar a conversar com o Pinóquio. No programa que iria ancorar ao lado da modelo Ana Hickmann, o jornalista teria de contracenar com bonecos à Louro José (Ana Maria Braga), segundo seu advogado, Eduardo Leite.


Um deles seria o Pinóquio. Isso, de acordo com Leite, comprova que a atração não é jornalística.


‘O contrato de Rezende prevê que ele apresente um programa jornalístico. Mas a Record queria que ele vendesse cogumelo do sol, máquina fotográfica, passeasse com cachorro, falasse sobre impotência sexual, moda e conversasse com bonecos. É um desperdício para um jornalista investigativo como ele’, diz o advogado.


O programa, antes chamado ‘Assim É Melhor’, teve o nome mudado para ‘Hoje em Dia’, após a saída de Rezende, que foi substituído por Rodolfo Gamberini. Estréia no dia 8 e vai ao ar no lugar do ‘Note & Anote’ (de segunda a sexta, das 9h15 às 9h45).


A Record não confirma nem nega a participação do Pinóquio ou de outros bonecos. Diz apenas que nem tudo o que foi testado em piloto (programa teste) irá ao ar e que a atração será ‘nos mesmo molde do ‘Tudo a Ver’, de Paulo Henrique Amorim, mistura de jornalismo com quadros de culinária, moda, saúde e fofoca.


A emissora considera que Rezende tenha rescindido o contrato, válido por 30 meses. Cobrará na Justiça a multa (cerca de R$ 3,5 milhões). Já o jornalista, segundo seu advogado, entrou com uma ação para receber a multa da Record. ‘Como o programa não seria jornalístico, foi a emissora quem não cumpriu o contrato.’


Marcelo Rezende diz ter proposta de três TVs abertas, mas as grandes redes (Globo, SBT, Rede TV! e Band) negam interesse pelo seu passe. O jornalista deixou a apresentação do ‘Cidade Alerta’ no dia 2 de junho e esperava ancorar telejornal no horário nobre.


Na próxima terça-feira, a Record apresenta à imprensa o ‘Hoje em Dia’, com Gamberini e Hickmann. A modelo será substituída pela colega Isabela Fiorentino no ‘Tudo a Ver’. A Record tenta contratar o chef Olivier Anquier para o programa de Amorim, no lugar de Eduardo Guedes, que irá para o ‘Hoje em Dia’.


O canal também irá apresentar aos jornalistas, na terça-feira, o novo programa de Eliana, o dominical ‘Tudo É Possível’, com estréia marcada para 7 de agosto.’



EUA vs. TELESUR


O Globo


‘EUA criticam TV Telesur por exibir líder das Farc’, copyright O Globo, 29/07/05


‘Os Estados Unidos reagiram ontem com irritação à divulgação de imagens do líder das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Manuel Marulanda Vélez, o Tirofijo, numa chamada promocional da TV Telesur, financiada em parte (51%) pela Venezuela. Em visita a Bogotá, o subsecretário americano para Assuntos Políticos, Nicholas Burns, declarou:


– A Telesur mostrou fotos do líder das Farc. É uma provocação. Para que uma imprensa livre e democrática quer favorecer terroristas e exibi-los na vitrine?


Semana passada, autoridades colombianas haviam criticado a inclusão de uma imagem de Tirofijo numa chamada TV Telesur. Fontes do governo do presidente Alvaro Uribe disseram, porém, que não havia planos de apresentar uma queixa formal ao governo de Hugo Chávez.


Burns disse que a Venezuela deveria seguir o exemplo de Brasil e Colômbia.


– A Colômbia e o Brasil são realmente bons exemplos de democracias modernas e livres – disse.


TV é alternativa a redes americanas e européias


Para Burns, numa democracia moderna é importante que as pessoas recebam informações abertas, e não influenciadas pela política.


Domingo, a Telesur deu início a transmissões via satélite para a América Latina com uma programação de quatro horas, repetida durante o dia. Também os governos de Cuba, Uruguai e Argentina financiam a emissora, que pretende representar uma alternativa latino-americana às redes americanas e européias.’


Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem