Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1033
Menu

ENTRE ASPAS >

Daniel Castro

08/06/2004 na edição 280

‘Três semanas depois de ter sido suspenso pela Band, supostamente por ter ligado um anunciante à lavagem de dinheiro no futebol, o polêmico apresentador Jorge Kajuru foi tirado do ar com o programa em andamento, sem maiores explicações pela emissora.

Kajuru apresentava anteontem à noite a segunda edição do ‘Esporte Total’ (20h) ao vivo de Belo Horizonte, onde pouco depois jogariam Brasil e Argentina. Mostrava torcedores revoltados com a dificuldade de obter ingressos.

‘Gente, nunca vi tanto carro de autoridade chegando ao Mineirão. São quase 10 mil convidados do Brasil inteiro, naturalmente com ingresso garantido. E o povo? O povo só teve acesso a 42 mil ingressos, caríssimos’, disse no ar, numa das entradas do estádio, criticando o governo mineiro.

O apresentador chamou o intervalo, dizendo que retornava em seguida, mas não voltou. Foi substituído por Fernando Nardini, em São Paulo, que não disse nada sobre o que teria ocorrido.

‘Até agora não entendi por que não voltei ao ar se não havia nenhum problema técnico e se tinha triplicado a audiência’, afirmou ontem Kajuru.

Diretores da Band teriam dito a Kajuru que ele não voltará mais ao ar e que seu contrato, que vence em março, será rescindido.

Procurada pela Folha, a Band disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre o assunto.

OUTRO CANAL

Dilema

Silvio Santos não quer apresentar a quarta edição de ‘Casa dos Artistas’, que estréia em julho. Carlos Massa, o Ratinho, foi cogitado, mas o SBT avalia que ele desvaloriza comercialmente o produto. Na emissora, sobram Hebe Camargo, Celso Portiolli (que também tem rejeição) e Gugu Liberato (que ficaria superexposto). A saída poderá ser alguém pouco conhecido ou de fora.

Assim não 1

Uma das cenas mais vistas no ano passado, o tiro em Fernanda (Vanessa Gerbeli) na novela ‘Mulheres Apaixonadas’ foi citada como um contra-exemplo de ‘merchandising involuntário’ durante evento da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes), na semana passada, em São Paulo.

Assim não 2

Na cena, a personagem era atingida por balas perdidas e caía diante de um Fiat Stilo. Em um painel da ABA, um alto executivo da Fiat mostrou slide da cena e sentenciou à platéia, que tinha executivos de várias TVs, inclusive Globo: ‘Isso é uma coisa que não pode acontecer’.

Afinados

Superintendente comercial do SBT, Antonio Athayde vem se entendendo bem com o mexicano Eugenio Lopez Negrete, ex-Televisa, que extraoficialmente é vice-presidente da emissora. Nesta semana, Athayde ofereceu em sua casa um jantar pelos dois meses do mexicano no SBT.’



TV & CELEBRIDADES
Daniel Castro

‘Groisman visita as escolas das celebridades’, copyright Folha de S. Paulo, 6/06/04

‘Serginho Groisman vai apresentar no segundo semestre, no canal Futura, uma série de 13 programas em que irá mostrar as escolas em que famosos estudaram o primeiro ou o segundo grau. ‘A idéia é visitar a escola, localizar algum professor, entrevistar amigos da época e falar da importância da instituição na formação dessas pessoas’, conta.

Groisman, que começou a trabalhar na produção do programa, o ‘Boleteen’, na semana passada, pretende visitar as escolas em que gente como Fernanda Montenegro, Rita Lee, Arnaldo Antunes e Antonio Ermírio de Moraes deram seus primeiros passos rumo ao sucesso.

Não Mel Lisboa recusou o convite da Record para ser a protagonista de ‘Escrava Isaura’. A atriz quer se dedicar ao cinema. E já estava comprometida com o ‘Superinteressante’, programa que a editora Abril exibirá na Cultura.

Troféu O engraçado ‘Pânico na TV’ (Rede TV!) vai ‘homenagear’ os artistas que não gostam de jornalistas. Entregará a eles o prêmio ‘Sandálias da Humildade’. Estão na mira dos humoristas: Paulo Vilhena, Marcelo Faria, Luana Piovani, Carolina Ferraz, Murilo Benício…

Data Inicialmente marcado para abril, ‘Caixa Preta’, o programa de Preta Gil na Band, está previsto para estrear no próximo dia 26.’



SÉRIES NA TV
Emily Nussbaum

‘Rede de fofocas estraga surpresa em séries’, copyright Folha de S. Paulo / The New York Times, 6/06/04

‘Em fevereiro passado, os fãs de ‘Survivor: All-Stars’, uma competição entre os campeões das edições passadas do ‘reality show’ ‘Survivor’, tiveram uma surpresa não muito agradável.

A série estreou após a final do Super Bowl e, em alguns minutos, assim que o primeiro competidor foi expulso, um enxerido anônimo postou uma imensa mensagem no site de entretenimento Ain’t It Cool News, com uma lista detalhada de todas as reviravoltas na trama. Algumas pessoas que procuraram o texto deliberadamente se arrependeram depois de tê-lo lido. Que graça tem assistir a alguma coisa se você já sabe tudo o que vai acontecer?

Com cada vez mais informações de bastidores flutuando pelas colunas de fofoca, fóruns de discussão on-line e revistas, agora é possível descobrir o que vai acontecer a um personagem favorito com meses de antecedência.

Os vazamentos de informação estão alterando de maneira fundamental a natureza dos seriados de televisão. Os programas começam a se parecer cada vez mais com livros: se você quer saber como termina, basta olhar a última página. As séries mais populares -como ‘24 Horas’, ‘Alias’, ‘The O.C.’, ‘Friends’, ‘Frasier’ e ‘The Apprentice’- foram todas vítimas de uma seqüência constante de vazamentos.

‘Eles me bateram e levaram meu dinheiro do lanche’, reclama Josh Whedon, cujas produções como ‘Buffy, a Caça-Vampiros’ e ‘Angel’ há muito vêm sendo afetadas pelos estraga surpresas. ‘Luto contra eles há anos e tentei novamente neste ano. Mas fui derrotado. Quis manter em segredo algumas coisas, mas cometi um erro crucial: filmei com figurantes’, afirmou. Assim que saem do estúdio, nada pode impedir que contem o que viram.

Para Whedon, a morte da surpresa na televisão é o final do que ele define como ‘uma emoção sagrada’. A surpresa, argumenta, ‘nos torna humildes. Mostra que se pode estar errado’. J.J. Abrams, criador e produtor-executivo de ‘Alias’, expressa mistura semelhante de pesar e resignação. ‘Por um lado, é irritante que os segredos escapem. Por outro, nós precisamos dos fãs. Se não trabalhasse onde trabalho, também teria vontade de saber.’

Nos dois últimos anos, as informações que estragam os mistérios vêm chegando cada vez mais rapidamente aos jornais e revistas. Mas seu surgimento está diretamente vinculado às animadas e muitas vezes rancorosas comunidades on-line de telespectadores, que congregam fãs devotados para debater sobre os programas de televisão que amam. Em sites como o Ain’t It Cool News e o E! Online, colunistas publicam segredos a cada semana, recebidos de um verdadeiro exército de informantes anônimos que se comunicam por e-mail.

Eles dependem de uma rede de fontes secretas. Kirsten Veitch, colunista do E! Online, explica que ‘conhecimento é poder. Se você é um assistente insignificante, pode se transformar em fonte importante para o mercado de estragar surpresas’.

Algumas fontes são funcionários insatisfeitos (‘os demitidos são muito perigosos’, diz Whedon). Mas a maioria dos que distribuem as informações são fãs dedicados, ou trabalhando para produtoras de televisão ou em contato via e-mail com funcionários dessas empresas.

Os criadores de programas respondem de diferentes maneiras: alguns combatem a fofoca, outros a aproveitam como publicidade. Por trás das cenas em programas de ação como ‘Angel’, os arquivos de computador são cifrados sob senhas especiais. Em ‘24 Horas’, o roteiro final é impresso em papel vermelho para dificultar que sejam feitas fotocópias.

Outros criadores de programas de TV simplesmente desistiram. Os produtores de ‘Friends’, que chega ao final em 6 de julho no Brasil, já declararam em público que não fazem esforço especial para impedir a ação dos estraga-surpresas. E muitos criadores agem como se a Máfia estivesse envolvida: pagam proteção, permitindo que os colunistas recebam informações menos importantes, a fim de impedi-los de revelar os segredos mais suculentos.

Esse jogo constante de espionagem já gerou um novo desdobramento: falsas informações divulgadas a fim de iludir os fãs. O caso mais famoso aconteceu durante a primeira temporada de ‘Survivor’, quando fãs invadiram o site da CBS e descobriram uma foto de Gervase Peterson como único sobrevivente sem um xis marcado sobre o rosto. Era uma falsa pista visual plantada pelos produtores. No final, quem ganhou a competição foi Richard Hatch.

Alguns fãs argumentam que saber o que acontecerá a seguir na verdade aprofunda a emoção de assistir aos programas. Com os segredos revelados de antemão, o telespectador pode ver TV com distanciamento, analisando como um crítico, em lugar de se sentir imerso, como um novato.

Muitos sites permitem mensagens revelando surpresas apenas em áreas especialmente reservadas. Os participantes se apóiam mutuamente no esforço de escapar às informações antecipadas como numa espécie de Alcoólatras Anônimos para pessoas que não querem descobrir com antecedência o que vai acontecer. ‘Precisamos uns dos outros mais que nunca’, diz uma mensagem no fórum RossandRachel.com, sobre ‘Friends’. Alguns colunistas também têm limitado os assuntos que revelam.

Kristen Baldwin, editora sênior da ‘Entertainment Weekly’, diz que ‘a forma de ver TV sob a qual tudo é uma surpresa completa, pura e inocente a cada semana está provavelmente morta’. Há informantes demais à solta e, mesmo que alguns mantenham o silêncio, sempre haverá quem fale. Tradução Paulo Migliacci’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem