Sábado, 07 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

ENTRE ASPAS >

Daniel Castro

11/05/2005 na edição 328

‘A MTV do Brasil trabalha em um projeto de um canal pago de humor. Com a marca provisória de Canal de Comédias, o produto é inspirado no Comedy Central, dos EUA, que exibe ‘South Park’, mas não uma franquia dele, de acordo com André Mantovani, presidente da MTV brasileira.


Segundo Mantovani, o canal terá conteúdo brasileiro e importado. ‘Será um canal que fará graça 24 horas por dia, com ‘stand up comedies’, por exemplo’, diz.


A MTV do Brasil pertence à Abril e à Viacom, dona da MTV dos EUA e do Comedy Central.


Antes do canal de comédia, a MTV brasileira quer colocar no ar um novo canal pago de música. Inicialmente, iria se chamar MTV 2, mas o canal deve ser batizado agora como VH1 Brasil. Será uma MTV mais musical e para o público com mais de 30 anos.


Mantovani, que tem a missão de criar novos canais para o Grupo Abril, reclama da Net Brasil, empresa das Organizações Globo que negocia conteúdo nacional para as operadoras Net e Sky: ‘Há uma reserva de mercado para a Globosat (programadora da Globo). Eles não deixam entrar canais dos outros na Sky e na Net’.


A Net Brasil diz que ainda não foi procurada pela MTV para tratar do novo canal e que tem interesse em negociar. Afirma ainda que ‘a distribuição depende das demandas de Net e Sky, que, por sua vez, ouvem o que seus consumidores querem’.


OUTRO CANAL


Sobrevida Dificilmente os fãs de ‘Chaves’ ficarão ser ver o seriado, que o SBT decidiu não exibir mais (embora ainda possa voltar atrás). Se não fechar com a Record, a Televisa, produtora do programa, tentará emplacá-lo na Band ou na Rede TV!. Já há sondagens.


Longevidade Produzida pela Globo há quase 30 anos, ‘Escrava Isaura’ continua rendendo receitas para a emissora. A produção, a segunda mais exportada pela Globo, foi negociada em abril, em feira de TV na França, para ser reexibida na Rússia, pelo canal TNT.


Nonsense 1 O VJ Cazé está gravando um novo programa para a MTV, ainda sem nome, que deve estrear em 5 de junho. Nos pilotos, Cazé fez reportagens sobre supositórios e sobre o coelhinho da Páscoa, que sugeriu que fosse trocado por uma capivara.


Nonsense 2 ‘Será um programa jornalístico com viés de humor, mas tem coisas completamente sem noção’, define André Mantovani, presidente da MTV do Brasil.


Pimenta O SBT festeja o fato de ‘Essas Mulheres’, da Record, não estar repetindo o sucesso de ‘A Escrava Isaura’. Anteontem, o ‘Programa do Ratinho’ deu o dobro de audiência enquanto ficou no ar simultaneamente com a novela (12 pontos a seis). Na média, ‘Essas Mulheres’ está com sete pontos, o que é razoável para uma emissora que está apenas na segunda produção na faixa das 19h.’



SBT vs. RECORD


Esther Hamburger


‘Disputa entre SBT e Record não gera qualidade ‘, copyright Folha de S. Paulo, 11/05/05


‘Abriga entre o SBT e a Record pelo segundo lugar nos índices de audiência está acirrada. A recente investida da Record em novas contratações e programas abalou um SBT já em crise. Infelizmente, a disputa entre as duas emissoras paulistas ainda não foi capaz de gerar novidades de boa qualidade, que realmente façam diferença.


Na defensiva, Silvio Santos, o poderoso dono do SBT, em larga medida emissora-vitrine do ‘Baú da Felicidade’, denunciou Tom Cavalcanti, contratado da Record, emissora, por sua vez, de propriedade da Igreja Universal do Reino de Deus, por plágio.


Em outras circunstâncias, Silvio Santos talvez tivesse aberto seu tradicional sorriso largo, para rir da imitação do colega irreverente. Talvez tivesse mesmo brincado no ar com o assunto, ou arranjado um jeito de debater a questão em rede e ao vivo, com a emissora rival -como fez durante a primeira edição de ‘Casa dos Artistas’, ocasião, aliás, em que o SBT esteve na posição de réu, acusado de apropriação indevida pela Globo, detentora dos direitos do programa ‘Big Brother’.


SBT e Record têm em comum o caráter de ‘emissora-meio’. À diferença das outras, que têm na atividade de comunicação o principal objetivo, SBT e Record existem, em primeiro lugar, como meio para divulgar instituições e/ou empresas que as sustentam.


Talvez o caráter de ‘emissora-meio’ ajude a entender o investimento aparentemente anacrônico de ambas em construção ou compra de imensos estúdios.


Cabe indagar se, em pleno terceiro milênio, era da flexibilização e das terceirizações, a produção descentralizada não constituiria uma alternativa viável.


No Brasil, casos recentes, como ‘A Turma do Gueto’ ou ‘Cidade dos Homens’, sugerem que é daí que programas diferenciados devem surgir. O público ganharia se, em vez de se preocupar com a própria vaidade, Silvio se ocupasse em oferecer qualidade. Esther Hamburger é antropóloga e professora da ECA-USP’



O APRENDIZ 2


Keila Jimenez


‘‘O Aprendiz II’ enfrenta crise ‘, copyright O Estado de S. Paulo, 11/05/05


‘Parece ironia do destino: a atração criada para descobrir um talento em gestão de empresas, e dirigida por um grande empresário, passa por uma crise administrativa. A segunda edição de O Aprendiz, que tem estréia prevista para 26 de junho na Record, está com problemas em sua produção.


A atração, que seria inicialmente produzida pela produtora TV7- que fez a primeira edição – passou para as mãos da Casablanca, aquela, de Metamorphoses, lembram-se?


Pois é, a alegação na época da mudança é que a TV7 estaria pedindo muito dinheiro para produzir O Aprendiz. Quando tudo parecia acertado, a Record voltou atrás e resolveu não provar do mesmo veneno de Metamorphoses. A emissora, em acordo com o apresentador Roberto Justus, decidiu não arriscar, e tentou voltar a bola novamente para TV7. A produção da atração foi interrompida. O problema é que J. Hawilla, dono da produtora, está irredutível na questão de valores, o que está pressionando a emissora a ela mesma assumir o comando da atração.


Como se não bastasse esse jogo de empurra-empurra, Justus, que desde o início anunciou que seria, além de apresentador, o diretor-executivo da segunda edição do programa, recuou do cargo na semana passada. Nos bastidores comenta-se que o empresário temia não dar conta do negócio, por ter muitos compromissos fora da TV.


Se a Record realmente ficar com a produção de O Aprendiz II, os diretores José Amâncio e Flávia da Matta assumem o leme do programa. Isso, se não mudar tudo novamente.’



SBT


Taíssa Stivanin


‘‘O Grande Perdedor’ tem graça? ‘, copyright O Estado de S. Paulo, 10/05/05


‘Silvio Santos sempre consegue tirar o SBT da berlinda quando a emissora dá sinais de retrocesso. Se isso é uma questão de estratégia ou pura sorte, ninguém sabe ao certo, mas no fim acaba funcionando.


Com o crescimento da audiência da Record, encostando cada vez mais na vice-liderança da casa, Silvio tirou do baú seu novo reality-show, O Grande Perdedor, apostando em um repeteco do sucesso de A Casa dos Artistas 1.Sem entrar no velho discurso de que a ‘emissora aproveita da simplicidade das pessoas para tirar sarro delas’, dessa vez a pegada trash foi de fato além da conta. Tudo bem que era divertidíssimo acompanhar Supla, André Gonçalves, Alexandre Frota e outras figuras interessantes do show biz falando suas bobagens na Casa. Ou também pode ser igualmente engraçado (para alguns deprimente) ver essa gente que sonha em ser famosa mostrando o corpinho e gastando boa partye da vida na esteira. O Grande Perdedor, entretanto, tenta dar um ar sério em algo que esconde um sadismo subliminar. A tentativa falsamente bem-intencionada de estimular os obesos a emagrecer e recuperar a auto-estima desemboca na exploração de um drama muito maior, de pessoas com dificuldade de amar, de viver em sociedade, de serem aceitas, que enfrentam problemas de saúde. Isso não é para ser dividido com o público. Se a real intenção é ajudar, proponho um reality-show diferente. Ajudar pessoas que já foram gordas e emagreceram a manter o peso num nível saudável. Mas aí, qual é a graça?’



Daniel Castro


‘SBT manda o gordo errado ao ‘paredão’’, copyright Folha de S. Paulo, 10/05/05


‘Não bastasse ter mudado as regras do ‘reality show’ ‘O Grande Perdedor’ já na primeira semana, Silvio Santos foi injusto no programa de domingo: mandou a gorda errada para o ‘paredão’.


O SBT havia anunciado que, como no original norte-americano, ‘O Grande Perdedor’ teria uma eliminação por semana. O eliminado seria escolhido pela equipe que perdesse menos peso. Por esse critério, anteontem teria sido a despedida de Carolina, da equipe Vermelha, que perdeu 19,1 kg, contra 27,9 kg do time Azul.


Silvio Santos, para dar ‘maior emoção’, resolveu inovar: escolheu um participante da equipe Azul para concorrer num ‘paredão’ com Carolina. Até sexta, o público escolherá qual das duas será eliminada. Não há participação popular no original da NBC.


O problema é que o SBT escolheu a pessoa que perdeu menos quilos, e não a que emagreceu menos (a que teve, proporcionalmente, a menor redução de peso, em percentual). Isso é injusto porque, dizem médicos, quanto mais gordo, mais fácil perder quilos.


A escolhida para o ‘paredão’ foi Cristina, que perdeu 2,5 kg (pesava 97,7 kg). O correto seria Márcio, que teve uma redução de peso de 1,87% (de 154,5 kg para 151,6 kg). A redução de Cristina foi de 2,55%. A audiência ainda está ‘gorda’, mas caiu para 18 pontos (contra 23 no domingo anterior). O SBT não se pronunciou até a conclusão desta edição.


OUTRO CANAL


Global O ator Leopoldo Pacheco já é dado como certo no elenco de ‘Belíssima’, próxima novela das oito da Globo, escrita por Silvio de Abreu. Ele fará um personagem bom caráter, ao contrário do Leôncio de ‘A Escrava Isaura’, da Record _emissora que lhe ofereceu um contrato de três anos.


Órfãos A Record decidiu não comprar os direitos de ‘Chaves’ da Televisa, que ainda não renovou contrato com o SBT, que deve exibir o seriado somente até este sábado. Para executivos da Record, ‘Chaves’ derruba o padrão de qualidade da emissora.


Exemplo A Televisa, a propósito, resolveu treinar seus profissionais para tentar eliminar estereótipos de homossexuais. O compromisso foi assumido com entidade gay norte-americana. No Brasil, os gays reclamam de humorísticos, como o ‘Zorra Total’ (Globo).


Passaporte João Kléber está estudando italiano, em um esforço para apresentar uma versão do ‘Teste de Fidelidade’ na Itália. Sucesso em Portugal, ele negocia também apresentar um ‘talk show’ na portuguesa TVI. E Marcia Goldschmidt (Band) deve tomar o mesmo rumo: negocia um programa em Portugal.


Pingos O publicitário Roberto Justus não irá mais comandar a produção da segunda edição de ‘O Aprendiz’, mas continuará sendo o apresentador do programa.’


Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem