Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

ENTRE ASPAS > SENHORA DO DESTINO

Daniel Castro

11/01/2005 na edição 311

‘Para polemizar as lésbicas de ‘Senhora do Destino’, aprovadas por telespectadores, o autor da novela, Aguinaldo Silva, irá escalar um casal heterossexual para questionar na Justiça a adoção de um bebê pela médica Eleonora (Mylla Christie), parceira de Jenifer (Bárbara Borges).

Eleonora achou o bebê no lixo e, nas próximas semanas, conseguirá adotá-lo. Segundo Silva, um casal hétero irá acusá-la ‘de furar a fila do Juizado e de não ter ‘uma vida estável e honrada’.

O assunto, na vida real, é conflituoso. Segundo Amílcar Aquino Navarro, advogado especializado em direito de família e membro de comissão da OAB-SP, homossexuais não podem adotar bebês como casais, apenas individualmente, como solteiros. ‘O juiz analisa quem dará o melhor bem-estar à criança, com quem ela será mais bem educada’, afirma.

Para Navarro, uma adoção como a da novela é ‘questionável’. ‘O primeiro problema é a pessoa ser solteira, não ter uma família.’

Outra polêmica envolverá Lady Daiane (Jéssica Sodré) e Bruno (Thadeu Matos), ambos de 15 anos. A garota engravidará novamente. O pai do rapaz, Reginaldo (Du Moscovis), tentará impedir que o filho assuma a paternidade. ‘E assim a novela levanta mais um problema legal: os dois são menores, nenhum é responsável’, diz Silva. Segundo Navarro, mesmo nessas condições, menores podem assumir paternidade.

OUTRO CANAL

Bacaninha

Personagem que nasceu na internet, passou pela MTV e está no rádio (na 89 FM), o nordestino Porteiro Zé, sucesso entre adolescentes, virou global. A partir de segunda, terá uma tira de animação diária, de 40 segundos, no ‘SP TV 1ª Edição’. No telejornal, viverá situações mostradas em reportagens ou rotineiras.

Rotina 1

Silvio Santos começou o ano surpreendendo. Decidiu colocar reprises do ‘Programa do Ratinho’ às 16h30, para testar a audiência. Sem chamadas, Ratinho deu apenas seis pontos anteontem _na segunda anterior, o SBT cravou oito no horário.

Rotina 2

O programa será ‘testado’ à tarde durante todo este mês _em fevereiro, volta como um ‘game’. O SBT terá problemas com o Ministério da Justiça _o programa é classificado como impróprio para menores de 14 anos, inadequado antes das 21h.

Ménage à trois

O ator Felipe Camargo entrará em ‘Senhora do Destino’. Será o advogado Edmundo Cantareira. Defenderá Nazaré (Renata Sorrah) e se envolverá com a vilã quando ela já estiver noiva de Josivaldo (José de Abreu).

Xou

Sem Xuxa, que está de férias forçadas, a programação infantil da Globo está se dando melhor. ‘Sítio do Picapau Amarelo’ e ‘TV Globinho’ não perderam para o SBT no Ibope anteontem.’



MISTÉRIO DE SÍLVIO
Taíssa Stivanin

‘Silvio Santos faz mistério sobre atração no site do SBT’, copyright O Estado de S. Paulo, 10/01/05

‘Na emissora, ninguém sabe ainda do que se trata: se é um programa especial na linha Troféu Imprensa ou uma atração fixa. A única certeza é que a idéia foi de Silvio Santos, o que torna o mistério sempre maior. O nome do projeto é O Maior Brasileiro de Todos os Tempos. Trata-se de uma votação colocada no site do SBT para escolher figuras de destaque na música, política, ciência, artes e por aí vai. São dez categorias e até agora 40 indicados, apontados espontaneamente pelos internautas, que concorrem a um carro. No caldeirão, tem desde o ator Alexandre Frota até o maestro Caçulinha.’



TV NO CELULAR
Esther Hamburger

‘Indefinições marcam celular com TV no Brasil’, copyright Folha de S. Paulo, 5/01/05

‘Ainda não consegui assistir à televisão no meu celular. O aparelho permite, e o software já vem instalado. A opção ‘TV’, no menu principal, conduz a uma lista que inclui emissoras de TV aberta e a cabo, disponíveis na NET e na TVA.

Parlamentares devem ser usuários em potencial dessa TV pessoal e portátil, pois a TV Câmara e a TV Senado aparecem com destaque no menu principal do aparelho. Telefonei para a operadora em busca de instruções que ajudassem a minha TV portátil e sem fio a funcionar. Fui informada de que o serviço ainda é intermitente e só pega em alguns lugares.

O celular tem potencial para se tornar o aparelho que realiza a propalada convergência dos meios. Minicomputador portátil, interativo, falante, essa ‘coisinha chata’ condensa muitos dos desafios colocados para economistas, criadores de conteúdo e legisladores no novo milênio.

A TV aberta no Brasil é gratuita. A TV a cabo é paga e seletiva. A TV no celular -aberta ou a cabo- será duplamente paga. Pagaremos a conexão GPRS, que permite a recepção do sinal. Pagaremos uma taxa -ainda não se sabe de quanto- pelos conteúdos oferecidos. Além dos impostos que incidem sobre a conta telefônica.

Mas para onde irão esses recursos? Como ocorreu com a TV a cabo, a transmissão de sinais televisivos via telefonia celular vai acontecer antes que o serviço esteja regulamentado.

Não há regras definindo quem está e quem não está habilitado a transmitir que conteúdos ou quanto e como pode cobrar pelo serviço. Cabe ao governo federal definir a regulamentação para um setor que se modifica rapidamente, associando cultura e comunicação de maneira umbilical.

Mas concretamente quem no governo federal? Na França, os ministérios da Cultura e das Comunicações foram fundidos em um só. Será a disputa em torno dessa regulamentação uma das razões do bombardeio à Ancinav? Esther Hamburger é antropóloga e professora da ECA-USP’



TV GLOBO
Keila Jimenez

‘Globo reforça ‘Malhação’ em seus dez anos’, copyright O Estado de S. Paulo, 8/01/05

‘Conhecida como uma espécie de ‘escolinha’ para novas apostas da Globo, a novelinha Malhação vai ganhar este ano um reforço diferente. A trama, que completa dez anos no ar em abril, terá sua habitual troca de elenco a partir do dia 17 e contará agora com atores como Paulo Betti, Rosamaria Murtinho, John Herbert e Cristiana Oliveira em sua nova fase.

Entre as novas apostas da emissora está o trio Thiago Rodrigues (Bernardo), Joana Balaguer (Jacky) – uma espécie de sósia de Daniella Cicarelli – e Fernanda Vasconcelos (Betina). Bernardo será filho de Miguel, personagem vivido por Paulo Betti, que retorna à Globo após protagonizar a enrolada Metamorphoses, da Record.

Bernardo, Betina e Jacky formarão o novo triângulo amoroso da trama, que será separado por uma das causas sociais que Malhação vai retratar este ano: gravidez na adolescência. Além dessa questão, outras duas temáticas sociais também serão debatidas na novela: o tratamento dado às pessoas da terceira idade e o uso indiscriminado de anabolizantes.

O triângulo amoroso da temporada passada, Gustavo (Guilherme Berenger), Letícia (Juliana Didone) e Natasha (Marjorie Estiano), continua na trama, assim como as personagens Myuki (Daniele Suzuki), Cabeção (Sérgio Hondjakoff) e Lúcia (Tássia Camargo). A Vagabanda, sucesso da trama em 2004, acaba.

Entre os que deixam o folhetim a partir do dia 17 estão André Di Biasi e Dalton Vigh.

UMA DÉCADA

As mudanças chegam também para marcar as comemorações de 10 anos do programa. No ar desde abril de 1995, a trama juvenil já esteve ameaçada de extinção, mas reforçou sua audiência e bateu recordes no ano passado, alcançando média de 40 pontos de ibope no horário. Apesar de ser voltada para o público infanto-juvenil, pesquisas da Globo mostram que Malhação também agrada ao público adulto. Os dados apontam que 35% da audiência da novela é composta por pessoas com idades entre 25 e 49 anos e 20%, por pessoas com mais de 50 anos.’



Paulo Baraldi

‘Tropeiro e peões chegam ao horário nobre da Globo’, copyright O Estado de S. Paulo, 6/01/05

‘A vida do empresário rural Paulo Emílio de Azevedo, de 35 anos, de São José do Rio Preto (a 443 km de São Paulo), era tranqüila: ir à fazenda cuidar da boiada, composta por 200 animais, e administrar a Companhia de Rodeio que leva seu nome; viajar para acompanhar as montarias e ‘sua estrela’, o touro Bandido. Em casa, para ‘se desligar do cotidiano’, assistia às novelas. Mas no destino estava mais do que a vida pacata de tropeiro do interior paulista. E, entre os dias 14 e 22 de dezembro, Emílio saltou do sofá para os cenários da Globo, montados em Barretos (a 453 km da capital). O personagem dele não lhe trouxe dificuldades: interpreta o próprio Paulo Emílio, dono da melhor boiada do País, grafado em 11 Troféus Arena de Ouro, colocados em destaque na estante do escritório. Ele faz parte do elenco da novela América, que substituirá Senhora do Destino em março.

Na trama, escrita por Glória Perez e dirigida por Jayme Monjardim e Marcos Schechtman, outros peões do interior vão ter seu espaço, no papel deles mesmos. Um dos maiores peões do País e atualmente juiz de rodeio, Sebastião Procópio Ribeiro, o Tião Procópio, de Paulo de Faria, será o juiz do 14.º capítulo. Ele é um dos inspiradores do protagonista Tião, interpretado por Murilo Benício.

Já Emílio esteve ao lado de Lúcia Veríssimo, que será a locutora de rodeios Gil, e Humberto Martins, o empresário e tropeiro Laerte. Também gravaram em Barretos o berranteiro Zé Capeta e Pedro Andarilho, conhecido como Pedro da Santa, que carrega a imagem de Nossa Senhora de Aparecida para ser tocada pelos peões antes de começar o rodeio.

‘A Lúcia me pede para narrar uma competição (de rodeio), mas, por ser uma mulher, eu a ignoro e não acredito que consiga. É um pouco de machismo, colocado pela Glória por sempre ser homens envolvidos em rodeios’, conta Emílio, sobre sua primeira cena. Ao todo, foram cinco, mas ele avisa que em janeiro viaja para o Rio – onde é montada uma cidade cenográfica – para mais cenas.

Para a gravação em Barretos, onde é realizada uma das maiores festas do peão do Brasil, o empresário diz que disponibilizou 80 touros da sua boiada. Cerca de 700 figurantes também invadiram o Parque do Peão para as tomadas, feitas na arena e numa cidade cenográfica de 3 mil metros quadrados.

Mas esta não é a primeira vez que Emílio aparece em uma novela. ‘Participei de Ana Raia e Zé Trovão (da extinta Manchete), em 1990.’ Na época, nem fala foi dada a ele, que aproveitou para criar laços de amizade com Monjardim, diretor da trama. Perfeccionista, o tropeiro não gosta de ser chamado de caipira e avisa que isso não vai ser conferido na novela. ‘Caipira é igual a jeca tatu (estereótipo criado por Mazzaropi para quem vivia no interior). Hoje é diferente. Os peões usam calça jeans de marca, chapéu, camisa xadrez ou listrada da moda, botina e tem cultura’, diz.

Também é do interior um dos principais personagens de América: o temido touro Bandido. Com 1,75 de altura – medido do cupim -, um pouco mais de dois metros de comprimento, 1,1 mil quilos e 8 anos e seis meses, já derrubou pelo menos 130 peões. As apostas para quem conseguir ficar oito segundos sobre seu lombo chegam a R$ 50 mil.

Nascido em Goiás, o touro vive em uma fazenda próximo de Rio Preto. Diariamente come cerca de 50 quilos de ração e cilo, nada uma vez por semana para fortalecer a musculatura e, segundo o proprietário, Emílio, quando quer, trota em pistas que exigem mais esforço.

Além do mundo country, América abordará a imigração clandestina, o homem e seus sonhos, a deficiência visual e a vida após a morte. ‘Os rodeios merecem esse espaço. Vai mostrar um lado nosso real e vai ser sucesso só por ser escrita por Glória (a quem conhece há três anos). O Brasil é um país rural’, diz Emílio.

Em novembro, o tropeiro abrigou em sua fazenda os atores Murilo Rosa (peão Dinho), Mateus Natchergaele (peão Carreirinha), Anderson Muller (locutor Ariovaldo) e José Dumont (salva-vida Bóia). Todos ficaram uma semana acompanhando a rotina dos peões. Laboratório para seus personagens.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem