Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 28 E 29/2

Folha de S. Paulo

01/07/2008 na edição 492

PROPAGANDA
Lilian Christofoletti

Decisão do TSE sobre entrevistas esvazia punição à imprensa

‘A alteração feita pelo Tribunal Superior Eleitoral na polêmica resolução sobre propaganda eleitoral -que serviu de base para que promotores de Justiça movessem ações contra jornais e revistas que publicaram entrevistas com pré-candidatos à sucessão municipal- praticamente anula as condenações de primeira instância.

‘A alteração feita pelo tribunal deixou a resolução mais clara, diz que entrevistas com exposição de plataforma política está permitida e que o dever de dar tratamento isonômico aos candidatos cabe às rádios e TVs, que são concessões públicas’, disse ontem o promotor eleitoral Eduardo Rheingantz, um dos que assinaram as representações contra a imprensa.

Nas representações, a Promotoria acusou a Folha, o ‘Estado de S. Paulo’ e duas vezes a revista ‘Veja São Paulo’ de publicar entrevistas em que os pré-candidatos antecipam suas propostas de campanha. Sustentou ainda que, ao focar em apenas um postulante, os demais ficaram em desvantagem.

Três representações foram acolhidas pela Justiça eleitoral: uma contra a Folha e duas contra a ‘Veja São Paulo’, multadas em R$ 21.282 por entrevista. Os pré-candidatos Marta Suplicy (PT) e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) também receberam multa.

Pelo novo texto da resolução, que serve de guia para a Justiça eleitoral de todo o país, os pré-candidatos podem conceder entrevistas e falar projetos políticos antes mesmo do dia 6. Decidiu-se ainda que o tratamento isonômico entre os postulantes deve ser respeitado apenas para rádio e TV, que são concessões públicas.

As condenações serão analisadas pelo Tribunal Regional Eleitoral. A tendência, segundo advogados e juízes ouvidos pela reportagem, é que as sentenças sejam reformadas e os casos julgados improcedentes.

‘Não é caso de simples anulação [das sentenças], mas a decisão do TSE, com certeza, terá uma força de persuasão muito forte sobre o TRE’, afirmou ontem o advogado Fernando Neisser, que defende a ex-prefeita Marta Suplicy.

Para os advogados da Folha e do ‘Estado’, Luís Francisco Carvalho Filho e Manuel Alceu Affonso Ferreira, a alteração nem seria necessária pois, segundo eles, já era claro que as restrições não se aplicavam à imprensa escrita.

Desagravo

Para os colegas do juiz e dos promotores que assinaram as representações contra a imprensa, a alteração do TSE confirma que eles estavam certos. Caso contrário, dizem, o dispositivo não seria revogado.

Na segunda-feira, a Apamagis (Associação Paulista dos Magistrados) e a APMP (Associação Paulista do Ministério Público) farão ato de desagravo aos colegas. A crítica que mais irritou a classe partiu do ex-ministro da Justiça Saulo Ramos, que atribuiu o entendimento deles à falta de estudo.’

 

 

SOFTWARE
Steve Lohr, do New York Times

Microsoft busca caminho sem Gates

‘Bill Gates está se aposentando, mais ou menos. Ele tem somente 52 anos e vai passar mais tempo conduzindo a instituição filantrópica mais rica do mundo, a fundação Bill e Melinda Gates. Ele ainda será o presidente e maior acionista da Microsoft, mas ontem foi seu último dia como trabalhador em tempo integral na gigante do software, marcando o fim oficioso de sua carreira como líder empresarial.

E que carreira! Gates foi uma força propulsora por trás da revolução dos computadores pessoais, ajudando a construir uma enorme indústria global e a criar produtos de grande sucesso, como o Windows e o Office, usados em escritórios e residências em todo o mundo.

O desistente de Harvard foi a pessoa mais rica do planeta durante anos -valendo mais de US$ 100 bilhões em 1999-, mas sua fortuna hoje é cerca da metade desse valor, devido à queda das ações da Microsoft e suas constantes doações para sua fundação, que se concentra em saúde e educação globais.

Apesar de seu sucesso, Gates está avançando enquanto a empresa que ele ajudou a fundar em 1975 luta para encontrar seu caminho. O centro de gravidade na tecnologia mudou dos PCs para a internet, alterando antigas regras de concorrência que eram tão lucrativamente dominadas pela Microsoft.

Para milhões de usuários, equipamentos móveis como os telefones celulares estão começando a superar os PCs como ferramentas preferidas para muitas tarefas de computação. E o Google, primeiro colocado na atual onda de computação pela internet, retirou da Microsoft o manto de líder em alta tecnologia.

Gates ainda vai passar um dia por semana na empresa, mas caberá a seus sucessores, liderados pelo presidente-executivo, Steven A. Ballmer, dominar os desafios da internet ou assistir ao constante desgaste da riqueza e da estatura da Microsoft no setor. ‘O legado de Gates são o Windows e o Office, e essa será uma rica franquia durante vários anos ainda, mas não é o futuro’, disse David B. Yoffie, professor da Escola de Administração de Harvard.

Ainda assim, o legado de Gates é impressionante. Além do software em si, ele e sua empresa fundamentalmente moldaram o modo como as pessoas pensam em concorrência em muitos setores em que a tecnologia ocupa um papel central. Hoje, há mais de 1 bilhão de cópias do sistema operacional Windows em PCs no mundo.

Especialistas da indústria e economistas dizem que o Windows não é necessariamente o melhor ou o mais admirado software para rodar operações básicas em um computador pessoal -o Macintosh, da Apple, pode reivindicar o fã-clube mais devoto. Mas Gates captou e utilizou dois conceitos relacionados em uma escala até então inédita: o poder dos efeitos em rede e o valor de estabelecer uma plataforma tecnológica.

Colocado de maneira simples, o efeito em rede descreve um fenômeno em que o valor de um produto aumenta conforme cresce o número de seus usuários. As mensagens eletrônicas e os telefones são exemplos clássicos. Uma plataforma tecnológica é um conjunto de ferramentas ou serviços que outros podem utilizar para construir seus próprios produtos ou serviços.

Quanto mais pessoas usarem as ferramentas, mais popular será a plataforma. Gates aproveitou as duas idéias e as combinou para construir o predomínio da Microsoft em PCs, disseminando sua influência entre fabricantes de computadores e desenvolvedores de software.

Hoje, há muitos milhares de aplicativos de software que rodam na plataforma Windows, não apenas processadores de texto e planilhas, mas também programas especializados em consultórios médicos, indústrias e grandes lojas. ‘Gates viu o software como um mercado separado do hardware antes de qualquer outra pessoa, mas sua grande visão foi reconhecer o poder dos efeitos em rede que cercam o software’, disse Michael A. Cusumano, professor na Escola de Administração Sloan do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Assumir riscos

Nos primeiros anos, não estava claro o quanto Gates aproveitava cada oportunidade que aparecia, em oposição a desenvolver uma grande estratégia. Ele certamente tinha grandes ambições. Quando estudava em Harvard, Gates lamentou que muitos colegas seguissem ‘uma trilha estreita para o sucesso’ em vez de ‘assumir grandes riscos para fazer grandes coisas’, lembrou Michael Katz, um contemporâneo em Harvard que hoje é professor na Universidade de Nova York.

Em um estudo de caso da Escola de Administração de Harvard, publicado em 1994, Gates falou sobre a estratégia da Microsoft em termos de efeitos em rede e padrões tecnológicos que, combinados, permitiam que a empresa comandasse os mercados. ‘Procuramos negócios onde podemos conseguir grandes participações de mercado, não apenas 30 ou 35%.’

No passado, a Microsoft superou desafios e venceu adversários mesmo quando chegou tarde aos mercados, como na primeira onda de tecnologia da internet. A hábil decisão de Gates em 1995, de abraçar a tecnologia de navegação da internet e atacar o líder anterior, a Netscape Communications, iniciou uma acirrada batalha antitruste com o governo americano. Mas a Microsoft está muito atrasada na atual rodada da competição na internet, e segundo analistas desta vez enfrenta desafiantes mais formidáveis, notadamente o Google.

A participação da Microsoft em buscas na internet nos EUA é inferior a 10%, enquanto o Google detém mais de 60% e o Yahoo!, cerca de 20%.

Na Microsoft não há grandes sinais de pânico, apesar de sua posição atrasada e de sua oferta fracassada para comprar o Yahoo por US$ 47,5 bilhões como estratégia de compensação. A Microsoft vê uma evolução na computação, e não uma revolução que ponha em risco a empresa, disse Craig Mundie, principal oficial de pesquisa e estratégia da Microsoft.

Segundo Mundie, a empresa se prepara para um mundo mais amplo de computação em nuvem e máquinas ‘clientes’, não apenas computadores pessoais mas também telefones celulares, carros, consoles de games e televisores, tudo com software Microsoft. ‘A próxima grande plataforma é a união dos clientes com a nuvem.’

Tradução de LUIZ ROBERTO MENDES GONÇALVES’

 

 

REDE
Felipe Maia

Internet supera 40 milhões de usuários no país

‘O Brasil ultrapassou pela primeira vez a marca de 40 milhões de pessoas com acesso à internet em qualquer ambiente, como casa, trabalho, escola, telecentros e bibliotecas. O dado, divulgado ontem pelo Ibope/NetRatings, refere-se ao primeiro trimestre deste ano.

Segundo a pesquisa, de janeiro a março de 2008, 41,565 milhões de pessoas com 16 anos ou mais declararam ter acesso à internet, uma alta de 25,3% em relação ao mesmo período de 2007. Trata-se do maior nível atingido no país desde setembro de 2000, primeiro ano da pesquisa.

O número de internautas equivale a 22,5% da população -o Brasil tem cerca de 184 milhões de habitantes. Em nenhum dos outros nove países analisados pela NetRatings esse índice é menor que 65%. Mas são todas economias desenvolvidas: Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Suíça.

‘[Os dados] refletem as políticas públicas de abertura de pontos de acesso à internet em escolas, bibliotecas, telecentros e muitos outros locais, além da avalanche de facilidades para adquirir computadores novos’, afirma Alexandre Magalhães, gerente de análise do Ibope.

A maior parte das pessoas pesquisadas pela empresa afirma ter acesso à internet em casa (47,4%), seguido pelos locais públicos (41,2%) e no trabalho (22,5%).

Em maio, o número de usuários residenciais ativos -que acessam a rede ao menos uma vez por mês- também foi recorde: chegou a 23,1 milhões de pessoas, uma alta de 29% em relação ao mesmo mês de 2007.’

 

 

FOLHA
Folha de S. Paulo

Viúva de Octavio Frias de Oliveira morre aos 83 anos em São Paulo

‘Dagmar Frias de Oliveira, viúva de Octavio Frias de Oliveira, morreu ontem em São Paulo aos 83 anos. Foi casada por mais de meio século com o empresário e publisher que liderou a Folha desde 1962 até sua morte, em abril de 2007.

As condições de saúde de d. Dagmar vinham se deteriorando desde então. Era comum ouvi-la dizer que sua vida perdera sentido. Não resistiu às complicações decorrentes de um quadro de insuficiência cardíaca e renal. Faleceu ontem às 13h50, na casa da filha Maria Cristina.

Dagmar era filha de um comerciante de Campinas, Luiz de Arruda Camargo, e de d. Maria Naddeo, nascida na Itália. Passou a infância e a adolescência na Vila Mariana, tradicional bairro paulistano.

Estudou no colégio Madre Cabrini e foi professora de ensino fundamental na juventude. Casou-se com o engenheiro João Domingos de Toledo Piza, de quem se desquitou em 1955.

Amigos e familiares destacam em d. Dag, como era chamada entre os mais próximos, a mulher inteligente, de personalidade forte e dotada de agudo senso de humor. Lia com atenção jornais e revistas. Ajudava Octavio Frias de Oliveira fazendo comentários, todas as manhãs, sobre as notícias.

Sua vida, porém, sempre esteve voltada aos cuidados com a família. Além dos filhos Otavio, Maria Helena, Luís e Maria Cristina, Dagmar Frias de Oliveira deixa nove netos e três bisnetos. Era católica.

O sepultamento acontece hoje, às 11h, no Cemitério Gethsêmani, na zona sul de São Paulo. O velório ocorre no mesmo local às 10h.’

 

 

SARGENTO GAY
Folha de S. Paulo

‘Entrevista foi ato de desespero’, diz à justiça

‘Em interrogatório à Justiça Militar no processo que responde por deserção, o sargento Laci de Araújo disse ontem que as entrevistas que deu afirmando ser gay foram um ‘ato de desespero’ pelas ameaças contra ele e o companheiro. O pedido de relaxamento de prisão foi negado.’

 

 

COMERCIAL
Angela Pinho

Anvisa suspende anúncio do iogurte Activia

‘A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou ontem a suspensão em todo o país da propaganda do iogurte Activia, fabricado pela Danone.

A agência afirmou que ‘as peças publicitárias induzem o consumidor à idéia de que a ingestão do produto é solução definitiva para problemas de constipação intestinal [funcionamento irregular do intestino]’, quando ele ‘apenas contribui no equilíbrio da flora intestinal e seu consumo deve estar associado a uma alimentação saudável e à prática de exercícios físicos’.

Desse modo, segundo entendimento da Anvisa, o consumidor poderia ser levado a retardar a procura por um médico e por um diagnóstico de doenças graves que causam os problemas intestinais.

A agência disse que estão liberadas propagandas do iogurte que não apresentem os mesmos problemas, já que não há qualquer irregularidade com o produto.

O comercial do Activia diz que ‘seu consumo deve estar associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis’ e convida o telespectador a um ‘desafio’: ‘Regule seu intestino. Tenha sim uma vida mais saudável. Faça o desafio: tome Activia todos os dias. Se não funcionar, a Danone devolve o seu dinheiro’.

A Anvisa apontou ainda outra irregularidade na publicidade -ela não menciona se o produto contém ou não glúten. A exigência é feita porque há pessoas que possuem alergia à proteína.

A Danone informou, por meio de nota, que ‘não foi diretamente notificada e aguarda, portanto, os fundamentos que justificam tal iniciativa [a suspensão da propaganda]’.

O texto afirma ainda que ‘a empresa reitera que Activia ajuda a regular o trânsito intestinal’.

A decisão da Anvisa de suspender a propaganda do iogurte foi publicada ontem no ‘Diário Oficial’ da União e, segundo a agência, já está em vigor.

Os veículos de comunicação que continuarem a reproduzir a propaganda estão sujeitos à serem multados entre R$ 2.000 e R$ 1,5 milhão.

Pesquisa da UnB divulgada anteontem mostra que o Activia é o sexto alimento mais anunciado na Rede Globo. O trabalho analisou as peças publicitárias veiculadas entre agosto de 2006 e agosto de 2007.’

 

 

FLIP
Marcos Strecker

O grande leitor

‘Em uma Festa Literária Internacional de Parati (Flip) ‘mais intelectualizada’, como definem os próprios organizadores desta sexta edição do evento (de 2/7 a 6/7), um símbolo da academia vai abrir a festa. O crítico literário Roberto Schwarz, um dos mais influentes pensadores da cultura brasileira, será o orador de abertura, na próxima quarta, às 19h. A sua conferência vai abordar Machado de Assis, autor homenageado de 2008.

Sobre sua palestra, Schwarz adianta pouco. ‘Não vai ser igual ao que já escrevi, mas não vai ser muito diferente, e não vai ser um ensaio para publicação. Digamos que é um desenvolvimento’, diz o autor de ‘Ao Vencedor as Batatas’ (77) e ‘Um Mestre na Periferia do Capitalismo’ (90), que mudaram os rumos dos estudos machadianos.

Na entrevista a seguir, Schwarz aborda Machado, cultura e política. Disserta sobre os rumos da crítica machadiana no Brasil e no exterior e afirma que é ‘uma curiosidade um pouco boba e malsã’ saber se Capitu traiu ou não Bentinho.

O crítico comenta o relançamento após 30 anos de ‘O Pai de Família’ (Companhia das Letras), coletânea de ensaios que viraram um marco nos anos de chumbo no regime militar (‘o tema da modernização conservadora está presente em todos. Uma parte das matérias se tornou histórica, outra parte continua atual’). Sobre o cenário cultural, Roberto Schwarz diz que ‘nem a urbanidade de Fernando Henrique nem a determinação com que Lula levou adiante o Bolsa Família convenceram a imaginação dos artistas’.

O crítico enxerga pontos de contato entre ‘Cidade de Deus’ (‘especialmente o livro’) e ‘Tropa de Elite’, de José Padilha. Sobre o filme de Padilha, diz que, ‘estimulado pela farda e pela empatia com os atores, o espectador pode se identificar à violência desvairada e aprovar inclusive a tortura. Ao que parece é o que aconteceu com boa parte do público’. Para o crítico, em ‘Tropa de Elite’, ‘os fanáticos da justiça vão mais longe que os piores malfeitores.

São exemplos da desigualdade degradada’.

FOLHA – O sr. pode adiantar resumidamente qual será a tese de sua conferência sobre Machado de Assis na Flip?

ROBERTO SCHWARZ – Vou falar de ‘Dom Casmurro’. Como todo mundo sabe, esse romance é um quebra-cabeça refinadíssimo, inventado para não ter solução num certo plano, o que noutro plano é uma solução muito instrutiva. Capitu teria traído Bentinho, conforme ele mesmo sugere? A traição não será fantasia dele, que é um marido suspeitoso, desequilibrado pelo ciúme? Em quem acreditar? De quem duvidar? O adultério serve de isca. Atrás da curiosidade um pouco boba e malsã de saber se fulana foi ou não foi com beltrano, vão surgindo as questões da sociedade brasileira, que dão originalidade e altura artística ao conflito central.’

 

 

TELEVISÃO
Folha de S. Paulo

GNT exibe produção sobre festa gay do Pará

‘O canal GNT exibe amanhã, à 0h30, ‘As Filhas de Chiquita’ (classificação indicativa não informada). O documentário registra a festa homônima, um tradicional encontro gay de Belém, que acontece no mesmo circuito da procissão do Círio de Nazaré.

Em 2004, o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN) incluiu a festa no processo de tombamento do Círio.

Dirigido por Priscilla Brasil, ‘As Filhas…’ foi eleito o melhor filme nacional pelo público da 14º edição do Mix Brasil (2006), além de ter ganhado menção honrosa do júri internacional do festival.’

 

 

***

Engenheiro conquista ‘O Aprendiz 5’

‘O engenheiro Clodoaldo Araújo venceu anteontem a quinta edição do programa de Roberto Justus, ‘O Aprendiz’ (Record). O participante vai receber R$ 1 milhão em dinheiro e R$ 1 milhão em cotas da Brainers, incubadora de negócios de Justus. Segundo o empresário, Araújo tem perfil complementar ao seu. O programa foi, pela primeira vez, líder de audiência na média geral do horário, com 17 pontos.’

 

 

***

Emmy anuncia finalistas de drama e comédia

‘Os organizadores do Emmy, o mais importante prêmio da televisão dos EUA, divulgaram a lista dos dez finalistas ao título de melhor drama e melhor comédia do país. ‘Lost’, que já ganhou o prêmio antes, está indicada como drama, ao lado de ‘Boston Legal’, ‘House’, ‘Grey’s Anatomy’ e outras séries. Como comédia, ‘30 Rock’ e ‘The Office’, vencedores em anos anteriores, concorrem com ‘Two and a Half Men’ e ‘Ugly Betty’, por exemplo. A entrega do Emmy será em setembro.’

 

 

BRINCADEIRA
Laura Mattos

Famosos fazem ‘dublagem pornô’ de filmes de época

‘Todos os palavrões e mais alguns estão nas vozes de um célebre elenco, que reúne nomes como Wagner Moura, Lázaro Ramos, Bruno Garcia, Lúcio Mauro Filho, Jair de Oliveira, Iggor Cavalera, Caetano Veloso e Sidney Magal.

Essa turma e outros famosos (veja ao lado) toparam uma brincadeira maluca: dublar uma versão cômica-pornô dos filmes de época oscarizados ‘Shakespeare Apaixonado’ e ‘Elizabeth’ (1998) -na internet, redublagens são comuns, mas não com celebridades.

Os dois longas têm como ator principal Joseph Fiennes, que na versão vira Miguel, um cara que quer ‘traçar’ -para usar uma palavra mais publicável do que a original- todo mundo, mulheres e principalmente homens. Sua voz é a de Zéu Britto, ator e músico baiano, da turma de Moura e Lázaro. A primeira ‘obra’ foi ‘O Destino de Miguel’, versão de ‘Shakespeare Apaixonado’. Caiu na internet em 2005 e teve mais de um milhão de acessos. A continuação, ‘O Retorno de Miguel’, redublagem de ‘Elizabeth’, chegou à internet nesta semana.

A brincadeira foi idéia de André de Moraes, 31, ator e músico, que participou da elaboração de trilhas sonoras de filmes como ‘Lisbela e o Prisioneiro’ e ‘Meu Tio Matou um Cara’. Ele trabalhava na trilha e na criação de ‘Sexo Frágil’ (2003), de João Falcão, um dos primeiros trabalhos televisivos da turma de Moura, Lázaro e Bruno Garcia. Lúcio Mauro Filho e Zéu Britto também eram da série, em que todos interpretavam homens e mulheres.

‘Mostrei a idéia e os caras piraram. Todo mundo queria fazer. Era uma coisa de amigos, que a gente via quando ia na casa um do outro. Mas aí colocaram na internet e foi uma loucura. Fiz ‘O Retorno’ e pus nesta semana no [site] MySpace.’

Além de atores, teve adesão de músicos com quem já fez trilhas, como Caetano, Cavalera e Magal. Como ator, Moraes está no elenco de ‘Os Desafinados’, com Rodrigo Santoro e Selton Mello, que estréia em agosto.’

 

 

CINEMA
Folha de S. Paulo

Wim Wenders presidirá júri de Veneza

‘O diretor alemão será o presidente do júri do 65º Festival de Veneza, que acontecerá entre 27 de agosto e 6 de setembro. A primeira participação de Wim Wenders no festival foi em 1972, com o longa ‘O Medo do Goleiro diante do Pênalti’. Dez anos mais tarde, ganhou o Leão de Ouro com ‘O Estado das Coisas’. No último Festival de Cannes, realizado em maio, Wim Wenders participou da competição com ‘Palermo Shooting’, com Dennis Hopper no elenco.’

 

 

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – 1

Folha de S. Paulo – 2

O Estado de S. Paulo – 1

O Estado de S. Paulo – 2

Comunique-se

Terra Magazine

Carta Capital

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

UOL Notícias

Último Segundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem