Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 2 E 3/1

Folha de S. Paulo

05/01/2010 na edição 571

PUBLICIDADE
Mariana Barbosa

Maior agência do país busca manter conta das Casas Bahia

‘O executivo Marcos Quintela assume na próxima segunda-feira a presidência da Young&Rubicam -agência que há oito anos lidera o ranking da publicidade no país. Seu maior desafio será manter a principal conta da agência, a das Casas Bahia.

Desde que o Grupo Pão de Açúcar adquiriu o controle -unindo na Globex as operações de Casas Bahia e Ponto Frio-, uma das grandes incógnitas é justamente qual será o futuro daquela que é a maior conta publicitária do país, que envolve gastos com mídia superiores a R$ 2,4 bilhões ao ano. O Pão de Açúcar gosta de trabalhar com uma agência interna. Mas, desde que comprou o Ponto Frio, em junho do ano passado, os contratos com as agências que trabalham com a rede, Fala! e DM9DDB, não foram alterados.

Quintela entrou no grupo Newcomm, de Roberto Justus, em 2004. Em agosto de 2008 foi promovido a diretor-geral de operações da Y&R. Desde então, vinha sendo preparado para suceder Justus no comando da principal agência do grupo. A seguir, a entrevista concedida à Folha.

FOLHA – Como fica a publicidade das Casas Bahia após a aquisição pelo Pão de Açúcar?

MARCOS QUINTELA – Para nós ainda é uma incógnita o que vai acontecer com Casas Bahia ou Ponto Frio. Quem disser que sabe o que vai acontecer está mentindo. A Globex só vai começar a pensar em fornecedores, incluindo serviços de publicidade, a partir de 15 de janeiro. É quando vão começar a avaliar sinergias e sobreposições de uma maneira geral. De qualquer forma, antes de uma decisão do Cade não pode haver nenhum tipo de fusão nas operações das empresas.

FOLHA – Qual a importância dessa conta para a agência?

QUINTELA – As Casas Bahia correspondem a 32% do faturamento da Y&R. Mas a decisão de manter ou não conosco cabe aos gestores, aos acionistas.

FOLHA – A ideia de que o Pão de Açúcar é um supermercado de elite, caro, não pode suscitar no consumidor das Casas Bahia a ideia de que os preços poderão subir?

QUINTELA – Minha percepção é exatamente o oposto. A união pode ser vista como uma forma de reduzir preços. Elas vão poder comprar volumes maiores de mercadorias, repassando descontos maiores.

FOLHA – Como foi o ano de 2009 para o mercado publicitário?

QUINTELA – O ano começou com muita preocupação e muita cautela. Mas a cautela maior partiu de clientes internacionais. No Brasil, apesar da marola, o mercado ficou muito aquecido.

FOLHA – Houve caso de aumento de verba?

QUINTELA – Sim. A Danone aumentou os investimentos em relação a 2008, a TAM também. Mas isso é muito peculiar de cada cliente. Não sentimos, aqui na Y&R, nenhum corte significativo de verba, mas uma mudança no tipo de comunicação.

FOLHA – Em que sentido?

QUINTELA – Geralmente as empresas fazem comunicação institucional para fortalecer a marca e uma comunicação de varejo para vender produtos, serviços. Com a crise, no final de 2008, houve uma migração da campanha institucional para o varejo -que é o que gera caixa mais rapidamente. O foco passou a ser produto, preço, forma de pagamento.

FOLHA – A Y&R faturou brutos R$ 4,58 bilhões em 2008, segundo o Ibope Monitor, considerando a compra de mídia. De janeiro a novembro desde ano, o faturamento foi de R$ 4,3 bilhões. Vai haver crescimento em 2009?

QUINTELA – Vamos conseguir manter o número de 2008. Os últimos 15 dias de dezembro são muito importantes para a publicidade.

FOLHA – Qual a expectativa para 2010?

QUINTELA – Temos a intenção de crescer dois dígitos em termos de receita com os mesmos clientes. Isso tem que andar junto com a compra de mídia. Para a maior empresa de publicidade do país, 10% é muito significativo. Ano de Copa do Mundo é sempre mais aquecido e cheio de oportunidades. Os veículos de comunicação ficam mais aguçados e oferecem diversos pacotes ligados à Copa.

FOLHA – E novos clientes?

QUINTELA – Fomos sondados para duas concorrências privadas no primeiro quadrimestre. Cada uma com investimentos em mídia inferiores a R$ 100 milhões. Haverá concorrência para algumas contas de governo também. Estamos abertos a isso. Nos últimos cinco anos, não tivemos nenhuma conta longa de governo.

FOLHA – Como a queda na audiência nos meios tradicionais e o crescimento da internet estão mudando a propaganda?

QUINTELA – A internet vem crescendo de forma sólida e nossos profissionais estão se adequando a esse mundo moderno, pensando em ferramentas de busca, em redes sociais. Mas a publicidade tradicional, o filme de 30 segundos na TV, não vai morrer. O meio jornal, por sua vez, está crescendo. Há espaço para todo mundo: internet, TV, mídia exterior, impresso, rádio.’

 

TELEVISÃO
Com verão, SBT adianta fim de ‘Véu de Noiva’

‘O SBT anunciou na última quarta que a novela ‘Vende-se um Véu de Noiva’, adaptação de Iris Abravanel para ideia original de Janete Clair, termina no próximo dia 9 para dar lugar a uma programação especial de verão.

Na segunda, sai ‘Hebe’ e, às 23h, entra um especial sobre a programação de 2010, com atrações como ‘Aventura Selvagem’ (com Richard Rasmussen), a nova novela ‘Uma Rosa com Amor’ e o reality show ‘Solitários’.’

 

Record estreia série com Brooke Shields

‘‘Lipstick Jungle’, com Brooke Shields, estreia na próxima quinta-feira, na Record, à 0h30. A série, escrita por Candance Bushnell, autora de ‘Sex and the City’, conta a história de três quarentonas ricas de Nova York: Nico Reilly (Kim Raver), editora-chefe de uma revista de moda, Wendy Healy (Shields), executiva do cinema, e Victory Ford (Lindsay Price), designer à procura de um namorado.’

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Veja

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem