Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > QUINTA-FEIRA, 4/3

Globo é alvo de inquérito por homofobia no BBB

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 04/03/2010 na edição 579


Leia abaixo a seleção de quinta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quinta-feira, 4 de março de 2010


 


TELEVISÃO


Andréia Michael e James Cimino


Globo é alvo de inquérito em caso de homofobia no ‘BBB’


‘A Procuradoria da República em São Paulo instaurou inquérito civil público para apurar a responsabilidade da Globo sobre a declaração, exibida no ‘Big Brother Brasil’ no último dia 9, na qual Marcelo Dourado insinua que apenas homossexuais contraem o vírus da Aids.


Segundo o procurador Jefferson Dias, da regional dos direitos do cidadão, se comprovada a responsabilidade, a emissora terá que elaborar, no próprio programa, uma resposta à declaração. Exemplo: uma campanha educativa para diminuir os danos causados pela informação equivocada.


Tanto o procurador quanto o infectologista Ronaldo Hallal, coordenador das diretrizes de tratamento de Aids no Ministério da Saúde, afirmam que, ao contrário do que disse Pedro Bial no programa, ‘a Globo tem responsabilidade, pois deu voz ao participante veiculando a declaração em rede nacional’.


Para o médico, a fala ‘reforça o estigma de que só homossexuais são portadores do HIV’.


No mesmo dia, os acessos ao site www.aids.gov.br subiram de 7.000 para 17 mil. ‘Mas isso não se compara ao número de pessoas que viram o ‘BBB’ e não foram ao site’, diz Hallal.


A Globo declarou, pela assessoria, que desconhece o inquérito e que, portanto, não poderia comentar o assunto. Reafirmou não ser responsável pelas ‘declarações e opiniões pessoais de participantes de reality shows’.


SERGINHO GROISMAN SOBREVOA CIRQUE DU SOLEIL


No ‘Altas Horas’ (Globo) especial que vai ao ar em 13/3, o apresentador interage com números de ‘Quidam’; é a terceira vez no mundo que um programa é todo gravado na tenda da cia.


INTERLIGADO


O SporTV vai apostar em aplicativos para iPhone e iPod Touch para aprimorar a cobertura da Copa. Além disso, transmitirá todos os jogos em HD em quatro canais.


MULTINACIONAL


Gabriel Moojen, que viaja com a equipe de 50 pessoas da cobertura, também estará na Globo Internacional, em abril, com seu ‘Zona de Impacto’.


ADEUS


‘Poder Paralelo’ (Record) terminou anteontem com recorde de 17 pontos de audiência na Grande SP (1 milhão de domicílios ligados). A média nos 237 capítulos foi de 11 pontos.


HOMENAGEM


Eva Wilma estará no ‘Roda Viva’ da TV Cultura na próxima segunda, às 22h.


BORDADO


Em ‘Ti-ti-ti’, Claudia Raia será Jaqueline Maldonado. Casada com Breno (Tato Gabus), terá um romance com Jacques Leclair (Alexandre Borges).


FAMÍLIA


Ex-Globo, Marco Antônio Gimenez grava hoje teste para o ‘Último Passageiro’, da Rede TV!. Sua irmã Luciana, do ‘Superpop’, papeou anteontem na emissora com o sócaio do canal Amílcare Dalevo e Guilherme Stoliar (SBT). Brincando, Stoliar convidou Luciana para se juntar ao grupo Silvio Santos.


TRÁFICO


Roberto Cabrini se surpreendeu com levantamento para o ‘Conexão Repórter’ (SBT), que estreia hoje: ‘Há uma adoção ilegal por dia no país’, diz.


com CLARICE CARDOSO’


 


 


Lúcia Valentim Rodrigues


Série ‘Bones’ estreia quinto ano com complicação amorosa


‘Não é a primeira vez que o agente do FBI Seeley Booth (David Boreanaz) está à beira da morte. No começo de uma temporada anterior de ‘Bones’, ele estava inclusive morto, com todos os seus amigos no enterro. Mas era só um truque para prender um criminoso.


Nada mais natural que não se dê muita bola para seu recente estado de coma. O que os fãs não deixam de se perguntar é se essa fragilidade do personagem mais combatente do seriado não vai aproximá-lo amorosamente de sua parceira, a dra. Brennan (Emily Deschanel).


A dra. Brennan é uma antropóloga forense especializada na identificação de corpos a partir de seus restos mortais e trabalha num museu em Washington. No seu tempo livre, escreve best-sellers. O agente Booth a leva como consultora nas cenas dos crimes, para ajudá-lo nas investigações.


Os dois bonitões naturalmente se atraem, ao se descobrirem falíveis e humanos, e se repelem, por serem completamente diferentes e turrões.


Na temporada passada, o desejo de ser mãe de Brennan fez com que ela fizesse uma proposta sem noção para o detetive. Na estreia do quinto ano, hoje na Fox, a dupla tenta resolver esses sentimentos um pelo outro, enquanto solucionam o assassinato de 11 pessoas, encontradas embaixo de uma fonte. Nada mais antirromântico do que isso, não?


A torcida é para que os parceiros se tornem um casal de verdade, já que a série ludibriou os fãs outras vezes com episódios em que eles ficavam juntos, mas era apenas um sonho, ou o anúncio de um beijo, que não levava a lugar nenhum no relacionamento.


A série está em cartaz atualmente nos EUA e finaliza esta temporada no dia 20 de maio.’


 


 


LITERATURA


Kenneth Maxwell


José Mindlin


‘JOSÉ MINDLIN , que morreu no domingo passado, aos 95 anos, foi uma figura altaneira na cultura do Brasil.


Minha última visita a ele e a sua mulher, Guita, em março de 2004, em sua casa no bairro do Brooklin Paulista, foi realizada em companhia de meu colega Tomás Amorim, atualmente do escritório em São Paulo do Centro David Rockefeller de Estudos Latino-Americanos, da Universidade Harvard.


Tomás, que é brasileiro, havia trabalhado comigo no Conselho de Relações Exteriores em Nova York e posteriormente em Harvard.


Mas, quando era estudante na Universidade de Princeton, ele trabalhara para o dr. Peter Johnson, o incansável bibliógrafo responsável pelas coleções latino-americanas na Biblioteca Firestone de Princeton e grande fã de José Mindlin.


A visita foi memorável, e a recordo com enorme prazer. O entusiasmo de Mindlin por seus livros e por aqueles que amam os livros era contagiante. Lembro a sala de livros antigos, o jardim bonito, a biblioteca principal, o encontro com Cristina Antunes, responsável pelas coleções, e a gentileza de Mindlin e de sua esposa, com quem fora casado por quase 70 anos.


José Mindlin foi um homem notável, exibindo a um só tempo modéstia e grande determinação. Acima de tudo, ele foi um bibliófilo de renome mundial. Desde que adquiriu seu primeiro livro raro, em 1927, aos 13 anos de idade, construiu sistematicamente uma coleção de mais de 38 mil livros, que inclui muitos títulos raros, bem como uma coleção fundamental de livros de temas brasileiros.


Quando o visitei, ele estava em meio a negociações com a Universidade de São Paulo. Por fim, foi fechado um acordo pelo qual ele doou grande parte de sua coleção à USP, onde ficará abrigada em um edifício construído especialmente para isso, a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.


A doação de Mindlin é uma exceção extraordinária na história brasileira. Doar uma biblioteca tão rica para uma instituição estatal é praticamente inédito. Mais comum é encontrar fragmentos de coleções célebres com as dedicatórias arrancadas. Ou fora do Brasil.


A biblioteca do diplomata e historiador Oliveira Lima, por exemplo, está na Universidade Católica da América, em Washington, onde é muito pouco utilizada. As grandes pinturas holandesas, um grande legado ao país, devem ser procuradas na Holanda ou na Dinamarca.


Mindlin, no entanto, assegurou que os brasileiros teriam acesso às suas notáveis coleções. E no Brasil.


O Brasil perdeu um de seus mais eminentes intelectuais. Mas ficou como maravilhoso legado a obra de sua vida, que beneficiará por muito tempo aqueles que estudam o país.


Tradução de PAULO MIGLIACCI’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


‘Não vai se curvar’


‘No título do despacho da Associated Press, no topo das buscas por Yahoo News e Google News e nos sites americanos, ‘Brasil repele [rebuffs] EUA e diz que vai seguir seu próprio caminho no Irã’.


Também destaque nas buscas, o site da BBC deu que ‘Lula alerta contra pressões sobre o Irã’.


Por aqui, nas manchetes de Folha Online e outros, primeiro ‘Lula diz que não é prudente encostar o Irã na parede’, depois ‘Hillary diz apoiar o diálogo, mas pede sanções e rigor com o Irã’.


Na estatal Agência Brasil, em meio ao lançamento do Portal Brasil, ‘Amorim diz que Brasil ‘não vai se curvar’ à pressão dos EUA contra o Irã’.


Por fim, abrindo o ‘Jornal Nacional’, ‘A secretária de Estado, Hillary Clinton, chega ao Brasil e pede apoio às sanções contra o Irã’. Nada de Lula.


CLINTON & GLOBO


Diante de logotipos e dois apresentadores globais, Hillary participou de uma ‘townterview’, mistura de entrevista com debate público organizada pelo Departamento de Estado. A um questionamento sobre a inação do governo Obama, respondeu que ‘mudança é difícil’


‘ADIOS, AMIGOS’


Com a manchete acima, a ‘Foreign Policy’ postou longa análise de Michael Shifter, do Inter-American Dialogue, de Washington, respondendo ‘Como a América Latina parou de dar atenção ao que os EUA pensam’, sobre a visita de Hillary.


Avalia que ‘as fissuras começaram’ um ano atrás, quando a ‘retórica atraente’ de Obama não se traduziu em ‘avanço concreto’.


ÀS SANÇÕES


Com ou sem Brasil, o site do ‘New York Times’ deu que o Departamento de Estado já está distribuindo ‘rascunho’, no Conselho de Segurança da ONU, com as novas sanções que quer impor ao Irã. O foco é a Guarda Revolucionária, mas também seriam banidas as transações com o banco central iraniano.


Até aqui, ‘não houve reação da China ao rascunho’, avisa a reportagem.


LULA E O MURO


A BBC Brasil ouviu palestinos e israelenses sobre a viagem de Lula, em duas semanas. Ele vai passar metade do tempo na Cisjordânia e metade em Israel.


O parlamentar palestino Faez Saqqa elogiou e disse que ‘Lula poderá ver de perto o muro que Israel construiu e divide Belém em duas partes’.


A diplomata israelense Dorit Shavit disse que ‘a decisão não surpreende, pois em seu discurso Lula sempre cria a simetria’. E que Israel ‘está muito contente com a visita, pois está ciente da importância do Brasil’.


O SÉCULO EMERGENTE


No ‘Wall Street Journal’, vem aí ‘O maior IPO do ano’. É a abertura de capital do estaleiro OSX, de Eike Batista, no Brasil que ‘mantém seu apelo’. Em contraste com os atrasos nos lançamentos nos EUA, ‘o Brasil se tornou destino preferencial dos investidores por sua resistência na crise e sua recuperação vibrante’.


Ao fundo, o ‘NYT’ deu longa reportagem para anunciar que ‘este será o século dos emergentes’, na expressão do diretor financeiro chefe do banco Goldman Sachs, sobre os investimentos nos Brics.


‘NÃO ADIANTA EMPURRAR’


Na home da Folha Online, ‘Aécio lembra frase de Tancredo e diz que ‘não adianta empurrar’ para ser vice de Serra’.


Antes, ecoou pelo noticiário o editorial de primeira página do jornal ‘Estado de Minas’ (acima), tido como próximo de Aécio. Escreve que é com ‘indignação’ que ‘os mineiros repelem a arrogância de lideranças que, temerosas do fracasso a que foram levadas por seus erros de avaliação, pretendem dispor do reconhecimento nacional construído pelo governador Aécio Neves’.


HERANÇA DE FHC


Na Reuters Brasil, por outro lado, em manchete, ‘Serra e Aécio defendem herança de FHC’, na mesma cerimônia que homenageou Tancredo Neves.


‘IMBATÍVEL’


FHC voltou a falar ontem, em entrevista à agência Bloomberg, postada com o título ‘Lula é imbatível no Brasil, não Dilma Roussef, diz Cardoso’.’


 


 


MÍDIA NOS EUA


Janaina Lage


Revistas lançam campanha nos EUA para atrair anunciantes


‘Cinco das grandes editoras de revistas americanas se uniram em uma campanha para destacar a vitalidade das publicações para o setor publicitário.


Com uma campanha intitulada ‘Revistas, o poder do impresso’, as editoras querem mostrar ao leitor e aos anunciantes que, mesmo em um cenário de expansão da internet, as revistas continuarão a ser relevantes para o leitor.


Os anúncios serão veiculados durante vários meses em mais de cem publicações, além dos sites das editoras, em títulos como ‘Vanity Fair’, ‘Vogue’, ‘Rolling Stone’, entre outras.


A campanha inclui as editoras Condé Nast, Hearst Magazines, Meredith Corporation, Time Inc. e Wenner Media e deve alcançar 112 milhões de leitores por mês.


A campanha criada pela Y&R NY usa frases de efeito como ‘Nós surfamos na internet. Nós nadamos nas revistas’ ou ‘A internet vai matar as revistas? O café instantâneo matou o café?’. Um dos anúncios exibe uma imagem do nadador Michael Phelps.


O texto afirma que uma mídia não necessariamente substitui a outra e que um meio estabelecido pode sobreviver desde que proporcione uma experiência única para o leitor.


A base da campanha são dados estatísticos levantados pela Mediamark Research & Intelligence que mostram que a leitura de revistas aumentou 4,3% nos últimos cinco anos. As editoras destacam ainda que o total de assinaturas chegou a 300 milhões no ano passado.


Os textos procuram enfatizar ainda a renovação dos leitores. As estatísticas revelam que leitores de 18 a 34 anos leem mais edições e gastam mais tempo com cada uma delas do que os que têm mais de 34 anos.


Um dos anúncios da campanha resume a questão da seguinte maneira: nos 12 anos do Google, a leitura de revistas cresceu 11%.


‘Juntos, podemos mudar o debate sobre revistas e compartilhar o que sabemos ser verdade como empresários: as revistas são relevantes, desempenham um papel importante na sociedade e têm um futuro forte pela frente’, afirmou Ann Moore, presidente da Time Inc.


Outros meios têm procurado enfatizar seu potencial em um cenário de avanço da internet. A Associação de Jornais da América tem divulgado anúncios que tornam público o número de leitores de jornais diários. As emissoras de TV locais devem começar neste mês uma campanha para encorajar os anunciantes.


A segunda fase da campanha começará a ser veiculada em junho. O texto dos anúncios será entremeado com capas de publicações conhecidas.’


 


 


PUBLICIDADE


Mônica Bergamo


Taxímetro


‘A suspensão da campanha original da Devassa foi festejada internamente pelos donos da cerveja. A polêmica está gerando alguns milhões de mídia espontânea para a marca -algo bem superior aos gastos, por exemplo, com o cachê de Paris Hilton, estrela dos anúncios. A socialite americana recebeu cerca de US$ 600 mil por 16 horas de trabalho. Oito delas foram gastas nas filmagens do comercial da bebida, nos EUA. As demais foram distribuídas entre o tempo de entrevistas com jornalistas, a aparição no Sambódromo do Rio e numa festa no sábado de Carnaval.’


 


 


REVISTA


Mônica Bergamo


‘Espero que não levantem o meu peito’


‘A ex-vereadora Soninha Francine (PPS), 42, é uma das estrelas da ‘Playboy’ que chega às bancas no dia 9. Depois de afirmar, há um mês, que ‘nem a pau’ aceitaria um convite para posar nua na revista, a subprefeita da Lapa cedeu, em parte. Ela fez um retrato sem blusa e só de calcinha ‘minúscula’ para a seção ‘Mulheres que Amamos’ da publicação.


FOLHA – Como surgiu o convite?


SONINHA FRANCINE – Eles leram que eu disse que jamais seria convidada pela ‘Playboy’. Me ligaram, falaram que eu estava enganada e me convidaram. Eu falei não, porque não me sinto à vontade, não sou modelo, não gosto das minhas fotos. Perguntaram se eu faria um retrato sensual. E eu falei: ‘Beleza’!


FOLHA – E você vai aparecer totalmente sem roupa?


SONINHA – Eu usei adesivo nos seios e uma calcinha minúscula. Mas vai aparecer como se eu estivesse sem nada.


FOLHA – Eles vão usar Photoshop (programa para retocar imagens)?


SONINHA – Vão, para apagar o elástico do biquíni. Mas, no resto, sei lá. Teve maquiagem no rosto e fizeram o meu cabelo, uma megaprodução. No corpo, passaram só um pó para uniformizar. Espero que não levantem o meu peito.


FOLHA – Por quê?


SONINHA – Porque é mentira. Corrigir é aceitável, às vezes, se você sai na foto com uma dobra no pescoço, no queixo, quando o retrato te distorce além do que você é. Mas, se quiserem me dar um corpo perfeito, vai ficar muito esquisito.


FOLHA – Recebeu cachê?


SONINHA – Não. Minha assessora inclusive achou absurdo eu não ter perguntado quanto seria o cachê: ‘Só você que sai na ‘Playboy’ e nem ganha dinheiro. Vai aguentar a encheção e de graça’.


FOLHA – O prefeito Gilberto Kassab soube dessa foto?


SONINHA – Ah, não, não. Nem me ocorreu [conversar com ele sobre isso]. O prefeito é meu chefe na subprefeitura, não no que mais eu faça por aí.


FOLHA – E o governador José Serra, que é seu grande conselheiro? Você o consultou? Ele viu as fotos?


SONINHA – Ah, também não. Eu consulto os amigos várias vezes quando eu tenho dúvida. Tipo: ‘O que você acha que eu faço?’. [Desta vez] Eu não tinha dúvidas, não consultei ninguém.


FOLHA – Trata-se de uma questão de querer aparecer?


SONINHA – Olha, eu não preciso fazer isso para aparecer. Eu já apareço bastante, querendo ou não querendo. As coisas que eu faço aparecem. Essa foto não tinha nenhuma outra razão a não ser a de fazer um retrato bonito. Não tem nenhum engajamento político. A militância no máximo é ‘poxa vida, qual é o problema?’. Eu queria fazer uma foto bonita com o meu corpo cheio de defeitos.


FOLHA – Não teme comentários?


SONINHA – A vida inteira eu opinei sobre a vida dos outros: se casou, separou, saiu pelado. Temos que conviver com isso.


FOLHA – Faria um ensaio completo para a ‘Playboy’, nua de verdade?


SONINHA – Não, não acho que vale fazer um ensaio estilo’Playboy’. O ensaio de nu da ‘Trip’ [revista], por exemplo, é diferente. É sensual, não muito sexual.


FOLHA – E você faria um ensaio maior se ele fosse, assim, artístico?


SONINHA – É possível. Seria diferente.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quinta-feira, 4 de março de 2010


 


TV PÚBLICA


Eugênia Lopes


TV Brasil, emissora pública, grava propaganda de ministros candidatos


‘A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que opera a TV Brasil, está sendo usada pelo Planalto para gravar depoimentos de ministros, inclusive os que são candidatos nas próximas eleições, para fazer um balanço e falar das ações à frentes das pastas. A TV Brasil é uma emissora pública.


Os depoimentos, de caráter político-eleitoral, estão sendo exibidos num espaço no blog do Palácio do Planalto, o que pode ajudar suas campanhas e, colateralmente, a candidatura presidencial da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Intitulado 7 anos em 7 minutos, o programa é uma espécie de outdoor digital idealizado pela Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom). Até agora, o blog já pôs no ar o vídeo de seis ministros, dos quais quatro são candidatos em outubro próximo. Dilma, que deixará o governo no dia 2 de abril, ainda não gravou seu depoimento.


‘A proposta é fazer um vídeo de sete minutos de cada ministro para pôr no blog do Planalto’, explica José Roberto Garcez, diretor da EBC Serviços, responsável pela confecção dos programas. É a EBC Serviços que opera o canal a cabo NBR, que noticia atos e políticas do governo federal, e os programas Café com o Presidente, Bom Dia, Ministro e Voz do Brasil. ‘Eventualmente esses vídeos dos ministros poderão ir para a NBR’, diz Garcez.


A ideia é ouvir o depoimento de todos os 36 ministros do governo Lula. Desses, pelo menos 15 deverão sair para se candidatar. Ao todo, serão mais de quatro horas de gravação. Segundo Garcez, os gastos com os vídeos estão dentro do orçamento para a área de serviços da EBC, setor voltado prioritariamente para atender a Secom.


Esses vídeos, diz o governo, não serão exibidos na TV Brasil, a televisão pública do governo. ‘A TV Brasil não faz a política de comunicação do governo. Isso é feito pela EBC Serviços, que atende a Secom e outras empresas do governo, como o IBGE’, afirma a presidente da EBC, Tereza Cruvinel.


Ela explica que a TV Brasil veicula publicidade do governo da mesma forma que as outras televisões comerciais. Tereza disse ainda que parte do orçamento da EBC é destinado à EBC Serviços, encarregada de atender a Secom e fazer a cobertura e transmissão de eventos e viagens do presidente Lula. Para este ano, a previsão é que o orçamento da EBC seja de R$ 450 milhões. Nem Tereza, nem Garcez souberam especificar quanto do total orçamentário é destinado a ações da Secom.


Até agora, o blog do Planalto pôs no ar os vídeos de quatro ministros que serão candidatos nas eleições de outubro. As gravações foram feitas em dezembro do ano passado. Segundo Garcez, os textos foram produzidos pelos próprios ministérios, cabendo aos técnicos da EBC apenas gravar os depoimentos. Ele disse que nenhum ministro se recusou a gravar, até agora, os depoimentos.


O ex-ministro Tarso Genro, que deixou a pasta da Justiça no início de fevereiro e é candidato do PT ao governo do Rio Grande do Sul, foi o primeiro a estrear no 7 anos em 7 minutos. Depois vieram os ministros Alfredo Nascimento (PR), que deixará a pasta dos Transportes para disputar o governo do Amazonas; Altemir Gregolin (PT), que sairá do Ministério da Pesca para se candidatar à Câmara por Santa Catarina, e Hélio Costa (PMDB), que trocará o Ministério das Comunicações para ser provavelmente candidato ao governo de Minas. Dos seis ministros que gravaram vídeos, apenas Celso Amorim (Itamaraty) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais) não pleiteiam nenhum cargo eletivo em outubro.’


 


 


Nova sede da EBC vai custar pelo menos R$ 9,5 milhões ao ano


‘Mesmo com índices ínfimos de audiência, a TV Pública vai gastar recursos públicos para arcar com as despesas de uma nova sede em Brasília. O novo endereço da TV Brasil ou TV Lula, como é conhecida a TV Pública, custará aos cofres públicos R$ 798,5 mil por mês. Ou seja, serão R$ 9,5 milhões ao ano só com o pagamento de aluguel.


A ideia é abrigar em um único espaço de 17,4 mil metros quadrados todas as empresas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) na capital: três emissoras de rádio, uma agência de notícias e os estúdios da TV Brasil e da NBR, a televisão a cabo responsável por noticiar os atos do governo federal, como os discursos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A EBC, que foi criada em 2007 para viabilizar a TV Pública, hoje funciona espalhada por cinco prédios em Brasília.


‘É antieconômico cada parte da empresa ficar em um lugar’, diz a presidente da EBC, Tereza Cruvinel. O endereço escolhido pela EBC para abrigar os 1.473 funcionários que trabalham em Brasília é em um antigo shopping center na área central da cidade. Os locatários prometem revitalizar o shopping. Pelo contrato, a empresa de comunicação ocupará todo o primeiro subsolo, onde antes funcionavam lojas, e terá direito a 200 vagas no estacionamento. A previsão é que a EBC se mude para o novo endereço até meados deste ano.


Segundo Tereza Cruvinel, o orçamento da EBC para 2010 está estimado em R$ 450 milhões ? dos quais R$ 300 milhões vêm dos cofres públicos e o restante de receitas próprias da empresa. No ano passado, a empresa gastou cerca de R$ 100 milhões com o pagamento de pessoal e R$ 152,3 milhões com o custeio da empresa. Outros R$ 140 milhões foram aplicados em investimentos na EBC, que comprou novos equipamentos para a TV Pública.


Por enquanto, as novas instalações passam por obras que, segundo o secretário executivo da EBC, Ricardo Collar, estão sendo bancadas pela administração do shopping. ‘Essa parte de obras de engenharia está sendo feita pelo dono do prédio. Nós vamos fazer depois as obras para adequar o espaço às necessidades da televisão, das rádios e da agência’, diz Collar. Ele disse não saber quanto será gasto com as obras para construir cinco estúdios de televisão e dez para a rádio. A EBC tem oito emissoras de rádio, das quais três funcionam em Brasília.


Há ainda a Agência Brasil, que distribuiu fotos e textos noticiosos gratuitamente para todo o País, além das duas televisões. Haverá redações separadas para cada uma delas.’


 


 


CAMPANHA


Vera Rosa


PR apoia Dilma, mas rechaça controle de mídia


‘Integrante da base de sustentação do governo Lula há quase oito anos, o PR vai apoiar a candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência, mas quer mudanças no programa de governo petista. Em almoço com Dilma, ontem, dirigentes, deputados e senadores do PR disseram à ministra que não vão aceitar o controle da mídia nem as ocupações promovidas pelo Movimento dos Sem-Terra (MST).


O PT decidiu radicalizar as diretrizes do programa de governo de Dilma no último dia 19. O documento que passou pelo crivo do 4º Congresso do partido, intitulado ‘A Grande Transformação’, prega o combate ao monopólio dos meios de comunicação, a reativação do Conselho de Comunicação Social, a cobrança de impostos sobre grandes fortunas e a jornada de trabalho de 40 horas semanais.


‘Discordamos de alguns pontos da proposta do PT e queremos influenciar a preparação da plataforma da ministra’, afirmou o deputado Milton Monti (PR-SP), presidente da Comissão de Transportes da Câmara que participou do almoço, na casa de Dilma. ‘Não aceitamos cabresto sobre a imprensa, como na Venezuela, e nosso ideário se contrapõe às atitudes do MST, pois defendemos o respeito ao direito de propriedade.’


MÉDIA


Para Monti, o programa de Dilma deve representar ‘a média’ do pensamento dos aliados. Além do PR, o PMDB já anunciou que montará comissão ? composta por nomes como o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, o ex-deputado Delfim Netto e o ex-ministro Mangabeira Unger ? para apresentar, até meados de abril, propostas à candidata.


‘Não haverá interferência estatal na comunicação’, garantiu o deputado e ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT-SP), um dos coordenadores da campanha de Dilma. ‘Não concordo com a forma como foi posta essa questão da mídia no Programa Nacional de Direitos Humanos e nas diretrizes do nosso programa’, emendou.


A taxação sobre grandes fortunas e a jornada de 40 horas são outros tópicos que opõem o PT a parte dos aliados. ‘Mas a ministra nos disse que ninguém precisa se preocupar porque o programa está em fase de preparação’, observou o deputado Luciano Castro (PR-RR).


O PR fará convenção no dia 5 de abril para oficializar o apoio a Dilma. Nessa data, o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento ? que deixará o cargo no próximo dia 2 para concorrer ao governo do Amazonas ?, assumirá a presidência do PR. Atingido pelo escândalo do mensalão, em 2005, o PR não conseguiu acertar com a cúpula do PT, porém, como será a participação do presidente Lula e de Dilma no palanque de Anthony Garotinho. Pré-candidato ao governo fluminense pelo PR, Garotinho apoia Dilma, mas o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) ? que disputa o segundo mandato ? não quer que ela apareça ao lado do adversário. ‘Apoio não se rejeita’, resumiu o presidente do PT, José Eduardo Dutra. ‘Se o Garotinho apoia Dilma, não vamos chutá-lo.’’


 


 


IRÃ


Reuters


Polícia iraniana ‘some’ com cineasta


‘O paradeiro do renomado diretor iraniano de cinema Jafar Panahi é desconhecido, disse ontem um dos filhos do artista. Pahani foi levado, com sua mulher e filha, por forças de segurança na segunda-feira à noite e, desde então, não há informações sobre ele.


Premiado internacionalmente, o cineasta abordava em seus filmes temas sociais da República Islâmica, entre eles a questão das mulheres. Ele apoiara o candidato oposicionista Mir Houssein Mousavi na eleição presidencial de junho, vencidas pelo ultraconservador Mahmoud Ahmadinejad. Acusações de fraude na votação mergulharam o Irã nos piores distúrbios desde 1979.


‘Estou muito preocupado com minha família’, declarou Panah, filho de Pahani, ao site Kaleme, ligado à oposição iraniana. ‘Não tenho nenhuma informação sobre a localização ou situação deles.’


Ainda segundo o site oposicionista, pelo menos 15 pessoas que estavam na casa do artista também foram levadas pelas forças de segurança. O procurador Abbas Jafari Dolatabadi confirmou a prisão de Pahani, mas disse que a detenção não teve ‘motivação política’. O filho do diretor desmentiu a informação de que Pahani estivesse rodando um filme sem a permissão do governo sobre a onda de protestos iniciada em junho. ‘Meu pai tinha autorização e nunca gravou nada sobre os recentes eventos’, afirmou.’


 


 


Luiz Carlos Merten


EUA e Irã barraram Panahi


‘É da maior gravidade o que ocorre no Irã. Diretores importantes como Abbas Kiarostami e Mohsen Makhmalbaf sempre enfrentaram problemas com a censura dos aiatolás. Seus filmes podem ser premiados no exterior, mas no Irã a circulação é restrita, quando não nula. Jafar Panahi tem sofrido dessa sorte. Vencedor da Caméra d’Or ? a Palma de Ouro dos diretores estreantes ? com o singelo ‘O Balão Branco’, ele ganhou o Leão de Ouro com ‘O Círculo’, que discute a situação das mulheres iranianas.


O filme, claro, foi perseguido pelo regime e Panahi viveu uma situação bizarra. Convidado a apresentá-lo nos EUA, teve seu visto de entrada negado durante o governo George W. Bush, em conexão com os atentados de 11 de Setembro. Em fevereiro, convidado a voltar ao Festival de Berlim, onde foi premiado com ‘Fora do Jogo’, sua saída do Irã foi vetada pelo governo de Mahmoud Ahmadinejad. Está cada vez mais perigoso apoiar, como faz Panahi, a oposição que até hoje contesta nas ruas a reeleição do presidente.’


 


 


CHILE


Ariel Palacios


Emissora de rádio ‘substitui’ governo


‘As vozes dos locutores da Rádio Biobío têm sido o principal consolo para os habitantes das cidades abaladas pelo terremoto de sábado. A emissora, que transmite 24 horas diárias, foi o maior enlace entre famílias separadas pela catástrofe, além de fonte de informação constante sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas, o estado dos feridos, os saques e o acesso aos centros de saúde. A Biobío também serviu para que as autoridades municipais – as únicas que mantiveram o prestígio intacto em meio ao caos e às acusações de omissão – fizessem anúncios sobre os socorros e a coordenação dos trabalhos de resgate.


De quebra, esta tradicional rádio de Concepción, também transformou-se inesperadamente num centro farmacêutico, onde pessoas doavam remédios para os sobreviventes.


‘O papel desta rádio foi o de substituir o governo’, disse ao Estado, sem sutilezas, o jornalista e dono da emissora, Piero Moscciati. ‘As pessoas de Santiago não têm a menor ideia do que aconteceu aqui. Demoraram muito em declarar o estado de catástrofe e o estado de sítio’, disse.


Com olheiras que revelam o trabalho frenético e ininterrupto, Moscciati avaliou a catástrofe ‘dupla’ da cidade onde mora: ‘Houve dois terremotos. Um foi físico, geológico. O outro foi o terremoto social.’


Segundo ele, ‘nunca antes ocorreram saques assim. Os saques começaram duas horas após o terremoto. Não é normal. No Haiti passaram dias até que ocorressem saques. No Haiti, o número de mortos foi mais de cem vezes maior que aqui, mas o grau de descomposição social que ocorreu em Concepción foi imensamente maior’.


BOMBEIRO PARLAMENTAR


Enquanto a reportagem do Estado conversava com Moscciati em uma sala da rádio, entrou às pressas um homem vestido de bombeiro, com o rosto cheio de fuligem. Após bater continência, ele se apresentou como ‘Jorge Ulloa, comandante de bombeiros’. Ulloa é, além de bombeiro voluntário, deputado da UDI, partido chileno de direita. ‘É impossível saber quantos mortos existem. Há corpos sob os escombros. Provavelmente encontraremos muitos mais mortos até o fim de semana.’’


 


 


TECNOLOGIA


Apple processa parceira de Google


‘A Apple processou a taiwanesa HTC, que fabrica celulares equipados com telas sensíveis a toques e sistema operacional do Google, acusando-a de violar 20 patentes de hardware e software relacionadas ao iPhone. Embora não faça acusações explícitas, a ação da Apple foi vista como ataque indireto ao Google, já que seu celular Nexus One é fabricado pela HTC.’


 


 


TURISMO


Embratur e Google criam canal inédito


‘Google e Embratur lançaram ontem uma ferramenta inédita para promover o Brasil no exterior. O novo canal do YouTube associa vídeos institucionais e depoimentos sobre o País aos mapas do Google. O foco está numa meta ambiciosa de aumentar em 300%, até 2020, a entrada de divisas no Brasil por meio do turismo.’


 


 


PUBLICIDADE


Marili Ribeiro


Festival de Cannes terá mais duas categorias


‘‘Acho que vivi meus 15 minutos de fama quando fui indicado para ser jurado da categoria Design no festival de Cannes deste ano’, brinca o André Poppovic, dono da Oz Design, impressionado com o números de ligações telefônicas que recebeu após a divulgação do time de brasileiros que representará o setor de propaganda e marketing na 57ª edição do Festival Internacional de Publicidade de Cannes.


Ele e os outros 11 jurados brasileiros que vão participar da seleção dos melhores trabalhos do setor de propaganda e marketing na França em junho se reuniram na terça-feira à noite para se conhecer e trocar experiências em encontro promovido pelo jornal O Estado de S.Paulo, que é o representante oficial do Festival no Brasil.


O inglês Philip Thomas, presidente da organização do evento na França, veio ao encontro deste ano com mercado publicitário para apresentar as novidades da edição de 2010 do Festival. Uma das novidades programadas para a 57ª edição será a premiação de uma nova categoria, a ‘Film Craft Lions’. Nela, o júri vai avaliar a qualidade no processo de produção de filmes publicitários. Itens que ficavam de fora, como a direção, a confecção do roteiro, bem como detalhes do tipo a habilidade no uso de música, ou nos recursos de animação também passam a ser considerados.


Outra nova premiação será a da Agência Independente do Ano. Thomas não acha que exista excesso de premiação, mas sim um reconhecimento da arte de fazer comunicação de boa qualidade. Para ele, o Festival é um estímulo ao negócio da propaganda de qualidade.’


 


 


TELEVISÃO


Patrícia Villalba


Fantasma procria


‘De Elizabeth Jin, a próxima novela das 6 da Globo, Entre Dois Amores, fala de espiritualidade e inseminação assistida, com ingredientes inéditos para tais assuntos. Ricardo Aguillar (Humberto Martins) tem uma clínica de fertilização e é pai de Daniel (Jayme Monjardim Filho), estudante de medicina, que morre num acidente, mas fica por ali, como espírito. Lá pelas tantas, Ricardo descobre que o filho deixou sêmen congelado na clínica e decide fazer uma inseminação na ‘mulher perfeita’.


A mãe do futuro neto pode ser Viviane (Nathália Dill), mocinha da favela – por quem pai e filho, mesmo em espírito, têm interesse. ‘Ele conheceu Viviane antes de morrer e sente que precisa protegê-la’, adianta Jayme, filho do diretor Jayme Monjardim, ao Estado.


O diretor Rogério Gomes, o Papinha, ainda não decidiu como será o plano espiritual onde fica Daniel e sua mãe (Cássia Kiss), mas adianta que nada terá da novela A Viagem. ‘Gravamos no Pico das Agulhas Negras, mas não ficou bom. Estamos pensando num jeito de fazer mais lúdico, mais parecido com Hoje É Dia de Maria’, conta. Estreia em 12 de abril.


Troque seu cachorro


Eduardo Dussek grava aí uma ponta especial em Vida Alheia, novo seriado de Miguel Falabella na Globo. Em cena, o músico vive um diretor de cinema que tenta convencer Manuela (Danielle Winits), repórter da revista de celebridades que dá nome ao programa, a largar o jornalismo para virar atriz. É o tipo da situação divertida, até porque acontece com alguma frequência nas redações de verdade.’


 


 


Entrelinhas


‘Selton Mello convidou e Moacyr Franco aceitou ser o delegado Justo no próximo filme dirigido pelo ator, O Palhaço. Moacyr começa a filmar no fim do mês, em Paulínia.


É hoje que Roberto Cabrini estreia no SBT, com seu Conexão Repórter, às 22h15.


Mal favorecido pelo fogo amigo da direção da Record ? que programou o último capítulo de Poder Paralelo para uma terça-feira de paredão quentíssimo no Big Brother Brasil 10, da Globo, Lauro César Muniz emplacou 17 pontos de média na TV de Edir Macedo com o último capítulo de sua novela, anteontem. Foi o recorde da trama.


Guri, personagem que mandou matar vários outros, desde o primeiro capítulo, enfim teve sua identidade revelada: era Paulo Garzia (o italiano Nicola Siri), homem da maior confiança do herói Toni Castellamare (Gabriel Braga Nunes).


Na Globo, o paredão do BBB10 da vez rendeu 33 pontos de média, 2 a menos que o ibope da véspera, 35 pontos, recorde desta edição e patamar alcançado na eliminação anterior.


A baixa da temperatura sempre favorece a audiência, em especial na faixa das 18h e 19h. Em São Paulo, a novela das 6 da Globo bateu recorde na segunda-feira e alcançou 33 pontos de média na terça. Tempos Modernos subiu para 30, e Viver a Vida teve 41 pontos, seu melhor resultado no ano.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem