Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ENTRE ASPAS > SENHORA DO DESTINO

Isabelle Moreira Lima

30/11/2004 na edição 305

‘Há tempos não se via um guarda-roupa tão marcante -e irritante- quanto o de Nazaré Tedesco, a psicopata-mor da novela das oito ‘Senhora do Destino’, interpretada por Renata Sorrah, 57. Todos os dias, a ex-prostituta Naza faz um verdadeiro desfile de decotes, fendas e transparências em tecidos como o veludo e a seda, usados para ir a qualquer lugar, a qualquer hora. Do mesmo jeito que se arruma para ir à feira, o faz para seduzir ou chantagear.

Para o estilista Bruno Otaviano, as roupas de Nazaré marcam a época do glamour de quando era prostituta. ‘Ela usa roupas com cara de cabaré, não importa a hora. É como se tivesse descendo para ir trabalhar’, afirma.

Já o estilista Henry Alavez, da Zoomp, diz que a Nazaré passa uma imagem do ‘mal’. ‘Ela carrega dogmas, é falsa, mentirosa. Tem uma energia pesada. É do mal. O figurino é extremamente decadente porque ela é decadente e vive uma coisa que não existe. Não é dos que eu mais gosto.’

Nazaré está sempre vestida para matar -em todos os sentidos do verbo- e o figurino, teatral como a personagem, a acompanha por todos os passos. A figurinista Beth Filipecki, 52, explica que isso acontece porque Naza ‘precisa estar preparada para qualquer situação’. ‘Ela perdeu a referência, não tem limite’, justifica.

E parece não ter de fato. Na semana passada, por exemplo, Nazaré usou uma blusa preta decotada, em renda, alças e mangas transparentes caídas, e uma saia com fenda até o meio da coxa. Para completar o visual, um cinto largo com fivela grande de strass.

Nos dias 16 e 17, quando teve um de seus maiores chiliques, ao ganhar flores do vigarista Madruga, Nazaré usava uma calça de cor cinza-prateado e uma blusa preta estilo mulher-aranha. Com essa mesma indumentária, tinha passeado, em baixo do sol quente, pelo bairro de Copacabana.

Renata Sorrah diz que o figurino de Nazaré é essencial para compô-la, ‘é a segunda pele dela. Já acorda montada. Ela se acha o máximo, uma estrela’. Filipeck conta que ousa vestir Nazaré com roupas ‘irritantes’ porque Sorrah deixa a personagem em casa. ‘A Suzana Vieira vive o personagem 24 horas por dia, não consegue separar as coisas. Já com a Renata, eu não corro esse perigo’, explica.

Dos estilistas ouvidos pela Folha, a protagonista Maria do Carmo, vivida por Suzana Vieira, 62, foi alvo das piores críticas. Bruno Otaviano citou os materiais usados no guarda-roupa. ‘É muita malha, muita lycra, muito feio. Parece roupa do Bom Retiro.’

O estilista Carlos Tuvfesson destacou o ‘cabelo armado’, a maquiagem forte e a abundância de estampas. Já a jornalista e colunista da Folha Erika Palomino, usou a palavra ‘medonho’ para falar do guarda-roupa da personagem. ‘Em geral, na novela, é tudo muito feio’, afirmou.

Diversão garantida

Se não ajuda a delimitar o tempo em que a trama passa -início dos anos 1990-, o figurino de ‘Senhora’ pode ser um espetáculo à parte para os mais atentos. Além do figurino de Nazaré, do brejeiro-brega de Maria do Carmo, do colorido cafona do núcleo pobre e do sofisticado dos ricos e dos falidos, a novela traz tiradas divertidas nos capítulos.

No dia seguinte, sofrendo do mal de Alzheimer, a baronesa Laura (Glória Menezes), que usa salto na sandália de casa, fez uma visita vespertina ao enteado usando um longo dourado. Ela reconheceu o excesso: ‘Caprichei no ‘toilette’. A nora, vivida por Angela Vieira, rebateu que ficou até tímida em seu ‘vestidinho básico’. O básico em questão era digno de uma ‘lady in red’.’



NOVELA CENSURADA
O Estado de S. Paulo

‘STJ proíbe exibição de ‘Laços de Família’ à tarde’, copyright O Estado de S. Paulo, 24/11/04

‘Mais uma vez o juiz de menores Siro Darlan criou entraves para a exibição de Laços de Família. Desta vez, a Globo não conseguiu reverter, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a decisão do juiz de proibir a reprise da novela de Manoel Carlos no Vale a Pena Ver de Novo. Por conter cenas consideradas impróprias, o ministro Antônio de Pádua Ribeiro, do STJ, rejeitou recurso da emissora carioca, que havia recorrido ao Tribunal, alegando que o Ministério Público não teria legitimidade para ingressar na Justiça em nome dos telespectadores para pedir a proibição de exibição da reprise já programada pela emissora.’



TV GLOBO, 40 ANOS
Daniel Castro

‘TV Globo já grava ‘telefilme’ dos 40 anos’, copyright Folha de S. Paulo, 29/11/04

‘A Globo está gravando desde a semana passada o especial que irá contar os 40 anos de teledramaturgia da emissora e que só irá ao ar em 28 de abril de 2005. As gravações terminam dia 14 de dezembro. Estão adiantadas porque o programa, ainda sem título, levará três meses em pós-produção (montagem, finalização).

Isso será necessário porque o especial misturará imagens gravadas hoje com cenas originais de cerca de 20 novelas da Globo, exibidas desde 1971. Através de computação gráfica e efeitos especiais, as imagens e falas atuais serão sobrepostas às das novelas, parecendo um diálogo perfeito, como no filme ‘Forrest Gump’.

O especial terá 90 minutos. ‘É praticamente um telefilme’, diz Luiz Gleiser, coordenador do projeto Globo 40 Anos.

Escrito por Euclydes Marinho e Rafael Dragaud e dirigido por Fabricio Mamberti, o programa contará a história da personagem Rosa, a partir de 1971, quando ela, como a Globo, tinha seis anos.

‘Rosa está em busca de si própria e do amor. Ela entra nas cenas das novelas, contracena como se estivesse lá e volta à sua realidade modificada’, adianta Gleiser.

Adriana Esteves é a protagonista adulta e Isabelle Drumond (a Emília de ‘Sítio do Picapau Amarelo’), a criança. Zeca, o par adulto de Rosa, é Reynaldo Gianecchini. Cerca de 40 atores de primeiro nível da Globo participam. Alguns, com uma única fala.

OUTRO CANAL

Na área A Globo deverá transmitir três jogos por rodada do Campeonato Brasileiro a partir de 2006, e não dois como atualmente -um para São Paulo e outro, normalmente disputado por algum clube do Rio, para o resto do país. A terceira partida terá times do Sul, Minas Gerais ou Nordeste. Para atender a interesses regionais.

Escola 1 A novela ‘Senhora do Destino’ é um sucesso não só de audiência mas também de repercussão -se escreve muito sobre ela em jornais, revistas e sites. Grande parte dessa repercussão se deve ao próprio autor da trama, Aguinaldo Silva.

Escola 2 Silva, que em novelas anteriores não era muito acessível à impressa, agora é outro. Até contratou uma assessoria de imprensa particular. A inspiração vem de Manoel Carlos, craque em repercutir suas tramas. Antes de ‘Senhora’ estrear, Silva estudou atentamente o autor de ‘Mulheres Apaixonadas’.

Saída A direção da Record ainda não decidiu se ‘Sem Saída’ sai do ar em dezembro ou se continua até março. É que o programa, embora ofuscado pela novela das oito da Globo, tira audiência do SBT.

Festa A Abert (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV) comemora 42 anos nesta quarta com almoço em Brasília. O ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, será a estrela do evento.’



TV GLOBO / PROGRAMAÇÃO
Daniel Castro

‘Globo engaveta melhor comédia dos EUA’, copyright Folha de S. Paulo, 24/11/04

‘A Globo acaba de comprar da Fox ‘Arrested Development’, melhor série cômica no Emmy (o Oscar da TV dos EUA) de 2004, vencendo ‘Sex and the City’ e as consagradas ‘Everybody Loves Raymond’ e ‘Will & Grace’.

O seriado, sobre uma família rica e excêntrica que entra em decadência após o patriarca ser preso por corrupção, no entanto, não deverá ser exibido pela Globo.

Do pacote que a Globo fechou com a Fox, a única que tem chances de ir ao ar é a terceira temporada de ‘24 Horas’, sobre a qual há um estudo para veiculação em janeiro e fevereiro próximos.

A Globo diz que adquiriu a elogiada pela crítica ‘Arrested Development’, que já está na segunda temporada no canal pago Fox, para casos de ‘urgência’ em sua programação. A prioridade, afirma, é o conteúdo nacional.

Ao todo, o pacote negociado pela Globo com a Fox tem seis séries, além do 16º ano de ‘Os Simpsons’. Duas delas ainda nem estrearam nos EUA: ‘Point Pleasant’ e ‘The Inside’.

A segunda é sobre uma agente de 22 anos que se passa por estudante de colegial para tentar desbaratar uma quadrilha de traficantes. No canal Fox, deve estrear no primeiro semestre de 2005.

Outro seriado é ‘Boston Legal’, drama ambientado em uma empresa de advogados atormentados, com toques de humor negro. O sexto programa é ‘North Shore’, já exibido no Brasil pelo Fox.

OUTRO CANAL

Ressaca 1 O primeiro capítulo de ‘Como uma Onda’, nova novela das 18h da Globo, deu média de 33 pontos, com a sintonia de 52% das TVs ligadas. Sua antecessora, ‘Cabocla’, estreou em maio com 41 pontos. A Globo atribui a queda ao horário de verão.

Ressaca 2 É fato que o total de TVs ligadas caiu, de 67% na estréia de ‘Cabocla’ para 63% anteontem. Mas ‘Como uma Onda’ deu um ponto a menos do que ‘Malhação’, que a antecedeu. E o SBT, com ‘Chaves’ e ‘Chiquititas’, foi bem no horário, com 13 pontos.

Chibatada ‘Chiquititas’, que reestreou na segunda, também ofuscou ‘A Escrava Isaura’, da Record. Enquanto competiram (quase 40 minutos), o placar foi de 13 para o SBT a dez para a Record.

Injusto Apresentador de ‘O Aprendiz’, Roberto Justus nega que tenha pedido à Record a suspensão da sátira ‘O Infeliz’ (‘Show do Tom’). ‘Só pedi para não colarem [exibir em seguida] ao meu programa. Eu amei a sátira’, afirma. Mas Justus reclamou, sim. Foi por isso que ‘O Infeliz’ não foi ao ar na última quinta.

Mico Juliana Knust, que está com cabelos compridos para fazer uma evangélica em ‘América’, foi vaiada pela platéia do ‘pocket show’ que Robbie Williams fez para o ‘Fantástico’, no último sábado. Ela tentou puxar um coro para que o show começasse logo.’



REALITY SHOWS
Ricardo Valladares

‘A última do português’, copyright Veja, 30/11/04

‘Assim como ocorre no Brasil, as maldades da megera Nazaré na novela Senhora do Destino são um sucesso em Portugal. Mas, lá, a personagem de Renata Sorrah não é páreo para outro produto brasileiro: o ator-brucutu Alexandre Frota. Três anos depois de ter vivido quinze minutos de fama por aqui com o reality show Casa dos Artistas, Frota causa celeuma em Portugal como participante de uma atração similar: a Quinta das Celebridades. Exibido pela rede TVI, o programa ocupa o primeiro lugar de audiência na terra de Camões. É visto por 2,5 milhões de pessoas – um quarto da população do país. Para integrar seu elenco, o hoje empresário do ramo pornô teve de aprender a falar o português de Portugal (veja quadro). Agora, só falta aprender a versão brasileira da língua. Quinta das Celebridades é um Big Brother da zona rural. Os participantes são confinados na tal quinta por noventa dias e têm de se virar nas condições de 100 anos atrás. Não há eletricidade e o pessoal é obrigado a mugir as vacas, cuidar de porcos e plantar cenouras.

Frota foi selecionado graças à sua projeção em Portugal com a novela Sassaricando e pelo fato de ser polêmico. Além dele, o programa é composto só de outros ex-alguma coisa, como uma ex-apresentadora de telejornal que se despia ao narrar as notícias e uma ex-miss Portugal. Como é escaldado, Alex – sua alcunha no país – repete sua estratégia de Casa dos Artistas: cria polêmica com as mulheres e faz pacto com os marmanjos. Frota já arranjou encrenca com a participante Cinha Jardim, uma figura de idade boazinha que tem um bocadinho de Botox acolá. Ao lado de Frota, Cinha – ex-mulher do atual primeiro-ministro português, Santana Lopes – é um dos destaques da Quinta. ‘As raparigas têm medo de sua truculência’, costuma dizer ela sobre o adversário. A intriga começou quando Cinha indicou Frota para ser eliminado. Ele não saiu e acabou virando o capataz do programa. Em vez de se vingar, o casca-grossa deu uma de educado: poupou-a do trabalho por vários dias. ‘Foi uma bofetada com luva branca’, analisa o diretor de pesquisas da TVI, Paulo Soares.

No começo do programa, Frota teve um namorico com a já eliminada atriz Ana Afonso. Dizem as más línguas que ele teria tido ‘algo mais’ com a rapariga num monte de feno. Como se vê, o velho edredom não faz falta. No domingo passado, no dia de gala, Alex foi ao escritório vestido com uma camisola que trazia estampado o nome dela. Todo esse romantismo serve, obviamente, para conquistar a simpatia do público, de olho no prêmio equivalente a 180.000 reais. Curiosamente, comenta-se que Frota teria recebido um cachê bem maior para integrar o elenco de Quinta das Celebridades. Coisa de português.’



MARLENE INDEPENDENTE
Daniel Castro

‘Marlene Mattos vira produtora de seriados’, copyright Folha de S. Paulo, 28/11/04

‘Marlene Mattos, ex-diretora dos programas de Xuxa e da Band, está virando produtora independente. ‘Vamos produzir séries [dramáticas e de ação] e ‘sitcoms’ [formato americano de seriado de humor, com claque] para vender para as emissoras. Já temos algumas sinopses’, afirma.

Mattos diz que já arrumou os futuros sócios. ‘Estou fazendo parcerias com quem tem equipamentos, dinheiro ou apenas vontade’, conta.

A diretora relata que uma das pessoas com quem vai se associar já tem uma produtora instalada. ‘Não é o Gugu [Liberato]’, despista. Ela teve alguns encontros com o apresentador do SBT.

Cor 1 Não é por economia que o personagem de Leonardo Vieira em ‘Senhora do Destino’ aparece com o mesmo figurino desde o início da novela, inclusive na abertura, sempre uma camisa azul com camiseta por baixo.

Cor 2 ‘Leandro é o mais certinho dos filhos de Do Carmo [Suzana Vieira]. O figurino está de acordo, o azul é a cor preferida dele. Nesse caso, melhor que em muitos, o figurino ajuda a compor o personagem’, explica o autor, Aguinaldo Silva.

Passaporte Participantes de ‘O Aprendiz’ farão nesta semana viagem aos Estados Unidos. Será o prêmio aos vencedores de uma prova. Ter visto para os EUA era requisito para entrar no ‘reality show’.’



TV CULTURA
Daniel Castro

‘TV Cultura planeja segundo ‘Roda Viva’’, copyright Folha de S. Paulo, 27/11/04

‘A TV Cultura estuda colocar no ar em março de 2005, quando estréia nova programação, uma segunda edição semanal do ‘Roda Viva’, tradicional programa de entrevistas, um dos mais bem conceituados da TV do país.

O segundo ‘Roda Viva’ tem o nome de trabalho (provisório) de ‘Roda Viva – Cultura’. Traria entrevistas apenas de personalidades do mundo artístico e intelectual, como atores, escritores e pensadores. O ‘Roda Viva’ ‘tradicional’, há 18 anos no ar, que eventualmente também traz escritores e atores, ficaria apenas focado em entrevistas com abordagens políticas e econômicas.

Pelos planos da TV Cultura, a nova franquia do ‘Roda Viva’ terá outro apresentador e novo cenário, ou o mesmo cenário com alguns aspectos diferenciados (luz, cor). O programa deve ir ao ar no mesmo horário do ‘tradicional’, às 22h30. O provável dia de exibição é terça-feira.

O projeto do novo ‘Roda Viva’ foi encomendado por Marcos Mendonça, que assumiu a presidência-executiva da emissora em junho. Em março de 2005, ele quer estrear a programação que terá a marca de sua gestão.

OUTRO CANAL

Motivo 1 Um mês após a saída de Marlene Mattos, executivos da Band finalmente dão o diagnóstico do fracasso da diretora na emissora. São três as razões. A principal delas: a equipe que Mattos levou da Globo para a Band foi considerada muito fraca.

Motivo 2 Marlene Mattos também não emplacou na Band porque não priorizou suas energias na faixa das 17h à 0h, que é a que mais importa para a emissora. Ela se dispersou por toda a grade, a partir do matinal ‘Dia Dia’. E investiu num programa para as 23h aos sábados, o de Preta Gil, que era uma das últimas prioridades.

Motivo 3 Pesou ainda contra a executiva sua ‘falta de química’ com Gilberto Barros e Márcia Goldschmidt.

Na boa Angélica e Luciano Huck estão adorando as piadas sobre eles no ‘Casseta & Planeta’. Tanto que toparam participar do humorístico. Gravam no próximo dia 7.

Mau humor A Record está fazendo uma ‘CPI’ na produção de ‘O Aprendiz’ para tentar descobrir de onde estão vazando informações ‘confidenciais’ do programa _como os próximos eliminados.

Carboidrato O ‘Boa Noite, Brasil’, da Band, vem crescendo no Ibope nos últimos dois meses. Anteontem, empatou com ‘O Aprendiz’ (Record) e bateu o ‘Show do Tom’ por oito pontos a sete.’

***

‘Cultura terá comédia e microssérie em 2005’, copyright Folha de S. Paulo, 25/11/04

‘A TV Cultura retornará em 2005 à produção de teledramaturgia para adultos, atividade que abandonou nos anos 80, com comédias gravadas em teatro, como o extinto ‘Sai de Baixo’ (Globo), e microsséries de cinco capítulos.

No próximo dia 13, será gravado no teatro Franco Zampari, em São Paulo, o piloto do projeto de teleteatro ‘Senta que Lá Vem Comédia’. O primeiro texto será ‘Defeito de Família’ (1870), de França Júnior. Conta a história de uma mocinha ‘casadoira’ que tem um problema que não quer que seja revelado ao noivo.

A noiva será a atriz Amanda Costa e o noivo, Cláudio Fontana (de ‘Um Só Coração’, da Globo, e ‘Seus Olhos’, do SBT). A direção será do ator John Herbert, que até a semana passada estava no ar na Globo, na novela ‘Cabocla’.

Herbert foi escolhido por sua experiência como diretor e por ter feito ‘Alô Doçura’ (1954/1964), clássico do gênero no Brasil.

‘A idéia é contar a história da comédia de costumes brasileira, numa sobreposição da linguagem da televisão na do teatro’, afirma Analy Alvarez, coordenadora do recém-montado núcleo de dramaturgia da Cultura.

O piloto deverá ir ao ar no final do ano. A partir de março, a Cultura pretende exibir um episódio por semana. Também em março, a emissora planeja começar a gravar microsséries com textos de autores brasileiros, que já estão sendo adaptados.

OUTRO CANAL

Casa nova Ex-SBT e Globo, a repórter Maria Cândida fechou com a Record e irá fazer reportagens de cinema para o ‘Domingo Espetacular’. Sua estréia, no próximo domingo, será com uma entrevista com Tom Hanks. Depois virão Richard Gere e Jennifer Lopez. Ela também terá um quadro no ‘Tudo a Ver’.

Casa velha Celso Tavares, que deixou a Band em setembro, onde ocupava o cargo de diretor de planejamento, já está de volta à emissora. Foi recontratado para cuidar de eventos. Dirigirá os projetos de Réveillon, verão e Carnaval.

Vermelho Em seu segundo capítulo, a novela das seis da Globo, ‘Como uma Onda’, caiu de 33 para 27 pontos de média, com apenas 59% dos televisores ligados _efeito do horário de verão.

Azul Já ‘Senhora do Destino’ nem se abala. Caminha para novos recordes. Até a semana passada, cravava 47,82 pontos de média desde o primeiro capítulo. Mais do que as últimas quatro do horário.

Próximos Luiz Suplicy foi poupado por Roberto Justus em ‘O Aprendiz’ de anteontem, mas não irá adiante. Ele e Flávio Melo já foram ‘demitidos’. O programa de terça deu 12 pontos, sua melhor audiência. E ‘A Escrava Isaura’ retomou a vice-liderança em seu horário, batendo o SBT por 11 a dez pontos.’



TV / BAND
Daniel Castro

‘Band vai adaptar ‘Cinderela’ argentina’, copyright Folha de S. Paulo, 26/11/04

‘A novela que marcará o retorno da Band à teledramaturgia tem o esquisito nome de ‘Floricienta’ (mistura de Flor com ‘Cinderela’ em espanhol), faz sucesso na Argentina, começa a ser gravada em janeiro (em São Paulo ou no Rio) e vai ao ar a partir de março.

A Band se prepara desde o ano passado para voltar a produzir telenovelas. Ensaiou uma parceria com a portuguesa NBP, mas fechou mesmo foi com as argentinas Cris Morena (‘Chiquititas’) e RGB (‘Popstars’).

O marketing vende ‘Floricienta’ (o nome será outro no Brasil) como uma ‘Cinderela do século 21’. A protagonista, Flor, de 20 anos, é uma herdeira rica que não sabe dessa condição. Para sobreviver, trabalha num ‘castelo’, como assistente de professora de uma milionária família de órfãos alemães. Seu ‘príncipe’ é o mais velho dos seis irmãos, Federico, 25. Entre eles, haverá, é claro, uma ‘madrasta’ malvada.

Flor tem um lado ‘clandestino’: participa de um grupo de canto e dança. A novela é colorida, alegre e musical _na Argentina, vende CD, show, tênis e até figurinhas.

Segundo Marcelo Parada, vice-presidente da Band, esse licenciamento também será explorado no Brasil. A novela terá uma ‘adaptação cultural’ para o país. Parte do elenco será escolhido em teste aberto. Os interessados, de seis a 20 anos, deverão comparecer na Band nos próximos dias 11 ou 12. É preciso saber cantar e dançar.

OUTRO CANAL

Marola 1

A novela das seis da Globo, ‘Como uma Onda’, não está conseguindo surfar no Ibope. Em seu terceiro capítulo, deu 26 pontos. E não é culpa só do horário de verão. Sua participação no total de TVs ligadas foi de 47%, no limite do admissível para a Globo.

Marola 2

Isso significa que, de cada dez televisores ligados, metade estava sintonizado na novela e metade, na concorrência.

Nada definido

Continua a novela sobre o especial de fim de ano de Roberto Carlos. O programa, que seria no Maracanã, foi ‘transferido’ para São Paulo, mas já teve o Claro Hall (Rio) cogitado como palco. Agora, o local da vez é o Credicard Hall (SP). Mas pode ser também no Projac (estúdios da Globo no Rio).

Vem aí

Estão adiantadas, mas ainda distantes de serem fechadas, as negociações entre a produtora Picante Pictures e a Rede TV! para a exibição de ‘Mano a Mano’. A ‘sitcom’, no estilo americano, é ambientada em morro do Rio e protagonizada por dois negros, um deles Leandro Firmino da Hora, o Zé Pequeno de ‘Cidade de Deus’.

Opção

Foi por causa da série que o ator deixou ‘A Diarista’ (Globo).

Dedadas

Começa hoje a promoção do filme ‘Eliana em O Segredo dos Golfinhos’, que estréia em janeiro. Co-produtora do longa, a Record exibirá o trailer durante sua programação.’



TV / EUA
Marcelo Marthe

‘Viva o cinismo’, copyright O Globo, 30/11/04

‘Os melhores seriados americanos da atualidade rezam pela cartilha do cinismo. Programas como Desperate Housewives, Nip/Tuck e Arrested Development – o primeiro exibido no Brasil pelo canal Sony e os outros pela Fox – pintam um retrato desolador da sociedade atual. O cinismo está na ausência de reprovação: a miséria da vida familiar e a falta de escrúpulos generalizada entre os personagens são expostas como fatos da vida, que estão ali para causar um riso amargo, não para ser condenados. Parafraseando o poeta francês Charles Baudelaire, é como se os protagonistas das séries dissessem: ‘Espectador hipócrita, meu semelhante, meu irmão!’. E o espectador acode ao chamado. Quando surgiu, em 2003, Arrested Development (Desenvolvimento Retardado) parecia fadada a não resistir um mês no ar, com sua visão demolidora de uma família de ricaços decadentes. Já chegou à segunda temporada e obteve a consagração no Emmy. Lançada há dois meses, a comédia dramática Desperate Housewives (Donas-de-Casa Desesperadas) hoje é o segundo programa mais visto nos Estados Unidos. Seu criador, Marc Cherry, ouviu um não de seis canais ao tentar vender a idéia. A rede ABC, combalida por não emplacar um seriado de grande audiência desde os anos 90, topou a empreitada. Um golpe certeiro.

Não há alma que se salve entre os personagens desses seriados – que são dramaturgia do melhor calibre. Tome-se o núcleo familiar de Arrested Development. Depois que o patriarca é preso por fraude, cabe ao filho Michael tocar seus negócios. O próprio Michael não é um exemplo de retidão – e se vê atormentado por parentes sanguessugas. Nip/Tuck satiriza o mundo das cirurgias plásticas com dois médicos que são canalhas rematados e se alimentam da futilidade alheia. Desperate Housewives não fica atrás. O seriado é protagonizado por mulheres frustradas por terem feito as opções erradas na vida. A fogosa Gabrielle trai o marido com um jardineiro, e acaba nas mãos de uma trapaceira pior: a garotinha que descobre seu segredo e a chantageia. Bree é obcecada em manter a imagem de esposa perfeita – mesmo que ao custo da estabilidade de seu casamento. A atmosfera pacata do subúrbio em que se passa Desperate Housewives esconde um segredo criminoso. Um bom truque para criar suspense – mas também uma metáfora da podridão sob a vida de todos ali.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem