Terça-feira, 24 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº963

ENTRE ASPAS > QUINTA-FEIRA, 22/03

Jornalista Miguel Jorge
substituirá Luiz Furlan

Por Luiz Antonio Magalhães em 22/03/2007 na edição 425


Leia abaixo os textos de quinta-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Quinta-feira, 22 de março de 2007


SEGUNDO MANDATO
Sonia Racy


Miguel Jorge substitui Furlan


‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desatou ontem dois nós decisivos da reforma do primeiro escalão, ao escolher o executivo Miguel Jorge para o Ministério do Desenvolvimento e o deputado Reinhold Stephanes (PMDB-PR) para o Ministério da Agricultura. Com isso, fica faltando apenas definir quem vai comandar o Desenvolvimento Agrário – no qual o atual titular, Guilherme Cassel, tem grandes chances de permanecer – e se haverá troca de guarda na Defesa – Waldir Pires pode ser substituído pelo deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP).


Miguel Jorge é vice-presidente do Santander e membro do Conselho Consultivo do Grupo Estado. Jornalista, foi editor-chefe do Estado. Ontem Jorge esteve em Brasília e, em conversa com Lula, foi convidado para assumir a vaga de Luiz Fernando Furlan. O executivo aceitou.


A escolha de Stephanes deve ser confirmada oficialmente na tarde de hoje, quando ele e o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (PMDB-SP), terão encontro com Lula. O chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, telefonou ontem à noite para Temer convocando-o para a audiência em companhia de Stephanes. O telefonema ocorreu 15 minutos depois de o próprio Lula ter antecipado sua escolha a um grupo de senadores do PTB, recebidos no gabinete presidencial junto com Walfrido Mares Guia, petebista que amanhã assume Relações Institucionais.


‘O presidente disse que escolheu o Reinhold como ministro. Ele disse que ainda iria conversar com o deputado, mas que ele era o indicado e tinha a chancela do partido’, resumiu o senador Mozarildo Cavalcanti (RR), ao deixar o Planalto. ‘Somos cinco senadores do PTB, estamos na base e fomos pedir para ter um relacionamento mais direto com o presidente’, completou, ao revelar o motivo da audiência.


Em poucos minutos a notícia chegava ao conhecimento da cúpula do PMDB. Temer passara um dia tenso e sem qualquer contato com o Planalto, administrando pressões de ruralistas e peemedebistas de diversas alas, todos em disputa aberta pelo comando da Agricultura.


A demora do presidente em apontar o nome do novo ministro, que se arrastava há três dias, acabou gerando dúvidas sobre a escolha de Stephanes ontem, embora na véspera sua nomeação fosse dada como certa.


A indefinição não só mobilizou ruralistas de vários partidos, como envolveu o ex-ministro Roberto Rodrigues na briga pelo cargo e ainda pôs em confronto os governadores do Paraná, Roberto Requião (PMDB), e do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR).


‘Essa demora na escolha abre espaço para o jogo de pressão porque a bancada tem vários candidatos e é natural que todos se articulem’, queixou-se o líder Henrique Eduardo Alves (RN). ‘Não queremos que o presidente Lula sofra pressão, pois ele foi correto com o PMDB.’


COLABORARAM CHRISTIANE SAMARCO e TÂNIA MONTEIRO’


TV PÚBLICA
Gerusa Marques


TV de Lula não é a que Chávez faz, diz ministro


‘O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse ontem que a TV do Executivo, proposta por ele na semana passada, não é uma TV estatal. ‘Absolutamente não. TV estatal é o que o Chávez faz’, disse, referindo-se ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que tem liderado movimento de estatização das redes de TV naquele país.


‘TV estatal é o que se faz em Cuba; é o que se fazia na Polônia e na antiga União Soviética. E eu estive em todos esses lugares para saber perfeitamente a diferença entre estatal e pública’, disse o ministro, em entrevista sobre a implantação do rádio digital no País.


Desde a semana passada, quando apresentou ao presidente Lula projeto de criação de rede nacional de TV pública, começou a discussão sobre a diferença entre TV pública, voltada para a sociedade, e TV estatal, exclusiva para promover o governo.


‘O que nós estamos fazendo é apresentar proposta que estará em discussão, primeiro na Casa Civil, e que será levada ao presidente da República’, disse Costa, ressaltando que esse debate deve passar pelo Congresso. ‘Não tem ninguém querendo fazer TV estatal, nem culto à personalidade.’


Ele lembrou que a criação do canal do Executivo já está prevista no decreto de implantação da TV digital, editado no ano passado, juntamente com os canais da Cultura, da Educação e da Cidadania. ‘Estou fazendo uma proposta honesta, dizendo: ‘Temos espaço para fazer redes públicas de TV que podem atender à educação, à cultura e à comunidade’. E de repente parece que estamos propondo uma coisa totalmente do outro mundo’, lamentou, assegurando que pretende utilizar a estrutura da Radiobrás.


Reacendendo divergência antiga com o ministro da Cultura, Gilberto Gil, Costa aproveitou a discussão da TV pública para alfinetar a Cultura, cujos principais técnicos têm restrições à sua proposta de TV do Executivo. O ministro disse que, ao sugerir a rede pública, não abordou o conteúdo do canal.


‘Não disse se é para mostrar a cara do presidente, o programa A ou B’, afirmou. ‘Quem se intitula em querer falar de TV pública, e eu não sei quem lhe deu essa delegação, é o Ministério da Cultura. Fique com eles. Estou passando de papel passado. Por favor, quando quiser falar de TV pública agora pergunte ao ministro Gilberto Gil, não é comigo mais.’


Há um ano, os dois ministros protagonizaram discussão pública. Gil leu um cordel no qual Costa foi chamado de boçal, durante aula inaugural na Universidade Federal do Rio de Janeiro. O ministro das Comunicações reagiu irado, dizendo entender por que os amigos de Gil o chamavam de ‘Gilberto Vil’. O cordel criticava a atuação de Costa no processo de discussão da TV digital.


Na próxima semana, haverá, segundo o ministro, reunião entre ele, Lula, Gil e os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, da Educação, Fernando Haddad, e da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, para avançar na elaboração da proposta sobre TVs públicas.’


TELECOMUNICAÇÕES
Gerusa Marques


Hélio Costa critica Anatel por veto à compra da Way TV


‘O ministro das Comunicações, Hélio Costa, criticou ontem a decisão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de vetar a compra da operadora mineira de TV a cabo Way TV pela operadora de telecomunicações Oi, novo nome da Telemar. O veto da Anatel veio pouco mais de uma semana depois de a agência ter concedido licença para a Telefônica operar serviço de TV por assinatura via satélite (DTH). Costa disse que vai fazer ‘sugestões’ à Anatel sobre o assunto, já que o conselho diretor da agência ainda analisará um recurso da Oi.


‘Se você cria obstáculo para que a grande empresa nacional participe do setor, mas abre caminho para que outras empresas de fora possam fazer isso, você está prejudicando a empresa de capital nacional’, disse Costa em entrevista para falar da instalação do conselho consultivo que vai elaborar uma proposta para a implantação do rádio digital no Brasil.


A Telefônica é controlada pelo grupo espanhol de mesmo nome e a Oi tem entre seus acionistas fundos de pensão brasileiros, a construtora Andrade Gutierrez e a BNDESPar.


O ministro disse que esse é um procedimento que deve ser analisado ‘cuidadosamente’, pensando na preservação da empresa nacional. ‘A nossa posição, do Ministério das Comunicações, é ver se o interesse público foi preservado, porque as políticas de telecomunicações passam por aqui’, afirmou.


Ele disse que quando o ministério tiver concluído sua análise sobre o caso, vai procurar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. ‘Evidentemente, podemos fazer uma sugestão’, disse. ‘Não podemos impor nada porque se trata de uma agência, mas podemos sugerir.’


O principal argumento usado pela Anatel para vetar a compra foi o de que o contrato de concessão da telefonia fixa, assinado com a Oi, proíbe que as concessionárias adquiram concessão ou autorização de TV a cabo na mesma área em que já opera serviço de telefonia fixa – no caso, Minas Gerais.


O contrato só menciona o serviço de TV a cabo e não trata das demais tecnologias de TV por assinatura, como microondas terrestres (MMDS) e satélite – caso da autorização dada à Telefônica. O ministro lembra que tanto a procuradoria da Anatel quanto a Superintendência de Comunicação de Massa da agência deram pareceres favoráveis à compra da Way TV.


Na terça-feira, o diretor de regulamentação da Oi, Alain Riviere, disse esperar que, com as mudanças que ocorrem na Anatel – como a entrada de novos conselheiros e a revisão no plano de outorgas da TV a cabo -, a decisão de vetar a compra da Way Tv seja revista. ‘Existe na agência um sentimento pró-convergência’, disse o executivo.’


EUA
O Estado de S. Paulo


Vídeo contra Hillary é popular na internet


‘Um vídeo contra a pré-candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, no qual ela faz paródia de um comercial da empresa de computadores Apple contra a gigante IBM já teve mais de 1,4 milhão de acessos na internet. O nome do vídeo da Apple, 1984, faz alusão ao livro do escritor George Orwell, que retrata uma sociedade totalitária. O principal rival de Hillary, Barack Obama, negou ter ligação com o vídeo.’


ITÁLIA
O Estado de S. Paulo


Foto expõe assessor de Prodi a escândalo


‘Silvio Sircana, deputado e porta-voz do primeiro-ministro italiano Romano Prodi, afirmou ontem que não vai renunciar ao cargo após envolver-se num escândalo – ele foi fotografado conversando com um travesti nas ruas de Roma. Suspeita-se que Sircana, nomeado porta-voz há menos de um mês, estava sendo chantageado pelos paparazzi que fizeram as fotos, em setembro do ano passado.


A imagem de Sircana dentro de seu carro conversando com uma figura feminina, que estava parada na rua, foi publicada ontem pelos principais jornais do país. O caso causou constrangimento, pois o porta-voz é casado e tem dois filhos.


Sircana disse que ficou chocado ao ver a foto e definiu sua conduta como ‘um momento de curiosidade estúpida’ com um ‘suposto travesti’. A imagem foi vendida no ano passado por 100 mil euros a uma revista, que decidiu não publicá-la. Agora, ao tomar conhecimento da existência da imagem, Sircana decidiu tornar o fato público para evitar constragimentos.


A imprensa italiana especula, no entanto, que Sircana é mais uma vítima do esquema de extorsão dos paparazzi contra celebridades. O esquema envolveria exigência de dinheiro para que fotos comprometedoras de jogadores de futebol e artistas flagrados em situações embaraçosas não sejam vendidas ou publicadas. Uma quadrilha já foi desbaratada. Sircana não admite ter sido chantageado.


Apesar das críticas da oposição, que está em confronto com o governo por causa de um debate sobre valores familiares, Sircana afirmou que tinha total apoio de Prodi e que renunciar não fazia parte dos planos. ‘Por que eu deveria renunciar? Por causa de uma não-história?’, disse ele ao jornal La Stampa. ‘Não se pode punir alguém na imprensa por um pequeno e estúpido erro ocorrido em uma noite de verão’, afirmou.


O escândalo acontece justamente quando o governo Prodi faz campanha por uma lei que reconheça a união de casais do mesmo sexo, contra a qual se opõe veementemente a Igreja Católica e os conservadores.


O governo está na linha de fogo. Há menos de um mês, teve de renunciar porque não obteve apoio parlamentar para sua política externa. ‘Talvez Sircana seja o melhor porta-voz para esse governo vergonhoso’, declarou a conservadora Alessandra Mussolini, que acrescentou que os últimos episódios demonstravam que o governo necessitava de ‘fibra moral’.’


MEMÓRIA / GUILHERME ARAÚJO
Pedro Dantas


Morre o produtor Guilherme Araújo


‘O produtor musical e empresário Guilherme Araújo, de 70 anos, faleceu na manhã de ontem no hospital Clínica Ipanema, na zona sul do Rio, vítima de uma infecção generalizada. Ele entrou para a história da música popular brasileira ao dirigir o show Recital, o primeiro de Maria Bethânia, realizado na boate Cangaceiro, em Copacabana, em 1966. Ganhou notoriedade quando passou a empresariar a linha de frente do movimento tropicalista. Além de Bethânia, Araújo cuidou dos negócios e da imagem de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Gal Costa por décadas.


Araújo lutava nos últimos anos contra diabete e hipertensão e era cardíaco. Entrou no hospital no início do mês e alguns dias depois teve a perna direita amputada. ‘Ele saiu da cirurgia bem e conversando, mas estava com muita dor nos últimos dias e parou de comer. Os médicos fizeram exames e detectaram que a infecção se espalhara pelo corpo’, disse Marilza Araújo, irmã do produtor.


Ele escolheu o nome artístico de Gal Costa, idealizou e dirigiu um programa de televisão com os tropicalistas, cujo nome, Divino Maravilhoso, era um bordão usado por ele na época. Também tirou do lixo o papel que Tom Zé jogou fora com a letra de Zera a Reza que se tornou um clássico dos Mutantes.


Muito abalada, em Salvador, Gal Costa afirmou que Araújo foi ‘um grande homem para a cultura brasileira’. Além da experiência com ele como tropicalista, ela foi dirigida pelo produtor nos shows Gal Tropical em 1979 e Fantasia, três anos depois. ‘Ele era muito mais que um empresário, Guilherme era um artista e foi muito importante na minha vida, na de Gil, de Caetano e de Bethânia. O Brasil perde um criador’, declarou a cantora.


Gal lembrou o último encontro com o produtor nos camarins de um show dela nas areias da Praia de Ipanema, na zona sul do Rio. ‘Ele entrou no camarim, elogiou o show e disse que sentia muita falta da mãe dele. Achei bonito, mas tive a sensação que ele estava desistindo da vida ali. A prova disso é que morreu cedo, pois poderia ter criado muitas coisas ainda’, contou Gal.


Em New Bedford, no Estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, o ministro Gilberto Gil se manifestou por meio de sua assessoria, após receber a notícia. ‘Guilherme Araújo era um amigo, um companheiro do Tropicalismo, vou sentir saudades dele. Fizemos muitos trabalhos importantes juntos e acabamos cultivando uma boa amizade, era uma pessoa querida para mim’, afirmou Gil.


‘Ele era um empresário comercial com ambição criativa. Tinha idéias modernas. Acho que ele queria ser o Brian Epstein (empresário dos Beatles) brasileiro. Guilherme foi o quinto doce bárbaro’, disse o escritor e produtor Nelson Motta, que viveu em Nova York nos anos 90. No mesmo período Araújo anunciou a aposentadoria e foi morar na cidade norte-americana.


Nos últimos anos, Araújo tinha uma vida social discreta. De acordo com os parentes, mesmo doente ele passeava pelo calçadão de Ipanema em uma cadeira de rodas empurrada por uma das três enfermeiras que cuidavam dele.


Araújo está sendo velado desde ontem na capela 2 do cemitério São João Batista, em Botafogo (zona sul), e será cremado hoje, às 15 horas, no cemitério São Francisco Xavier, no Caju (zona portuária).’


TELEVISÃO
Beatriz Coelho Silva


Ó, Paí, Ó vira série


‘A exemplo do que se deu com Cidade de Deus e Antônia, filmes que deram cria na TV, o longa-metragem Ó, Paí, Ó, que chega aos cinemas dia 30, vai virar seriado na TV Globo em 2008. O projeto, sob a alçada do núcleo Guel Arraes, contará com os protagonistas do filme, Lázaro Ramos e Wagner Moura, além dos diretores Monique Gardemberg, Caroline Jabour, Márcia Faria e Sérgio Machado.


Outro ator que já se candidatou ao seriado, embora não esteja no filme, é Vladimir Brichta. O desdobramento do filme em série também é favorecido pelo fato de o título contar com a grife da Globo Filmes. O enredo é centrado em um cortiço do Pelourinho, em Salvador, e representa uma boa chance de a Globo desviar ligeiramente seu foco do eixo Rio-São Paulo no gênero.


Para este ano, a Globo produzirá uma segunda temporada de Antônia, novamente em parceria com a O2 Filmes. O revezamento de séries nas noites de sexta-feira da Globo assegura ainda vaga a Minha Nada Mole Vida e Carga Pesada. No mais, a faixa nobre da Globo mantém A Diarista e Casseta & Planeta às terças e A Grande Família às quintas.


entre-linhas


A Globo pagará US$ 340 milhões, em parcelas ao longo de oito anos, pelas duas próximas Copas do Mundo. O valor pode cair a US$ 300 milhões, caso a Copa de 2014 não seja no Brasil. As informações foram anunciadas pela Tela Viva, publicação especializada no setor, após a divulgação do último balanço da Globo, na sexta-feira.


Um link entre Pedro Bial e Jorge Rial (a rima é involuntária), apresentador do Gran Hermano 4 – versão do reality na Argentina -, será armado na edição de amanhã do Big Brother Brasil. A cena faz parte do pacote que trouxe Pablo, um dos eliminados do reality show portenho, à casa de Jacarepaguá.


Aliás, Pablo, o argentino, contou aos brothers brasileiros que a casa na Argentina tem metade do tamanho da do BBB, começou com dois integrantes a mais e só tem uma festa por semana. Ah, e o prêmio não chega a 10% do milhão prometido aqui.


Alemão então lamentou com o portenho que ele não tivesse nascido aqui. De quebra, ele ainda poderia vestir uma camisa do Pelé, e não do Maradona, como era o caso anteontem.


Geena Davis e Susan Sarandon brincam de entrevistar uma a outra e George Clooney entrevista Julia Roberts. Hoje, na Oprah Winfrey, às 20h, no GNT.


Na terça-feira, o Hoje em Dia, da Record, ficou em primeiro lugar durante 1h12 com 7 pontos de média de audiência ante 6 da Globo e do SBT, na faixa das 8h39 às 11h59, em São Paulo.’


************


Folha de S. Paulo


Quinta-feira, 22 de março de 2007


TV PÚBLICA
Humberto Medina


Para ministro de Lula, TV estatal quem faz é Chávez


‘A TV pública do governo federal poderá ser feita por meio de PPP (Parceria Público Privada), disse ontem o ministro Hélio Costa (Comunicações). As empresas poderiam custear a programação em troca de desconto no Imposto de Renda.


Ontem, em tom de desabafo, o ministro disse que a sua proposta não é a criação de uma TV estatal, e sim de uma TV pública. Segundo Costa, ‘TV estatal é o que o Chávez faz’.


Costa aproveitou também para criticar o Ministério da Cultura, envolvido na discussão sobre o projeto.


‘Uma das maneiras que nós temos de tratar a TV pública é propor uma espécie de PPP. Propõe-se PPP para tudo, por que não se pode propor uma PPP para a TV pública?’, disse.


‘Se alguma empresa estiver querendo participar desse projeto, nós vamos pedir à Receita que estude uma maneira de esse dinheiro colocado na TV pública entrar como desconto no Imposto de Renda. É uma maneira de trazer o empresário para participar de um projeto social importante’, afirmou ele, sem dar mais detalhes.


Segundo Costa, esse tipo de parceria valeria mais para os canais de educação e cultura e citou como exemplo o canal Futura. O Futura está nas TVs por assinatura Net, Sky e DirectTV. A Rede Globo, ex-empregadora do ministro, é uma de suas parceiras.


Ontem, quando questionado objetivamente se a TV que defende seria estatal ou pública, Costa aproveitou para provocar setores do governo mais ligados à esquerda. ‘TV estatal é o que o Chávez faz, TV estatal é o que se faz em Cuba, TV estatal é o que se fazia na Polônia, TV estatal é o que se fazia na antiga União Soviética. Estive em todos esses lugares para saber perfeitamente qual é a diferença entre estatal e público.’


O ministro afirmou que a criação de uma rede pública poderia partir da ampliação da Radiobrás que, segundo ele, hoje chega só a 30% do país.


E afirmou ainda ter havido incompreensão do que ele estava propondo. ‘É um absurdo você pensar que o ministro das Comunicações, que é um profissional do setor de comunicações e um senador, vá fazer alguma proposta que não seja do interesse público’, disse.


‘Não tem ninguém querendo fazer TV estatal, não tem ninguém querendo fazer culto de personalidade’, declarou.


Desabafo


O ministro voltou a entrar em conflito com o Ministério da Cultura, com quem já discutira publicamente há um ano.


‘Quem se intitula em querer falar de TV pública -e eu não sei quem lhe deu essa delegação- é o Ministério da Cultura. Fique com eles, estou passando de papel passado. Por favor, quando quiserem falar de TV pública agora perguntem ao ministro Gilberto Gil. Não é comigo mais’, disse Costa.


O Ministério da Cultura informou que esperaria a publicação das declarações para se pronunciar.


O secretário-executivo do Ministério da Cultura, Juca Ferreira, disse em entrevista à Folha na terça-feira que era a favor de uma TV pública, ‘e não de uma TV estatal, a serviço do governante de plantão’. Ferreira afirmou ainda que ‘estranhava’ o anúncio da iniciativa do governo pelo ministro das Comunicações.


Essa é segunda vez que as duas pastas entram em conflito. Em março de 2006, Gil leu um cordel no qual Costa era chamado de ‘empresário boçal’. O ministro das Comunicações reagiu chamando Gilberto Gil de ‘Gilberto Vil’.’


TELECOMUNICAÇÕES
Humberto Medina


Ministro critica veto à compra da Way Brasil


‘O ministro das Comunicações, Hélio Costa, criticou a decisão da Anatel de vetar a compra da operadora de TV a cabo Way Brasil pela Telemar. Segundo o ministro, a decisão prejudica uma empresa nacional.


‘A minha maior preocupação é pensar na preservação da empresa nacional. Se você cria obstáculos para que a grande empresa nacional não participe do setor, mas abre o caminho para que outras empresas de fora possam fazer isso, está prejudicando a empresa de capital nacional’, afirmou.


‘Quando estivermos com a análise completa, vou levar ao presidente da República e podemos fazer sugestões. Não podemos impor nada porque se trata de uma agência, mas podemos sugerir’, disse.


Em julho, a Telemar comprou a Way Brasil por R$ 132 milhões. O fechamento do negócio dependia de uma anuência prévia da Anatel, negada segunda-feira. No dia 7, a agência permitiu que a multinacional Telefônica operasse TV por assinatura via satélite. De acordo com a Anatel, foi dada a autorização porque a legislação não impede que ela opere com tecnologia DTH.’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


‘Top ten’


‘Com ‘metodologia mais inclusiva’, começou o site do ‘Wall Street Journal’, sem destaque, o Brasil ‘divulgou números revisados do PIB’. De um lado, ‘revelam um produto maior no geral’, de outro, ‘mostram maior expansão nos anos [Lula] e certa queda nos anos [FHC]’. Ficou por aí, sem crítica ou louvor. O argentino ‘La Nación’, em contraste, destacou na home o enunciado ‘Brasil no ‘top ten’ econômico mundial’, dizendo que foi após ‘retoques no cálculo’. Nos sites em inglês, a agência Reuters abria dizendo que ‘a economia cresceu mais do que estimado anteriormente, segundo metodologia que adiciona segmentos’. Nos sites em espanhol, a Efe abria dizendo que ‘a economia passou a ser a décima do mundo, segundo a nova fórmula’.


AGORA, A ARGENTINA


O ‘La Nación’ também destacou a ‘dura réplica’ de um ministro argentino à Petrobras, dizendo no rádio que ‘de maneira nenhuma’ sugeriria a Lula, como fez a estatal, qual deve ser sua política de preços. Ecoou por Dow Jones e Bloomberg, esta ressaltando que a ‘Argentina pode rever contratos com a Petrobras’.


BILL RHODES, A VOLTA


No ‘Financial Times’, ressurge um velho conhecido. Bill Rhodes, protagonista da negociação da dívida externa, hoje ‘banqueiro sênior’ do Citigroup, previu ‘tremores nos mercados emergentes, argumentando que os ativos latino-americanos estão acima dos fundamentos econômicos em muitos casos’.


SOMBRAS E MODERAÇÃO


Enquanto ecoa no exterior a notícia de que o moderado d. Odilo Scherer é o futuro arcebispo de São Paulo, por aqui os textos de Frei Betto se reproduzem por sites como Brasil de Fato, ligado aos sem-terra, e Adital, ligada à igreja progressista, falando das ‘sombras da Inquisição’ que se estendem ‘às vésperas da primeira viagem do papa Bento 16 à América Latina’. Cita a condenação do teólogo salvadorenho Jon Sobrino e levanta perguntas sobre a missa em latim e a ‘praga’ do segundo casamento, dizendo que ‘Sua Santidade ressuscitou o que o concílio Vaticano 2º havia enterrado’.


DELL E OS BRICS


Não é a guerra dos laptops, mas pode abrir outra frente de conflito, nos PCs. O ‘WSJ’ e outros destacaram que a Delll, para ‘aumentar as vendas nos países em desenvolvimento’, lançou um computador de US$ 335. Segundo Michael Dell, será ‘vendido primeiro na China e depois outros, inclusive Índia e Brasil’.


BLOGS, 10


‘Alguém, em algum lugar, criou o primeiro weblog’, começou com ironia a matéria do CNET News.com sobre os dez anos dos blogs. O problema é determinar ‘quem é o pai’. O site arrisca os já célebres Dave Winer e Jorn Barger e outros, de quando a postagem decrescente nem havia se estabelecido na rede.


‘WIRELESS’ Na visão da Apple para os lares: PCs, laptops, som e aparelhos de TV ligados, sem fio, por seu novo ‘gadget’.


APPLE TV


Na reportagem mais lida ontem no site do ‘WSJ’, ‘a corrida para conectar sua TV a seu computador e à internet está para entrar em marcha acelerada esta semana, quando a Apple, que muitos acreditam ser a mais bem situada para a proeza, introduzir seu pequeno ‘set-top box’ chamado Apple TV’. No título, ‘Do PC à TV, via Apple’. O jornal testou, fez ressalvas e encerrou dizendo que o Apple TV ‘é um produto muito bem desenhado que, com facilidade, deixa o computador e a TV juntos’.’


FOLHA DE S. PAULO
Maria Sylvia Carvalho Franco


De nobres e esnobes


‘DE SETE em sete dias, por seis meses, servi a urbana e bela Imprensa. Decerto ‘mais servira se não fosse para tão longo amor tão curta a vida’. Reunir evidências e arrazoar -oferecer opinião- sobre temas graves, em espaço mínimo, consome tempo enorme.


Vou-me para outra sala. Agradeço à Folha a regalia desta janela aberta para vasta e rica paisagem.


Chegam, de todo o país, perguntas, comentários, pontas críticas, estímulos afáveis, advertências, debates. Tocaram-me seus matizes nos modos de pensar e de ser: de ledas irreverências a belas e antigas despedidas, ‘Deus a guie e ilumine’.


Àqueles que, generosos, me deram atenção, retribuí com prazer. A todos, muito obrigada.


Textos em série facilitam ajustar temas vastos a linhas breves. No tópico da violência, comecei pelo ideário moderno e depois fui aos processos históricos. Ao tratar desses momentos (teórico e prático), afastei o ‘determinismo’ social, econômico ou qual seja. Indiquei a rebeldia à dominação, no arrepio da consciência estóica, a verter ‘lágrima sobre a necessidade’, ciosa da liberdade interior e refugiada na quietude externa.


Coligi a representação do mundo moderno na consciência da época: escritos de J. Locke, opúsculo de Daniel Defoe exposto no Parlamento, tratado de Robert Burton sobre a melancolia. Na análise do presente, recorri a fontes seguras, como Alba Zaluar e Unicef. Citei dados de pronta verificação (alguém duvida?) sem ditar as sentenças dogmáticas da crítica fácil e truculenta.


Esta série, suturando partes discretas e conexas, é inútil ao sectário. A ele, fechado em antolhos, escapa que a estrutura do texto, articulada ao tópico investigado, o severo rigor de seu tratamento, integram longa tradição de saber e cultivo do espírito, legada pela universidade francesa às paulistas.


Quem nelas recebeu ‘formação’, dispensa regras intempestivas, esnobes e cabotinas de ‘alta cultura’. Com a herança cognitiva, foram batidos os alicerces de uma instituição republicana, de Estado. Nela, nada legitima transpor a vocação doutrinária para a científica.


Volto ao início: raras mensagens exalam intolerância. Dois exemplos. Alguém, à ‘esquerda’, exige calar os discordantes. Outro, à direita, busca ‘providências simples e práticas que amenizem/ reduzam a violência indiscriminada’.


Vocifera contra esta ‘intelectual alienada’, por fantasiar que ‘antes de combater a criminalidade é preciso acabar com a injustiça e a maldade humana’. Soluções ‘simples e práticas’ formam o arsenal totalitário. Mas aí, se ruim e iníquo forem atributos endógenos e inelutáveis, quem escapa ao campo de concentração e ao crematório.’


MEMÓRIA / LUIZ FERNANDO VIANNA
Luiz Fernando Vianna


Morre aos 70 produtor Guilherme Araújo


‘Em seu livro ‘Verdade Tropical’, Caetano Veloso escreveu que Guilherme Araújo foi ‘um co-idealizador do movimento [tropicalista]’. O produtor, responsável por parte da embalagem visual e comportamental do tropicalismo, morreu ontem, aos 70 anos, no Rio.


Diabético, hipertenso e cardíaco, Araújo estava internado há três semanas no Hospital Clínica Ipanema (zona sul). Ele foi hospitalizado por conta de uma infecção na perna direita, que teve de ser amputada. A piora de seu estado culminou em infecção generalizada.


Seu corpo foi velado ontem no cemitério São João Batista, em Botafogo (zona sul), e deverá ser cremado hoje no cemitério do Caju (zona portuária).


Vaidoso, ambicioso e muito inteligente, o carioca Guilherme Araújo foi um gênio do marketing muito antes de existir a expressão ‘marqueteiro’.


Os ‘baianos’ foram a melhor matéria-prima que poderia encontrar para pôr em prática seus sonhos.


Araújo, que começara a carreira realizando programas para a TV Tupi, aproximou-se do grupo através da única que nunca seria uma militante tropicalista. Fascinado por Maria Bethânia desde que a viu cantar no espetáculo ‘Opinião’, ele dirigiu a cantora em 1966, no show ‘Recital’.


Em seguida, passou a produzir Gal Costa, Gilberto Gil e Caetano Veloso. A independente Bethânia, no entanto, logo preferiu se dissociar de Araújo.


‘Guilherme era um personagem fascinante. Prognata, de braços finos e ombros estreitos, ele, que com sua feiúra combinada a um ar imodesto tinha tudo para ser repulsivo, terminava por cativar quem quer que transpusesse a barreira do primeiro impacto e realmente dele se aproximasse’, diz Caetano em ‘Verdade Tropical’.


O trecho ilustra o misto de fascínio e repulsa que sempre marcou a relação dos baianos com Araújo. Suas idéias cosmopolitas, seu interesse por Beatles e pela cultura pop, interessavam a Caetano e Gil, que aproveitaram a convivência com o produtor para fechar o ideário tropicalista -pequeno exemplo: ‘Divino, Maravilhoso’, nome de música e programa de TV do movimento, era uma expressão de Araújo.


De Gau a Gal


Mas também havia o outro lado. Araújo gostava de dar palpite em todas as etapas do trabalho, das roupas às letras. Muitas de suas sugestões eram consideradas fúteis de tão pop e revoltavam os artistas. Mas foi graças a ele, por exemplo, que surgiu o nome Gal Costa, pois antes a cantora era só Gracinha ou Gau (escrevia-se assim) para os íntimos.


Mesmo reconhecendo a importância dele para suas carreiras, aos poucos os baianos foram se afastando de Araújo, até por causa de sua porção empresário. Segundo Caetano em seu livro, ‘suas habilidades empresariais (…) se tornaram bastante desastradas com o tempo’.


Gil e Araújo chegaram a travar uma batalha judicial nos anos 90 por direitos sobre parte das músicas do compositor, mas depois chegaram a um acordo. Com Caetano e Gal, as pazes também foram feitas.


Outros nomes com quem Araújo trabalhou, como Jorge Ben Jor, Tom Zé e Jards Macalé, também deixaram de ser empresariados por ele na década de 70.


Nos anos 80 e 90, Araújo atuou mais em produções de casas noturnas -incluindo aí os famosos shows e festas do morro da Urca- e bailes de carnaval do Rio.’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Repaginado, ‘Casseta’ lança ‘Lula Esponja’


‘O programa ‘Casseta & Planeta, Urgente!’ volta ao ar dia 10 de abril comemorando 15 anos com um baile de debutante, um novo visual e novas séries e desenhos. Uma das promessas é a animação ‘Lula Esponja Cabeça Quadrada’.


Segundo o ‘casseta’ Claudio Manoel, será um sátira ao personagem Bob Esponja ‘com vários encaixes’ _entre eles o dos supostos hábitos etílicos do presidente da República.


Duas novas séries entrarão no ar: ‘High Esculacho Musical’ (de ‘High School Musical’, da Disney), com participação de Alinne Moraes nos primeiros episódios, e ‘MC Ferrow e MC Deumal’, sobre dois DJs cariocas buscando o sucesso.


Os humoristas já estão gravando o quadro ‘Casseta Brasil Adentro’, que percorrerá o país de van. A ‘apropriação’ da ‘Caravana JN’ ‘investigará estereótipos, mitos e lendas do país, se o baiano é preguiçoso, e o cearense, cabeça-chata’. E servirá para levar o ‘presidente’ a Garanhuns, sua terra natal.


O programa, no ar desde 1992, passará por reformulação visual e musical. Artistas gráficos foram convidados para cuidarem da videografia. Novas vinhetas estão sendo produzidas por músicos de rap e de forró. Até o figurino irá mudar, em um esforço de modernização.


E personagens que saíram do ar com a morte de Bussunda, como o ‘craque’ do Tabajara F.C., poderão voltar com outro intérprete com o Pan do Rio.


ALFABETO 1 O quadro ‘Soletrando’, do ‘Caldeirão do Huck’, está fazendo sucesso também na Academia Brasileira de Letras (ABL). Anteontem, Luciano Huck recebeu convite para, juntamente com os participantes do quadro, tomar um chá com os ‘imortais’. O encontro será gravado pela Globo.


ALFABETO 2 A ABL também doará 4.000 livros para as escolas públicas em que estudam os participantes do ‘Soletrando’.


ORIGINAL As reprises do ‘Programa do Jô’ estão derrubando a audiência da Globo. Anteontem, o ‘talk show’ deu 6,3 pontos, a metade do que ‘Lost’ registrava no horário. Mesmo assim, diante da inanição da concorrência, foi líder no Ibope.


ASSÉDIO TOTAL A Record está negociando firme para tirar do SBT a afiliada de Manaus. E ‘namora’ a TV Jangadeiro, de Tasso Jeireissati, parceira da rede de Silvio Santos no Ceará.


ASTÚCIA As caixas postais do SBT viraram alvo da ira dos fãs da série ‘Chapolin’, que Silvio Santos mandou tirar do ar sem aviso.


MIGRAÇÃO A Record negocia a contratação de Ignacio Coqueiro, ex-Globo e atualmente diretor-geral da malsucedida novela ‘Paixões Proibidas’, da Band.


REGISTRO O último capítulo de ‘Bicho do Mato’ (Record), com casamento rezado por padre, deu 18 pontos. E ‘Paraíso Tropical’ (Globo) se segurou nos 38.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem