Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1033
Menu

ENTRE ASPAS >

Keila Jimenez

12/05/2005 na edição 328


‘Reserva de mercado. A Globo sabe bem o que é isso quando se trata de prender seu rebanho. A novidade é que essa ‘reserva’ agora é a longuíssimo prazo. A emissora promoveu uma operação de urgência para renovar contratos ainda em vigência de seus atores e, principalmente, de seus autores, fonte mais credenciada para o sucesso das novelas da casa. Alguns dramaturgos da rede – principalmente os da nova safra, como Sérgio Marques, João Emanuel Carneiro e Ricardo Linhares – têm sido procurados para firmarem sua permanência na casa até 2010.


O mesmo tem ocorrido com as grifes de primeiro time. Aguinaldo Silva é um dos top de linha que renovou seu contrato até 2010. Gilberto Braga, Walcyr Carrasco e Manoel Carlos também estão no time com contrato a perder de vista na emissora.


Essa estratégia da Globo, que desde o fim dos anos 90 vinha fazendo contratos mais curtos, voltou à tona por causa do medo da concorrência, principalmente da Record. Aguinaldo Silva e Gilberto Braga foram sondados pela TV de Edir Macedo.


A Globo também está preocupada com o cast fixo de dramaturgia que a Record está montando. A emissora quer ter pelos 20 atores com contratos de até três anos. Até então, a rede só fazia contratos por obra certa. A idéia é impedir que atores projetados em suas tramas migrem para outro canal. Bianca Rinaldi já é um dos nomes fixos da Record. O banco de elenco deve aumentar com contratações para a trama de Lauro César Muniz – grife que a Record conseguiu tirar da Globo -, que inaugurará a faixa das 21h. Para 2006, a Record já planeja um terceiro horário de novela, na faixa de Malhação.’



TV CULTURA


Daniel Castro


‘Garoto Casas Bahia negocia com a Cultura’, copyright Folha de S. Paulo, 12/05/05


‘Garoto-propaganda da Casas Bahia, o maior anunciante do país, o ator Fabiano Augusto, 29, aquele do bordão ‘Quer pagar quanto?’, negocia com a TV Cultura a apresentação de um programa para o público jovem.


‘Quem vai me dar esse programa de presente é a Casas Bahia. Na renovação de contrato, eu comentei sobre o projeto e perguntei se eles patrocinariam. Isso não está amarrado, mas deve rolar uma parceria’, diz Fabiano.


O ator foi um dos apresentadores do ‘Turma da Cultura’, extinto há cinco anos. Há três, ele encampa as campanhas da Casas Bahia. Tem contrato com a rede de lojas por mais dois anos.


Fabiano Augusto diz que mesmo que feche com a Cultura continuará com a Casas Bahia. ‘O que faço nos comerciais é um personagem. No programa, serei outro e não quero vender absolutamente nada nem me preocupar com audiência’, afirma.


Segundo o ator, a atração, com o título provisório de ‘Programa Novo’, será ‘costurada’ pelo relato do problema de um jovem, que pode ser desde a escolha de uma roupa até uma questão afetiva. A platéia daria palpites. E, no palco, bandas novas e de sucesso.


A assessoria de imprensa da Casas Bahia afirma que não há vínculo no novo contrato com Fabiano Augusto ao patrocínio do programa dele. Mas admite que a empresa pode vir a patrociná-lo, ‘como faz com vários outros’.


OUTRO CANAL


Garganta Em convenção encerrada anteontem em Extrema (MG), a direção da Rede TV! estipulou como meta a seus profissionais ultrapassar a Record no Ibope em dois anos. Para tanto, terá de triplicar sua audiência. Em abril, na Grande São Paulo, a média diária da Rede TV! foi de 1,8 ponto, contra 5,6 da Record. A emissora ultrapassou a Band, que ficou com 1,6 no mês passado.


Promessa Os executivos da Rede TV! disseram na convenção que estão fazendo ‘parcerias’ com bancos e que irão comprar seriados e desenhos e fortalecer a programação dos fins de semana. O trash ‘Programa do Jacaré’ passará a entrar aos sábados.


Plástica Para fazer ‘Belíssima’, próxima novela das oito da Globo, o ator Leopoldo Pacheco perderá o bigode que o caracterizou em ‘A Escrava Isaura’. Ele terá que parecer mais jovem do que é, porque na trama será filho de Irene Ravache.


Azedou Principal canal hispânico dos Estados Unidos, concorrente da Telemundo, que exibe novelas da Globo, a Univisión está sendo alvo de uma ação da Televisa, sua maior parceira de programação. A Televisa pede indenização de US$ 1,5 milhão e acusa a Univisión de editar programas sem autorização dela.


Vem aí Começou ontem, no SBT, a produção da versão brasileira do ‘reality show’ ‘American Idol’.’



TV PAGA


Marcelo Bartolomei


‘Miriam estrela ‘Big Brother’ transexual’, copyright Folha de S. Paulo, 12/05/05


‘Miriam não é uma mulher qualquer. Por isso seis ingleses disputam sua preferência no ‘reality show’ ‘Miriam com Algo a Mais’, que o canal pago Multi-show estreou ontem à noite.


A morena de formas exuberantes, de origem mexicana, na verdade, é um homem, mas só os espectadores sabem disso. No programa (30 minutos diários), o transexual promete subverter os conceitos da aparência na TV ao se comportar como objeto de desejo dos homens, que farão de tudo para conquistá-lo durante uma permanência à la ‘Big Brother’ em uma mansão de Ibiza, durante 15 dias.


‘Ela é de virar a cabeça’, comenta um dos concorrentes. ‘Que silhueta!’, surpreende-se outro ao conhecê-la. Assim, eles se demonstram dispostos a enfrentar provas de resistência física e de capacidade mental para, no final, passar uma semana com Miriam em um iate, com 10 mil libras (R$ 45,6 mil) no bolso.


Enquanto os homens a desejam, Miriam revela: ‘Eu tento ser honesta em tudo o que falo, mas eu tenho um pequeno segredo que os rapazes não sabem. (…) Eu me sinto mulher porque vivi metade de minha vida como vivo agora’.


A protagonista conta, logo no primeiro episódio, que não fez cirurgia para mudar de sexo, mas que optou por um implante de silicone nos seios. Ela se diverte ao ver os seis se desdobrando para conquistá-la.


Apesar de garantir que a escolha dos concorrentes foi baseada no comportamento liberal e sem preconceito de cada um em relação a sexualidade, raça e gênero, o programa tem tudo para causar polêmica por onde passa, pelo próprio cunho preconceituoso que tem ao mascarar a realidade.


Produzido pela Brighter Pictures, subsidiária da Endemol, em 2003, o ‘reality show’ foi alvo de diversos processos no final, quando o ‘segredo’ de Miriam foi revelado.


Miriam com Algo a Mais


Quando: hoje, às 16h30, no Multishow (episódios inéditos às quartas, às 22h45)’



SAIA JUSTA


Lilian Fernandes


‘A reinvenção da fofoca’, copyright O Globo, 12/05/05


‘Quando o ‘Saia justa’ entrou de férias, em dezembro passado, e correu a notícia de que voltaria à grade do GNT em 2005 com novas apresentadoras, o tititi que se via no vídeo migrou para os bastidores. O canal passou a receber dezenas de telefonemas de mulheres interessadas nas vagas abertas em seu programa de maior audiência, gente das mais diversas áreas. Na segunda-feira passada, os dois últimos pilotos definiram a escalação que estará no ar a partir da próxima quarta-feira, às 22h30m. Ao lado da veterana Mônica Waldvogel vão sentar-se no sofá (agora é um sofá só) do ‘Saia justa’ Luana Piovanni, Betty Lago e a filósofa gaúcha Márcia Tiburi. Quem viu as gravações garante que a atração manteve suas características: as novas ‘saia-justas’ falam pelos cotovelos, interrompem-se, exaltam-se, emocionam-se, dão gargalhadas.


– Não tínhamos intenção de esconder nada, mas este era um jogo de xadrez: uma peça podia mudar todo o jogo – explica Roseli Galleti, diretora do programa, justificando o sigilo em torno dos novos nomes. – Conseguimos um time de mulheres interessantes e com vontade de expressar suas experiências. Muitas querem fazer o programa, mas nem sempre têm vontade de se expor.


Luana Piovanni pediu o emprego


Betty Lago está disposta a encarar o desafio. Logo ela, que evita jornalistas e festas cheias de papparazzi .


– Não sou de dar entrevistas, embora adore ler sobre personalidades. No ‘Saia justa’ a exposição é enorme, é dar a cara para bater todo dia. Mas artista não pode ter medo de ser julgado! – diz. – Gosto de programas polêmicos, em que um dia você ama e no outro odeia. É como a gente, né ? Pelo menos, eu sou assim.


Betty, que já apresentou o ‘GNT fashion’, e Márcia Tiburi, descoberta pela diretora do canal, Letícia Muhana, por causa de sua participação no ‘Café filosófico’, da TV Cultura, foram selecionadas por teste. Já Luana, que passava uma temporada em Paris, foi fisgada por ter vindo a São Paulo logo depois de seu apartamento na Cidade Luz ser arrombado.


– Vim para cá pedir um colo, mudar a energia, e recebi o convite. Eu já tinha pedido o emprego, quando estive no programa como convidada, sabia que a Rita Lee ia sair e me candidatei para o lugar dela – lembra Luana. – Acho que me escolheram pelo pacote, minha participação causou polêmica na época, eu já tenho um nome e gosto de me expressar, não escondo minhas posturas.


A atriz estreará no ‘Saia justa’ exatamente no dia em que embarcaria de volta para Paris:


– Era o emprego que eu queria; agora só vou à França buscar minha mala. Em contato com pessoas cultas, viajadas, inteligentes, vou aprender muito. E fazer o exercício de aprender a ouvir mais do que falar.


Mônica Waldvogel, âncora do programa desde sua criação, há três anos, participou ativamente da escolha das novas companheiras:


– Foi um conclave, só faltou o Espírito Santo! Todo mundo dava opinião. Durante os pilotos, eu olhava as pessoas da perspectiva do sofá, mas, quando outros as olhavam da perspectiva do vídeo, era diferente. Até pela expressão corporal você vê como a pessoa reage a idéias novas, se aprecia essa troca, se viaja junto.


Provavelmente, Márcia Tiburi foi escolhida por ter se saído bem neste quesito. A filósofa vê pouca TV, recusa-se a assistir aos programas que faz, mas não resiste a uma boa conversa. E de bom grado foi três vezes a São Paulo para gravar pilotos: seu namorado mora na cidade, para onde ela tem planos de se mudar em 2006, com a filha de 8 anos.


– Os outros me verem não tem problema, eu é que não gosto de me ver. Mas gosto muito de conversar! Até por achar que a filosofia deve ter como tarefa social a construção do diálogo – diz, em filosofês. – Mas não vou ficar falando de filosofia. Elas gostaram da minha conversa, e eu curti a idéia de conversar sobre coisas interessantes na TV.


Na próxima segunda-feira, as novatas participarão de sua primeira reunião como ‘saias-justas’ para valer. Na terça, gravarão o programa de estréia no novo cenário, assinado por Daniela Thomas, onde há um enorme sofá que, segundo a equipe, visto de cima lembra um útero, e aumentará a sensação de intimidade, já que as quatro ficarão sentadas umas de frente para as outras.


Saída de Rita Lee não fora assimilada


O objetivo é gravar com o mínimo de interrupções, para garantir a espontaneidade. A esta altura, as moças já estarão craques nos assuntos abordados: elas recebem material de pesquisa para se embasar.


– Parece que é fácil, que as meninas se reúnem e começam a falar, mas não é assim. Temos um roteiro bem-amarrado, embora tudo possa acontecer – diz Roseli Galleti.


Acontece de tudo, mesmo.


– A Roseli me diz pelo ponto eletrônico: ‘Chama o VT’, quando acha que o assunto já se esgotou ou que o vídeo pode trazer nova luz à conversa – conta Mônica. – Mas às vezes eu acho que a conversa ainda pode render e aí, paciência, não chamo!


O programa estreou com Rita Lee, Fernanda Young, Marisa Orth e Mônica. Em agosto passado, a cantora Marina substituiu Rita, que saíra em maio, e a reação do público foi fria. Depois, Fernanda quis sair, cansada das desavenças nos bastidores. Daí a decisão de renovar a atração.


– A saída da Rita determinou um pouco o fim da formação inicial. Mais tarde, veio a Marina, mas o grupo não conseguiu gerar química – diz Letícia Muhana. – Agora temos uma formação bacanérrima, com mulheres de diferentes idades e profissões. Reinventamos o ‘Saia justa’.’



***


‘O quinto elemento’, copyright O Globo, 12/05/05


‘Muita gente boa gravou piloto para o programa: a escritora Clara Averbuck, a atriz e poeta Elisa Lucinda, a jornalista Mille Lacombe, a atriz Vera Zimmerman e a jogadora de vôlei Isabel entre elas. Autora de livros de humor erótico, colaboradora de duas revistas e redatora de uma agência de publicidade, Gisela Rao também gravou, e acabou ganhando um quadro: o ‘Saia sexy’, sobre comportamento sexual.


– Quando fui fazer o piloto, resolvi brincar e levei um vibrador em forma de blush. Eles gostaram do meu jeito e surgiu a idéia do quadro, em que vou falar sobre como esconder o vibrador de sua empregada evangélica ou o que dizer quando o cara falha. Dando a minha opinião e me baseando nas pesquisas que fiz com os leitores das duas revistas.


Opa! E o que dizer quando ele falha?


– É bom usar o humor, mas não vale a pena, por exemplo, dizer: ‘Vou na cozinha pegar um pepino; quer que eu traga alguma coisa para você?’ – diz Gisela, já desatando numa gargalhada.


O desejo de ter mais participação do público levou à criação do ‘Lado B’, em que homens fazem perguntas (quase todas impossíveis de responder) às apresentadoras. A inevitável porque-elas-vão-juntas-ao-banheiro acabou inspirando um outro quadro, o ‘Papos de banheiro’, que mostrará conversas captadas por microcâmeras. Mais tarde, a equipe vai invadir outros ambientes tipicamente femininos, como vestiários de academias.


Já o ‘Saia ilustrada’ vai propor a discussão de temas a partir de trechos de obras artísticas. E o ‘Saia justa nossa de cada dia’ flagrará situações constrangedoras do cotidiano.


Os clássicos ‘Saia justa da semana’ e ‘Momento Saia justa’ continuam. E o ‘Abra seu coração’ foi remodelado: virou ‘Coração na mão’, e trará depoimentos gravados nas ruas de São Paulo, ou enviados como mensagens de voz recebidas via internet.’


Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem