Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ENTRE ASPAS > SENHORA DO DESTINO

Mair Pena Neto

09/11/2004 na edição 302

‘A novela Senhora do Destino, da TV Globo, recentemente eleita um dos piores produtos da televisão no país, prestou um desserviço à sociedade brasileira com a tão divulgada cena em que a protagonista da trama, representada pela atriz Suzana Vieira, espanca a vilã, encarnada por Renata Sorrah. No maniqueísmo típico dos folhetins, o bem se vinga do mal e, neste processo, vale tudo. Inclusive a agressão física exibida ao vivo e a cores para todo o Brasil.

Considerando os picos de audiência que a esperada cena certamente atingiu, milhões de brasileiros devem ter se regozijado com a surra aplicada na vilã da história. Uma pessoa tão ruim (é importante ressaltar a mistura entre realidade e ficção na cabeça das pessoas) fez por merecer a agressão e é aí que está o problema. Ao reincidir na justiça pelas próprias mãos – a emissora já colocara a atriz Malu Mader embolachando Claudia Abreu na novela anterior – a Globo dissemina um valor totalmente antagônico à civilidade e estimula a sua repetição, já que é plenamente aceito e compreendido em todos os lares que assistem à novela.

Em uma sociedade tão desigual como a nossa, o estímulo à violência é um grande perigo. Se não faz muito tempo nos livramos da escravidão, na qual os negros eram açoitados em praça pública, ainda transitamos em terreno pantanoso no que se refere à aplicação da Justiça e às concessões à violência. Talvez condenemos um general que alardeava que prendia e arrebentava, mas ignoremos ou até contribuamos para a maneira como qualquer cidadão preto e pobre é tratado pela polícia. Imaginemos um pivete capturado após um assalto na rua e alguém gritando ‘dá nele’ ou ‘arrebenta esse cara’. As pessoas podem se sentir autorizadas a linchá-lo, unindo a permissividade social, reforçada pela novela, à incompetência do poder público e da Justiça.

Outro sério problema realçado pela dita novela é a imagem de uma mulher espancada. No Brasil, existe uma taxa alarmante de agressões contra mulheres, praticadas por seus companheiros. O horror de um rosto de mulher desfigurado passa a ser banalizado e aceito. Os homens que acham normal bater em mulher, certamente se sentirão mais à vontade, já que percebem que todos consideram natural a agressão a alguém que agiu mal.

Este tipo de pensamento legitima os Carandirus e Abu Graib da vida e outras formas de violação dos direitos humanos. Os responsáveis por uma audiência tão vasta como a das emissoras de televisão deveriam refletir permanentemente sobre as mensagens que estão transmitindo. Mas talvez seja pedir demais de um meio tomado por baixarias e reality shows. Até a qualidade da dramaturgia, que já foi representada por grandes nomes, como Dias Gomes, foi deixada de lado. Nesta mesma novela Senhora do Destino, em meio a um ‘amasso’ de um dos casais, a mulher pergunta ao parceiro:

– O que é isso no seu bolso? Você está armado ou é saudade mesmo?

Um primor de sutileza, digno de figurar nos anais da dramaturgia brasileira. (*) Trabalhou no Globo, JB e Agência Estado. Foi correspondente da F-1 em Londres, durante 3 anos. Foi editor de política do JB e repórter especial de economia.’



Daniel Castro

‘Novela das oito já esnoba merchandising’, copyright Folha de S. Paulo, 8/11/04

‘A atual novela das oito da Globo, ‘Senhora do Destino’, vai bater o recorde de merchandisings da história da Globo. A produção, que está na metade, já teve cerca de 80 merchandisings (anúncios disfarçados em falas dos atores). Suas antecessoras, ‘Celebridade’ e ‘Mulheres Apaixonadas’, fecharam com cerca de cem ações.

‘Senhora do Destino’ já é a recordista. A média tem sido de seis ações por semana, e os contratos continuam surgindo. Tem fila de clientes à espera’, comemora Aguinaldo Silva, autor da novela.

Segundo Silva, alguns anunciantes tiveram que ser recusados. Ele não revela quais.

Na semana passada, segundo o autor, a Globo fechou um grande negócio de merchandising com a Nestlé. ‘A Nestlé vai patrocinar o desfile da escola de samba Unidos de Vila São Miguel. Além disso, a Maggi, que pertence à Nestlé, vai patrocinar a edição do livro de receitas de Dona Clementina, que será lançado na primeira semana de dezembro, na novela e nas bancas’, afirma Silva.

Silva diz que a maioria dos anunciantes faz questão que seus merchandisings sejam feitos por Maria do Carmo (Suzana Vieira). ‘Uma pesquisa concluiu que a personagem representa, melhor que qualquer outro nos últimos tempos, o que o marketing considera o brasileiro exemplar’, conta. Cada ação de merchandising em ‘Senhora do Destino’ custa cerca de R$ 400 mil.

OUTRO CANAL

Saia justa 1

Vai ter uma mesa-redonda bastante inusitada no 3º Encontro Internacional de Televisão, que acontece no Rio no final do mês, com a presença de executivos de todas as redes e especialistas em TV digital.

Saia justa 2

O debate ‘Atalhos e Obstáculos da TV Popular’ reunirá na mesma bancada o deputado federal Orlando Fantazzini (PT-SP, coordenador da campanha Quem Financia a Baixaria É contra a Cidadania), os apresentadores Nelson Rubens (Rede TV!) e Wagner Montes (Record Rio) e uma pesquisadora francesa.

Parachoque 1

Filha de Silvio Santos, Silvia Abravanel tem falado mal de Adriane Galisteu nos bastidores do SBT. Não se conforma que seu pai pague R$ 500 mil mensais à loira.

Parachoque 2

A intriga não é só salarial. Em novo horário desde que Galisteu estreou, o programa de Silvia, o ‘Cor de Rosa’, vem perdendo para a Record, com médias de apenas três pontos.

Mistério

Vanessa Gerbelli será Rosa na novela ‘Cabocla’, personagem pela qual Tomé (Eriberto Leão) era apaixonado. No dia 17, ela aparecerá casada com Jorge (Paulo Gorgulho, que acaba de recusar proposta do SBT). No início da trama, mas sem aparecer ao telespectador, Rosa fugiu para São Paulo com o mascate Jorge.’



Keila Jimenez

‘Alzheimer na trama de ‘Senhora’’, copyright O Estado de S. Paulo, 4/11/04

‘O único casal que não precisava esperar o fim da novela para ser feliz para sempre vai enfrentar um grande dilema em Senhora do Destino. A baronesa Laura, vivida por Glória Menezes na trama, descobrirá em breve que é portadora do mal de Alzheimer, doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, mudando de vez o rumo de sua personagem e do barão (Raul Cortez) na novela.

A doença será tratada de forma realista no folhetim, garante o autor Aguinaldo Silva, que acha que o clima de conto de fadas do núcleo do barões tem de ser quebrado. ‘É hora da realidade, e a realidade entre as pessoas idosas é quase sempre cruel. Escolhi o mal de Alzheimer porque essa doença é devastadora, afeta não apenas o paciente, mas sua família inteira e é mais comum nos lares brasileiros do que se tem notícia’, conta.

O autor deixa claro que sua intenção não é levantar bandeiras sociais, mas garante que a novela vai retratar como os pacientes e os que os rodeiam devem se preparar para enfrentar a doença. O fato foi bem recebido por entidades que dão suporte a portadores de Alzheimer, como a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz).

‘Quem vai descobrir que a baronesa está doente é o barão, que tentará esconder de todos. Mas, depois, a doença se torna óbvia e ele deixa bem claro que vai cuidar dela até o fim’, conta Aguinaldo. ‘As situações em que a baronesa comete atos tresloucados terão um tratamento que vai oscilar do engraçado ao dramático.’ Aguinaldo garante que as cenas do casal continuarão provocando boas risadas na trama, principalmente por causa das esmeraldas da baronesa, que vão render uma trama paralela, por causa das oscilações de comportamento de Laura.’



AMÉRICA
O Estado de S. Paulo

‘‘América’ aborda deficiência visual’, copyright O Estado de S. Paulo, 3/11/04

‘Em O Clone, foi a campanha antidrogas, em América, próxima trama das 9 da Globo, Glória Perez defenderá os deficientes visuais. Com direção de Jayme Monjardim, o folhetim que sucederá Senhora do Destino dará destaque à causa dos deficientes visuais e suas dificuldades no dia a dia.

Só pela atriz eleita para levantar essa bandeira social já dá para imaginar a carga dramática que o tema terá no enredo. Bruna Marquezine – lembra-se da órfã chorona Salete, de Mulheres Apaixonadas? – viverá uma garota cega na novela. Além de Bruna, Marcos Frota também viverá um deficiente visual na trama.

No workshop de América, realizado na semana passada na Globo, com atores do folhetim, ficou bem clara a comoção que o tema vai causar. Professoras do Instituto Benjamin Constant, que dá aulas para crianças com deficiência visual, deram palestras e levaram dois alunos da escola para falar um pouco sobre as dificuldades e os preconceitos que enfrentam.

É nessa instituição, por sinal, que Bruna Marquezine está fazendo laboratório para compor sua personagem. Ela tem freqüentado a instituição e acompanhado as aulas e a rotina das crianças que não enxergam. Bruna, a pedido de Monjardim, já chegou a colocar uma venda nos olhos dentro de casa para sentir na prática como é a rotina de um deficiente visual.

O tema ainda deve ganhar uma megacampanha dentro da novela, assim como a que Globo fez contra as drogas em O Clone.

SEGURA, PEÃO

Entre os outros temas que foram debatidos no workshop da novela estão o universo dos rodeios, a imigração ilegal nos Estados Unidos e vida após a morte.

Peões de verdade e representantes de núcleos espíritas deram palestras aos atores sobre esses assuntos. O núcleo principal da novela, que inclui Murilo Benício, Murilo Rosa e Deborah Secco, viverá esse universo dos rodeios. O mistério fica em torno de qual personagem terá um experiência mística que envolverá espiritismo. As gravações de América começam dentro de duas semanas. No elenco estão Edson Celulari, Christiane Torloni, Beth Faria, Camila Morgado, Cláudia Jimenez, Thiago Lacerda e Cléo Pires, entre outros.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem