Domingo, 21 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

ENTRE ASPAS >

Marcelo Carneiro

08/06/2004 na edição 280

‘Na novela Celebridade, amor e sexo não combinam. A menos de um mês de seu término, o folhetim da Rede Globo registra um altíssimo nível de cenas entre os lençóis, mas poucas delas são fruto de romances tradicionais. Para os personagens do autor Gilberto Braga, o sexo é uma necessidade, uma diversão ou até uma ferramenta para manipular os outros – tudo menos uma conseqüência daquele amor infinito que costumava alimentar heróis e heroínas de novela. Os mais libertinos são os vilões Laura (Cláudia Abreu) e Marcos (Márcio Garcia). Além de se divertirem entre eles, os dois pulam de cama em cama sempre que podem tirar vantagem disso. Laura – que não por acaso tem o apelido de ‘Cachorra’ – já experimentou do lesbianismo ao sadomasoquismo. Menos calculistas, mas também adeptos do sexo sem compromisso, são os personagens Inácio (Bruno Gagliasso), Darlene (Deborah Secco), Vladimir (Marcelo Faria) e Jaqueline (Juliana Paes). Os três últimos mantêm, desde o começo da história, um triângulo amoroso. No momento, Vladimir e Jaqueline estão libidinosamente unidos. Eis um diálogo típico entre os dois: ‘Ai, bombeirão, nosso caso podia virar uma coisa séria de verdade’, diz ela. E ele responde: ‘Mas por que complicar? Isso já está seriíssimo’. Darlene e Inácio têm protagonizado seqüências ousadas. Ela não tem certeza se já esqueceu Vladimir, e ele é um adolescente problemático. Ainda assim, os dois vão tirando o atraso na cama – enquanto decidem o que querem da vida. O curioso é que, sim, há casais apaixonados, como Fernando (Marcos Palmeira) e Maria Clara (Malu Mader), Nelito (Taumaturgo Ferreira) e Eliete (Isabela Garcia). Mas esses fazem pouco – ou nenhum – sexo.

O tratamento do sexo passou por várias fases na teledramaturgia do horário nobre. Em 1977, a Globo suspendeu Despedida de Casado, de Walter George Durst, quando as chamadas para a novela já estavam no ar. Tudo porque a sinopse mostrava uma heroína (Regina Duarte) que, ao se separar, buscava os prazeres da vida de solteira. ‘Por muito tempo, a mulher que fazia sexo era a prostituta ou a mocinha que era seduzida, ficava grávida e depois abandonada como punição’, diz o especialista em novelas Mauro Alencar. Com o tempo, o sexo foi ganhando espaço, mas ainda se mantinha dentro de um contexto clássico, em que herói e mocinha trocavam carinhos durante dezenas de capítulos e só então iam para a cama. O sexo sem compromisso ficava restrito a um ou outro personagem, normalmente cômico. Gilberto Braga inverteu a equação. Pode até ser que o autor se mostre um romântico de última hora e inunde o final da novela com casais fogosos e comprometidos. Mas Celebridade vai ficar na memória por sua visão desapaixonada – e até cínica – da vida de alcova de seus personagens.’



Daniel Castro

‘Globo gravará três finais de ‘Celebridade’’, copyright Folha de S. Paulo, 5/06/04

‘A Globo vai gravar três finais para o assassinato de Lineu (Hugo Carvana) em ‘Celebridade’. As gravações serão na tarde do próximo dia 25, quando, à noite, será exibido o último capítulo. O fim de Laura (Claudia Abreu) também terá mais de uma versão.

Em um dos supostos desfechos, publicado nesta semana por jornais das próprias Organizações Globo, Laura seria morta por Fernando (Marcos Palmeira).

Na última tentativa de vingança contra Maria Clara (Malu Mader), Laura, acompanhada de Marcos, que vai armado, invade o apartamento da mocinha e tenta estrangular Nina. Fernando chega, desarma Marcos e atira nos dois, que caem pela janela.

Gilberto Braga não confirma nem nega que tenha escrito esse final para a vilã de ‘Celebridade’. Diz apenas que Laura será punida. ‘Será um final conservador, mas não careta’, afirma.

Antes disso, na penúltima semana, Inácio (Bruno Gagliasso) irá descobrir que seu pai é Renato Mendes (Fábio Assunção), e não Fernando. Ele seguirá a mãe (Beatriz) em um encontro com Marcos, que a chantageia. Inácio surpreende Marcos, que, pressionado, conta tudo o que sabe.

Fernando, suspeito de ter matado Lineu, irá se entregar, mas não será preso, graças a um habeas corpus. Maria Clara Diniz e Fernando voltarão às boas, mas continuarão se encontrando às escondidas.

OUTRO CANAL

Reforço 1 O SBT contratou ontem Doc Comparato, ex-Globo, um dos mais respeitados roteiristas de TV do país. Sua principal função no SBT será a de supervisionar os textos da teledramaturgia. Especula-se também que ele poderá escrever um seriado.

Reforço 2 Na Globo, Comparato foi co-autor de séries como ‘A Justiceira’ (1997). Escreveu as minisséries ‘Lampião e Maria Bonita’ (1982, com Aguinaldo Silva), ‘Padre Cícero’ (1984), ‘O Tempo e o Vento’ (1985, adaptação) e ‘A. E. I. O, Urca’ (1990).

Interativo O SBT planeja fazer uma votação, por telefone e pela internet, para escolher o apresentador da quarta edição de ‘Casa dos Artistas’, que estréia em julho. Silvio Santos não quer mais ancorar o ‘reality show’, mas ainda não está totalmente fora do jogo.

Casa nova Demitido há uma semana pelo SBT, onde era diretor de programação, Mauro Lissoni foi contrato pela Band. Será diretor-executivo de programação, subordinado a Celso Tavares. Lissoni levou seu sub no SBT, Murilo Fraga.

Além-mar Serginho Groisman vai entregar à cúpula da Globo um projeto de gravar quatro edições do ‘Altas Horas’ em Lisboa, em setembro ou outubro. A platéia seria metade de brasileiros e metade de portugueses, com atrações musicais ‘imprevistas’.’



TV PARA GAYS
Daniel Castro

‘TV paga prepara ‘boom’ de canais gays’, copyright Folha de S. Paulo, 2/06/04

‘A TV paga deverá passar nos próximos anos por um ‘boom’ de canais gays. Na semana passada, a MTV anunciou nos EUA o lançamento de seu canal do gênero. Um grupo francês vem negociando com produtoras brasileiras a compra de material para um canal com conteúdo mundial.

No Brasil, o primeiro canal gay será lançado nesta sexta. A DirecTV oferecerá em ‘pay-per-view’ o G Channel, da programadora argentina Claxson, com filmes pornôs do Leste Europeu e dos EUA. Um fim de semana (o próximo terá seis filmes) custará R$ 29,90. É caro. Nas locadoras, filmes gays saem por até R$ 3.

A Globosat, maior programadora de canais pagos do Brasil, está trabalhando desde 2003, sigilosamente, em um projeto de canal gay. Os estudos financeiros e de programação do canal já estão prontos. O projeto passará agora por várias instâncias decisórias dentro das Organizações Globo.

O lançamento do canal, apesar de resistências externas (teme-se o protesto de religiosos), está previsto para 2005. O principal argumento é o poder aquisitivo do público gay. A Globosat calcula que 20% da base de assinantes é potencial consumidora de canais para homossexuais, o equivalente a cerca de 700 mil domicílios dos 3,5 milhões que assinam TV paga.

O canal será vendido em ‘pay-per-view’, na Net e na Sky. O conteúdo ainda é segredo.

OUTRO CANAL

Piti 1

Rolou o maior estresse nos bastidores do ‘Domingão do Faustão’ na semana passada. A montadora GM, que faz uma promoção em que pessoas comuns participam de um ‘game’, concorrendo a carros, desconfiou de vazamento de áudio para a competidora do dia 23 _que levou os três automóveis.

Piti 2

No quadro, uma pessoa fica numa cabine isolada e responde ‘sim’ ou ‘não’ para ganhar um carro ou objeto de pouco valor, sem saber do que se trata. A gravação foi revista inúmeras vezes em várias reuniões. Aparentemente, o incêndio foi apagado, mas o quadro já migrou do horário nobre para a faixa das 15h.

Piti 3

A GM diz que está satisfeita com o quadro/merchandising e que a mudança de horário foi por questões técnicas.

Disputado

Roberto Manzoni, ex-diretor do ‘Domingo Legal’, teve uma longa reunião segunda-feira com Marcelo Parada, vice-presidente da Band. Está com um pé na emissora, mas tem propostas também de outras emissoras _inclusive da Globo.

Temperatura

Fabiana Scaranzi vai deixar gradativamente de ser a ‘moça do tempo’ do ‘Jornal Nacional’, para se dedicar à reportagem. A Globo tem três candidatos para a vaga: Rosana Jatobá, Flávia Freire e Fabrício Battaglini.’



FAMA
Adriana Del Ré

‘‘Fama’ estréia hoje em ritmo de ‘BBB’’, copyright O Estado de S. Paulo, 5/06/04

‘É hoje a estréia da 3.ª edição do reality show musical Fama, que vai ao ar após o Caldeirão do Huck. Nosso American Idol tupiniquim retorna à programação da Globo e lá permanece até 7 de agosto, de olho numa maior participação do público e, conseqüentemente, em números de audiência mais expressivos. Ao contrário das duas edições anteriores, os professores cumprirão somente o papel de aprimorar o talento dos participantes e não concentrarão mais o poder de veto ou de voto. Nesta versão, a decisão de quem permanecerá ou não na Academia Fama será delegada unicamente ao telespectador, via internet, torpedo ou telefone.

Esta e outras mudanças têm, por trás, a mão forte do diretor Boninho, o homem dos reality shows da Globo. É indiscutível seu mérito em transformar Big Brother Brasil num programa de grande sucesso. Boninho não quis mexer na essência do formato original de Fama – ou seja, os alunos continuam confinados na academia, onde recebem aulas para melhorar suas aptidões no canto e na postura -, mas fez alguns ajustes, como na já citada interatividade do público e na valorização da personalidade, da individualidade do participante. Esta última, é bem verdade, recebeu pouca atenção nas outras edições, o que impediu que muitos participantes expusessem todo seu potencial.

E para decepção do público feminino, Tony Garrido não estará mais fazendo as honras do programa, ao lado de Angélica: a partir de agora, a apresentadora assumirá sozinha o comando do programa. Para Boninho, a fórmula de ter apenas um apresentador, já experimentada e aprovada no BBB, ‘ajuda a consolidar os conceitos do programa’. Neste Fama 3, o grande desafio da direção está em fazer valer o objetivo original do programa, que é justamente o de alçar o vencedor ao sucesso – o que não se concretizou com Vanessa Jackson e Marcus Vinicius, vencedores na 1.ª e 2.ª edições, respectivamente. Desta vez, a Globo não se envolverá na produção do CD do ganhador: ele será agraciado com um carro, a produção de um show e a divulgação de seu álbum.

O cantor Emmerson Nogueira é um dos primeiros convidados especiais de Fama e já gravou sua participação no final de maio. E atenção, caro leitor: fique atento a uma das participantes do programa, que responde pelo nome de Mariana Pereira. Qualquer semelhança com Fafá de Belém não é mera coincidência. Ela é filha da cantora e do saxofonista Raul Mascarenhas.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem