Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1047
Menu

ENTRE ASPAS >

MP quer cancelar o decreto da TV Digital

Por Luiz Antonio Magalhães em 25/08/2006 na edição 395


Leia abaixo os textos de terça-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 22 de agosto de 2006


TV DIGITAL
Eduardo Kattah


MP ataca decreto da TV digital


‘O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública contra o decreto presidencial que implantou a TV digital no País. A Procuradoria da República em Minas sustenta que o ato está ‘repleto de ilegalidades’ e listou ao menos cinco violações a leis e à Constituição. A ação, distribuída ontem à 20ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte, pede que a Justiça conceda liminar suspendendo os efeitos e declare a nulidade absoluta do decreto.


Para o MPF, o decreto carece de motivação. Os procuradores que assinam a ação observam que todo administrador público é obrigado a fundamentar seus atos, ‘apontando as razões de fato e de direito que o levaram a tomar essa ou aquela decisão’. Mas sustentam que o governo, entre os três padrões básicos de transmissão digital existentes – o ISDB, o ATSC (padrão americano) e o DVB (padrão europeu) -, optou pelo modelo que demandará a aquisição do decodificador mais caro para o consumidor.


O governo estipulou até dez anos para a convivência entre os sistemas analógico e digital, o que poderá ser feito com o sep top box, um receptor que converte o sinal digital para o televisor analógico convencional.


Para a procuradoria, a administração pública tinha o dever de fundamentar a escolha de um padrão tecnológico que não onera o usuário do serviço de forma mais severa do que aconteceria em outros sistemas. ‘Ou apresentar estudos que demonstrassem que o padrão ISDB é mais vantajoso por outros motivos, o que não ocorreu’.


Os procuradores apontam o descumprimento de regras de outro decreto (4.910/2003), anterior ao decreto 5.820, que, segundo eles, estabeleceu procedimentos para a escolha do modelo da TV digital. Conforme a procuradoria, não houve consulta ao conselho consultivo instituído pelo decreto e tal órgão não foi instado a propor ações e diretrizes fundamentais relativas ao sistema brasileiro de TV.


Para o MPF, o decreto 5.820 ainda violou o artigo 223 da Constituição, ao instituir a consignação de canais de radiofreqüência, ‘a fim de permitir a transição para a tecnologia digital sem interrupção da transmissão de sinais analógicos’. Segundo os procuradores, ‘a ré (União) invadiu a competência exclusiva do Congresso Nacional para deliberar sobre a renovação das concessões’.


Os procuradores ainda questionam a possibilidade de transmissão em HDTV por parte das concessionárias, sem que isso impeça a efetivação das políticas públicas voltadas à viabilização das TVs comunitárias e educativas e outros canais de aspecto social. O problema, segundo o MPF, é que a transmissão vai utilizar pelo menos 60% do espectro concedido. ‘Significa que, caso tal quadro venha a concretizar-se, nos grandes centros populacionais, no período do ‘simulcasting’, todo o espectro será utilizado e as TVs privadas reinarão absolutas’.


REAÇÃO


Em nota divulgada no início da noite, o Ministério das Comunicações afirmou que está pronto para responder ‘quaisquer questionamentos de qualquer origem’ e adotará as medidas necessárias quando for oficialmente comunicado da ação proposta pelo Ministério Público de Minas Gerais.


‘Além de aspectos técnicos, fatores sócio-econômicos orientaram o governo federal’, diz a nota, referindo-se à escolha do padrão japonês de TV digital.’


***


Indústria critica representação


‘A indústria de televisores e os fabricantes de equipamentos de TV digital querem maior participação no Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre, órgão que vai acompanhar a implantação e o desenvolvimento da TV digital no Brasil. ‘Achamos que a nossa representação ficou pequena’, disse o vice-presidente de Novos Negócios para a América Latina da Samsung, Benjamin Sicsú. Ele participou ontem de uma reunião no Palácio do Planalto com cerca de 40 pessoas, representantes do governo, indústria, radiodifusores, universidades e centros de pesquisa.


O decreto presidencial que estabeleceu as regras de transição do sistema analógico para o digital, editado no fim de junho, diz que o Fórum será um órgão de assessoramento do Comitê de Desenvolvimento da TV digital, integrado por nove ministros.’


Renato Cruz


Seis meses de negociação e uma decisão polêmica


‘A definição do sistema de TV digital para o Brasil, que tem como base o padrão japonês ISDB, recebeu críticas antes mesmo da assinatura do decreto, em 29 de junho, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governo negociou por mais de seis meses com europeus e japoneses, buscando dar à escolha uma aparência técnica, mas acabou prevalecendo a tecnologia preferida dos radiodifusores, apoiados pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa.


O Executivo dizia querer atrair ao País uma fábrica de semicondutores. Não conseguiu um compromisso firme de nenhum dos grupos internacionais, mas mesmo assim assinou com os japoneses. O estudo elaborado para o governo pelo CPqD, centro privado de pesquisa que pertencia à Telebrás, apontou o padrão japonês como o mais caro para o consumidor.


A tecnologia japonesa apresentou vantagens técnicas sobre a européia DVB e a americana ATSC, em testes feitos no Brasil. Existiam, no entanto, desvantagens econômicas, como o preço dos televisores e decodificadores e o espaço quase inexistente para a exportação. O Brasil é o único país, além do Japão, que decidiu adotar a tecnologia. Os principais mercados de exportação para os televisores brasileiros são os Estados Unidos e os países latino-americanos. Os decodificadores são equipamentos que convertem o sinal digital em analógico, para que o espectador possa manter o televisor atual.


Os radiodifusores preferem o padrão japonês por dois motivos principais. Em primeiro lugar, a tecnologia permite a eles transmitir o sinal de TV aberta diretamente para o celular, sem passar pela operadora de telecomunicações. Em segundo, conseguiram negociar com os japoneses financiamento para a transição em condições vantajosas. Os termos da linha de crédito não foram divulgados.


Enquanto outros setores do governo demonstravam incerteza quanto à melhor escolha para o País, o ministro Hélio Costa sempre defendeu o padrão japonês. Ex-dono de rádio em Barbacena (MG), sua cidade natal, Costa foi repórter do Fantástico e criou a sucursal da TV Globo em Nova York. Em visita à NHK, emissora japonesa de televisão, chegou a dizer que era radiodifusor e estava ministro.


A previsão do governo é de que as transmissões de TV digital comecem por São Paulo, em meados do próximo ano. O Ministério das Comunicações tem até o fim do mês para editar portarias que regulamentem o decreto. As especificações técnicas do sistema devem sair até novembro.’


INTERNET
Ana Paula Lacerda


Os cuidados para entrar na rede


‘Colocar um site de empresa no ar pode parecer algo simples, mas requer uma série de cuidados – independentemente do tamanho da empresa. ‘Hoje os pequenos empresários já sabem quão importante é ter um site, seja para passar informações para o cliente, seja para realizar vendas’, diz a advogada especializada em Direito Digital Patricia Peck. ‘Mas a maioria ainda não sabe que é preciso fazer todo um trabalho com o corpo de funcionários sobre o uso da internet e que o site precisa apresentar uma série de características.’


O primeiro passo, segundo Patrícia, é orientar a equipe da empresa sobre o que é permitido e o que não é, utilizando a internet da empresa. ‘Se a pessoa quer mandar um e-mail pessoal, não pode fazer isso com o endereço da empresa. Nem baixar arquivos desconhecidos que possam trazer vírus para o computador’, ela exemplifica. ‘Claro que não é necessário proibir a pessoa de navegar ou usar serviços online que ela gosta, mas é preciso ter bom senso.’ Ela lembra que, atualmente, e-mails são válidos como documentos, portanto devem ser tratados como tal.


Outro ponto é orientá-los a não divulgar informações da empresa fora do trabalho, evitar comentários em blogs e em comunidades virtuais. ‘Às vezes uma informação que o funcionário revela sem nem notar pode atrapalhar os negócios’, diz a advogada.


Na Closet, uma camisaria virtual em que o cliente monta pela internet a camisa que quer receber sob medida, as regras de segurança de rede estão definidas no contrato de trabalho. ‘Quando o funcionário vem trabalhar conosco, ele já sabe desde o contrato que todas as informações de nossos clientes são sigilosas’, diz o diretor-executivo da Closet, Rogério Schandert. ‘Nós atendemos um público A e B, acostumado a fazer compras pela internet. Alguns são pessoas bastante conhecidas, mas não divulgamos nem fazemos propaganda sobre isso’, diz o gerente. ‘E quem trabalha aqui recebe os pedidos, mas é orientado a não comentar sobre as encomendas que recebeu, de quem eram ou o que foi pedido.’


Um banco de dados seguro também é um pré-requisito para evitar complicações. ‘A perda dessas informações pode incidir responsabilidade civil pela guarda malfeita de dados de clientes ou terceiros. Além de utilizar um software adequado, a empresa deve manter seus antivírus atualizados’, diz Patricia Peck. ‘É uma recomendação óbvia, mas é a que normalmente falha.’ Ela diz também que todo site deve ter Políticas de Privacidade (a maneira como os dados do internauta são captados e utilizados) e Termos de Uso (o que o internauta pode ou não fazer na página da empresa).


Há uma série de sites que podem auxiliar e evitar problemas com direitos autorais ou roubo de criações pela internet. No site da Biblioteca Nacional (www.bn.br) é possível registrar as interfaces gráficas da sua home page, evitando que ela seja copiada por outras páginas de internet. Já no Registro.br (www.registro.br), é possível descobrir se existem sites com endereços muito parecidos com o da sua empresa.


CIBERCHATOS


Outro assunto que Patrícia destaca é a diferença entre o marketing digital e o spam. ‘Spam é todo tipo de mensagem eletrônica não solicitada e que não permite o fácil descadastramento do banco de dados do remetente. Pode ter cunho comercial, como também de boato eletrônico, corrente. Não há nada mais desagradável para o usuário comum do que receber esses e-mails’, diz a advogada. ‘Enviá-los é dar um tiro no próprio pé, pois a empresa fica malvista.’ Ela aconselha a só enviar e-mails a quem expressou a vontade de recebê-los. Se algum spammer usar o nome da empresa indevidamente para e-mails falsos, a primeira providência é comunicar aos clientes que as afirmações são mentirosas – o que pode ser feito pelo site.’


***


AOL demite após falha na segurança de rede


‘A AOL, divisão de internet do grupo Time Warner, demitiu sua diretora de tecnologia e outros dois funcionários, após a publicação acidental de dados confidenciais sobre pesquisas feitas por milhares de usuários americanos. A empresa divulgou na internet listas de códigos usados por 658 mil assinantes em suas pesquisas.’


CHINA
O Estado de S. Paulo


‘Post’ acusa China de caça a jornalistas


‘The Washington Post criticou, em editorial, o comportamento do governo da China no julgamento do jornalista de Hong Kong Ching Cheong. Segundo o jornal, o governo ‘não está nem fingindo’ que Ching – acusado de espionar para Taiwan – teve um julgamento justo e imparcial, na semana passada. O governo diz que o jornalista confessou durante o julgamento, secreto, sem contudo apresentar provas.


Ching Cheong foi preso quando pesquisava sobre Zhao Ziyang, ex-secretário-geral do Partido Comunista afastado por se opor ao massacre da Praça da Paz Celestial, em 1989. O Post se diz disposto a ‘comer o editorial’ se houver alguma evidência plausível de que Ching seja espião. O jornal acusa o governo chinês de ‘caça a jornalistas ‘, mantendo presos 32 deles.’


TELECOMUNICAÇÕES
Lu Aiko Otta


‘Governo Lula quer acabar conm a Anatel’


‘A interferência do Executivo nas decisões das agências reguladoras deve se agravar em um eventual segundo governo Luiz Inácio Lula da Silva. A avaliação é do conselheiro Fernando Pinheiro, da Câmara Americana de Comércio (Amcham). ‘A tendência é piorar, porque o projeto é acabar com as agências e colocar tudo de novo nos ministérios’, disse. ‘Vamos voltar à mesma porcaria de antes.’


Pinheiro acredita que os sucessivos episódios em que as agências são desautorizadas pelos ministros refletem ‘a intenção do governo de tomar o Estado para si’. Para ele, a crise que envolve o ministro das Comunicações, Hélio Costa, e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), dispensa comentários. ‘Ele desmoraliza totalmente a agência.’


O atual embate entre o ministro e a agência se dá em torno da participação das grandes empresas de telefonia fixa nos leilões de concessão para explorar internet banda larga sem fio (Wimax). A Anatel acha que as telefônicas fixas não devem competir pela concessão nas áreas em que já operam. Costa entende o contrário e ameaçou editar uma portaria modificando a decisão da agência.


‘É um claro exemplo daquilo que não deve ocorrer num sistema regulatório moderno’, disse o economista Gesner Oliveira, da Tendências Consultoria Integrada. ‘A autoridade política não deve interferir nas decisões de caráter técnico.’


Na avaliação de Gesner, a restrição imposta pela Anatel faz todo sentido, porque as operadoras de telefonia fixa já dominam o mercado de internet banda larga com fio. A venda de concessão para explorar o serviço sem fio seria uma chance de aumentar a concorrência.


Para Pinheiro, o risco de interferência direta do governo nas agências prejudica as decisões de investimento em infra-estrutura no Brasil. ‘Em áreas como energia e telefonia estamos falando em investimentos de 20, 25 anos’, disse. ‘Como o empresário vai tomar uma decisão sabendo que está sujeito a uma mudança de regras da noite para o dia?’


Os dois especialistas observam que o governo mina o poder das agências de duas formas: não dá a elas autonomia financeira, bloqueando seus recursos, e demora para indicar nomes para compor suas diretorias, muitas vezes impedindo-as de funcionar por falta de quórum. ‘Assim, aos poucos, o governo vai discretamente acabando com as agências’, afirmou Pinheiro.’


TELEVISÃO
Keila Jimenez


América ainda vence


‘Páginas da Vida vai muito bem em ibope, é fato, e tem seus intervalos comerciais recheados. No entanto, ainda não alcançou América (novela que foi ao ar no mesmo período do ano passado) em faturamento bruto com propagandas em São Paulo, nem no número de inserções comerciais. Pelo menos é isso que aponta levantamento realizado pela Controle da Concorrência, empresa que monitora as inserções para o mercado.


A diferença é pouca, mas existe. Segundo dados do relatório, na semana de 7 a 12 deste mês, Páginas teve 30 inserções de patrocínio e 138 de comerciais em seus breaks em SP. No mesmo período do ano passado, América teve 32 inserções de patrocínio e 152 de comerciais em intervalos. A diferença é notada em cifras também, segundo o balanço. O faturamento bruto comercial de América no período em São Paulo – exceto merchandisings – beirou a casa dos R$ 11 milhões.


Em Páginas da Vida esse número está em R$ 10,2 milhões. Os maiores anunciantes também mudaram. Saíram PDT e Azaléia de América para entrar Governo Federal e Renner em Páginas. Santander e Casas Bahia mantiveram a cota.


Made in Heliópolis


Ana Hickmann deu umas aulinhas de modelo para jovens da favela de Heliópolis, em São Paulo. Elas irão desfilar no Dia de Fazer a Diferença, uma espécie de Criança Esperança da Record que vai ao ar no domingo. Vale citar que os modelitos desfilados serão criados por costureiras de Heliópolis mesmo.


entre- linhas


Os assinantes das seleções Silver e Gold da Net ganharão um novo canal até o fim de setembro. Trata-se de um canal temporário da HBO que exibirá produções como Mandrake, Filhos do Carnaval, A Sete Palmos e Família Soprano.


Franklin Martins estréia esta semana sua coluna diária sobre o cenário eleitoral brasileiro no canal pago Bandnews.


Um onda de conjuntivite se abateu sobre o elenco de Cristal. Depois de Dado Dolabella , Giuseppe Oristânio está com conjuntivite e terá de se afastar da novela pelo menos por mais sete dias. O ator já estava afastado das gravações havia uma semana.


Nos depoimentos que foram feitos para os extras do DVD da série JK, que será lançado nesta sexta, Marília Pêra conta que chorou dias seguidos depois de gravar as cenas do enterro de Juscelino. ‘Fiquei inchada durante dias, de chorar. Ali tive uma idéia do sofrimento que essa mulher (Sarah) passava.’


As lojas Marisa seguem com suas campanhas trazendo os galãs da TV como garotos-propaganda. Marcelo Antony segue na cadeira cativa da vaga pelos dois próximos filmes.


A série House, com Hugh Laurie, está no What’s On a partir de amanhã, às 22h25, no Universal Channel. Serão três especiais durante a semana sobre a atração.


O People + Arts avisa que hoje o reality Rockstar Supernova vai ao ar mais tarde, às 23 horas.’


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 22 de agosto de 2006


TV DIGITAL
Paulo Peixoto


Ministério Público quer anular decreto da TV digital


‘O Ministério Público Federal em Minas Gerais ajuizou na Justiça Federal em Belo Horizonte ação civil pública contra o decreto do presidente Lula que implanta no país a TV digital com a adoção do padrão japonês. O MPF alega que o decreto está ‘repleto de ilegalidades’ e por isso pede a nulidade do ato presidencial de junho.


Na ação distribuída ontem à 20ª Vara da Justiça Federal, o procurador Fernando de Almeida Martins, que atua na esfera do direito do consumidor, aponta ‘cinco violações a diferentes leis e à Constituição’, conforme a assessoria do MPF.


São elas: ausência de motivação para a implantação da TV digital com o modelo japonês; ausência de ‘consulta’ ao conselho criado em decreto anterior do próprio governo para propor ações e diretrizes para a definição do padrão; e interferência do Executivo na competência do Legislativo para renovar concessões aos radiodifusores. As outras duas dizem respeito à ‘proibição ilegal de outorga irrestrita’ de 6 megahertz para os concessionários.


Pelo decreto, todas as emissoras em operação receberão uma faixa adicional de freqüência de 6 megahertz para transmitir programação digital.


Diz a ação que a cessão de todo esse espectro vai impedir a ‘política pública de viabilizar TVs comunitárias, educativas e outros canais de relevante aspecto social’. ‘Assim, as TVs privadas reinarão absolutas em todo esse espaço social.’


Para o MPF, a escolha do padrão japonês significa que o consumidor terá que pagar pelo decodificador ‘mais caro’ para receber a imagem digital.


A escolha do padrão japonês agradou às emissoras de TV do país. Concorreram também os modelos americano e europeu, esse defendido pelas teles.


O governo alegou que o padrão japonês permite manter a TV digital aberta e gratuita e que os japoneses se comprometeram a criar no Brasil uma fábrica de semicondutores.


Sobre a ação do MPF, a Folha procurou a assessoria do ministério, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.’


INTERNET
Folha de S. Paulo


AOL demite diretora e dois funcionários após ‘vazar’ informações sobre buscas


‘A diretora de tecnologia da America Online saiu da empresa e dois outros funcionários foram demitidos após a companhia divulgar informações sobre as buscas feitas durante três meses por mais de 650 mil de seus assinantes.


A AOL disponibilizou as palavras buscadas pelos usuários e os sites em que eles clicaram após a busca. Os usuários foram identificados por números. A intenção era que os dados fossem usados por pesquisadores.


Logo depois, a empresa retirou as informações da web, mas os dados já haviam sido copiados e continuaram a ser distribuídos pela internet.


O fato levou a reclamações sobre privacidade, já que era possível identificar alguns usuários por meio das palavras buscadas por eles. Por exemplo, muitos usuários buscam seu próprio nome ou o de familiares, seu número de seguridade social e informações sobre sua cidade.


O jornal norte-americano ‘New York Times’ identificou a usuária de número 4417749 como Thelma Arnold, 62, de Lilburn, no Estado da Geórgia.


A diretora de tecnologia da AOL, Maureen Govern, será substituída imediatamente por John McKinley, que comanda a área de serviços digitais, segundo comunicado enviado ontem a funcionários pelo presidente da empresa, Jonathan Miller.


A AOL pediu desculpas após o incidente, dizendo que um pesquisador da empresa cometeu um erro e não obteve as autorizações necessárias antes de publicar os dados. Apesar de a intenção ser a de que os dados fossem usados por pesquisadores, eles foram colocados em um site acessível a qualquer pessoa.


O funcionário que publicou os dados e seu superior imediato foram demitidos. Não se sabe se Govern saiu da empresa voluntariamente ou se foi demitida.


Em outro comunicado, Miller havia dito que ‘esse incidente aconteceu porque alguns funcionários não exercitaram bom julgamento nem aprovaram sua proposta com o grupo de privacidade. Estamos tomando medidas apropriadas com relação aos funcionários responsáveis’.’


Adriana Mattos


Banda larga eleva tempo gasto por brasileiros na web


‘O total de usuários residenciais de internet no Brasil teve crescimento em julho em relação ao mesmo mês do ano passado. Os dados fazem parte de levantamento realizado pelo Ibope e publicado ontem. Os internautas do Brasil bateram recordes no tempo de navegação em comparação ao verificado em outros países.


Apesar do crescimento sobre 2005, o desempenho está estável na comparação mês a mês neste ano. Cerca de 13,4 milhões de brasileiros utilizaram a internet no mês de julho, segundo os dados do Ibope -praticamente o mesmo número de junho e o registrado em abril. Mas o volume está mais distante do verificado em março, quando houve 14,1 milhões de usuários ativos.


Na avaliação do Ibope, essa queda não é considerável, já que, no último mês, em relação a julho de 2005, o volume de usuários ainda é 17% superior.


O maior acesso à internet de banda larga tem levado a um forte crescimento no volume de visitas às páginas na web com maior conteúdo audiovisual. ‘Estima-se que 69,2% daqueles que utilizam a internet já o façam por meio da tecnologia de acesso rápido’, diz José Calazans, analista do Ibope Inteligência, empresa que pertence ao grupo Ibope.


Na avaliação de Calazans, o que impede uma penetração maior da tecnologia da casa dos brasileiros é a oferta reduzida de empresas que prestam o serviço, assim como de pacotes mais econômicos. Em 2005, a base instalada de usuários de diversas tecnologias de acesso em banda larga cresceu 73%, passando de 2,34 milhões de conexões no final de 2004 para 4 milhões em dezembro de 2005, segundo estudo conduzido pelo IDC (Internet Data Corporation).


O brasileiro conectado à web em seu domicílio passou em média mais de 20 horas navegando em sites em julho -recorde mundial que o país mantém há meses. Em segundo lugar está o Japão, seguido pelos EUA.’


JORNALISTA SEQÜESTRADO
Folha de S. Paulo


Surge nova pista no seqüestro de repórter


‘A polícia identificou mais um suspeito de participação no seqüestro do jornalista Guilherme Portanova e do técnico Alexandre Calado, da equipe de reportagem da Rede Globo, que foram mantidos reféns pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).


A pedido da DAS (Divisão Anti-Seqüestro), que investiga o caso, o manobrista Luciano José da Silva teve sua prisão temporária decretada pela Justiça. Até ontem, ele ainda era procurado pela polícia.


A polícia já havia divulgado o retrato falado e as fotos de outros três suspeitos de envolvimento com o crime. Eles também estão foragidos.


A DAS passou a investigar o envolvimento de Silva depois de ter descoberto que um dos carros usados no seqüestro -um Vectra- na verdade foi levado por um manobrista, e não roubado, como haviam informado um dos proprietários do estacionamento Stop Bem e um de seus funcionários.


Após a descoberta da polícia, um dos donos do estabelecimento, Renato Santos, disse que mentiu para não perder o seguro, que não cobre furtos.


Os funcionários da Globo foram seqüestrados no dia 12 de agosto. Dois dias antes, o manobrista Manoel da Silva Filho deu queixa à polícia afirmando que havia sofrido um assalto a mão armada no cruzamento das ruas Campos Bicudo com Pedrosa Alvarenga, na zona oeste, enquanto levava um Vectra da porta de um restaurante para o estacionamento.


O proprietário do estacionamento chegou a dar detalhes do suposto roubo, mas, depois, acabou confessando a farsa.


Segundo a versão da polícia, foi Luciano José da Silva quem pegou o veículo e sumiu. O acusado foi procurado em sete endereços, mas não foi achado.


Antonio Assunção de Olim, delegado da DAS, confirmou o pedido de prisão temporária de Silva. Segundo Olim, o manobrista estava havia menos de três dias trabalhando no estacionamento. Ainda de acordo com o delegado, tanto o proprietário do estacionamento quanto o funcionário que fez o registro de roubo serão indiciados por comunicação falsa de crime, que, segundo o artigo 340 da Lei de Contravenções, prevê uma pena de um a seis meses de detenção.


Guilherme Portanova e o técnico Alexandre Calado foram seqüestrados num sábado de manhã, quando saíam de uma padaria próxima à Globo. Dois homens obrigaram os dois a entrarem em um Vectra. Na noite do sábado, Calado foi solto com um DVD e a exigência para divulgar as imagens nele contidas -com reivindicações do PCC.


No início da madrugada de domingo, o vídeo foi divulgado pela Rede Globo. Depois de aproximadamente 41 horas de seqüestro e de ter passado por ao menos três cativeiros, Portanova foi libertado.


Caixa dois


O Ministério Público investiga a denúncia de que integrantes do PCC desviavam dinheiro da própria facção. A suspeita surgiu com o prisão de David Sorur, conhecido como DVD, um dos tesoureiros da facção que morreu na cadeia.


Segundo o Ministério Público, os recursos arrecadados com o tráfico de drogas e assaltos eram desviados antes de serem encaminhados para os chefes regionais.’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Nome a zerar


‘Desde a agenda na blogosfera brasiliense, passando por sites, rádios e telejornais, foi dia de espera. Um ‘dia decisivo para os sanguessugas’, na expressão da Globo, no início da tarde; de ‘sanguessugas ansiosos’, na submanchete do iG, no fim da tarde. Por todo lado, como nos ‘+ lidos’ da Folha Online, o aviso de que os acusados ‘têm até a meia-noite para renunciar’.


Mas aos poucos a percepção foi mudando. No blog de Fernando Rodrigues, ‘não adianta renunciar, os acusados serão alvos agora ou no ano que vem’. O de Ricardo Noblat registrou a pressão contra a renúncia, feita pelos confiantes ‘na impunidade na Câmara’. Início da noite e a Folha Online diz que o Conselho de Ética já previa quatro renúncias, quando, ‘na semana passada, a avaliação era de renúncia em massa’.


O que não impediu piadas como a de Tutty Vasques, no site Nomínimo, dizendo que, ‘acusada, Serys Slhessarenko tem um nome a zerar. Não há quem não se enrole ao citá-la, ainda que seja para defendê-la’.


A ELEIÇÃO YOU TUBE


Foi destaque no ‘New York Times’ de domingo e seguia ontem na home. Sob o título ‘The You Tube Election’, o jornal tratou do impacto do serviço de compartilhamento de vídeo nas campanhas para o Congresso dos EUA, com frases infelizes dos candidatos se espalhando pela rede. O exemplo maior é do senador republicano George Allen, que chamou de ‘macaca’ (sic) uma estudante de origem indígena. Mas não se sabe se Allen e outros serão afetados -até porque, no dizer do blogueiro Jeff Jarvis, no jornal, ‘não há nada de novo em político dizendo coisa estúpida’.


‘É FANTÁSTOSCO’


Por aqui, o blog de humor Kibe Loco!, de Antonio Tabet, comemora e espalha que já virou ‘o canal brasileiro mais assistido no You Tube -ocupando a quarta posição no ranking mundial da semana [passada], a quinta colocação no mês e chegando à liderança na última quarta-feira’. Lançou até um concurso de vídeos dos leitores, chamado ‘É Fantástosco’, para celebrar. Alguns dos ‘hits’ que ele postou: William Bonner imitando Clodovil, a candidatura de Ruth Lemos, o bate-boca entre Rogério Ceni e Milly Lacombe; menos cotados, também Lula e José Serra.


O EXTERMINADOR


Geraldo Alckmin não tem sorte. No início da noite, na manchete de seu site, ‘Lula virou um exterminador de empregos, afirma Geraldo’. Na manchete do Globo.com e outros, naquele momento:


– Geração de empregos formais cresce 31% em julho.


CULPA DO LULA


Lucas Mendes, no site BBC Brasil, relatou viagem ao Rio:


– Dias lindos, amigos prósperos, restaurantes cheios, ruas congestionadas, explosão de lojas -e todos dizem: está uma merda! Culpa do Lula. Não encontrei uma pessoa que vá votar nele, mas todos garantem que vai ganhar disparado. Só com o meu voto?


‘A LUTA CONTINUA’


O ‘Financial Times’ fez ‘rara entrevista’ com Andrés López Obrador, o presidenciável em ‘resistência civil’ pela recontagem dos votos no México, acampado na capital.


Diz ‘lutar para salvar a democracia’ e que o dia 16, o prazo da Justiça, será ‘histórico’. Se perder, ‘a luta continua’. Mas então, diz o ‘FT’, ‘pode estar chamando a tenda de lar indefinidamente’.


ESQUERDA URUGUAIA


O presidente uruguaio, Tabaré Vasques, segundo o argentino ‘La Nación’, anunciou que ‘vai falar com o brasileiro Lula, para avançar no acordo bilateral do Uruguai com os Estados Unidos’.’


FSP CONTESTADA
Painel do Leitor


Patrimônio de deputados


‘‘Fiquei abismado com a maneira como a Folha tratou a comparação do crescimento patrimonial dos deputados estaduais de São Paulo, ignorando a mais elementar matemática e levantando falsa suspeição contra os deputados do PT (‘Patrimônio de deputados estaduais de SP sobe 40%’, Brasil, 19/8). Se todos os deputados ganham um salário igual, é evidente que a evolução do patrimônio dos deputados mais pobres vai ser maior. A bancada do PT é formada, tradicionalmente, por professores, profissionais liberais, médicos… ou seja, classe média ou média-baixa. É claro que um profissional que ganhava R$ 2.000 ou R$ 3.000 e passa a receber R$ 11 mil ao assumir a função de deputado vai ter um impacto em seu patrimônio muito maior do que aquele deputado-empresário que já ganhava perto disso antes de ser eleito. Segundo cientista político ouvido pela reportagem, a variação patrimonial dos deputados é estranha e os salários não justificam os ganhos ‘de maneira nenhuma’. Como de maneira nenhuma? A soma dos salários dos 22 deputados tucanos durante o último mandato (R$ 10,9 milhões até julho) é menor que o patrimônio que a bancada já tinha em 2002 -de R$ 11,9 milhões. Já para o PT, esses mesmos R$ 10,9 milhões representam mais de três vezes (322%) o patrimônio que seus também 22 deputados tinham em 2002 -R$ 2,6 milhões. E mais. Destes R$ 10,9 milhões dos salários igualmente recebidos pelas duas bancadas, os tucanos conseguiram poupar ou transformar em patrimônio R$ 5,8 milhões, enquanto os petistas só puderam guardar R$ 2,6 milhões. Mas a reportagem prefere só dizer que o patrimônio petista cresceu 91,7%, enquanto o tucano subiu 48,4%.’


LUIS ROBERTO CÂNDIDO , filiado do PT de São José dos Campos (São José dos Campos, SP)


‘Em relação à reportagem sobre o aumento de patrimônio de deputados estaduais paulistas, tenho a esclarecer que o aumento de meu patrimônio declarado ao TRE-SP na eleição de 2006 em relação ao declarado na eleição de 2002 se deu em razão dos seguintes motivos: 1. O recebimento de herança, em 16 dezembro de 2002, em razão da morte de meu pai -essa é a data do trânsito em julgado da sentença de partilha, conforme consta dos autos do processo nº 99076228-9, que tramitou perante a 8ª Vara da Família e das Sucessões do Foro Central da Capital; e 2. Na declaração de 2006, houve uma atualização monetária dos bens pelo valor de mercado, inclusive os advindos da herança de meu pai. Nem a herança recebida de meu pai nem a atualização dos bens pelo valor de mercado têm qualquer relação com os meus recebimentos como deputado estadual. Se tivesse sido consultado pelo jornalista responsável pela reportagem, teria prestado esses esclarecimentos.’


RODOLFO COSTA E SILVA , deputado estadual pelo PSDB (São Paulo, SP)’


FSP PREMIADA
Folha de S. Paulo


Folha recebe o ‘Troféu Dia da Imprensa’ de melhor diário


‘A Folha recebeu ontem o ‘Troféu Dia da Imprensa’ de melhor jornal diário. A cerimônia de premiação aconteceu no Festivo, em Pinheiros (zona oeste de São Paulo), e contemplou outros 13 meios de comunicação.


O prêmio foi criado pela revista ‘Imprensa’ em comemoração do Dia da Imprensa, celebrado em 1º de junho. A seleção foi feita no site da revista (www.portalimprensa.com.br).


Na primeira etapa, internautas selecionaram espontaneamente seus veículos e programas prediletos. Os nomes mais citados passaram para a segunda fase, quando os participantes receberam cédulas eletrônicas. Cada computador pôde votar apenas uma vez por dia, durante um mês.


Além da Folha, os premiados em suas categorias foram: as revistas ‘Veja’, ‘História Viva’, ‘América Economia’, ‘TPM’, ‘Caras’, ‘Trip’ e ‘Sexy’, o telejornal ‘SBT Brasil’, o radiojornal ‘Jornal da CBN’, o blog da Rosana Herman, a agência de notícias Reuters, o programa de entrevista ‘Charme’ (SBT) e o site de notícias allTV.’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Globo promove Oscar do cinema brasileiro


‘A Globo está investindo na criação de um Oscar do cinema brasileiro. Exibirá em 17 de dezembro a premiação da Academia Brasileira de Cinema (ABC), criada em 2002 e atualmente presidida pelo cineasta Roberto Farias, que também é diretor de programa na Globo.


A premiação da ABC é completamente desconhecida fora do mercado de cinema. Até o ano passado, se chamou Grande Prêmio TAM. Uma comissão estuda agora um novo nome, que poderá ser o de um personagem (como Macunaíma). Como no Oscar, a votação será feita pelos cerca de 200 membros da ABC. ‘A televisão potencializará o prêmio e isso vai se refletir comercialmente no cinema brasileiro’, diz Farias, que articulou a transmissão com Marluce Dias da Silva, ex-diretora-geral da Globo, hoje atuando como estrategista.


A Globo considera o apoio ao cinema um tema estratégico. Além de ser co-produtora, vê na formação de platéias uma ação favorável à TV, por acostumar o público a uma ‘estética nacional’. E tem no setor aliados políticos, como os que, liderados por Roberto Farias, implodiram a Ancinav, agência que regularia a televisão.


A Globo também dará tratamento ‘estratégico’ ao teatro. Começa em setembro a veicular uma campanha pró-teatro e a realizar uma grande pesquisa nacional dos hábitos de consumo de cinema e teatro, que norteará suas ações futuras.


ERA UMA VEZ 1A Record bateu o martelo ontem de manhã: não irá mais fazer debate entre os candidatos ao governo do Estado de São Paulo. É que não conseguiu um acordo com os pequenos partidos. Os nanicos não aceitaram trocar o debate por uma entrevista. O debate entre os candidatos do Rio continua de pé.


ERA UMA VEZ 2Ainda não é definitivo, mas o debate da Record entre os presidenciáveis está praticamente cancelado. A rede teme perder ibope sem a presença de Lula.


O LEBLON É EM PARISA Globo conseguiu da Prefeitura de Paris autorização para gravar na cidade cenas de perseguição do primeiro capítulo de ‘Pé na Jaca’, próxima novela das 19h. As cenas terão luta, carros velozes e até barcos.


VÁ AO TEATROA campanha que a Globo exibirá a partir de setembro, para estimular o público a ir ao teatro, terá Fernanda Montenegro, Paulo Autran, Sergio Britto e Bibi Ferreira. Os quatro ícones da dramaturgia nacional não abrem a boca. Quem fala são os espectadores, que os aplaudem ao final de uma peça.


TEATRO DE REVISTAÍris Bruzzi, a vedete Guida Guevara da novela ‘Belíssima’, acaba de ser contratada pela Record. Fará parte da próxima novela das oito da emissora, que estréia em novembro.


DRAMA DE ÉPOCANa Band, a novidade é a contratação de Marcos Breda. Em ‘Paixões Proibidas’, que começa a ser gravada em setembro em Portugal, Breda será um vilão apaixonado pela mocinha.’



Adriana Mattos


Indústria vende 6 milhões de TVs até junho


‘Motor do comércio varejista no primeiro semestre, a venda de produtos eletroeletrônicos cresceu 14,43% de janeiro a junho em relação a 2005 -alta de 37,84% na demanda por televisores. Os brasileiros compraram 6 milhões de TVs em seis meses. Estima-se que metade disso -cerca de 3 milhões- tenha sido comprada apenas entre maio e junho, apurou a Folha. Para o segundo semestre, deverão ser mais 4 milhões de unidades.


No caso dos DVDs, a alta foi de 40,87% no período, segundo a Eletros, entidade do setor, que não informou a quantidade de DVDs vendidos.


Com a comercialização de TVs de plasma de 42 polegadas a R$ 3.990 nas lojas (preço mínimo) -em novembro de 2005, o produto custava R$ 9.999-, houve forte aumento no consumo recente do item. A opção de pagamento em até 12 parcelas sem juros e a queda -ainda leve, porém- nas taxas para as compras em prazos maiores fizeram a procura crescer. O consumo, porém, começa a dar sinais de arrefecimento.


A perda de fôlego é reflexo do processo de estocagem do varejo no primeiro semestre. Os 6 milhões de TVs foram vendidos da indústria para as lojas, mas nem tudo foi comprado na ponta, pelo consumidor. Com isso, o varejo ainda tem estoque antigo nos pontos-de-venda porque, devido a razões estratégicas, as redes preferiram comprar elevados volumes nos últimos meses para não correr o risco de ficar sem mercadoria às vésperas da Copa do Mundo. A venda aconteceu no primeiro semestre, mas ainda sobraram mercadorias nas lojas.


Como resultado, a indústria acabou entregando menos aparelhos para as lojas em julho, por conta desse estoque antigo -e caiu o ritmo de produção das fábricas na Zona Franca de Manaus. Pelos cálculos da Eletros, em julho, as vendas de TVs tiveram retração de 35% em comparação a junho.


A retração não fez a associação dos fabricantes rever as projeções do ano. Estima-se crescimento entre 16% e 17% nas vendas de produtos eletrônicos de consumo em 2006.


Polêmica


Recentemente, entidades de defesa do consumidor alertaram para os riscos da compra da TV de plasma, informou a Folha. O produto vendido pode ter qualidade de imagem inferior à apresentada nas lojas.


Objeto de desejo de parte dos consumidores, as redes varejistas já vendem a TV de plasma de 42 polegadas a R$ 4.648 (marcas líderes). O produto de preço mais baixo é encontrado na rede Sam’s Club, por R$ 3.990 (marca Digistar).


Em julho, quando o eletrônico custava, em média, R$ 5.900, as redes e os fabricantes chegaram a afirmar que os preços não cairiam mais. É tática comum: para vender, o mercado ‘blefa’ e informa que novos cortes não acontecerão.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem