Domingo, 24 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

ENTRE ASPAS > HOMERO ICAZA SÁNCHEZ (1925-2011)

O “bruxo” da Globo era apaixonado por poesia

Por Carlos Messias em 05/09/2011 na edição 658
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 31/8/2011

Ainda criança aprendeu o valor do conhecimento. Nascido em 10 de janeiro de 1925 na Cidade do Panamá (Panamá), o jovem Homero Icaza Sánchez se formou no Colégio de La Salle em 1953. Em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial, recebeu uma bolsa do Itamaraty para estudar Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ainda não sabia que jamais abandonaria o Brasil.

Foi durante a graduação, em 1947, que publicou Primeros Poemas, seu livro de estreia, uma coletânea de poesia em espanhol. Ainda publicaria outras duas antologias com os seus poemas, como o melancólico “Poemas para Cuerda” (1956) e o romântico “Un Solo Amor” (1979). Algumas de suas obras chegaram a ser traduzidas para o português.

Ainda antes de se formar, inscreveu-se em uma pós-graduação em sociologia na Fundação Getúlio Vargas (FGV), o que contribuiu com a sua carreira como cônsul do Panamá no Rio de Janeiro, função que exerceu por 18 anos. Mas foi em 1971 que encontrou sua verdadeira vocação. Enquanto o Brasil ainda engatinhava nas pesquisas de mercado, tornou-se diretor da área na rede Globo. Provocou mudanças bem-sucedidas, como transferir as novelas de época para a faixa de horário das 18h. Sua habilidade para interpretar os números do Ibope era tamanha que ganhou o apelido de El Brujo.

Ocupando o cargo de consultor da Central Globo de Controle e Qualidade (CGCQ), morreu ontem, aos 86 anos, no Rio de Janeiro. Seu corpo será cremado hoje, às 15h, no crematório do Caju.

***

[Carlos Messias, da Redação da Folha]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem