Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

ENTRE ASPAS >

O Estado de S. Paulo

08/09/2009 na edição 554

CENSURA
Fausto Macedo

Desembargador cobra CNJ no caso do ‘Estado’

‘‘Questões de ordem pública como a liberdade de imprensa não podem ser postergadas pelo Judiciário’, alertou ontem o desembargador Walter do Amaral, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Para ele, os autos processuais relativos ao decreto de censura ao Estado devem ser objeto de decisão rápida. ‘Chega uma hora que o juiz precisa dizer.’

A mordaça foi imposta ao Estado em 31 de julho pelo desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Ele proibiu o jornal de publicar reportagens sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, que envolve o empresário Fernando Sarney, filho do senador José Sarney (PMDB-AP). Desde então, todos os recursos que o Estado interpôs caminham lentamente pela malha fina da burocracia forense.

‘Casos dessa natureza merecem resposta imediata porque não se restringem ao campo de interesse de um jornal ou de um senador, mas de toda uma nação’, argumenta o desembargador do TRF 3. ‘O povo precisa saber o que pode e o que não pode. O Judiciário tem o dever de decidir logo nessas situações. O Conselho Nacional de Justiça já deveria ter agido. É nessa hora que o CNJ deve falar. Aí sim se justifica o controle externo por eventual agressão à cláusula pétrea dos direitos individuais e coletivos.’

Explicações por escrito de Dácio Vieira chegaram ao CNJ e estão sendo analisadas pelo ministro Gilson Dipp, corregedor nacional de Justiça.

O presidente da Comissão Nacional de Legislação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinícius Furtado Coelho, prega ‘maior celeridade’ à demanda, endossando sugestão do presidente da entidade, Cezar Britto. ‘É caso típico de reclamação ao Supremo Tribunal Federal por descumprimento de julgamento que tem efeito vinculante. O STF assegurou liberdade aos veículos de comunicação quando pôs fim à Lei de Imprensa. A reclamação tem o rito célere preconizado pelo presidente da OAB.’’

 

CUBA
O Estado de S. Paulo

Fidel aparece em foto com líder chinês

‘A imprensa oficial cubana publicou ontem uma nova foto do ex-presidente Fidel Castro, na qual ele aparece com o líder do Parlamento da China, Wu Bangguo, que esteve em Havana na quinta-feira. Esta é a primeira foto de Fidel ao ar livre desde que ele deixou de aparecer em público em julho de 2006, quando foi submetido a uma cirurgia intestinal.’

 

GOVERNO
Leonencio Nossa e Christiane Samarco

Lula vai à TV defender regras do pré-sal

‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará na noite de domingo, véspera do Dia da Independência, um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão para defender as regras propostas pelo governo para a exploração do petróleo na camada do pré-sal.

Com a disputa sucessória cada vez mais próxima, ele exaltará, como já fez recentemente, que as jazidas de óleo representam a ‘segunda independência’ do País.

Para pressionar o Congresso Nacional a votar o quanto antes o marco regulatório do setor, ele dirá ainda que a hora para definir com quem toda essa riqueza vai ficar é agora. O presidente não quer, segundo assessores, que a oposição use a demora na regulamentação do pré-sal para atacar o governo e dizer que tudo não passou de uma encenação eleitoreira.

O discurso de domingo será o terceiro ‘grito de independência’ de Lula em rede nacional desde que assumiu o governo. Em janeiro de 2006, ele afirmou que a antecipação do pagamento da dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI) era a independência do País. Já em setembro daquele ano, ele disse que o ‘marco’ de independência era a autossuficiência de petróleo.

Gravado na manhã de ontem no Palácio da Alvorada, com duração entre 10 e 12 minutos, o pronunciamento que será veiculado no domingo lembra o discurso feito por Lula no 7 de Setembro do ano passado. Na época, ele prometeu entregar a proposta do pré-sal em ‘algumas semanas’ e realizar um ‘debate amplo’ com a sociedade.

Já neste ano, ele usa o mesmo instrumento para pedir urgência na votação dos quatro projetos do pré-sal. O presidente quer reforçar a ideia de que a votação das propostas é uma necessidade nacional e marcar posição na disputa com os oposicionistas, que acusam o governo de não querer discutir o tema.

Sem garantia dos líderes governistas de que os projetos serão votados nos próximos meses, Lula tenta tirar proveito político do pré-sal.

BANDEIRA

Embora as novas jazidas só devam gerar recursos mais substanciais a partir de 2015, o governo pode empunhar desde já as novas regras como uma bandeira da campanha de sua candidata à sucessão, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Lula reafirmará no pronunciamento deste domingo que o País criará uma indústria petrolífera moderna e garantirá recursos para a educação e o combate à pobreza, como disse no ano passado, e também para ciência e tecnologia, cultura e meio ambiente.

A área ambiental virou uma das prioridades do fundo que o governo pretende criar com os recursos do pré-sal com a entrada da senadora Marina Silva (PV-AC) na disputa presidencial de 2010.

Lula afirma, no pronunciamento, que a exploração do pré-sal representa uma riqueza do País que vai ficar com o ‘povo’. Em meio à briga dos Estados produtores com as demais unidades da Federação pelos royalties do petróleo, Lula, segundo um interlocutor, insistirá que não se pode permitir que tanta riqueza fique concentrada nas mãos de poucos.

O presidente dirá que sua preocupação é estabelecer, desde já, a divisão desta riqueza com todos os brasileiros de todas as regiões e Estados.’

 

TELEVISÃO
Keila Jimenez

No limite do ibope

‘A mais recente e provável derradeira edição de No Limite, da Globo, não conseguiu ainda atingir a metade da audiência alcançada por cada uma das edições anteriores do reality show.

Segundo medição do Ibope na Grande São Paulo, a média de No Limite até agora – após dez apresentações -, contando seus principais dias de exibição, quintas-feiras e domingos, é de 17 pontos de audiência.

No Limite 1, em 2000, atingiu média de 47 pontos. Em No Limite 2, em março de 2001, a audiência caiu, mas ainda se manteve boa: 35 pontos. No Limite 3, apresentado no mesmo ano, só que em dezembro, manteve a audiência no patamar dos 33 pontos de média.

Com o final de A Fazenda, da Record, principal concorrente do reality show, a Globo esperava que atração se recuperasse e ganhasse fôlego na reta final.

No último domingo, sem A Fazenda, No Limite melhorou, mas chegou a ficar empatada com o Programa do Gugu durante o embate, com média de 17 pontos. E anteontem impulsionada pelos recorde de audiência da novela Caminho das Índias e de A Grande Família, a competição alcançou 23 pontos de média em São Paulo.

Xô, ego

Em cartaz no cinema (A Festa da Menina Morta), no teatro (O Zoológico de Vidro, de Tennessee Williams) e na TV, onde faz a carola Mariana, na novela Paraíso, da Globo, Cássia Kiss fala de tudo e mais um pouco a Sabrina Parlatore. A atriz conta como se aprofunda nos papéis que interpreta. ‘O artista tem que matar o ego’, ensina. O papo vai ao ar hoje, no Vitrine, via TV Cultura, às 21h30.

ENTRELINHAS

Caminho das Índias bateu seu recorde de audiência anteontem, com a surra de Silvia (Deborah Bloch) em Yvone (Letícia Sabatella) e o encontro de Raul (Alexandre Borges) com o pai, seu Cadore (Elias Gleizer): rendeu 52 pontos de média à Globo.

No ar após a novela das 9, A Grande Família também bateu seu recorde do ano. Marcou 38 pontos de média anteontem.

O jogador Edmundo é o novo comentarista esportivo da RedeTV! Ele visitou os estúdios da emissora na quinta-feira.

Profissionais do SporTV foram pegos de surpresa, terça-feira, com a notícia de que o Zona de Impacto não iria mais ao ar. Alguns deles foram reaproveitados em atrações da Globo.

Em entrevista a Marília Gabriela, que vai ao ar dia 13, no GNT, Miguel Falabella diz que não sabe escrever novelas: ‘Sou muito ácido. Não é mesmo minha praia, sou muito mais do humor.’

Vencedor de A Fazenda, da Record, Dado Dolabella, que tinha capa garantida em uma revista de celebridades, perdeu a vez para Ana Maria Braga e mais uma de suas viagens.

Com ou sem A Fazenda, Poder Paralelo mantém a audiência na Record: 10 pontos de média, na Grande São Paulo. Já no Rio, a novela chega a registrar média na casa dos 22 pontos.

Pela segunda semana seguida, o Pânico vai abusar da singela interpretação de Vanusa. Amanhã, na RedeTV!.’

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Terra Magazine

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem