Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ENTRE ASPAS > WILSON MARTINS (1921-2010)

O mestre da crítica

Por O Globo em 02/02/2010 na edição 575

Um dos maiores críticos literários do país, Wilson Martins, paulista radicado no Paraná, foi consagrado por sua colossal obra História da inteligência brasileira (1976 a 1979), um tesouro intelectual que ajuda a entender o Brasil. Mas este escritor formado em Direito, professor universitário em seu país e nos EUA, é autor de outros títulos de extrema importância, tais como A crítica literária no Brasil (em dois volumes) e Pontos de vista, que reúne textos seus publicados em jornais como O Globo e Estado de S.Paulo.

Martins nasceu na capital paulista, em 1921. Formou-se em Direito e se tornou doutor em Letras. Em 1952, começou como professor de literatura francesa na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Também lecionou literatura brasileira em instituições como a Universidade de Nova York, onde deu aulas por 26 anos, tornando-se professor emérito (ele se aposentou em 1992).

Paralelamente, Martins escreveu críticas para O Globo, Jornal do Brasil e Estado de S.Paulo. Seus textos, reunidos na série Pontos de vista, lançada nos anos 90, eram marcados por riqueza de embasamento e isenção. O crítico nunca se preocupou em agradar ou não um escritor. ‘Eu não julgo autores, julgo livros’, dizia.

Complicações cirúrgicas

O estudioso recebeu merecido reconhecimento por seu trabalho. O seminal História da inteligência brasileira lhe rendeu dois prêmios Jabuti. Dividido em sete volumes, o título combina análises de grandes escritores e intelectuais com um impressionante ensaio histórico, valendo-se de polêmica e sempre fugindo de jargões literários para, assim, passar em revista mais de 400 anos de cultura brasileira.

Em 2002, ele recebeu o prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto de sua obra.

Colegas autores nunca economizaram palavras para exaltá-lo. Em 2001, foi lançado o título Mestre da crítica, em comemoração pelos 80 anos de Martins, reunindo textos assinados por Antonio Candido, Moacyr Scliar, Josué Montello e Affonso Romano de Sant´Anna, entre outros, sobre a importância do crítico.

Wilson Martins morreu no sábado, aos 87 anos, devido a complicações cirúrgicas, cinco dias depois de sofrer uma operação para extração da bexiga. Ele estava internado no Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba. Seu corpo foi velado ontem e será cremado hoje à tarde, conforme seu desejo registrado em cartório. O escritor não deixa filhos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem