Sábado, 22 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 5 E 6/7

O Estado de S. Paulo

08/07/2008 na edição 493

CONCESSÕES
Eduardo Reina

Emissora de metalúrgico no ABC sai em 90 dias

‘O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC deverá obter concessão de uma rádio que transmitirá para as cidades da região do ABC e Mogi das Cruzes em 90 dias. A previsão é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, feita durante entrevista ao programa ABCD Maior Em Revista, que vai ao ar hoje, às 20 horas, pelo canal GNT (48 UHF), e também numa rede local no ABC, a TV Mais (8 da NET). Há possibilidade de haver concessões também para universidades.

‘Essa rádio de São Bernardo é uma agonia porque acabei de falar com o ministro por telefone e ele disse que está resolvido o problema. É que entre assinar a portaria e fazer a concessão e acontecer de verdade leva, pelo menos, uns 90 dias. Precisamos fazer uma discussão, que penso estar concluída nos próximos 45 dias, com o ministro das Comunicações, para que a gente possa tirar todos os obstáculos que temos hoje, que dificultam criar tanto uma rádio popular como fazer concessão de um canal de televisão para um sindicato ou para uma universidade, que acho extremamente importante’, disse Lula.

A concessão da rádio dos metalúrgicos do ABC, explica o diretor-geral do programa ABCD Maior, Celso Horta, é em nome da Fundação Sociedade, Comunicação, Cultura e Trabalho, cujo maior mantenedor é o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, entidade que Lula já presidiu. O pedido de concessão é antigo. Tem mais de duas décadas e o próprio Lula, quando era deputado federal, esteve à frente de movimento que reivindicava a democratização do acesso aos meios de comunicação de massa. Na época, o então parlamentar se reuniu com o ministro das Comunicações , Antonio Carlos Magalhães, para fazer o pedido de concessão. Mas nnão houve resultado positivo.

Na Presidência da República há quase sete anos, Lula agora fará avançar novas concessões de rádio e televisão, mas estariam de fora alguns pedidos de rádios comunitárias. Várias reuniões sobre o tema já foram feitas com os Ministérios da Comunicação e da Casa Civil e com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

‘Nós fizemos uma reunião que envolveu a Anatel, o ministro das Comunicações, Casa Civil e resolvemos criar todas as condições para democratizar as rádios comunitárias no Brasil. Agora, democratizar significa separar o joio do trigo. Porque tem muito pedido de rádio comunitária que não tem nada de comunitária. Nem pela esquerda, nem pela direita’, reconheceu o presidente.

‘Tem muita gente que tenta se aproveitar de um instrumento que é extraordinário para que a gente possa democratizar as informações no Brasil e os meios de comunicação. Quando nós decidimos fazer a TV Pública, não foi uma coisa fácil. Foi extremamente complicado porque você encontra muita barreira da burocracia interna, da legislação e depois a barreira política. Mas estou convencido que nós avançamos e que é possível avançar muito mais’, disse sobre o tema.

No programa, Lula admitiu que a inflação é uma grande preocupação atual, mas que mesmo assim consegue dormir sossegado. ‘Ainda não tira o sono, mas é uma preocupação muito grande. Nós temos hoje uma inflação sui generis, decorrente da alta dos alimentos no mundo inteiro. No caso do Brasil, tenho dito que não podemos ver isso como um problema, mas como uma solução. É um desafio para o Brasil.’

Sobre as eleições, Lula prometeu subir no palanque de candidatos do PT em todas as cidades em que os adversários forem do PSDB e DEM.’

 

 

RESGATE
Ruth Costas

Vídeo busca reforçar a versão de Uribe

‘O governo colombiano divulgou ontem um vídeo de três minutos da operação que resgatou 15 reféns das Farc, entre eles a ex-senadora Ingrid Betancourt e 3 americanos. As imagens mostram o momento em que os reféns tiveram as mãos atadas por militares que fingiam ser de uma organização humanitária e foram colocados num helicóptero que supostamente os levaria até o chefe da guerrilha, Alfonso Cano.

Durante o vôo, os reféns são informados de que se trata de um resgate e comemoram. Ingrid chora e ri ao mesmo tempo. A operação foi um êxito extraordinário. Para muitos, extraordinário demais para ser verdade. A divulgação do vídeo tinha como objetivo reduzir os questionamentos e versões alternativas que brotavam ontem dentro e fora da Colômbia para explicar os pontos obscuros da versão oficial.

Por ela, os militares colombianos conseguiram enganar o comandante guerrilheiro conhecido como César, convencendo-o a reunir reféns que estavam em três acampamentos diferentes e colocá-los num helicóptero de uma desconhecida ONG. Para ajudar na operação, militares teriam se infiltrado na guerrilha e alguém teria imitando a voz de Cano em contatos com César.

‘Essa versão é tão absurda como dizer que o Exército matou os líderes da guerrilha com uma única bala’, disse ao Estado o analista político colombiano Gustavo Duncan. ‘Os guerrilheiros não teriam colocado num helicóptero desconhecido Ingrid e os americanos, seus reféns mais valiosos. Não tão facilmente. Provavelmente, a operação envolveu uma grande negociação – na minha opinião, não apenas com César, mas com outros alto comandantes.’

Para o brasileiro Salvador Raza, diretor do Centro de Tecnologia, Relações Internacionais e Segurança(Cetris) e especialista em estratégias militares, é estranho que o Exército tenha conseguido infiltrar-se com tanta eficiência nas Farc em uma época em que a guerrilha está em constante transformação: ‘Uma infiltração como essa é um trabalho para anos.’

Já Alfredo Rangel , da Fundação Segurança e Democracia, em Bogotá, disse que a versão é plausível. ‘É claro que nem tudo foi divulgado até agora, por questões estratégicas, mas a verdade pode não passar muito longe disso’, acredita. ‘O que parecia impossível quando as Farc estavam fortalecidas, pode ser provável hoje, que estão debilitadas. A sorte fez o resto.’

NO PALCO

Os militares colombianos que resgataram os reféns fizeram aulas de teatro durante três semanas para se preparar para a operação, em que enganaram os rebeldes. Os soldados fingiram ser funcionários de uma ONG, médicos e enfermeiros.’

 

 

Andrei Netto

Ingrid: ‘Fiquei 3 anos acorrentada’

‘Em entrevista concedida ontem, no Palácio do Eliseu, em Paris, Ingrid Betancourt, ex-refém da guerrilha colombiana, começou a dar uma dimensão do que foram os seis anos de sofrimento na selva. Apesar da disposição para falar do próprio drama, Ingrid foi muito clara ao afirmar que algumas coisas jamais serão conhecidas. ‘Quando subi naquele helicóptero e decolamos sobre a floresta, disse a mim mesma que os detalhes sórdidos nunca seriam revelados.’

Ingrid se dispôs a explicar as condições de sobrevivência na selva colombiana quando ainda estava em Bogotá, pouco antes de embarcar no avião oficial do governo francês. Em entrevista à rádio Europa 1, de Paris, a ex-senadora e ex-candidata à presidência da Colômbia contou que viveu acorrentada 24 horas por dia durante três anos, metade de seu tempo de cativeiro.

Nesse período, foi vítima de torturas, humilhações e descobriu que na dor e no desrespeito extremo reside a tentação do suicídio. ‘Houve momentos de grande crise, de grande dureza, de maus-tratos. E havia momentos em que (os guerrilheiros) tentavam mostrar uma outra face, porque eram tão monstruosos que eles mesmos estavam enojados’, descreveu. Ingrid atribui à ‘espiritualidade’ a origem da força que lhe impediu de ‘cair no abismo’.

Ontem, na capital francesa, a ex-candidata voltou ao passado. ‘Na selva não há sol, nem céu. Há uma muralha de árvores e feras assustadoras’, disse, logo no início de seu discurso no Palácio do Eliseu. ‘Em média, caminhava 300 quilômetros por ano’, afirmou, lembrando que a perseguição do Exército obrigava os revolucionários a constantes deslocamentos. ‘Precisava de luvas, porque na selva tudo fere. É um mundo absolutamente hostil, com animais perigosos, entre os quais o pior de todos, o homem, que me ameaçava.’

Um de seus passatempos mais freqüentes na floresta, segundo ela, era ensinar francês aos companheiros de martírio, alguns dos quais detidos há mais de 10 anos. Ingrid contou que via neles desespero e entrega. Aos jovens reféns, muitos presos pelos guerrilheiros aos 18 anos, Ingrid falava da França e fazia-os sonhar com a vida em uma terra onde há liberdade.

‘A França é liberdade, é alegria, é fraternidade. Sei que o que digo que é banal, mas para os jovens reféns – e para mim – essas eram palavras muito fortes’, explicou. ‘Eu falava da França para que eles pensassem em outra coisa, para que parassem de pensar em suicídio.’

Além de falar do passado, Ingrid também projetou o futuro. Nos momentos em que não estiver à frente de sua nova ação política pela libertação dos demais cativos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), a ex-refém pretende se dedicar à literatura.

‘Quero escrever vários livros. Há certas coisas que posso contar. Há outras sobre as quais terei maior dificuldade de dizer em meu próprio nome’, admitiu, antecipando que pretende escrever uma peça de teatro, que seria, de acordo com ela, uma forma de se dirigir ao público de uma maneira diferente. Seu maior projeto, porém, ainda é político. ‘O maior projeto de todos é mudar o mundo. E há muitas coisas que precisam ser feitas.’’

 

 

EQUADOR
O Estado de S. Paulo

Controle de mídia por financeiras é vetado

‘A Assembléia Constituinte do Equador proibiu ontem que entidades financeiras controlem meios de comunicação no país. A resolução fixou um prazo de dois anos para a regularização das ações das empresas financeiras. A medida estará na proposta de nova Carta que será submetida a referendo popular em setembro.’

 

 

TELES
O Estado de S. Paulo

Oi mantém oferta por ações da BrT

‘A empresa de telefonia Oi (antiga Telemar) informou que mantém, ‘por ora’, a oferta pública por ações da Brasil Telecom já anunciada, apesar de o preço das ações preferenciais da BrT ter alcançado R$ 15,86 no encerramento do pregão de 2 de julho, uma queda de pouco mais de 20% em relação ao valor verificado no encerramento do pregão em 25 de abril de 2008, que era de R$ 20. A Oi anunciou o processo de compra da Brasil Telecom no final de abril.’

 

 

TV PAGA
Ana Paula Lacerda

Modelo pré-pago chega à televisão por assinatura

‘A empresa de TV por assinatura Sky anunciou ontem o lançamento de um serviço pré-pago. ‘Queremos atingir os consumidores que gostariam de ter um pacote de TV paga, porém sem a obrigatoriedade de uma mensalidade’, explicou o vice-presidente comercial da empresa, Delfim Moreira. O serviço oferece um pacote com 35 canais de televisão (oito deles de emissoras abertas) e 46 canais de áudio, entre rádios e seleções musicais da própria Sky.

Segundo Moreira, para ter o Sky Pré-Pago, o consumidor precisa adquirir o equipamento básico (antena e decodificador, com instalação) por R$ 299. Com isso, recebe um mês de programação grátis. Depois, pode optar por ‘carregar’ a TV com créditos de 7 dias (R$19,90), 15 dias (R$ 29,90) ou 30 dias (R$49,90). O pacote básico ‘pós-pago’ da Sky, segundo informado pelo serviço de assinaturas da empresa ontem, tem um custo de equipamento e instalação de R$49,90 e mensalidades de R$ 88,90.

O público-alvo da empresa são os clientes que desejam ter mais canais, porém não querem pagar por isso todo mês. ‘Pessoas que consideravam a TV paga pouco acessível podem escolher quando querem assisti-la, agora. Ou pessoas com casas de campo, ou até quem tem antenas parabólicas e pretende trocar de equipamento pra ter imagem melhor e mais canais’, diz Agrício Neto, vice-presidente de marketing da Sky.

‘Acho que a Sky está assumindo um desafio grande’, diz o diretor da consultoria PTS, Otávio Jardanovski. ‘Assistir televisão é um hábito, e a opção pré-paga não cria o hábito como a pós-paga.’

Ele diz que já houve uma tentativa anterior de TV pré-paga no País. ‘Há cerca de cinco anos, uma empresa chamada TVFilmes ofereceu o serviço em Brasília, mas não houve grande adesão’, diz. ‘Talvez, com o crescimento do mercado e o aumento da renda, esse se torne um nicho a ser explorado, mas o brasileiro ainda é um grande fã da TV aberta.’

Um levantamento feito pela PTS mostra que, dos 50 milhões de lares brasileiros, cerca de 10 milhões teriam renda para ter canais de TV paga. ‘Porém, apenas 5 milhões usam o serviço. E, destes, 70% assistem mais a canais abertos que aos pagos’, diz Jardanovski. Mas ele reconhece que o cenário está mudando: ‘O mercado cresce de 12% a 15% ao ano.

BASE MAIOR

Os executivos da Sky acreditam que o serviço deve ampliar a base de clientes da empresa em 100 mil pessoas até o fim do ano. Atualmente, a Sky tem cerca de 1,7 milhão de assinantes – 30,3% do mercado nacional de TV por assinatura, segundo pesquisa da PTS. À frente da empresa está apenas a NET, com 45,9% do mercado nacional.

O funcionamento do sistema é simples, segundo eles. ‘A recarga será feita nas casas lotéricas, bastando fornecer o número do CPF’, diz Neto. ‘E não há obrigatoriedade de carregar com freqüência. A pessoa não perde o acesso, como acontece com os telefones celulares.’

Inseridos os créditos, a empresa afirma que o sinal passa a funcionar em cerca de 4 horas e fica em funcionamento o número de dias corridos escolhido pelo cliente. ‘Faltando dois dias para a recarga acabar, a pessoa recebe uma mensagem na tela da TV avisando que a carga está no fim’, diz. A assistência técnica para os usuários do pré-pago será grátis. ‘A partir do momento que ele compra o equipamento, ele terá assistência vitalícia.’’

 

 

APAGÃO
Laura Diniz e Rodrigo Brancatelli

Telefônica promete ressarcir perdas

‘Em reunião ontem no Procon, a Telefônica se comprometeu a ressarcir os prejuízos causados a 2,2 milhões de consumidores pela falha no serviço de acesso à internet que durou 23 horas e atingiu 407 municípios paulistas entre anteontem e ontem. As 3.500 empresas clientes também serão indenizadas com base em seus contratos. Participaram representantes do Ministério Público Estadual (MPE), da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), entre outros.

‘Na segunda-feira, faremos uma nova reunião e, se houver acordo, o Procon pretende assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a empresa para formalizar as providências a serem tomadas por eles’, explicou o diretor-executivo do Procon, Roberto Pfeiffer. Com o TAC, a Telefônica ficará desobrigada de pagar a multa de R$ 3.192.000. O MPE também instaurou inquérito para apurar a pane.

Representada por seu presidente, Antonio Carlos Valente, a Telefônica prometeu abater na conta dos assinantes o tempo que o serviço ficou indisponível. Valente afirmou que todas as empresas prejudicadas pelo apagão serão ressarcidas, bem como órgãos públicos municipais, estaduais e federais. ‘Há multas previstas em todos os contratos, que serão pagas, mas vai ser preciso analisar caso a caso.’

Falta ainda chegar a um acordo sobre quanto será abatido da mensalidade dos clientes – não houve acordo porque o Procon queria um valor maior. ‘A empresa deveria oferecer uma compensação maior, que abrangesse não só o prejuízo efetivo da indisponibilidade do serviço, como a expectativa frustrada do consumidor de acessar a internet’, disse Pfeiffer.

A pedido do Procon, a Telefônica vai criar um call center para atender às reclamações dos não-assinantes que foram prejudicados pela falha dos sistemas dos bancos, do Judiciário e dos órgãos estaduais. A advogada do Idec, Daniele Trettel, ressaltou que seria positivo fixar um prazo para as respostas.

Os técnicos e fiscais da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ainda não fecharam o relatório sobre a pane, mas o presidente da agência, Ronaldo Sardenberg, alertou os consumidores para o direito de cobrar descontos na mensalidade pelo tempo em que não tiveram o serviço, além de reparação por prejuízos econômicos.

Segundo Sardenberg, a agência vai esperar o laudo para abrir ou não uma investigação. Dependendo do tipo de problema que provocou a pane, a Telefônica poderá ser multada, disse Sardenberg. Pelo regulamento da Anatel, a multa máxima é de R$ 50 milhões. O apagão da Telefônica vai ser analisado também por um grupo interministerial.’

 

 

Rodrigo Brancatelli

Empresa não descarta erro humano e sabotagem

‘Comparando o problema que afetou a rede de dados da empresa Telefônica com uma doença – e valorizando o trabalho dos técnicos em informática como se fossem médicos -, o presidente da empresa Antônio Carlos Valente ainda procura explicações para o apagão na internet. Ontem à tarde, ele explicou que a ‘anomalia’ surgiu de um roteador defeituoso em Sorocaba, no interior de São Paulo. Ainda assim, Valente não sabe explicar por que todo o sistema replicou o erro e falhou em uníssono.

‘Isolamos esse roteador, ele está lacrado e passará por perícia técnica do Centro de Pesquisa do Desenvolvimento (CPqD)’, disse. ‘Ainda não sabemos por que a segurança de todos os equipamentos acima desse roteador falhou, isso possivelmente estará neste laudo, que deverá ser entregue em até dez dias. O que posso afirmar é que nosso sistema não é vulnerável, temos equipamentos de ponta, os melhores do mundo. Foi uma anomalia rara e complexa. Infelizmente isso acontece, faz parte da vida.’

O presidente da Telefônica ainda afirmou que não acredita que o erro tenha sido causado por um ataque de hacker, mas não descarta ‘falha humana’ ou sabotagem de algum funcionário demitido recentemente. ‘Não temos indícios para acusar, mas isso será investigado pela perícia’, disse. Na noite de ontem, a Telefônica informou que a sua rede de dados estava reestruturada e funcionando plenamente, apenas com problemas pontuais – das 1.600 delegacias afetadas pelo apagão anteontem, quatro ainda estavam sem internet até as 20 horas de ontem. O Tribunal de Justiça também permaneceu sem conexão em seis das suas 560 unidades.

INSTABILIDADE

Valente afirmou que a empresa percebeu a instabilidade na rede por volta do meio-dia de anteontem. O problema afetou a rede de dados chamada de Multi Protocol Label Switching (MPLS), que responde por 45% de todos os circuitos da Telefônica, incluindo clientes empresariais, residenciais e órgãos públicos – a outra rede da empresa, chamada de Framerelay, não sofreu com o apagão.

Técnicos terceirizados da Telefônica ficaram, até as 20 horas de anteontem, isolando e analisando cada área do sistema até achar o roteador defeituoso no município de Sorocaba. ‘Por causa da expansão no número de assinantes e do aumento da largura da banda, esses equipamentos se atualizam a toda hora, interminavelmente’, explicou Valente. ‘Esse roteador estava emitindo um código falso, que acabou prejudicando o sistema. Isolamos então esse roteador e tudo foi retomado.’

 

 

REINO UNIDO
O Estado de S. Paulo

Robert Graves é acusado de plágio

‘Robert Graves (1895-1985), considerado um dos maiores poetas britânicos do século passado, foi acusado por um acadêmico de roubar idéias e versos de sua amante americana, Laura (Riding) Jackson. Segundo Mark Jacobs, pesquisador da Universidade de Nottingham Trent, no Reino Unido, que dedicou 20 anos ao estudo de 700 cartas de Jackson para Graves, ela teria percebido semelhanças entre coisas que havia escrito e alguns textos de Graves, e acusou o poeta de plágio. Em uma das cartas, Jackson dizia que Graves ‘roubou’ suas idéias para utilizá-las em um estudo sobre a inspiração poética A Deusa Branca, de 1948.’

 

 

CHINA
Julia Contier

Pequim sem censura

‘Se a turma do humor se vê amarrada à burocracia que aguarda pela cobertura da Olimpíada de Pequim, o mesmo não se pode dizer dos executivos que comandam os principais canais de esporte brasileiros. Diretores do SporTV e da ESPN Brasil, Pedro Garcia e José Trajano, respectivamente, parecem otimistas quanto à necessidade de submeter todos os passos às autoridades locais.

‘Precisamos de uma autorização para gravar, assim como em outros países. Mas tudo o que pedimos foi aprovado até agora’, afirma Garcia.

Trajano endossa. ‘Já estivemos sete vezes lá e nunca tivemos problemas’, diz. Para ele, as maiores dificuldades são a burocracia e o choque cultural. ‘Lá tudo é muito burocrático, todos os detalhes precisam de aval do governo. O problema é saber se eles darão conta de autorizar todas as solicitações durante a Olimpíada. Outro agravante é a comunicação’.

Até por isso, aulas de mandarim já fazem parte do expediente dos profissionais.

O SporTV se multiplicará em cinco canais e terá 150 profissionais in loco – incluindo a turma da Globo. ESPN e a ESPN Brasil somarão 45 profissionais em Pequim.’

 

 

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – 1

Folha de S. Paulo – 2

O Estado de S. Paulo – 1

O Estado de S. Paulo – 2

Comunique-se

Carta Capital

Veja

Agência Carta Maior

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem