Domingo, 22 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

ENTRE ASPAS >

O Estado de S. Paulo

29/09/2009 na edição 557

LIBERDADE DE EXPRESSÃO
Moacir Assunção

Censura prejudica Brasil em ranking

‘O Brasil pode perder pontos no ranking de liberdade de imprensa da Freedom House, ONG sediada em Washington que mede mundialmente este tema, por causa da censura ao Estado. O cientista político Rogério Schmitt considera que o caso fará com que o País se afaste dos campeões em liberdade de expressão – basicamente países do norte da Europa como Islândia, Dinamarca, Noruega e Finlândia – e se aproxime de nações como Coreia do Norte, Turcomenistão, Líbia, Eritreia e Cuba, as piores no ranking. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) proibiu, em 31 de julho, o jornal de publicar reportagens sobre o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Fernando é investigado pela Polícia Federal na Operação Boi Barrica.

Nos últimos anos, de acordo com Schmitt, o País tem ocupado posições intermediárias, abaixo dos campeões, mas acima do time tido como inimigo da liberdade.

No ano passado, segundo ele, a nota do Brasil foi de 42, numa escala que vai de zero a 100. ‘Desde 2003, entretanto, esta nota tem diminuído e deve cair mais ainda no próximo ano, quando terá repercutido o caso do Estado. A censura, que é um completo absurdo, fará, provavelmente com que a nota fique ainda mais baixa’, analisou.

LIMINARES

A principal alegação dos pesquisadores da Freedom House para que a nota brasileira se mantenha no nível intermediário, segundo Schmitt, é a facilidade que políticos, funcionários do governo e empresários encontram para obter liminares na Justiça e impedir que os jornais publiquem casos de corrupção.

‘Para combater essa tentação autoritária, causada por vários fatores, o Brasil precisa de algo parecido com a primeira emenda da Constituição Americana que proíbe constrangimentos à liberdade de expressão.’’

 

TELEVISÃO
Keila Jimenez

Band terá seriado

‘Desligada oficialmente da direção Artística da Bandeirantes, Elisabetta Zenatti vai produzir dramaturgia para o canal.

Em novo contrato firmado com a emissora, Elisabetta, que está montando sua própria produtora independente, já acertou a realização de um seriado a ser exibido só depois da Copa do Mundo, por questões operacionais.

‘Será uma produção semanal ou diária, estou analisando textos para apresentar’, fala Elisabetta, que pretende estar com sua produtora estruturada até o final deste ano.

Em seu novo acordo com a Band, a executiva também segue como supervisora dos projetos que envolvem a parceria da rede com a produtora argentina Cuatro Cabezas, entre eles, CQC, E-24, e mais adiante, A Liga, novo formato que será produzido em 2010. Elisabetta é a responsável pelo acordo da Cuatro Cabezas com a Band.

A saída de Elisabetta coincide justamente com a renovação do contrato de Daniella Cicarelli – trazida por ela para emissora – que muitos achavam improvável.

A direção Artística da Band ficará a cargo do já diretor de Programação da rede, Hélio Vargas.’

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem