Sábado, 26 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 21 E 22/11

O Estado de S. Paulo

24/11/2009 na edição 565

LIBERDADE DE IMPRENSA
Daniel Bramatti e Moacir Assunção

Blogueiros vão recorrer contra mordaça em MT

‘Dois blogueiros de Mato Grosso vão recorrer na próxima semana ao Tribunal de Justiça do Estado para tentar derrubar a censura imposta no último dia 10 por decisão do juiz Pedro Sakamoto, da 13ª Vara Cível.

Adriana Vandoni e Enock Cavalcanti, responsáveis pelos blogs Prosa e Política e Página do E, respectivamente, vão apresentar agravo de instrumento ao TJ.

No dia 10, o juiz atendeu a um pedido de liminar do deputado José Geraldo Riva (PP), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que se disse vítima de dano moral. Os blogueiros foram proibidos de ‘emitir opiniões pessoais pelas quais atribuam (ao deputado) a prática de crime, sem que haja decisão judicial com trânsito em julgado que confirme a acusação’. O juiz também determinou que dois textos sobre o deputado fossem retirados do blog Página do E.

José Geraldo Riva é alvo de 92 ações civis públicas propostas pelo Ministério Público, nas quais é acusado de desviar cerca de R$ 450 milhões da Assembleia, segundo a ONG Movimento Organizado pela Moralidade Pública (Moral).

Ademar Adams, diretor da Moral e autor de artigos sobre supostos atos de corrupção que envolvem o presidente da Assembleia, também foi proibido de se manifestar pelo juiz Sakamoto, assim como o jornalista Antônio Cavalcanti e o advogado Vilson Neri, integrantes do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE).

Adams disse que pretende divulgar, na próxima semana, carta aberta ao juiz Sakamoto, na qual afirma que o Estado não pode interferir na opinião de um jornalista. Segundo ele, o deputado Riva o processou para atingir a ONG da qual faz parte – o MCCE é um dos promotores da campanha Ficha Limpa, que pretende impedir políticos processados por corrupção de participar das eleições.

Adriana Vandoni disse que considera a censura ‘um atentado contra a democracia’. Enock Cavalcanti se declarou surpreso com a censura prévia. O deputado Riva não foi localizado na Assembleia ontem, em virtude do feriado na capital mato-grossense.

REPÚDIO

No Amapá, jornalistas e blogueiros aprovaram, anteontem, durante a Conferência Estadual de Comunicação, uma moção de repúdio contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que acusam de cercear a liberdade de expressão ao mover mais de cem ações durante a campanha eleitoral de 2006. Uma das atingidas pelas ações, a jornalista Alcinéia Cavalcante já deve mais de R$ 2 milhões em multas contra o blog que mantinha, aplicadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). ‘ Tive que tirar o blog do ar e fui abrindo outros. Claro, não tenho a menor condição de pagar este valor de multa’, afirmou ela, que responde a 20 processos.

Também jornalista, Antônio Correa Neto, que mantinha um blog na época, responde a 17 ações. ‘Parei de contar quanto devia quando passou de R$ 1 milhão. O que mais me surpreende é que ninguém pediu direito de resposta, simplesmente a multa foi aplicada.’

O assessor de imprensa de Sarney, Chico Mendonça, disse que as ações não foram patrocinadas pelo senador, mas pelo advogado da coligação que o elegeu, Fernando Aquino, que não respondeu aos telefonemas do Estado.’

 

API pede fim da censura ao ‘Estado’

‘A Associação Paranaense de Imprensa (API), entidade fundada em 1934, encaminhou ontem ao ministro Cezar Peluso, do Supremo Tribunal Federal (STF), um apelo para apressar o fim do processo que envolve a censura imposta ao Estado.

Por e-mail, o texto – assinado pelo presidente da Diretoria Executiva, Rafael de Lala, e pelo presidente do Conselho Deliberativo, Bernardo Bittencourt – diz que o pedido expressa a decisão unânime da associação.

‘O ato impugnado, além de violar o devido processo legal por ter sido emitido por tribunal manifestamente incompetente para o feito, se coloca em confronto com a Constituição da República – conforme entendimento dominante desse egrégio tribunal, quando firmou linha reiterando a liberdade de imprensa como um dos pilares do sistema democrático no Brasil’, diz o texto.

‘Estamos, por isso, seguros de que a decisão serena e justa de V. Exa. e de seus ilustres pares será no sentido de restaurar a liberdade de expressão, confirmando nossa condição de povo culto e civilizado.’’

 

TELEVISÃO
Oprah confirma que deixará talk show

‘A apresentadora de TV americana Oprah Winfrey confirmou ontem que encerrará seu popular programa em 2011 porque, depois de 25 anos no ar, ‘sente que esta é a coisa certa a fazer’.

‘Esse programa tem sido a minha vida e eu o amo ao ponto de saber quando é a hora de dizer adeus’, afirmou Oprah, de 55 anos, no final de uma transmissão ao vivo.

Visto hoje em 145 países, o programa transformou Oprah num fenômeno político e cultural nos Estados Unidos. A decisão, entretanto, não deve afastá-la definitivamente do negócio que a transformou numa das celebridades mais ricas da TV americana. Em janeiro de 2011, ela deve dar início às transmissões do OWN: The Oprah Winfrey Network, um canal de TV a cabo que continuará mantendo seu nome no ar.

Oprah lembrou que, quando começou seu primeiro programa, em 1986, estava nervosa e não podia imaginar a popularidade e a influência política que alcançaria 23 anos depois. ‘Para algumas telespectadoras do programa de longa data eu digo que elas, literalmente, cresceram comigo. Nós crescemos juntas’, disse.

O programa de Oprah é hoje o de maior audiência da história da TV americana, além de ser também o que está há mais tempo no ar.

A revista Forbes considera a apresentadora ‘a mulher famosa com mais de 50 anos mais bem paga no mundo’ e estima sua fortuna em US$ 2,7 bilhões.

Ela esteve na lista das ‘pessoas mais influentes’ elaborada pela revista Times de 2004 a 2008.

Oprah também teve um papel importante nas últimas eleições presidenciais americanas, em 2008, ao declarar publicamente seu apoio ao então candidato democrata e hoje presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. A apresentadora nasceu numa região pobre do Mississippi e foi criada sem o pai.’

 

Keila Jimenez

Os limites da TV

‘Há quase três anos em vigor, a nova Classificação Indicativa ainda é alvo de debates, críticas e muitas adequações. Organizado pela Secretaria de Justiça, o Seminário Internacional de Classificação Indicativa, que acontecerá nos dias 26 e 27, em Brasília, pretende analisar as políticas públicas de classificação e saber como emissoras e produtoras de conteúdos estão lidando com essas novas regras e limitações.

O debate pretende reunir especialistas, autoridades, ONGs, representantes de emissoras de TV, produtoras e distribuidoras de filmes, jogos eletrônicos e outros interessados no assunto.

Entre os nomes já confirmados estão estudiosos internacionais do tema como Steven J. Kirsh, professor de Psicologia da Universidade Estadual de Nova York e Roxana Morduchowicz, doutora em Comunicação pela Universidade de Paris.

Com expectativa de reunir 150 debatedores, o seminário pretende analisar os progressos da nova classificação, a influência da mídia no desenvolvimento infanto-juvenil e identificar para onde estão indo as pesquisas e iniciativas nessa área em todo o mundo.’

 

Morre no Rio o produtor Herbert Richers

‘Morreu na madrugada de ontem, aos 86 anos, no Rio de Janeiro, o produtor de cinema Herbert Richers, que ficou expressamente conhecido pelos trabalhos de sua empresa de dublagem de filmes estrangeiros, Herbert Richers S.A., uma pioneira do ramo no Brasil e considerada uma das maiores da América Latina. Ele estava internado na Clínica São Vicente, na cidade carioca, e morreu em decorrência de problemas renais. Seu corpo seria cremado no Cemitério Memorial do Carmo.

Herbert Richers nasceu em Araraquara, no Estado de São Paulo, em 11 de março de 1923. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1942 e, na década de 1950, fundou sua empresa de distribuição de filmes. Na mesma época, também, fez produções da Atlântida e na década de 1960, produziu obras cinematográficas de destaque, como Vidas Secas (1963), de Nelson Pereira dos Santos, e Bonitinha, mas Ordinária (1963). Mas foi a partir de viagem aos EUA que trouxe a ideia e a prática de começar a fazer dublagem e legendas para filmes de outros países, atividade que coincidiu com a propagação da televisão no Brasil.

As dublagens feitas pela empresa de Herbert Richers foram exibidas em diversas emissoras de TV brasileira. Além de uma lista enorme de filmes, entre os trabalhos de sua empresa estão a adaptação das falas de seriados e novelas como Chiquititas, Alf, o E.Teimoso, A Gata e o Rato, Família Dinossauro e Monk. Também a dublagem de desenhos animados, sucessos como Caverna do Dragão, He-Man, Popeye e O Show de Pica-Pau. Além de obras para televisão, pelas quais seu nome ficou conhecido – porque era sempre anunciado por um locutor -, a empresa de Richers também fazia dublagens para filmes exibidos no cinema.’

 

ECONOMIA
Jornal da China ataca pressão dos EUA

‘A pressão dos Estados Unidos por uma valorização da moeda chinesa equivale a Washington abdicar de sua responsabilidade por déficits crescentes e impediria uma recuperação econômica global, afirmou um jornal oficial chinês. O comentário na edição internacional do People’s Daily é o último lance em uma discussão sobre o yuan, que para a administração Obama é mantido artificialmente baixo para dar uma vantagem aos exportadores chineses. A rejeição direta desses argumentos vinda do Partido Comunista chinês é o sinal mais recente de que Pequim não tem nenhuma intenção de ceder a pressões externas.’

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Terra Magazine

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem