Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

ENTRE ASPAS >

Palestinos criticam falta de liberdade de imprensa

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 29/07/2009 na edição 548


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 29 de julho de 2009


 


ORIENTE MÉDIO
Wilson Tosta


Palestinos criticam falta de liberdade de imprensa


‘Jornalistas palestinos denunciaram ontem, em debate no último dia do Seminário Internacional de Mídia sobre a Paz no Oriente Médio, promovido pela ONU, que seu trabalho em Israel e nos territórios palestinos é submetido a controles e restrições. Segundo eles, em alguns casos os três lados da disputa – o governo israelense, a Autoridade Palestina (na Cisjordânia) e o Hamas (na Faixa de Gaza) – intervêm.


A repórter Helda Ereqat, da agência árabe Ma?an, contou que não pode entrar nem entrevistar autoridades da Knesset, o Parlamento israelense, porque nunca lhe concederam credenciais. ‘Já tentei várias vezes e não consegui’, disse. Ela também é proibida de cobrir assuntos religiosos. ‘Não posso fotografar dentro da área do Muro das Lamentações’, protestou.


Na plateia, a jornalista israelense Ayala Hasson comentou que, apesar do impedimento de Helda, outros jornalistas palestinos têm acesso à Knesset. ‘Há repórteres da Al-Jazira no Parlamento’, disse.


O colunista Mohammad Saker Addullah, do diário em árabe Al-Quds, queixou-se da quantidade de controles . ‘O Hamas já proibiu nossa circulação em Gaza porque o criticamos’, afirmou. ‘Pelo lado israelense, é terminantemente proibido tocar numa série de pontos.’ Segundo ele, tantas restrições atrapalharam a cobertura do último conflito, a invasão de dezembro à Faixa de Gaza.


RESPONSABILIDADE


Dois jornalistas israelenses, Gidon Levy, do jornal Haaretz, e Yaakov Achimeir, âncora de uma emissora de TV, protagonizaram uma disputa particular sobre o papel da imprensa de Israel, sendo longamente aplaudidos após suas intervenções.


Levy afirmou que a ocupação israelense dos territórios palestinos não teria durado tanto sem o ‘papel vergonhoso’ da mídia israelense, que, segundo ele, apresenta os palestinos como ‘animais’. ‘Somos todos parceiros do projeto de ocupação’, acusou.


Achimeir afirmou ser ‘judeu, depois israelense e, em terceiro plano, jornalista’. ‘Antes de tudo – e ao contrário de outros -, quero primeiro o bem desse país (Israel)’, afirmou.’


 


 


TECNOLOGIA
Dow Jones Newswires e Reuters


Microsoft e Yahoo podem anunciar parceria


‘O Yahoo e a Microsoft fecharam ontem uma parceria para o mercado de buscas na internet, segundo fontes próximas das empresas. A expectativa é que o anúncio oficial aconteça hoje. Segundo o blog ‘All Things Digital’, várias fontes disseram ontem que um acordo já havia sido alcançado e que seria anunciado em 24 horas. Segundo as fontes citadas, não deve haver um pagamento direto para o Yahoo, pois o acordo prevê uma divisão de receita entre as duas companhias.


De acordo com o jornal Wall Street Journal, o provável acordo prevê que o Yahoo usará o instrumento de busca da Microsoft em seus próprios sites. A Microsoft e o Yahoo preferiram não comentar o assunto. As duas empresas vêm negociando há vários meses sobre uma forma de cooperar no mercado de publicidade online, amplamente dominado hoje pelo Google.


OFERTA RECUSADA


No ano passado, a Microsoft tentou comprar o Yahoo, mas sua oferta de US$ 47,5 bilhões foi rejeitada pelo então presidente da empresa, Jerry Yang. O executivo a considerou muito baixa. O Yahoo também tentou fechar uma parceria de publicidade com o Google, que foi deixada de lado por causa da oposição das autoridades antitruste.


Yang, cofundador do Yahoo, deixou a presidência da empresa, depois de as negociações terem fracassado. O executivo havia sido pressionado pelos acionistas a aceitar o acordo. A nova presidente da empresa, Carol Bartz, tem participado de reuniões com o presidente da Microsoft, Steve Ballmer, desde abril, para fechar o novo acordo.’


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Rei rejeita Casseta


‘Presença constante nos programas de destaque da Globo este ano, o Rei deixou de fora de sua festa de 50 anos de carreira súditos nobres da emissora: os cassetas. Após vários convites – um refeito este ano, aproveitando a participação do cantor em várias atrações da casa -, Roberto Carlos se recusou a participar do Casseta & Planeta, Urgente!.


Roberto, por sinal, é uma das poucas personalidades que ainda não toparam o convite dos humoristas. Motivo: os cassetas não prometem se comportar com a majestade.


‘Existem regras, todo um protocolo a ser cumprido por um programa que vai receber o Roberto Carlos. E nós temos um protocolo dos cassetas, em que a base é não seguir protocolos’, conta do diretor do Casseta & Planeta, José Lavigne.


‘A gente até já tentou tê-lo aqui, prometemos pegar leve, seguir as recomendações, mas o Rei acabou demorando para aceitar, e quando a gente viu, já tinha piada do Roberto de novo no ar’, conta Lavigne, rindo.. ‘Nós somos muito fãs do Roberto, mas não tomamos jeito.’


A próxima participação do Rei na Globo deve ser no Domingão do Faustão.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 29 de julho de 2009


 


MANCHETE
Clóvis Rossi


Hora de ter mais ambição


‘SÃO PAULO – Dois pedidos de desculpas ao leitor. Tarefas internas na Folha roubaram tempo para ler e responder e-mails. Perdão.


Pelo mesmo motivo, não consegui acompanhar direito o noticiário internacional e perdi uma frase do presidente Barack Obama que seria a perfeita cereja do bolo para o texto ontem publicado a respeito da gestação do G2 (Estados Unidos e China).


Obama disse que o relacionamento Estados Unidos/China ‘moldará o mundo do século 21’. Foi para a manchete do jornal francês ‘Le Figaro’: ‘Obama propõe um eixo Pequim/Washington’.


Para ajudar o leitor a me desculpar, um pouco de autopropaganda: quem lê esta Folha soube bem antes do que o leitor do ‘Figaro’ desse balé em torno da governança global. No dia 2 do mês passado, o título deste jornal era ‘EUA querem formar G2 com a China’. O texto dizia que ‘o secretário norte-americano do Tesouro, Timothy Geithner, apresentou ontem o que é uma nítida proposta de G2, um grupo formado apenas por EUA e China, para devolver o equilíbrio à economia mundial’.


Desculpas e louvações à parte, qual é a parte que toca ao Brasil nesse balé? Tudo, se o país quer realmente ser cachorro grande no século recém-iniciado.


Para começar, o Brasil tem que ser ambicioso, em vez de se conformar com crescimento bem abaixo dos concorrentes ditos emergentes. Como bem lembrou segunda-feira o professor Bresser Pereira, o crescimento anual per capita médio do Brasil desde 1996 foi de apenas 3%, contra 7% dos outros três Brics (Rússia, Índia e China).


Para continuar, o Brasil deveria explorar melhor duas características que faltam ao gigante chinês (a sua democracia, porca mas democracia, e a ausência de conflitos étnicos). Acabou o espaço mas, como o balé continuará, volto a ele assim que surgir novo gancho.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


O embaixador americano


‘A confirmação do novo embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, que já havia sido adiada há uma semana no Senado americano, num gesto da oposição republicana em defesa do golpe de Honduras, voltou a ser ameaçada, novamente por um republicano. Em despachos de agências, foi a principal notícia sobre o Brasil no exterior, ontem, e ocupou o alto do portal UOL. O argumento usado desta vez é que Shannon se disse contrário à tarifa dos EUA sobre a importação de etanol do Brasil.


Por outro lado, nada contra, no Senado, à indicação de Arturo Valenzuela para subsecretário de Estado para a América Latina. Segundo o ‘Valor’, ele é ‘consultor’ das companhias de petróleo ConocoPhillips, dos EUA, e Repsol, da Espanha.


OBAMA & CUBA


Na home do espanhol ‘El País’, um vídeo mostra os EUA desligando um letreiro que desde 2006, na sua representação em Havana, trazia mensagens contra o regime cubano. Ao mesmo tempo, o principal comentarista econômico de Cuba, Ariel Terrero, surgiu na TV estatal dizendo que o governo deve estudar se varejo e o setor de alimentação funcionariam melhor em ‘mãos privadas’.


Sobre Honduras, dia após dia na capa do cubano ‘Granma’, ontem registrando a cobrança que o Brasil fez aos EUA, de ação mais efetiva contra o golpe, a notícia de terça para Associated Press e Reuters foi ‘EUA revogam vistos’ diplomáticos de quatro membros do governo ‘de facto’, golpista, e de suas famílias.


NIGÉRIA ENTRE NÓS


O presidente da Nigéria, Umaru Yar’Adua, ao embarcar para três dias no Brasil, já no aeroporto de Abuja, foi cercado por perguntas, mas nada da visita ou de petróleo. Ao nigeriano ‘Vanguard’ e às agências, anunciou uma operação no Norte do país, onde um grupo islâmico protagonizou confrontos com 200 mortos. Diz que ‘serão caçados’ e viajou para conversar com Lula.


SECANDO O PRÉ-SAL


O ‘Valor’ deu ontem a manchete de papel ‘No pré-sal, 32% dos poços abertos são pouco viáveis’, citando ‘dados públicos’, no Rio. Ecoou fartamente no exterior, por Dow Jones, Bloomberg etc. No Brasil, como destacou o próprio Valor Online à tarde, ‘Petrobras puxa baixa da Bovespa’. Segundo o site, foi efeito das ‘preocupações’ estimuladas pela ‘reportagem do ‘Valor’. No fim do dia, a Petrobras respondeu que a taxa de viabilidade dos poços do pré-sal seria, na verdade, de 87%.


Ao fundo, a manchete do ‘Wall Street Journal’ apontou ontem um ‘papel significativo dos especuladores’ nos instáveis preços de petróleo.


PMDB VS. PSDB


O ‘Jornal Nacional’ voltou à carga contra José Sarney, ressaltando a ‘investigação’ solicitada pelo PSDB, que ‘não recuou’ apesar das ameaças e fez as representações, uma delas envolvendo a Petrobras.


O blog de Cristiana Lôbo informou à tarde, no portal G1, que o líder do PMDB, Renan Calheiros, avisou ao líder do PSDB, Arthur Virgílio, ‘se o PSDB entrar contra Sarney, o PMDB fará o mesmo’ com o próprio Virgílio, por tomar empréstimo de Agaciel Maia etc.


MULHERES & ARMAS


O ‘Guardian’ destacou ontem no site e publica hoje a longa reportagem ‘Feminismo e M-16: transformando o policiamento macho no Rio’. Em suma, ‘mulheres integrantes das unidades de combate ao tráfico estão agora na linha de frente das batalhas com as gangues, nas favelas’. Na imagem aberta pelo jornal britânico, ‘a inspetora Santos de Mello’ em ação


OS PREÇOS ESTÃO VIVOS


A comitiva de 200 chineses em Washington, para o encontro ‘estratégico e econômico’, cobrou a recuperação dos EUA como ‘pré-condição’ para o fim da crise global, destacou o ‘Wall Street Journal’.


E ontem mesmo, nas manchetes on-line de ‘WSJ’ e ‘Financial Times’, os ‘preços residenciais estão vivos’.’


 


 


TECNOLOGIA
Folha de S. Paulo


Microsoft e Yahoo! estão perto de acordo no setor de buscas


‘A Microsoft e o Yahoo! estão próximos de fechar uma aliança no setor de buscas na internet, visando aumentar a competição com o Google. Segundo o ‘Financial Times’, os principais pontos do acerto já haviam sido finalizados na noite de ontem e o acordo entre as duas empresas pode ser anunciado hoje.


Caso confirmado, o acordo marca um fim nas negociações entre as duas empresas que começaram há 18 meses, quando a Microsoft fez uma oferta hostil de US$ 47 bilhões pela rival.


Com o acordo, a Microsoft obtém o volume de buscas que passam pelos sites do Yahoo!, que responderam 19,6% desse mercado nos Estados Unidos no mês passado. Para o Yahoo!, a vantagem é que ele vai poder expandir sua participação no mercado (que inclui ainda a venda de publicidade ligada às buscas), que vem perdendo força há vários meses.


Em julho de 2005, Yahoo! e Microsoft tinham juntos 46% do mercado de buscas americano, o mais lucrativo do mundo. Na época, o Google liderava com 36% de participação. No cenário atual, o Google domina 65% do mercado americano, e seus dois principais concorrentes têm juntos 28%.


A receita com publicidade é uma das principais fontes de recursos para as empresas que atuam na internet. Para o Google, o faturamento com esse segmento representou 97% dos US$ 5,4 bilhões que arrecadou no segundo trimestre. Por isso, Microsoft e Yahoo! esperam com o acordo ganhar maior presença no mercado de buscas e ampliar seu faturamento com publicidade. O Yahoo! faturou no total US$ 1,57 bilhão de abril a junho.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Audiência de videogame, PC e DVD supera a de canais pagos


‘Aparelhos de DVD, videogames, circuitos internos de TV e computadores conectados a televisores já têm mais audiência do que a soma dos canais pagos.


Levantamento inédito obtido pela Folha mostra que a audiência dos ‘outros aparelhos’ (como o Ibope chama esses equipamentos) cresceu 146% de junho de 2005 a junho de 2009, enquanto o público dos canais pagos subiu ‘só’ 55,6%.


Os outros aparelhos eram vistos em junho de 2005 por 165.110 pessoas por minuto no conjunto da população dos principais mercados de TV paga de então (São Paulo, Rio, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre). Hoje, são apreciados por 405.900 pessoas nessas capitais mais Florianópolis e Campinas.


Já os canais pagos, vistos por 249.110 pessoas por minuto há quatro anos, hoje têm público de 387.700. Nesse mesmo universo, a audiência da TV aberta cresceu 8,6% (5.916.230 telespectadores por minuto).


Em outros números, de cada 100 telespectadores, 88,2 veem TV aberta, 6 estão conectados em DVDs, games, circuitos internos ou PCs em televisores e 5,8 a canais pagos.


O crescimento da audiência dos canais pagos (55,6%) é inferior ao aumento da base de assinantes, de 73,4% entre março de 2005 e março de 2009, segundo a PTS, empresa que monitora o mercado. Isso indica que a TV paga está crescendo impulsionada por pacotes que oferecem internet e telefonia, mas sem canais pagos. Ou que o conteúdo das TVs abertas e até circuitos internos de condomínios é mais interessante que o dos canais pagos.


PROJETO JOVEM 1


A Record negocia a contratação de Marcos Mion. Quer o apresentador da MTV para um projeto de programação voltada ao público mais jovem, uma de suas deficiências atuais.


PROJETO JOVEM 2


Mion só deverá deixar a MTV no final do ano. As negociações entre o apresentador e as duas emissoras transcorre em tranquilidade. Bem diferente de 2002, quando Mion foi para a Band e a MTV conseguiu liminar na Justiça para tirá-lo do ar.


FANTÁSTICA


O concurso ‘Menina Fantástica’, que busca novas top models, volta ao ‘Fantástico’ em agosto, ainda apenas em campanha para inscrições. Ficará no ar até dezembro.


FALHA NOSSA 1


Foi um ‘erro operacional’, nos termos da Globo, a falha que chamou mais atenção do que o noticiário na escalada (leitura das manchetes) do ‘Jornal Nacional’ de segunda.


FALHA NOSSA 2


As escaladas são pré-gravadas. Na primeira gravação, Heraldo Pereira, que substitui William Bonner, travou ao ler uma notícia (e bateu na bancada). Houve uma segunda gravação, correta. Mas, na hora da exibição, o operador de videotape acionou a escalada com erro.


DE VOLTA


Heraldo Pereira e Renata Vasconcellos dividem a bancada do ‘JN’ somente até hoje.’


 


 


José Maschio


Paranaense conclui minissérie após 10 anos


‘Quando iniciou as filmagens de ‘A Saga’ em 1999, o diretor e roteirista Manaoos Aristides, então com 54 anos, sabia que seus planos eram ambiciosos: fazer uma minissérie fora do eixo Rio-São Paulo, mesclar atores profissionais e amadores, arquitetar uma megaprodução. O que ele não sabia é que a tarefa ia demorar dez anos para ser concluída. Agora, ele tem um novo desafio: negociar a veiculação com redes nacionais.


‘Acabou sendo uma saga dentro da própria ‘Saga’, diz Aristides, 64, ao enumerar as dificuldades financeiras, as interrupções em razão da falta de verba e a maneira criativa de solucionar os problemas.


Sem dinheiro, fazia convênios em municípios paranaenses para as locações. As prefeituras forneciam alimentação e infraestrutura para as equipes e, em troca, a produção fazia oficinas para atores nas cidades. Nesse esquema, 17 municípios paranaenses receberam filmagens de ‘A Saga’.


‘Nessas oficinas, fomos selecionando atores locais que entraram na história, além de arrebanharmos figurantes’, diz Aristides. Ao todo, 4.010 pessoas se envolveram com a minissérie, entre atores, figurantes e equipe técnica.


As interrupções possibilitaram histórias curiosas, como a de Daniel Petroscki, escalado para fazer um personagem na pré-adolescência. Ele tinha 11 anos nas primeiras cenas. Para o papel do personagem já adulto, o planejamento era colocar outra pessoa. Os anos de intervalo, no entanto, fizeram com que ele assumisse os dois papéis. Hoje, o ator tem 19 anos.


Aristides estima que a série tenha custado mais de R$ 2 milhões. Segundo ele, os maiores gastos foram com a construção de cidades cenográficas em Cascavel, Foz do Iguaçu e Marechal Cândido Rondon.


A minissérie aborda a colonização do oeste paranaense -uma história de grilagem de terras, revoltas de posseiros e mortes- entre as décadas de 30 e 60 do século passado.


Aristides ligou esses episódios a fatos históricos, como a descoberta das cataratas do Iguaçu, em 1542, pelo conquistador espanhol Alvar Nuñez Cabeza de Vaca, e a passagem da Coluna Prestes, liderada por Luiz Carlos Prestes, por Foz do Iguaçu na década de 20.


A narrativa e a interligação dessas épocas distintas é feita pelo personagem padre Germano, interpretado por Valdir Fernandes (‘Mandacaru’). Roberto Bomtempo dá vida a Cabeza de Vaca.


A TV Educativa, mantida pelo governo do Paraná, deverá levar a minissérie ao ar ainda neste ano. Aristides, no entanto, diz que negocia também exibições com a Rede TV!, o SBT e a TV Brasil. Ele se diz disposto a enfrentar ‘outra saga’.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem