Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > NET / MÍDIA EM CRISE

Pay-TV News

29/03/2005 na edição 322

‘A Net Serviços anunciou nesta quarta, 23, seus resultados financeiros e operacionais referentes ao quarto trimestre de 2004 e ao consolidado do ano. O anúncio só foi feito agora em função da conclusão do processo de reestruturação.

A operadora cresceu, em relação à base, 4,9% em 2004, chegando a 1,419 milhão de assinantes. No terceiro trimestre de 2004 a base era de 1,395 milhão. Ao todo, a Net realizou 300 mil vendas brutas em 2004. Cerca de 47% da base de clientes de TV paga da Net Serviços assina os pacotes Advanced ou o pacote Digital. Outros 30,2% de seus clientes estão no pacote Master, 5,5% no Plus e 8,4% no pacote básico, o Standard. A receita média por assinante de TV paga ficou em R$ 94,11 e o churn anual foi de 12,8%.

O grande salto de crescimento, contudo, foi na base de clientes do serviço Vírtua. O total de assinantes ficou em 188,82 mil em 2004, o que significa um aumento de 106,4% no ano. Hoje 51,7% dos clientes Vírtua estão no pacote mais simples, de 150 kbps. A receita média do serviço de banda larga é de R$ 62,28.

As vendas de pay-per-view também foram boas para a Net em 2004. A recita registrada com essa modalidade de serviço foi de R$ 61,3 milhões (aumento de 17,7%). Só do Campeonato Brasileiro foram vendidos 164 mil pacotes. Em dezembro de 2004, o serviço de pay-per-view representava 4,6% das receitas totais da Net. A banda larga representava 8% e as mensalidades de TV por assinatura, 89,6%.

Os custos com programação relativos à receita bruta no quarto trimestre de 2004 foram os mais baixos do ano. Chegaram ao patamar de 27,5%. Ao todo, a Net Serviços gastou R$ 430,5 milhões em 2004 apenas com os custos de programação.

Finanças No aspecto financeiro, a Net apresentou receita bruta em 2004 de R$ 1,710 bilhão, contra R$ 1,532 bilhão em 2003. A receita líquida no ano passado foi de R$ 1,392 bilhão, contra R$ 1,245 bilhão em 2003, ou seja, houve um crescimento de 11,8%. No quarto trimestre, a receita líquida foi de R$ 345,2 milhões, o que representou crescimento de 2,3% em relação ao terceiro trimestre de 2004.

O EBITDA da Net Serviços no ano de 2004 totalizou R$ 376,4 milhões, o que significa uma melhora de 22,8% no ano, e a margem resultante foi de 27%. No quarto trimestre apenas, o EBITDA foi de R$ 97,1 milhões. Já o EBIT da companhia, que considera as amortizações sempre pesadas em uma operação de TV paga, foi de R$ 133 milhões em 2004, o que é 208,9% a mais do que o

resultado no mesmo indicador de 2003.

Ainda não foi em 2004, contudo, que a Net Serviços deixou de registrar prejuízos. Apesar do lucro de R$ 107,9 milhões registrado no quarto trimestre, o resultado do ano foi negativo em R$ 45,4 milhões. É, contudo, uma melhora significativa em relação ao prejuízo de R$ 268,4 milhões registrado em 2003. O endividamento bruto da Net Serviços no final de 2004 era de R$ 1,569 bilhão, mas na terça, 22, a empresa já divulgou o endividamento que deverá ser registrado agora, com o fim do processo de reestruturação: R$ 680 milhões brutos, ou R$ 480 milhões líquidos.’

***

‘Desempenho da Net em bolsa surpreende’, copyright PAY-TV News, 23/03/05

‘Em mais uma jornada de baixa da Bolsa de Valores de São Paulo, foi uma surpresa para vários analistas do mercado ouvidos por este noticiário a alta de 3,08% registrada nesta quarta-feira, 23, nos papéis da Net Serviços. O papel fechou em R$ 0,67 contra preços-alvo que variavam de 0,60 a R$ 0,62. É certo que há uma movimentação positiva de notícias da empresa: A primeira delas é que, finalmente, a maior operadora de cabo do País registrou um lucro mais substancial. No quarto trimestre de 2004, o ganho foi de R$ 107,9 milhões, ainda que devido a ganhos financeiros. As outras ‘boas notícias’ já eram conhecidas na véspera: o anúncio da reestruturação financeira, do aumento do capital (com adesão de 99% do total emitido) e do alargamento da participação da Telmex na companhia, que já tem mais ações que a Globopar. É especialmente bem-vinda a associação com o grupo mexicano que, segundo Catarina Papa, da Fator Corretora, pode resultar na incorporação de expertise e aumentar a comercialização dos serviços de valor agregado da Net, ‘além de deixar a companhia mais representativa diante dos fortes grupos em consolidação no País’. Do ponto de vista da Embratel, a analista lembra que a capilaridade da Net dará acesso direito ao usuário (last mile). A Fator Corretora adverte, porém, que se trata de uma perspectiva de longo prazo e que, por quanto, continua avaliando a empresa como ‘não atraente’.’



Portal Exame

‘Reestruturação abate 57% da dívida da Net’, copyright Portal Exame, 23/03/05

‘Operadora de TV por assinatura reduziu a dívida graças à entrada da Telmex no negócio A entrada da Telmex no capital da Net, controlada pelas Organizações Globo, pôs um ponto final no processo de reestruturação das dívidas da operadora de TV por assinatura da América Latina. O aumento de capital proporcionado pela companhia mexicana e a adesão de 98% dos credores à reestruturação reduziram a dívida bruta da Net de 1,569 bilhão de reais para 680 milhões. Com a disponibilidade de caixa de 200 milhões, a dívida líquida baixou para 480 milhões. Esse valor será pago em parcelas entre 2006 e 2009, podendo se estender até 2010. Os recursos para o pagamento virão, sobretudo, do aumento de capital realizado por meio da oferta privada de ações aberta em 21 de março e que deve se estender até 20 de abril. A expectativa é que sejam obtidos no mínimo, 638,76 milhões de reais, por meio da subscrição de 745,147 milhões de ações ordinárias e 1,079 bilhão de ações preferenciais, a um preço mínimo de 0,35 centavos por papel.

Composição acionária

A oferta também mudará a estrutura acionária da Net. A empresa passará a ser controlada pela GB Participações, que possuirá 51% das ações ordinárias da operadora. As Organizações Globo deterá, por sua vez, 51% do capital da GB Participações. Os 49% restantes ficarão com a Telmex. Com isso, a Globo obtém um sócio para aportar recursos no negócio, sem abrir mão do controle. Pelo acordo firmado entre as empresas, os mexicanos têm o direito de comprar a parte da Globo na GB Participações, caso a legislação brasileira mude e permita o controle de empresas de comunicação por estrangeiros. A Globo também continuará detendo, diretamente, 11% das ações ordinárias e 8% das preferenciais da Net. Já a Telmex manterá uma participação direta equivalente a 37% das ordinárias e 8% das preferenciais. O restante das ações (1% das ordinárias e 84% das preferenciais) continuarão sendo oferecidos a investidores até 20 de abril, por meio da oferta privada. No caso de sobras de papéis, será realizado um leilão em junho. Se, após isso, ainda persistirem ações sem subscrição, a Globo e a Telmex se comprometeram a comprá-los.

Pagamento e resultados

Uma primeira parcela de 590 milhões de reais da dívida foi paga pela Net em 21 de março. O montante equivale a 40% do principal, mais os juros acumulados desde o final de 2002, quando a empresa deixou de pagar seus vencimentos. O dinheiro foi obtido por meio da subscrição de ações pelas Organizações Globo e pela Telmex, num total de 318 milhões, além de um empréstimo-ponte de 200 milhões e 72 milhões do caixa.

Para o presidente da Net, Francisco Valim, a reestruturação inicia uma nova fase da empresa, assinalados também pelos resultados de 2004. A empresa registrou lucro líquido de 107,9 milhões de reais no quarto trimestre. Trata-se do segundo lucro trimestral consecutivo – entre julho e setembro do ano passado, o ganho foi de 1,2 milhão de reais. Os números foram comemorados pela direção, pois é a primeira vez que a Net registra dois resultados trimestrais positivos seguidos desde que foi fundada. No acumulado do ano, porém, a companhia ainda apresentou prejuízo líquido de 45,4 milhões de reais, assinalando uma queda de 83,1% sobre as perdas de 2003. A receita bruta, em 2004, atingiu 1,710 bilhão de reais, com incremento de 11,6%. De acordo com a empresa, os resultados foram sustentados pelo crescimento da base de assinantes, pelo reajuste das mensalidades e pelo aumento das receitas oriundas dos pacotes pay-per-view.’



Folha de S. Paulo

‘Net encerra 2004 com prejuízo menor’, copyright Folha de S. Paulo, 24/03/05

‘A Net, maior empresa de TV paga da América Latina, fechou 2004 com prejuízo de R$ 45,4 milhões, uma redução de 83,1% sobre as perdas do exercício anterior. A empresa teve lucro recorde no último trimestre do ano: R$ 107,9 milhões, contra apenas R$ 1,2 milhão no terceiro trimestre.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem