Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ENTRE ASPAS > ELEIÇÕES 2004

Portal do PT

02/11/2004 na edição 301

‘O resultado da terceira pesquisa sobre o tratamento da imprensa dado aos candidatos à prefeitura de São Paulo, realizada semanalmente pelo Observatório Brasileiro de Mídia (www.observatoriodemidia.org.br), mostra que o desequilíbrio entre o que se publicou sobre José Serra e Marta Suplicy persiste. A tendência constatada nas edições anteriores da pesquisa, a redução no volume de matérias negativas à candidata Marta Suplicy (PT) e aumento no número de reportagens positivas, na comparação dos estudos realizados na semana de 04 e 10 de outubro com os dados levantados entre 11 a 17 de outubro, não mudou a correlação desequilibrada das matérias na terceira semana de campanha (de 18 a 24 de outubro). A pesquisa monitora o desempenho dos jornais Agora São Paulo, Diário de S.Paulo, Jornal da Tarde, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Na comparação das três primeiras semanas de campanha para o segundo turno, a porcentagem de matérias positivas sobre a candidata Marta passou de 15,24%, na semana de 4 a 10 de outubro, para 21,52% na semana seguinte e caiu para 18,44% no período de 18 a 24 de outubro. Em relação a José Serra, as matérias positivas totalizaram 41,09% do que saiu sobre o candidato no levantamento feito de 04 a 10 de outubro, 32,99% no estudo da semana seguinte e 35,98% na semana de 18 a 24 de outubro.

Já o aspecto negativo predominou em 40,36% das matérias sobre a candidata Marta Suplicy na primeira semana; 42,88% na segunda e 54,79%, na terceira. Enquanto as negativas sobre Serra foram de 14,06% para 23,85% e 23,52%.

As matérias neutras sobre a candidata, que na semana de 4 a 10 de outubro, somavam 44,40%, foram para 35,61% no estudo posterior caíram para 26,77%, na pesquisa de 18 a 24 de outubro. As de Serra somaram 44,86% no primeiro estudo da campanha para o segundo turno, 43,17% no segundo e 40,50% no último.

Na comparação dos dados consolidados, que é a soma dos resultados obtidos nos períodos de 04 a 24 de outubro, o desenho da cobertura desigual fica ainda mais nítido. As matérias desfavoráveis sobre ‘Marta candidata’ somaram 45,46% do total; as neutras, 36,41% neutras e 18,13%, as favoráveis. As porcentagens referentes a Serra foram de 19,75%, 43,13% e 37,12%, respectivamente.

A aferição qualitativa das matérias foi feita de acordo com o critério do morfômetro, desenvolvido pela equipe de pesquisadores da USP responsável pelo estudo divulgado semanalmente. O recurso permite que seja atribuída uma nota de 2 a 10 a cada matéria, de acordo com sua localização na página e com os elementos gráficos adicionados ao texto, como fotos e trechos em destaque.

A pesquisa também analisa as referências diretas ou indiretas a Marta na condição de prefeita. As citações negativas à administração, que na comparação dos dados das duas primeiras semanas caíram de 60,05% para 59,87% foram para 62,00% na última semana analisada. Os dados sobre as matérias neutras foram de 20,61% na semana de 04 a 10 de outubro para 11,29% na semana de 11 a 17 de outubro e 15,09% no levantamento feito entre os dias 18 e 24 de outubro. As positivas que somaram 19,34%, de acordo com os primeiros resultados passaram para 28,84% na semana de 11 a 17 de outubro e 22,91%, nas últimas análises.

Na comparação das três semanas analisadas a Folha de S. Paulo foi o jornal que mais mudou de comportamento em relação a cobertura da ‘Marta candidata’. Na primeira semana da campanha para o segundo turno (04 a 10 de outubro) 12,59% das matérias publicadas sobre a ‘candidata Marta’ eram negativas; na semana seguinte, 21,97% e nos resultados do último estudo (de 18 a 24 de outubro) essa porcentagem subiu para 73,22%.

Na semana de 04 a 10 de outubro, a Folha publicou 85,13% de matérias neutras sobre ela. Na semana seguinte a porcentagem subiu para 74,27% e caiu para 22,20% nas últimas análises. O volume de matérias positivas que era de 2,28% na primeira semana do estudo no segundo turno passou para 3,76% na segunda e 4,58%, de acordo com os dados colhidos entre 18 e 24 de outubro.

A respeito de José Serra, as maiores alterações foram verificadas na cobertura do jornal Agora São Paulo. As matérias positivas que somavam 60,92% do total de referencias sobre o candidato na semana do dia 04 a 10 de outubro, caíram para 39,45% entre os dias 11 e 17 de outubro e 29,33%, na semana seguinte. As negativas foram de 14,48% na primeira semana para 38,16% na semana posterior e subiram para 57,02% nas últimas análises. As neutras, foram de 24,60% para 22,38% e 13,54%, na comparação das três semanas analisadas.

Os dados da pesquisa foram levantados por uma equipe de alunos de jornalismo da Escola de Comunicações e Artes da USP, sob orientação do professor José Coelho Sobrinho. A coordenação geral do estudo é do jornalista Carlos Carolino. Os resultados de todas as pesquisas realizadas pelo Observatório podem ser consultados no site www.observatoriodemidia.com.br.’



Terra

‘Marta perdeu batalha da mídia, diz Le Figaro’, copyright Terra (www.terra.com.br), 28/10/2004

‘O jornal francês Le Figaro publicou reportagem com o título ‘Em São Paulo, Marta Suplicy perdeu a batalha da mídia’. No texto, o diário afirma que, apesar de os paulistanos terem uma imagem positiva da gestão de Marta, ‘será quase um milagre se o PT vencer a eleição municipal em São Paulo’.

De acordo com o maior jornal francês em tiragem, ao ‘partir para a batalha’ com seu opositor José Serra no setor de saúde, Marta colocou em segundo plano os pontos fortes de sua administração, as áreas de transporte e educação.

Segundo o jornal, a postura de confrontação rendeu à prefeita paulistana a imagem de que é ‘o protótipo da mulher arrogante’.

O Figaro lembra os índices positivos da gestão da prefeita, afirmando que a possível derrota do PT em São Paulo ‘será a mais amarga de todas. Porque os paulistanos reconhecem sem remorso que a administração de Marta Suplicy é sem dúvida a melhor dos últimos 20 anos’.’



O Estado de S. Paulo

‘Globo realiza mais 34 debates hoje’, copyright O Estado de S. Paulo, 29/10/2004

‘Rede promoveu 127 embates no primeiro turno em todo o País

Hoje, a Rede Globo exibirá 34 debates de segundo turno, a partir das 22 horas – onde a eleição municipal foi decidida no primeiro turno, como no Rio de Janeiro, por exemplo, a emissora mostrará o Globo Repórter e o Cinema Especial. José Serra (PSDB) e Marta Suplicy (PT) encerram hoje, justamente no embate da TV, suas campanhas à Prefeitura de São Paulo. A emissora organizou 127 debates em todo o Brasil, no primeiro turno (161 no total). O marco é 2002: aquela foi a primeira vez que a Globo fez debates em todas as capitais, além dos dois embates para a Presidência.

O jornalista Chico Pinheiro será o mediador do encontro entre Serra e Marta. Serão cinco blocos: dois com perguntas de eleitores indecisos (escolhidos pelo Ibope), dois com questões entre candidatos e um com considerações finais. Serra e Marta ficarão em uma arena, sem púlpito, para se movimentar à vontade – esse formato já foi usado em 2002. Cada um entrará por um lado da arena e a expectativa é se vão se cumprimentar. Não há script, como houve em 1989, quando Lula se recusou a dar a mão a Collor no início – só o fez no final.

‘O telespectador não quer ver briga. Ninguém vai a um show e torce para a bailarina cair. O debate é um momento de discussão de idéias e importante para que os indecisos conheçam melhor os candidatos’, opina Luiz Cláudio Latgé, diretor de Jornalismo da Globo em São Paulo.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem