Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > SEXTA-FEIRA, 21/04

Presidente nega já ter escolhido
padrão japonês para TV Digital

Por Luiz Antonio Magalhães em 22/04/2006 na edição 377


Leia abaixo os textos de sexta-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 21 de abril de 2006


TV DIGITAL
Lisandra Paraguassú


Lula nega opção por padrão japonês


‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que o governo ainda vai decidir, com ‘muita tranqüilidade’, o padrão de tevê digital que o País vai adotar. Apesar de parte do governo já ter comemorado o que parecia ser um acordo com o Japão, Lula afirmou que o governo ainda está dialogando. ‘Estamos conversando. Com muita humildade, com muita tranqüilidade, sem bravata. Vamos ter de medir cada passo para, o que quer que a gente faça, seja benéfico para o Brasil daqui a cinco, 10 ou 20 anos’, afirmou o presidente, durante discurso na formatura dos novos diplomatas, no Palácio do Itamaraty.


Lula deixou claro que o Brasil pretende ter uma fábrica de semicondutores e que o acordo de adoção do padrão digital – hoje uma disputa entre os sistemas americano, europeu e japonês – vai levar em conta a instalação de uma fábrica no País.


‘Nós queremos ter, neste País, a capacidade de termos um parque de semicondutores para que a gente possa, através da microeletrônica, se transformar numa nação tão importante quanto eles (Europa, Japão e Estados Unidos) já são’, afirmou o presidente. ‘E nós só iremos fazer isso se tivermos sabedoria de aproveitar o momento político para negociar, e estamos conversando. O Brasil está sendo procurado, todo dia alguém quer que o Brasil visite um país, uma fábrica.’


Atualmente, o Brasil importa 85% de todos os componentes de fabricação das tevês mais modernas. No meio da disputa entre os tipos de padrão digital que existem, o governo decidiu condicionar a escolha a adoção de um deles em troca na promessa de instalação de uma fábrica de semicondutores no País.


Na semana passada, em uma visita ao Japão, os ministros das Comunicações, Hélio Costa, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, e das Relações Exteriores, Celso Amorim, assinaram um memorando em que o governo japonês se compromete a colaborar para o desenvolvimento de uma fábrica no Brasil, mas não garantem a instalação de uma fábrica.


Ontem, Costa fez um relato da viagem ao presidente, no Palácio do Planalto, mas saiu sem dar informações à imprensa.


Já os europeus se comprometeram a assinar um acordo de construção de uma fábrica no Brasil se o governo brasileiro enviar uma representação à Europa para negociar.


O padrão japonês tem sido defendido pelas empresas de rádio e tevê do Brasil e é o preferido por Hélio Costa. Há algumas semanas, Costa chegou a dizer que o japonês era o melhor modelo para o País.


De lá para cá, o governo mudou o tom da discussão e incluiu as exigências da fábrica no pacote. ‘Era a hora de o Brasil dizer o que queria para fazer parceria, para fazer negócios, para discutir modelos. Era a hora de a gente ver quem está disposto a jogar mais sério com com o Brasil’, disse ontem o presidente.’


Jamil Chade


Anatel critica falta de planos do governo para a TV


‘O governo está definindo o padrão de TV digital sem ter estabelecido o que quer da TV no futuro. A avaliação é de um dos cinco conselheiros da Agência Nacional de Telecomunicações(Anatel), José Leite, que participou dos debates técnicos sobre a questão do novo modelo. ‘O Brasil queimou etapas na definição de seu padrão e agora vai definir um modelo sem ter um plano de negócios para o setor.’


O conselheiro participa de reuniões na União Internacional de Telecomunicações (UIT) e deixa claro que tanto o modelo americano, japonês ou europeu poderiam ter sido adequados para o Brasil. ‘Tudo depende do que o que o País quer com a TV digital.’


Para ele, se o objetivo do Brasil era só uma TV de alta definição, o padrão americano bastava. ‘Mas se queremos diversidade na difusão ou mobilidade na recepção dos sinais, a escolha seria outra.O problema é que pulamos etapas. A Anatel havia feito a avaliação técnica. Mas ai o tema foi retirado da agência e, em vez de ter sido definido um plano de negócios, passamos diretamente a tratar da barganha e do que ganharíamos.’’


ELEIÇÕES 2006
Mariângela Gallucci


TSE atende a tucanos e tira do ar propaganda do PT


‘O PT sofreu ontem uma derrota no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A pedido do PSDB e do PFL, partidos que devem se aliar na eleição para enfrentar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro do TSE Ari Pargendler concedeu liminares proibindo a reapresentação de inserções da propaganda partidária petista exibida na televisão em todo o País na terça-feira. Um dos bordões utilizados pelo programa petista era: ‘Quem fez mais pelo Brasil? O PT de Lula ou o PSDB de Fernando Henrique e Alckmin?’


O PSDB e o PFL alegaram nas ações que o PT estava desvirtuando o uso da propaganda partidária para fazer publicidade eleitoral do presidente Lula. Os partidos argumentam que a propaganda eleitoral só é permitida a partir de 5 de julho.


Inserções do partido deveriam ser transmitidas ontem e no sábado. Mas havia o risco de elas não serem veiculadas por causa da decisão de Pargendler e em virtude da falta de tempo para produzir novas peças. O advogado do PT Márcio Silva disse que não tinha sido informado da decisão, mas garantiu que vai recorrer.


Ele considerou a decisão ilegal. Na sua avaliação, houve censura prévia à publicidade. Márcio Silva disse que a punição para propaganda extemporânea é a perda do tempo de publicidade partidária no primeiro semestre de 2007, e não a suspensão da veiculação. E contou que no recurso que deve protocolar vai pedir ao TSE que determine a veiculação de inserções do PT em novas datas.


Em seu despacho, Pargendler fez algumas observações sobre a campanha à reeleição. ‘Nossa ainda incipiente experiência com o instituto da reeleição demonstra que o governante do primeiro mandato já pensa na viabilidade do segundo’, disse o ministro. Ele ressaltou que na propaganda petista ‘terceiros, identificados com estratos carentes da população, emitem conceitos a respeito do atual governo’.


ALCKMIN


Na quarta-feira, o pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, já tinha acusado o PT de crime eleitoral por conta da propaganda. ‘O que estamos vendo é um mau início do PT e do Lula. Nem começou a campanha e vemos um mar de ilegalidades’, disse Alckmin, antecipando a reação tucana.


‘O horário é para expor as idéias do partido. Estão comparando coisas que não são comparáveis, fazendo pré-campanha no horário do rádio e da TV. É um começo cheio de ilegalidade. Nós vamos cumprir a lei, e o que não for cumprido, vamos ao Judiciário.’ Segundo ele, o PSDB só rebaterá as comparações feitas pelos petistas quando a campanha começar. ‘É um equívoco olhar para trás, pretendo falar para o futuro. Vamos responder na campanha. Não tenho medo de cara feia’, afirmou Alckmin.


Para o secretário de Comunicação do PT, Francisco Campos, a propaganda do partido não contraria a legislação eleitoral. ‘Não existe, de nossa parte, nenhum caráter de antecipação eleitoral com essas inserções’, argumentava Campos anteontem, ainda antes da decisão do TSE. ‘Estamos apenas divulgando as realizações sociais do governo Lula, que são maiores do que tudo que já foi realizado nas administrações de FHC na Presidência e de Geraldo Alckmin no governo de São Paulo.’


Para Campos, a reação de Alckmin é sinal de que os tucanos ‘estão totalmente incomodados’. Ele acha que a atitude do PSDB é de ‘desespero’, porque o PT teria feito muito mais pelo social. COLABORARAM LUCIANA NUNES LEAL e MARIANA CAETANO’


TELEVISÃO
Keila Jimenez


João Gordo estréia série na MTV


‘A MTV já deu a largada nas gravações do novo programa de entrevista de João Gordo, Gordo Visita. A série – sim, o programa terá pinta de série, com apenas nove episódios iniciais – trará o desbocado VJ entrevistando celebridades em suas respectivas casas.


‘Muito mais que mostrar a casa do famoso, é colocar o João Gordo em uma situação diferente’, fala o diretor de Programação da MTV, Zico Góes. ‘O programa será semanal e cada episódio terá um entrevistado diferente. Já gravamos com a Pitty na casa dela, vamos gravar o Alex Atala, com o Zeca Pagodinho no Rio, com o Beto Carreiro, e estamos tentando marcar com outras pessoas’, continua. ‘Na casa da Pitty, por exemplo, ela fez café para o Gordo e ele pediu no meio da entrevista para ir ao banheiro. O clima vai ser mais descontraído que no estúdio, mas não será como num reality show.’


A atração, que deve estrear no dia 12 de junho, vai ao ar às segundas-feiras, às 22 h. Gordo Visita é uma tentativa da emissora de reaproveitar o talento de ‘entrevistador’ de João Gordo, que sofreu um certo desgaste no formato do extinto Gordo a Go Go. ‘Achamos que Gordo tem um potencial como entrevistador que não podia ser desperdiçado, por isso criamos esse novo formato, que vai ter um tratamento televisivo diferente do outro programa, vai ser mais bem acabado, tipo série mesmo’, fala Góes. ‘Não que o Gordo a Go Go não rendesse mais, mas corria o risco de o Gordo ter de entrevistar as mesmas pessoas ou virar o Jô (Soares), em que só ele fala.’


Pretensiosa, a MTV sonha alto com os possíveis entrevistados do Gordo Visita, e chegou a convidar Gisele Bündchen, Pelé, Edmundo e Mano Brown. ‘A Gisele tem problema de agenda, os outros não quiseram mesmo’, conta Góes.’


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 21 de abril de 2006


ELEIÇÕES 2006
Silvana de Freitas


TSE suspende propaganda do PT na TV


‘Uma liminar do ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Ari Pargendler proibiu a veiculação nas emissoras de televisão de quatro inserções da propaganda partidária do PT que iriam ao ar ontem à noite. Ele entendeu que elas poderiam promover ilegalmente a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


A liminar foi dada a pedido do PSDB e do PFL, que entraram com representações contra a propaganda do PT, veiculada pela primeira vez dia 18. A proibição se estende às outras datas destinadas pelo TSE à publicidade partidária petista: amanhã e 2, 4, 6, 9 e 11 de maio. Os advogados do PT dizem que entrarão com recurso pedindo que a perda do tempo de propaganda de ontem e de amanhã seja compensada com a autorização de veiculação da publicidade em outros dois dias.


Eles argumentam que o partido não foi notificado para substituir as inserções proibidas por outras e teria sido prejudicado com a perda de dois minutos de propaganda por dia, já que são quatro inserções de 30 segundos cada.


Os dois partidos de oposição disseram que a propaganda do PT promoveu a candidatura de Lula à reeleição e, com isso, feriu o artigo 36 da Lei Eleitoral, que proíbe a propaganda antes de 5 de julho do ano das eleições.


Relator das representações contra o PT, Pargendler disse que a propaganda fora de época envolve ‘certo grau de subjetividade’. Sobre a liminar, explicou: ‘O que assisti no videocassete em apenso é suficiente para que se suste a respectiva exibição até o pronunciamento definitivo do tribunal’.


No mérito, a oposição pede a condenação do partido e do presidente Lula ao pagamento de multa de até R$ 50 mil.


O secretário de Comunicação do PT, o ex-ministro Humberto Costa, classificou como ‘lamentável’ e ‘absurda’ a liminar. ‘É uma decisão altamente questionável e lamentável. Em nenhum momento nossos comerciais divulgaram informações que não sejam verdadeiras. Não atacamos a honra de ninguém ou cometemos leviandades, como nos comerciais do PFL.’


Costa lembra que quando o PFL fez inserções questionando a afirmação de Lula de que não sabia do mensalão, o TSE negou retirá-las do ar. ‘No nosso caso, é antecipação da eleição. Agora, agressões contra o PT e o presidente não são um processo de antecipação do pleito? Essa decisão é absurda.’


Comparações


As inserções do PT comparavam os indicadores do governo atual com números do governo anterior. O slogan era: ‘Quem fez mais pelo Brasil, o PT de Lula ou o PSDB de Fernando Henrique Cardoso?’. A oposição contesta os dados apresentados e diz que houve clara estratégia político-eleitoral do PT.


Apesar da proibição, ontem à noite uma inserção publicitária do PT foi veiculada na TV Cultura. A propaganda citou dados do programa Bolsa-Família e exaltou Lula afirmando que ‘nunca antes na história do Brasil um presidente da República tratou os mais humildes dessa maneira’.


Procurados pela Folha, o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, e a assessoria da TV Cultura não foram localizados até o fechamento desta edição.’


***


Lei gera dúvidas sobre imagem de CPI em campanha


‘A aprovação nesta semana do projeto de lei que altera regras eleitorais criou uma dúvida jurídica sobre a possibilidade de utilização de imagens de CPIs na propaganda eleitoral gratuita dos candidatos na televisão, já que foi proibida a exibição de cenas externas nesses programas.


Se a lei for sancionada com essa proibição e aplicada nestas eleições, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) terá de definir qual é o conceito de cena externa e dizer se está restrita a imagens gravadas fora do estúdio com a finalidade exclusiva de produzir o programa eleitoral ou se inclui arquivos jornalísticos, como depoimentos dados aos parlamentares nas CPIs.


Tanto a CPI dos Correios, já encerrada, quanto a CPI dos Bingos, que continua, atingem integrantes do governo e petistas, principalmente. Em tese, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode vetar a lei parcial ou integralmente. Se sancioná-la com essa proibição, o TSE decidirá se essa e as outras normas valem neste ano e, por fim, o que é imagem externa.


O projeto afirma que os programas eleitorais e as inserções ao longo da programação de rádio e de televisão ‘serão gravados em estúdio e deles somente poderão participar o candidato e filiados a seu partido, sendo vedadas as gravações externas, montagens e trucagens, computação gráfica, desenhos animados, efeitos especiais e conversão para vídeo de imagens gravadas em películas cinematográficas’.


O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio de Mello, que assumirá a presidência do TSE na próxima semana, disse que em princípio é contra a proibição, mas afirmou desconhecer o teor do projeto. ‘O próprio candidato deve ter interesse de que qualquer pessoa conheça o seu perfil. Se ele tem algo a esconder, não deve ser candidato’, afirmou.


O uso de imagem externa foi proibido na campanha eleitoral de 1994. Dois ministros que atuaram no TSE naquelas eleições entendem que as cenas de arquivo de depoimentos prestados a CPIs se enquadram nessa proibição.


Outro ex-ministro do TSE disse que é polêmico criar limitações à propaganda em um momento no qual os atuais membros do Congresso estão com a imagem desgastada. Os maiores prejudicados seriam os candidatos desconhecidos, que terão menor chance de aproveitar o espaço no rádio e na televisão para se promover.’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Nem o Wando


‘Do ‘New York Times’, dias atrás, falando do avanço da internet sobre a política:


– O que os partidos fazem agora é similar ao que ocorreu em outros setores, inclusive a indústria musical e os jornais, conforme tentam se ajustar à crescente influência da web.


Para o presidente do Partido Republicano, ‘o efeito da internet na política será tão transformador quanto foi a televisão’.


Também no Brasil. O ‘NYT’ aponta por lá, como um foco das mudanças, os meios de veiculação da propaganda negativa. Por aqui, o ‘ex-blog’ de Cesar Maia saiu na frente -e os petistas já lançam a sua resposta.


O blog de Fernando Rodrigues deu no UOL, o blog petista do Grupo Beatrice saudou e o blog coletivo tucano E-Agora atacou, todos ontem, O Informante.


É um site, também semiblog, com colaboradores dispostos a ‘preencher as lacunas deixadas pela mídia brasileira’. Entre eles, notou Rodrigues, ‘um dos divulgadores do papelório conhecido como Lista de Furnas’.


Em seu ritmo próprio, Geraldo Alckmin também avança pela internet. Ou avançam por ele. Está no ar Os Alckimistas (sic), ‘blog que tem por objetivo debater a eleição para presidente’.


Por enquanto, porém, as mensagens postadas são derivadas de outros blogs tucanos, de cor fernandista ou serrista. Os ‘emergentes’ do ex-governador têm longo caminho pela frente.


Mais do que governistas ou oposicionistas, disseminam-se pela rede descontroladamente as campanhas pelo voto nulo.


Vão da extrema de Ipojuca Pontes e colegas, em sites e ‘spams’ que ensinam como anular o voto na máquina eletrônica, à extrema oposta de blogs como o [10 anos a 1000].


A deste último começou há meses e usa argumentos como ‘nem o Wando é mais obsceno que os candidatos disponíveis’. Anteontem à noite, fez sua primeira manifestação, gravada em vídeo e já postada no blog: uma chuva de notas de R$ 1 sobre a avenida Paulista, carimbadas com os dizeres ‘Vote nulo’.


Mas ontem mesmo já começou outra campanha -contra as campanhas pelo voto nulo.


O blog coletivo Bombordo postou mensagem questionando, pacientemente, uma a uma, as lendas que vêm sendo espalhadas pelo que chamou de ‘um dos movimentos mais tolos que têm prosperado na internet’.


NO AR, O PRESIDENTE


Na TV, a chegada do astronauta e a recepção pelo presidenciável


As primeiras manchetes nos telejornais todos foram para Márcio Thomaz Bastos. No ‘Jornal da Record’:


– O ministro da Justiça depõe e nega participação na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo.


Porém, nas manchetes do ‘Jornal Nacional’ e demais, ‘O astronauta Marcos Pontes é recebido como herói no Palácio do Planalto’. Com maior ou menor destaque, da Globo para o resto, a imagem de Lula ao lado de Marcos Pontes foi onipresente ontem durante o horário nobre.


Não foi assim com a ‘photo-op’ do encontro de Lula e Hugo Chávez, mas sites como o do jornal ‘O Estado de S.Paulo’ traziam em destaque, na home page, enunciados na linha ‘Chávez pede votos para reeleição de Lula’.


Tem mais, hoje. Lula vai à plataforma anunciar a auto-suficiência. Ontem, foi a manchete do jornal ‘Valor’, ‘Auto-suficiente, Petrobras terá superávit de US$ 3 bi’.


E vem mais por aí. Kennedy Alencar noticiou na Folha de ontem, o blog do UOL reproduziu uma análise da Austin Rating afirmando que o Brasil está para alcançar ‘o menor nível da taxa de juros básica dos últimos 31 anos!’ e Míriam Leitão registrou no ‘Bom Dia Brasil’:


– Na próxima reunião do Copom, em 31 de maio, os juros devem cair para a menor taxa nominal da história.


Nos pobres


O ‘falcão’ Paul Wolfowitz, um dos idealizadores da invasão do Iraque, quando no governo Bush, virou presidente do Banco Mundial e se voltou para o social. Em destaque no ‘El País’:


– Paul Wolfowitz afirma que a América Latina precisa de mais investimentos nos pobres.


Ele defende mais crescimento -e ‘fez alusão a programas como o Bolsa-Família, do Brasil’.


Visão diferente


A miséria brasileira fascina os turistas europeus. De um título na home page do ‘Guardian’:


– Hotéis de favela oferecem uma visão diferente do Rio.


Era uma reportagem sobre os hotéis de morros como o Chapéu Mangueira, mais as ‘dezenas de agências que oferecem excursões de jipe a tais áreas’.


TECNOLOGIA


Presidente condiciona escolha de padrão a instalação de fábrica; no Japão, Toshiba diz que estuda enviar representantes’


TV DIGITAL
Eduardo Scolese e Humberto Medina


Lula afirma que ainda negocia TV digital


‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o Brasil ainda está negociando contrapartidas para a escolha do padrão de TV digital. ‘Nós descobrimos que através da TV digital poderemos abrir uma discussão mais importante no mundo, com os Estados Unidos, com a Europa e com o Japão’, disse o presidente, em discurso no Itamaraty, durante cerimônia de formatura de novos diplomatas.


‘Nós queremos ter, neste país, a capacidade de termos um parque de semicondutores para que a gente possa, através da microeletrônica, se transformar numa nação tão importante quanto eles já são. E nós só iremos fazer isso se tivermos sabedoria de aproveitar o momento político para negociar, e estamos conversando’.


Na edição de 8 de março, a Folha publicou que já existe decisão no governo para adotar o padrão japonês de TV digital, preferido pelas emissoras. Além dos japoneses, disputam o mercado brasileiro os representantes dos padrões europeu e americano.


Na semana passada, uma comitiva de ministros brasileiros foi ao Japão negociar a definição do padrão de TV digital a ser adotado pelo Brasil. Na ocasião, foi assinado um memorando entre os dois países. No texto do memorando, o Brasil manifestou ‘forte desejo’ de implantar o padrão japonês.


Toshiba


A Toshiba confirmou, em nota enviada à Folha por seu departamento de comunicação corporativa em Tóquio, que está considerando enviar ao Brasil representantes para ‘conduzir estudos de viabilidade relacionados à indústria de semicondutores no Brasil’.


A instalação de uma fábrica de semicondutores no Brasil é a contrapartida que está sendo exigida pelo Brasil para a escolha do padrão japonês. Os representantes do padrão europeu também sinalizaram com a possibilidade de estudar a viabilidade de uma fábrica de semicondutores.


O texto da Toshiba informa ainda que a empresa faz vários tipos de estudo de viabilidade para investigar futuras oportunidades de negócio e elaborar estratégias regionais. A Toshiba informou ainda que ‘no momento’ não tem plano de investimento no Brasil, mas que seria ‘prematuro discutir possibilidades futuras’.


No final de março, o ministro Hélio Costa (Comunicações) informou que um estudo do BNDES indicava que, para o Brasil, seria mais adequado um modelo mais simples de fábrica de semicondutores. Essa fábrica faria o que se chama ‘chips dedicados’ (circuitos integrados produzidos para executar uma tarefa específica, como receber o sinal de transmissão da TV digital).’


POLÍTICA CULTURAL
Walkíria Barbosa


Carta a Zezé di Camargo


‘Caro Zezé,


demorei alguns dias pensando se deveria ou não comentar o artigo publicado no dia 21 de março, assinado por você, em respeito à sua vida e à sua brilhante carreira, tão bem retratadas no filme ‘2 Filhos de Francisco’, que dignifica a família brasileira.


Com esse espírito de reconhecimento e respeito, quero esclarecer que, como produtora e pessoa que vem há pelo menos 25 anos trabalhado pela cultura de nosso país, me senti diretamente atingida pelo artigo, que diz:


‘Uma vilania digna dos grandes malfeitores da ficção cinematográfica espreita a vida real -e já suficientemente cheia de dificuldades- dos músicos no Brasil. A trama tem como cenário o Senado Federal e possui um título provisório: projeto de lei nº 532. O argumento: a extinção do pagamento dos direitos autorais das músicas constantes nas trilhas sonoras dos filmes exibidos no país. O setor, que acumula um calote hoje com 17 anos de idade, ganharia, assim, a lei para referendar a omissão’.


Malfeitor é um termo muito duro para nomear pessoas que têm história na construção da cultura de nosso país, que empregam milhares de pessoas e emocionam tantas outras exibindo, produzindo ou distribuindo filmes, e por conseqüência a cultura brasileira. Existe um outro lado dessa história.


Você fala de uma ‘vida já cheia de dificuldades dos músicos no Brasil’, fala em ‘inevitáveis repercussões de ordem econômica e social’, e desse modo dá a impressão de que a indústria cinematográfica é a principal fonte de receita dos músicos, quando o cinema só agora está voltando a ser uma atividade rentável, depois de muitos anos de batalha. Também fica a impressão de que os músicos não recebem por seu trabalho. Os músicos, da mesma forma que os atores, diretores, produtores, roteiristas, equipe técnica e todos aqueles que se envolvem na realização de um filme são pagos pelo seu trabalho. Ninguém tem que trabalhar de graça, e nem é esse o intuito, pois há anos tentamos consolidar o cinema no Brasil como uma indústria. A título de esclarecimento, quando negociamos a trilha sonora de um filme, pagamos pelo direito de sincronização ou inserção e pelo direito de execução para a exibição do filme. O que não queremos e nem podemos é pagar duas vezes.


É errado pensar que o cinema possa ser visto como mais um local de execução das músicas, e cobrado como se cobra uma execução em rádio. A trilha sonora de um filme não é um elemento distinto do filme, e sim parte integrante deste. Ninguém vai ao cinema somente ouvir a trilha, assim como ninguém vai ao cinema somente por causa do roteiro, ou mesmo da direção, da edição etc. Cada um desses elementos se mesclam para compor o que é uma peça única: o filme. Nesse caso, o todo é maior do que a soma de suas partes. Não desmerecendo nenhuma delas, nunca.


Você sabe melhor do que eu que o músico tem seu negócio principalmente sustentado pela arrecadação na execução nas rádios, na realização de shows e na venda de CDs. Com o crescimento do cinema brasileiro, cada vez mais os produtores, ao contratarem e pagarem pelos serviços dos músicos, estarão fortalecendo uma nova janela de negócios para o seu setor.


Infelizmente estamos sendo vítimas de uma leitura equivocada das leis por pessoas que desconhecem os procedimentos praticados no setor do audiovisual com relação à contratação dos serviços. Tenho certeza, Zezé, que tanto o cinema quanto a música têm um papel muito importante na formação cultural dos povos. O cinema ajuda a vender a imagem de um país e a cultura de seu povo. Eu, por exemplo, que não era ouvinte de música sertaneja, após ver seu filme saí emocionada e fui a uma loja comprar dois CDs do seu trabalho com seu irmão. Tenho a certeza de que milhares de outras pessoas fizeram o mesmo. Por causa disso eu apoio a iniciativa dos senadores na elaboração de um projeto de lei para acabar com essa duplicidade de cobrança pelo mesmo trabalho para o mesmo setor, o que não é justo.


Todos merecemos um final feliz. Mas para que possamos vê-lo na tela, temos que ser justos e permitir que o cinema no Brasil possa crescer cada vez mais. Dessa forma estaremos fortalecendo todos os segmentos envolvidos, criando novas oportunidades de trabalho, divulgando nossa cultura.


Espero que da próxima vez possamos estar juntos, falando e lutando pelo combate à pirataria de CDs, DVDs e softwares, pois essa sim deve ser chamada por todos nós de malfeitora, essa sim tira empregos de milhares de pessoas, no Brasil e no mundo.


Continuo, sempre, sua fã.


Walkíria.


Walkíria Barbosa, 50, é produtora de cinema. Diretora da Total Filmes, produziu ‘Se Eu Fosse Você’.’


INTERNET
Folha de S. Paulo


Lucro do Google sobe 60% no 1º trimestre


‘O lucro do Google aumentou 60% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a US$ 592,3 milhões. No primeiro trimestre de 2005, o lucro havia sido de US$ 369,2 milhões. Os ganhos maiores foram conseqüência do bom resultado da propaganda on-line administrada pelo Google.


O anúncio do resultado trimestral após o fechamento das Bolsas dos EUA fez as ações da empresa de internet subirem até 7% no ‘after hours’ do pregão.


O faturamento trimestral ficou acima da marca dos US$ 2 bilhões pela primeira vez, chegando a US$ 2,25 bilhões, ante US$ 1,26 bilhão nos três primeiros meses de 2005 -um aumento de 79%.


Subtraídas as comissões que o Google paga a parceiros, a receita totaliza US$ 1,53 bilhão. Tanto o lucro quanto o faturamento do Google ficaram acima das expectativas de analistas.


No quarto trimestre de 2005, apesar de seu lucro ter aumentado, o resultado do Google ficou abaixo do que era esperado, e suas ações começaram a cair. No entanto, após a adição dos papéis da empresa ao índice Standard & Poor’s 500, há um mês, as ações do Google já subiram 20%.


Os resultados do primeiro trimestre foram considerados bons por analistas, e as preocupações que surgiram no começo deste ano não parecem estar mais na mente dos investidores.


O resultado financeiro do Google também sugere que a empresa ampliou a vantagem sobre as concorrentes Yahoo! e MSN, apesar dos esforços de marketing e mudanças tecnológicas destas.


O resultado do Google mostrou que a empresa teve crescimento do faturamento (excluídas as comissões) maior que o do Yahoo! -19% contra 2%.


‘Parece-nos que estamos ganhando participação de mercado’, disse Eric Schmidt, presidente do Google. ‘Obviamente, nós estamos muito felizes com nossos resultados do primeiro trimestre. Basicamente nós temos boas notícias em todas as divisões.’


Vivendi


As gravadoras Vivendi Universal e EMI registraram altas nas vendas com o crescimento dos downloads de música digital e as vendas fortes de álbuns de artistas como Jack Johnson e Coldplay.


A Universal Music, da Vivendi, registrou alta de 8,4% nas vendas no primeiro trimestre, que passaram a 1,13 bilhão, com artistas como Jack Johnson e Prince.


A EMI informou que suas vendas aumentaram quase 4% no ano fiscal encerrado em março devido às vendas dos álbuns das bandas Coldplay e Gorillaz.’


***


Internautas brasileiros batem recordes


‘Os internautas domésticos brasileiros bateram no mês passado dois novos recordes: o de tempo de navegação e o de número de usuários.


Em março, os brasileiros ficaram em média 19 horas e 24 minutos conectados -até então, o período máximo registrado foi em outubro do ano passado, quando a conexão mensal média dos internautas brasileiros bateu 18 horas e 42 minutos.


O mês de março registrou ainda a 14,1 milhões de internautas domésticos no país.


A quantidade de pessoas que utilizam a web em suas casas aumentou 6,5% entre fevereiro e março, segundo o Ibope//NetRatings, responsável pelo levantamento dos números.


Em relação ao tempo de navegação, o Brasil perdeu apenas para a França, que registrou 19 horas e 28 minutos -um recorde também naquele país. Com freqüência, os internautas brasileiros lideram esse ranking que considera 11 nações: entre elas, Estados Unidos e Japão.


A categoria ‘comunidades’ -formada por sites de relacionamento, blogs e fotologs, entre outros- vem recebendo mais atenção dos internautas nos últimos meses. No mês passado, cada internauta passou, em média, 3 horas e 46 minutos nessas páginas, contra 1 hora e 47 minutos registrados em março de 2005.


‘Trata-se de um fenômeno global, que é fruto da evolução da tecnologia de software, que facilitou a oferta de informações pessoais na internet. Além disso, a popularização da banda larga facilita o acesso a este tipo de conteúdo’, afirmou Marcelo Coutinho, diretor-executivo do Ibope Inteligência.


Anúncios on-line


As receitas com anúncios on-line registraram um crescimento de 30% no ano passado, atingindo um novo recorde, US$ 12,5 bilhões. Em 2004, ainda estavam em US$ 9,63 bilhões.


Foi o terceiro ano consecutivo de crescimento, de acordo com dados do IAB (Interactive Advertising Bureau).


A principal fonte das receitas foram os anúncios direcionados, exibidos em sites de busca de acordo com as palavras-chave utilizadas nas pesquisas feitas pelos usuários, segundo o IAB, com a geração de US$ 5,1 bilhões, ou 41% do resultado do ano passado. Em 2004, esse tipo específico de anúncio havia representado cerca de 39% das receitas.


‘Os anúncios interativos continuam a passar por um tremendo crescimento, à medida que os anunciantes experimentam a efetividade na construção de marcas e no aumento das vendas’, disse o executivo-chefe do IAB, Greg Stuart.’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Globo monta sua universidade de televisão


‘A TV Globo começou a dar forma na semana passada a um ambicioso projeto que já vem sendo chamado de Universidade Globo. A emissora fechou um contrato de locação de longo prazo com os estúdios Tycoon, no Rio. A idéia é transformar o Tycoon, nos próximos anos, em um grande centro de treinamento de televisão.


Na ‘universidade’, a emissora irá promover cursos regulares (inicialmente apenas para demandas internas) que irão formar desde novos cinegrafistas e técnicos de gravações até atores, diretores e autores de novelas e programas. Novas tecnologias também serão testadas no Tycoon.


A Globo já promove oficinas eventuais de atores e autores no Projac, mas a central de estúdios não tem dado conta das necessidades de treinamento. Faltam estúdios e cenários para aspirantes a atores fazerem encenações.


A longo prazo, a Globo deverá abrir mão do Tycoon e construir sua ‘universidade’ dentro do Projac. O Tycoon estava prestes a ser locado pela Record (para gravação de uma novela), emissora que, ironicamente, vem obrigando a Globo a investir mais em treinamento _no ano, ‘roubou’ pelo menos 200 profissionais dela.


Na última segunda, com uma palestra de Fausto Silva, a Globo abriu um curso inédito, que irá formar roteiristas para programas de variedades (‘Domingão’, ‘Caldeirão’, ‘Mais Você’). A oficina, no Projac, durará seis meses.


OUTRO CANAL


Bomba ‘Minha Nada Mole Vida’, estrelado por Luiz Fernando Guimarães, está longe de ser uma tragédia como ‘Rei Majestade’ (a ‘nova’ criação de Silvio Santos), mas a cúpula da Globo não está gostando do programa _do ponto de vista artístico e também pela audiência, nada empolgante. Já se aposta na emissora que a série acaba quando for ao ar o oitavo episódio da atual temporada.


Pressão Há quatro anos diretora-geral do ‘Domingão do Faustão’, Angela Sander teve uma crise de estresse na última segunda. Após ficar horas sob observação médica, Angela foi orientada a tirar pelo menos 15 dias de licença _o que ela já está fazendo. O ‘Domingão’ será comandado temporariamente por Jaime Praça.


Caneta A Rede TV! finalmente conseguiu convencer uma atriz da Globo a assumir a apresentação do ‘TV Fama’, ao lado de Nelson Rubens, no lugar de Luisa Mell. Adriana Lessa (‘O Clone’, ‘Senhora do Destino’) assinou contrato anteontem. Deve estrear já na próxima segunda.


Grifes Canal de notícias do grupo Bandeirantes, o BandNews está montando um time de colunistas. Depois de Joelmir Beting, que acaba de estrear a coluna ‘Notícia de Valor’, prepara o lançamento de ‘Diário Íntimo’, de Carlos Heitor Cony, na próxima segunda-feira, e de ‘Crônicas Cariocas’, de Ruy Castro, em maio.’


************


O Globo


Sexta-feira, 21 de abril de 2006


TV DIGITAL
Eliane Oliveira


Presidente: governo não tem pressa para decidir o padrão de TV digital


‘BRASÍLIA. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro ontem que não tem pressa para decidir qual o padrão de TV digital a ser adotado no país – se o japonês, o europeu ou o americano. Ao discursar durante solenidade de formatura de novos diplomatas pelo Instituto Rio Branco, no Itamaraty, Lula deu a entender que o governo ainda não tomou uma decisão sobre o assunto e que a decisão está condicionada à criação de um parque de semicondutores no Brasil.


– Todo dia alguém pede que o Brasil visite um país, uma fábrica. Estamos conversando com muita humildade, com muita tranqüilidade e sem bravata. Vamos ter de medir cada passo para que o que quer que a gente faça seja benéfico para o Brasil daqui a cinco, dez ou 20 anos – afirmou o presidente.


Lula disse que é preciso ter sabedoria para aproveitar o interesse de outros países e empresas e ver quem é que está disposto a ‘jogar mais sério’ com o Brasil:


– Nós queremos ter um parque de semicondutores neste país, para que possamos, por meio da microeletrônica, transformar-nos em uma nação tão importante quanto eles (EUA, União Européia e Japão). E nós só faremos isso se tivermos sabedoria de aproveitar o momento político para negociar.


Europeus teriam feito convite igual ao japonês


Embora, na semana passada, um memorando de intenções tenha sido assinado por autoridades japonesas e brasileiras, cujo ponto forte é o compromisso do governo do Japão de promover a transferência de tecnologia e a instalação de fábricas de semicondutores no país, Lula evitou tomar posição em seu discurso a favor de um ou outro padrão.


– Há meses, diziam que o governo já tinha decidido e pronto. Não era verdade – afirmou o presidente.


Atualmente, o governo brasileiro discute qual modelo será implementado no país: o americano (ATSC), o japonês (ISDB) ou o europeu (DVB). A base de um sistema brasileiro também começou a ser desenvolvida por 1,5 mil cientistas em 22 consórcios de universidades, centros de pesquisa e empresas públicas e privadas.


Esta semana, a União Européia resolveu agir de forma mais agressiva na disputa e pediu uma oportunidade ao Brasil para melhorar suas ofertas. Os europeus teriam convidado autoridades do Brasil a visitarem a Europa, assim como fizeram os ministros Hélio Costa (Comunicações), Celso Amorim (Relações Exteriores) e Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento) em sua ida ao Japão.’


ALCKMIN SOB SUSPEITA
Tatiana Farah


Nova denúncia contra Alckmin será apurada


‘SÃO PAULO. O Ministério Público Estadual vai investigar uma nova denúncia sobre a publicidade do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). O procurador-geral de Justiça, Rodrigo Pinho, afirmou ontem que vai apurar a suspeita de uso irregular de verbas de propaganda na revista ‘Futebol Paulista’, como mostrou reportagem do GLOBO ontem.


A revista, ligada à Federação Paulista de Futebol, publicou cinco páginas de anúncios do governo na mesma edição em que o então governador era o destaque da capa e em que seu editorial faz um agradecimento a supostos ‘amigos’ do governo. Na mesma edição há outros anunciantes, entre eles a Nossa Caixa, estatal acusada de propaganda dirigida. Pelo menos dois deles não pagaram pelos anúncios, pois fizeram permuta com a editora. Cada anúncio teria custado entre R$ 30 mil e 40 mil.


– Esses fatos serão apurados junto com a investigação sobre a publicidade do governo – anunciou o procurador-geral, antes de tomar posse em seu segundo mandato no cargo.


Pinho investiga se houve participação direta do então governador Alckmin nos acordos de propaganda e se os recursos foram usados sob orientação política.


Outra publicação investigada é a revista ‘Ch’an Tao’, da Associação de Medicina Tradicional Chinesa, presidida pelo acupunturista de Alckmin, Jou Eel Jia. A revista recebeu pelo menos R$ 120 mil de publicidade de estatais paulistas. Tanto a ‘Ch’an Tao’ como a ‘Futebol Paulista’ têm tiragem indefinida e não têm verificação de circulação.


Segundo o proprietário, Marcelo Neres, as demais edições tiveram tiragem oscilante e inferior a 100 mil. A editora fechou. O presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, afirmou que suspendeu a autorização para que a revista, editada entre 2004 e 2005, fosse publicada porque a editora não informava o número de exemplares.


O presidente da Nossa Caixa, Carlos Eduardo Monteiro, foi convocado a depor na terça-feira à Comissão de Finanças e Orçamento da Assembléia Legislativa. Os deputados querem explicações sobre os 22 meses em que o banco gastou mais de R$ 45 milhões em publicidade sem licitação nem contrato.’


VENEZUELA
O Globo


Jornalista vai enfrentar Chávez nas urnas


‘CARACAS. Um jornalista que já foi guerrilheiro e ministro da Economia vai enfrentar o presidente Hugo Chávez nas eleições venezuelanas de dezembro. Num vídeo divulgado ontem à noite, Teodoro Petkoff, de 74 anos, apresentou sua candidatura e exigiu eleições limpas.


– Convoco a construir um país onde possamos conviver todos com paz, segurança e trabalho, onde as diferenças sejam resolvidas sem violência – disse o jornalista, que não tem o respaldo de nenhum partido.


Petkoff entrou para o Partido Comunista quando era estudante e lutou contra a ditadura militar na década de 50. A ditadura caiu em 58, mas os comunistas foram excluídos do governo. Inspirado pela revolução cubana, ele entrou para a guerrilha e participou de ações como o seqüestro de um coronel americano.


Em 1971, Petkoff e vários companheiros deixaram o partido e formaram o Movimento ao Socialismo (MAS). Ele foi eleito para o Senado, e se candidatou à Presidência duas vezes, na década de 80, mas perdeu. Abandonou o MAS quando o partido decidiu apoiar Chávez.


Anos mais tarde, foi convidado pelo presidente Rafael Caldera para ser ministro da Economia. Nos últimos anos, Petkoff assumiu o comando do jornal ‘TalCual’ e em seus editoriais critica duramente Chávez.


Além de Chávez e Petkoff, lançaram suas candidaturas os opositores Julio Borges, de centro-direita, William Ojeda, de centro-esquerda, e Roberto Smith, que representa os ni-ni – aqueles não apóiam Chávez ou a oposição.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem