Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

ENTRE ASPAS > QUINTA-FEIRA, 14/10

Serra acusa jornal de favorecer Dilma

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 14/10/2010 na edição 611


Leia abaixo a seleção de quinta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quinta-feira, 14 de outubro de 2010


 


ELEIÇÕES


Breno Costa


Serra ignora perguntas e critica jornal


O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, criticou ontem a imprensa e acusou o jornal ‘Valor Econômico’ de atuar em favor da adversária Dilma Rousseff (PT). Por duas vezes, o tucano ignorou perguntas de jornalistas, afirmando que eram ‘pauta petista’.


‘O seu jornal faz manchete para o PT colocar no horário eleitoral’, disse Serra, em Porto Alegre, a um jornalista do ‘Valor’, após ser questionado sobre o caso do ex-diretor de engenharia da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto.


Segundo reportagem da revista ‘IstoÉ’, que foi usada por Dilma no último debate, o engenheiro ‘fugiu’ com R$ 4 milhões arrecadados extraoficialmente com empreiteiras -ele era responsável pelo controle das maiores obras viárias de São Paulo.


‘Eu sei que, no caso, vocês não têm interesse na Casa Civil, naquilo que foi desviado. Seu jornal, pelo menos, não tem. Agora, no nosso caso, nós temos. O resto é factóide petista’, disse.


A resposta de Serra, ao criticar o ‘Valor’, não se referia, no entanto, a Paulo Preto.


Fazia menção implícita a uma entrevista com David Zylbersztajn, diretor da ANP (Agência Nacional do Petróleo) no governo FHC, na qual falou sobre sua visão do modelo de concessão do pré-sal.


Dilma disse no debate que Zylbersztajn, chamado de ‘principal assessor energético’ de Serra, é a favor da ‘privatização do pré-sal’.


A diretora de Redação do ‘Valor’, Vera Brandimarte, lamentou as declarações. ‘O jornalista [Sérgio Bueno] só estava fazendo o trabalho dele, que é perguntar. Todos os candidatos devem estar dispostos a responder questões, mesmo sobre temas que não lhes agradem’, disse.


‘É lamentável que diante de uma pergunta que não o agradou, o candidato José Serra tenha reagido de forma explosiva, atacando o jornal, ou mesmo o jornalista’, afirmou Brandimarte.


Em Rio Grande (RS), o tucano negou ter recebido um e-mail com reclamações contra Paulo Preto.


A Folha revelou ontem que, em novembro de 2009, o então vice-governador Alberto Goldman (PSDB) mandou um e-mail a Serra criticando a atitude ‘arrogante’ e ‘vaidosa’ de Paulo Preto.


Colaboraram GRACILIANO ROCHA, enviado especial a Rio Grande, e DANIELA LIMA, de São Paulo


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Ordem e desordem


A mesma foto do presidente chileno, o conservador Sebastián Piñera, abraçando o mineiro Florencio Ávalos ocupou a capa de jornais ao redor do mundo, ontem. E a mesma transmissão ao vivo, também com ambos, ocupou as televisões. Segundo a BBC, ‘a foto e o vídeo da saída dos mineiros’ foram distribuídos ‘exclusivamente pelo governo chileno, via fotógrafo e TV oficiais’. Ainda assim, em locuções na CNN, por exemplo, que se dedicou integralmente à cobertura, sobraram elogios às imagens. Isolado, o ‘New York Times’ arriscou breve restrição.


Por outro lado, no relato da agência France Presse, a ‘desordem da mídia desfigurou a alegria da família’ de Ávalos, ‘tomada subitamente de horror quando centenas de jornalistas pisotearam sua barraca’, logo depois que ele deixou a mina. ‘Repórteres puxaram os cabelos, deram socos e quase nocautearam outros repórteres, quebrando móveis e derrubando a tenda. Finalmente, a turba midiática se dispersou.’ Poucas horas depois, outro mineiro, Mario Sepúlveda, dizia aos jornalistas: ‘A única coisa que peço à mídia é que não nos trate como artistas’.


//QUEM É O PRÓXIMO?


Escrevendo no site Foreign Policy, ligado ao ‘Washington Post’, o presidente da consultoria de segurança para corporações Eurasia, o americano Ian Bremmer, se questionou, já no título: ‘Depois do quase golpe do Equador, quem é o próximo?’. Ele avalia que, ‘como os militares equatorianos se mantiveram fiéis, o golpe rapidamente fracassou e os conspiradores foram presos’. Mas alerta que o episódio mostra como a crise econômica ‘exacerba o descontentamento com regimes em instabilidade política’. Nada que preocupe Brasil e outros ‘emergentes-chave’, mas Bremmer sugere ficar atento para Venezuela e Cuba.


O Paraguai não foi mencionado, mas os jornais do país tratavam ontem dos ‘rumores de golpe’.


Frente Bric Índia e África do Sul entraram para o Conselho de Segurança da ONU, temporariamente, com a cobertura sublinhando que se unem a Brasil e China. No destaque do Foreign Policy, o órgão ‘acaba de ficar bem mais complicado para o governo Obama’.


Oportunidade O inglês ‘Telegraph’ deu editorial saudando a ‘oportunidade para os emergentes mostrarem que podem tornar o Conselho mais relevante’ hoje. E o francês Le Monde’ defendeu em editorial as aspirações de Índia, Brasil e África do Sul por reforma.


//NOVA PAIXÃO NACIONAL


No destaque do site Blue Bus, ‘Ibope Mídia revela que redes sociais são a nova paixão nacional’. A pesquisa feita com 8.000 pessoas, em 11 regiões metropolitanas, levantou que no Rio, por exemplo, 74% acessam algum site de relacionamento. Em São Paulo, 64%. Entre os que ainda não entraram, um terço tem intenção de participar.


Em média, cada brasileiro tem 273 amigos on-line. ‘A motivação principal é mesmo relacionamento’ e não a substituição de e-mail. ‘Nada menos que 54% dos pesquisados admitem que, quando acessam, não se sentem sós.’


//IGUAIS, DIFERENTES


No portal R7, da Record, ‘Classe C prefere novela, humor e auditório, diz megapesquisa’, também do Ibope. Intitulado Classe C Urbana do Brasil – Somos Iguais, Somos Diferentes, o levantamento ouviu cerca de 20 mil pessoas para um retrato da classe agora predominante no país. Entre as conclusões destacadas, 98% se divertem vendo TV aberta e o consumo de TV paga e internet ainda é inferior à média geral.


Outras conclusões, voltados ao mercado: ‘a classe C é composta por maioria de afrodescendentes, suas mulheres são mais responsáveis pela família e seus homens tendem a viver menos’; também ‘aceita muito mais as diferenças, acredita mais na igualdade e na convivência pacífica e tem menos preconceito’.


 


 


INTERNET


Consulado cria conta no Twitter para imprensa


O Consulado Geral dos EUA em São Paulo lançou ontem novo endereço no Twitter -twitter.com/ConsuladoEUASP.


O perfil da representação diplomática no microblog trará notícias, a agenda do presidente Barack Obama, declarações de autoridades americanas e links para comunicados completos à imprensa.


 


 


Maior parte dos tuítes não obtêm resposta


Das mensagens do Twitter, 71% não são respondidas pelos usuários da rede social. É o que mostra estudo da companhia Symonos, feito com 1,2 bilhão de mensagens enviadas pelo Twitter nos meses de agosto e setembro. Descobriu-se também que só 6% das mensagens são enviadas a outros usuários (retuitadas).


 


 


ARGENTINA


Associação de TV pede revisão de lei de mídia


A Associação de Teleradiodifusoras Argentinas, que representa 24 canais de TV aberta, pediu à Justiça para que declare inconstitucionais 33 artigos da nova lei de mídia, que entrou em vigor no mês passado. Ela diz que o governo de Cristina Kirchner tornará inviável a manutenção comercial da TV aberta, que obtém renda apenas com a publicidade.


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Autor da Globo quebra regra de elenco e é promovido


A sucessora de ‘Ti-ti-ti’, ‘Dinossauros e Robôs’ promete quebrar um recorde nada animador para Globo: terá um dos maiores elencos da faixa das sete, com mais de 70 personagens. Há dois anos a emissora vem tentando enxugar o casting de suas tramas, evitando escalações nababescas como a de ‘Duas Caras’, que teve 110 personagens, e investindo em novelas mais enxutas como ‘Passione’, com 38 personagens.


A recomendação da Globo tem a ver com o aumento da demanda de atores na rede, que tem colocado mais dramaturgia no ar, e serve para evitar que alguns emendem um trabalho no outro.


Assinada por Walcyr Carrasco, ‘Dinossauros e Robôs’, que estreia em março, tem 11 núcleos diferentes de personagens, número que pode aumentar.


Antecessoras no horário, ‘Três Irmãs’ e ‘Tempos Modernos’, ficaram na casa dos 50 personagens e apenas sete ou oito núcleos.


‘Dinossauros e Robôs’ ainda marcará a promoção do autor. Tende a ser última trama de Carrasco no horário. A partir de 2012 ele deve integrar o time dos autores de novelas das oito da Globo.


Esconde-esconde


Na aparição pública da Victor Valentim, uma nuvem de fumaça cobrirá seu rosto, mantendo a identidade secreta do estilista em ‘Ti-ti-ti’


Resgate A Record garante que mostrou na frente, ao vivo, o resgate do primeiro do mineiro chileno. Anuncia que entrou no ar à 0h05 de ontem, cinco minutos antes do que a Globo, e que liderou com 14 pontos de audiência, ante 11 pontos da Globo (cada ponto corresponde a 60 mil domicílios na Grande São Paulo).


Flashes No caso dessa cobertura não existe um ‘na frente’. Todas as emissoras, incluindo SBT, Band e Rede TV!, e as de notícias, GloboNews, BandNews e RecordNews, deram muitos flashes do caso. A Globo exibiu o exato momento da saída do primeiro mineiro. Quanto ao ibope da Record, mérito de ‘A Fazenda’, que foi interrompida no horário de transmissão.


Radical A ESPN desistiu de realizar este ano o X-Games Brasil, evento de esportes radicais. A direção do canal disse àFolha que faltou entendimento com o Anhembi, onde foi a primeira etapa, em 2008. Procurada, a assessoria do Anhembi não se manifestou.


Clone Faccioli estreou anteontem no ‘Primeiro Jornal’, da Band, confundindo desavisados. Cenário, posicionamento de câmeras e telão, tudo igualzinho ao ‘São Paulo no Ar’, que ele comandava na Record. Só a audiência que não: registrou média de 1,5 ponto. Na ex-casa, ele chegou a alcançar 6 pontos.


Médico/monstro O último capítulo de ‘A Cura’, anteontem, registrou média de 16 pontos na Globo.


 


 


Vitor Moreno


Segredo de Gerson em ‘Passione’ é ‘psicológico e sexual’, diz autor


A próxima vítima de ‘Passione’ vai ser morta em três semanas e o assassino não será o mesmo que cometeu os dois primeiros crimes. A revelação foi feita pelo autor Silvio de Abreu ontem, em entrevista, em São Paulo.


Segundo ele, a nova morte está relacionada com o arco ‘melodramático’ da novela, e não com a ‘parte policial’.


Será a última morte da novela, segundo ele. ‘Por enquanto, são três [mortes], mas, se me der na telha, posso matar mais um’, diz.


Além disso, ele contou que há alguém por trás das maldades de Fred (Reynaldo Gianecchini) e Clara (Mariana Ximenes) que está relacionado com os crimes. Ele não confirma se será o assassino.


Sobre a morte de Saulo (Werner Schünemann), que deu à novela seu recorde de audiência, o autor disse que não cogitou matar outro personagem -cinco atores gravaram cenas sendo mortos.


Mistério que aguça a curiosidade do público, o segredo de Gerson (Marcello Antony) será revelado em um mês. O autor diz se tratar de algo ‘psicológico e sexual’ que virá à tona no consultório do psiquiatra do personagem.


 


 


LITERATURA


Amazon anuncia novo formato de e-book


A Amazon anunciou anteontem que lançará um novo formato para o seu e-reader, o ‘Kindle Single’, que terá entre 30 e 90 páginas e custará menos que um livro. A empresa convocou ‘escritores e pensadores sérios’ a se juntar a ela para ‘tornar seus trabalhos disponíveis para o mundo’.


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quinta-feira, 14 de outubro de 2010


 


ELEIÇÕES


Gabriel Manzano


‘Le Monde’ destaca força eleitoral de senadora


Com um título que já diz tudo, A Promissora Derrota de Marina, o diário francês Le Monde destacou em sua edição de ontem a força eleitoral da candidata derrotada do PV, Marina Silva. Seus 20 milhões de votos, diz o jornal, são a soma dos ‘verdes-verdes’, dados pelos militantes da ecologia -, mais os ‘verdes-azuis’, de ‘católicos e evangélicos que dividem seus valores cristãos com a candidata’ – e por fim dos ‘verdes-vermelhos’, os ‘jovens urbanos em busca de uma utopia e decepcionados com o lulismo’.


O jornal tenta traçar os próximos passos da candidata dizendo que ela, valorizada por ‘sua promissora derrota’, quer agora ‘retornar à sociedade, mostrar um novo caminho, militar por uma reforma do sistema político’.


No curto prazo, ela vai ‘pressionar os outros dois candidatos (Dilma e Serra) a tornar verdes seus discursos’ – referência ao pacote de exigências que ela apresentou ao PT e ao PSDB para que tenham seu apoio no segundo turno. Essas tarefas aparecem entremeadas de elogios à postura política e pessoal de Marina. Le Monde destaca ‘sua integridade, sua retidão moral e sua coerência política’. Diz que ela ‘fustiga o nepotismo, o toma-lá-dá-cá, os hábitos da velha política’. E arremata: ‘Com sua voz doce e calma, fiel a seus princípios, ela encarna uma estilo político onde a autoridade dos argumentos substitui os argumentos da autoridade.’


‘Tenacidade’. O autor do texto, Jean-Pierre Langellier, repete a história de pobreza e dificuldades vivida por Marina desde sua infância. Diz que sua carreira foi forjada ‘com coragem, inteligência e tenacidade’, e talvez ‘ainda com maior mérito do que o de Lula, pois ela é mulher e negra’. Define-a, em seguida, como uma ‘personalidade diferenciada, politicamente progressista e socialmente conservadora’, esclarecendo aos leitores franceses que, sendo ela ‘cristã fervorosa’, gostaria de ver ‘ensinar o criacionismo nas escolas particulares, lado a lado com a teoria da evolução das espécies’.


Com certa ironia, o jornal conclui o artigo com uma ligação entre Dilma e Marina, dizendo que o presidente Lula recupera (a imagem de)sua rival, recorrendo a uma matemática implacável: ‘Se juntarmos os votos das duas, se percebe que 67% dos brasileiros querem uma mulher na Presidência.’


 


 


Vera Rosa


Plano de Dilma inclui democracia ‘irrestrita’


O programa de governo da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, vai pregar a ‘garantia irrestrita de liberdade religiosa, de imprensa e de expressão’. O atestado assinado por Dilma para afastar a polêmica do aborto e as desconfianças em torno do controle social da mídia consta do documento intitulado Os 13 Compromissos Programáticos de Dilma Rousseff para Debate na Sociedade Brasileira, a ser divulgado na semana que vem.


Menos de um mês depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticar os ‘excessos’ da imprensa, o texto faz a defesa veemente da democracia. O primeiro compromisso de Dilma será justamente o de ‘expandir e fortalecer a democracia política, econômica e social’. É nesse guarda-chuva que está abrigado o tópico que prevê a liberdade religiosa e de expressão.


O controle social dos meios de comunicação, aprovado como diretriz para o programa de Dilma no 4.° Congresso do PT, em fevereiro, não integra a última versão da plataforma. Na semana passada, porém, o ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, viajou para Londres e Bruxelas, com o objetivo de conhecer modelos de regulação da mídia.


‘Democracia é democracia, liberdade de imprensa é liberdade de imprensa e ponto. Não há adjetivações no programa. São compromissos globais’, afirmou o presidente do PT, José Eduardo Dutra.


Dilma propõe, ainda, um projeto nacional de desenvolvimento, como revelou o Estado em fevereiro. Ela quer um modelo que ‘assegure a transformação produtiva do Brasil’, com fortalecimento das empresas estatais e das políticas de crédito do BNDES.


‘Mas não acho que o BNDES precise ter esse tamanho. Ele só tem porque enfrentamos, em 2008, uma das maiores crises econômicas, com um choque de crédito significativo’, disse Dilma ao Estado, em agosto. ‘Os bancos privados nacionais têm de ser atrativos para aumentar sua presença.’


A lista dos 13 compromissos de Dilma estava pronta desde o primeiro turno, mas foi engavetada para evitar polêmicas. Agora, porém, os aliados cobraram a divulgação do programa, que passou por ajustes para não dar margem a novas controvérsias.


Propostas como taxação sobre grandes fortunas e jornada de trabalho de 40 horas semanais, sem redução de salários – que também receberam sinal verde no 4.º Congresso do PT – ficaram de fora.


Além da democracia e do projeto nacional de desenvolvimento, o plano de Dilma prevê outros compromissos genéricos, como crescimento com distribuição de renda; defesa do meio ambiente e desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza absoluta.


Compõem o pacote, ainda, itens como ‘governar para todos’, com atenção especial ao direito dos trabalhadores; educação para igualdade social; trabalhar o Brasil em políticas científica e tecnológica; universalizar a saúde e garantir a qualidade de atendimento do SUS; vida nas cidades; valorizar a cultura; combater o crime organizado e garantir a segurança dos cidadãos, além da presença ‘ativa e altiva’ do Brasil no mundo.


A campanha de Dilma divulgará documentos separados com 13 propostas para o meio ambiente por volta do dia 19, quando espera ter um sinal mais claro de que caminho seguirá a candidata derrotada do PV, Marina Silva. Outros 13 compromissos para a educação serão anunciados amanhã, Dia do Professor.


Dutra disse que a coligação de apoio a Dilma, formada por dez partidos, não tem grandes divergências com a Agenda por um Brasil Justo e Sustentável, anunciada por Marina. O voto distrital misto proposto pela senadora, porém, não é visto com bons olhos. ‘Esse assunto deve ficar para o Congresso’, resumiu ele.


 


 


CHILE


Transmissão em pool e plateia local ditam ritmo de reality show


Com transmissão de uma geradora de imagens em pool para canais do mundo todo, câmera no subsolo, plateia de parentes e correspondentes organizadamente dispostos na área da operação, o resgate dos 33 mineiros no Chile transformou-se no mais real dos reality shows. Sequência perfeita para comover as massas, receita infalível de audiência: no Brasil, os canais de notícias Globo News, Record News e Band News ficaram ininterruptamente no ar com imagens da operação desde o início da noite de terça-feira. Na BBC, na CNN e na Fox News, se a cena não foi ininterrupta, dada a proposta de cobertura mundial das duas redes, o resgate tomou mais de 70% da programação desde a meia-noite de ontem.


Canal de notícias em sinal aberto, via UHF, a Record News viu sua audiência dobrar de 0,3 ponto para 0,6, com pico de até 2 pontos no Ibope na Grande São Paulo, entre 18h de terça-feira e 18h de ontem. Os índices de audiência da GloboNews e da BandNews ainda não são conhecidos, já que o Ibope não afere audiência instantânea em canais pagos.


As cenas têm alavancado a audiência de noticiários e até de programas de variedades prontos para pegar carona na desgraça alheia. A Record tem no local duas equipes, uma para o jornalismo, outra para outros programas. O Jornal da Record, que na terça-feira da semana passada rendeu 10,5 pontos na Grande São Paulo, registrou 12,3 pontos anteontem. O Jornal Nacional, também recheado pelo tema, chegou a 33 pontos de média, patamar 3 pontos acima dos índices mais recentes. Na região, cada ponto equivale a 56 mil domicílios com TV.


A Band também se beneficiou do show, que rendeu segundo lugar no Ibope a José Luiz Datena, na terça-feira, para o seu Brasil Urgente. O assunto teve extensão no Jornal da Band. Das 23h29 às 23h55 e de 0h05 à 0h18, a Band subiu a 5 pontos no Ibope, com 6,4 de pico, audiência improvável para a emissora no horário, com noticiário sobre os mineiros em resgate, sob o comando de Ticiane Villas-Boas, diretamente da redação, na sede do Morumbi.


Na RedeTV!, Luciana Gimenez deixou de lado os desfiles de lingerie para dar espaço ao resgate, que atropelou também as celebridades do TV Fama e dominou as edições do Leitura Dinâmica, tanto ontem quanto na terça-feira. O assunto ainda promete render cobertura extensa por vários dias. Caco Barcellos já está no local para dedicar seu olhar ao fato em edição do Profissão Repórter, que a Globo exibe na próxima terça-feira.


 


 


CHINA


Timothy Garton Ash


Nobel a opositor chinês foi a escolha correta


O comitê do Nobel na Noruega agiu corretamente ao conceder o Prêmio da Paz a Liu Xiaobo. A furiosa reação do Estado chinês mostra como pode ser complicado fazer a coisa certa, na medida em que avançamos cada vez mais para um mundo ‘pós-Ocidental’. Liu é exatamente o tipo de pessoa que merece este prêmio, juntamente com Andrei Sakharov, Aung Suu Kyi e Nelson Mandela.


Por mais de 20 anos, ele lutou consistentemente por mudanças não violentas na China, sempre na direção de um maior respeito aos direitos humanos, de um estado de direito e da democracia. Por sua defesa pacífica, pagou com anos de prisão e perseguição. Ao contrário do vencedor do ano passado, o presidente Barack Obama, agraciado com o Nobel da Paz pelo que prometeu fazer, Liu recebeu o prêmio este ano pelo que realmente fez.


As autoridades chinesas tentaram ao máximo impedir que ele receba o prêmio. Ameaçaram diretamente o comitê do Nobel de consequências negativas para as relações entre China e Noruega. Qualificaram o prêmio como ‘obscenidade’, proibindo qualquer menção a ele na mídia chinesa sob censura, colocaram a mulher de Liu em prisão domiciliar, detiveram outros intelectuais críticos do governo, cancelaram conversações marcadas sobre exportações de pescado da Noruega para a China.


E agora, sem dúvida estão discutindo, no mais alto escalão, o que fazer. Por exemplo, devem permitir que a mulher dele, Liu Xia, viaje a Oslo para receber o prêmio em nome do marido preso?


Enquanto isso, nas capitais ocidentais, muitos perguntam se essa foi realmente uma boa decisão. Essas questões são importantes e precisam ser resolvidas, mas existe um argumento hipócrita e enganador que tem de ser destruído: que não será bom, até mesmo para os dissidentes, se o principal contestador do regime receber o prêmio Nobel da Paz.


Argumento similar foi usado por políticos ocidentais ao se recusarem a receber Sakharov, Lech Walesa ou Vaclav Havel. Comentando sobre a visita de um velho estadista americano a Moscou, um escritor russo confiou-me: ‘Ele disse que não seria bom para Sakharov se eles se encontrassem. Mas, na verdade, o que ele quis dizer é que um encontro com Sakharov não seria bom para ele.’ Cabe aos dissidentes decidirem o que é bom para eles. Até agora, todas as evidências indicam que os opositores chineses vibraram com a premiação, mesmo que ela signifique – o que é previsível – novas medidas repressivas contra eles.


Isso não quer dizer que o Partido Comunista chinês os estivesse tratando gentilmente. Liu foi enviado à prisão há 11 anos, apesar de toda a ‘diplomacia silenciosa’ de políticos ocidentais. Segundo relato de sua mulher, ele ficou profundamente comovido ao receber a notícia do prêmio, na prisão, e o dedicou ‘às almas penadas’ da Praça da Paz Celestial (Tiananmen). Não nos cabe dizer a esses corajosos defensores dos direitos humanos o que é bom para eles.


Isso seria tratá-los como os regimes autoritários e totalitários tratam seu próprio povo: como crianças.


No momento, Liu e seus colegas formam uma minúscula minoria de cidadãos chineses. Muitos dos seus compatriotas aceitaram o acordo proposto pelo Partido Comunista desde o final dos anos 70, e mais particularmente a partir de 1989: uma liberdade econômica extraordinária e uma liberdade social, cultural e mesmo intelectual considerável, desde que não sejam contestados os pilares políticos fundamentais do Estado de um só partido. Nesse sentido, Liu não pode ser comparado a Nelson Mandela ou Suu Kyi, líderes de movimentos de massa oprimidos.


É preciso reconhecer, como o fez o comitê do Nobel em sua citação, que essa versão híbrida sem precedentes, de um capitalismo autoritário, adotada pela China, tirou centenas de milhões de pessoas da pobreza e está atendendo às necessidades de muitos sob vários aspectos. Ao contrário de Mianmar ou da África do Sul sob o Apartheid, o Estado chinês tem um forte apoio da população. O teste será, naturalmente, quando o crescimento econômico desacelerar.


Não podemos saber como os compatriotas de Liu pensarão dele daqui a 20 anos. Parece inimaginável que as coisas mudem radicalmente no país como ocorreu na antiga Checoslováquia, a ponto de um dissidente isolado, como Vaclav Havel, repentinamente se tornar presidente eleito do país.


Minoritários. Presidente Liu? Certamente não. O que podemos conceber é Liu tornar-se o exemplo fundamental de coragem para um líder reformador. Como o telefonema de Mikhail Gorbachev para Andrei Sakharov, suspendendo a sentença que o tinha banido do país quando o dissidente recebeu o Nobel, foi um momento decisivo na história da URSS, poderia um telefonema para Liu, digamos, do próximo líder chinês, marcar uma nova etapa da modernização política da China? A publicação, na terça-feira, de uma carta aberta de ex-autoridades destacadas do Partido Comunista, exigindo mais liberdade de expressão, é uma indicação de que as esperanças dos reformistas dentro do partido e dos dissidentes fora dele não estão necessariamente anos luz de distância.


Mas é possível que Liu e seus colegas continuem uma pequena minoria, representando uma autêntica, mas jamais predominante, tradição na moderna história chinesa: a tradição da modernização constitucionalista, liberal, que eles evocaram detalhadamente no manifesto da Carta 08, que levou Liu à prisão e à conquista do Nobel. A aterradora e indignada reação do regime chinês é o testemunho da sua própria insegurança, e sua ainda essencialmente leninista intolerância a qualquer fonte genuinamente autônoma de autoridade política e social – seja Liu e seu minúsculo grupo, Falun Gong ou o Dalai Lama.


Mostra também um profundo, e amplamente compartilhado, sentimento de humilhação nacional frente ao Ocidente.


Como eles gostariam de ter o reconhecimento internacional de um prêmio Nobel. Mas quem são os três chineses, ou relacionados com a China, vencedores de um Nobel? Gao Xingjiang, romancista chinês que emigrou para a França e adotou cidadania francesa; o Dalai Lama; e agora Liu Xiaobo.


Na sua citação, o comitê do Nobel fala de direitos humanos ‘universais’. A Carta 08 fala de valores ‘universais’. Mas os líderes chineses ouvem somente valores ‘ocidentais’ e a busca pós-imperialista, mas ainda imperialista, do Ocidente, para impor esses valores à China. Na próxima década, há três enfoques que nós, no Ocidente, podemos adotar em resposta a isso: capitulação, ‘Huntingtonismo’ ou um diálogo real sobre os valores universais.


Capitulação significaria nos inclinarmos à chantagem chinesa, e assim, por exemplo, os líderes ocidentais não mais receberiam o Dalai Lama. Por Huntingtonismo quero dizer a maneira como Samuel Huntington imaginaria evitar o ‘choque de civilizações’. Em essência, significaria dizer: ‘Muito bem, você faz as coisas à sua maneira aí do seu lado, e nós agiremos à nossa maneira do lado de cá.’


Mas é muito cedo para renunciar à esperança de que ela chegue a uma compreensão mais profunda do que são valores genuinamente universais, em oposição àqueles somente ocidentais. Nesse diálogo, precisamos estar preparados para ouvir, não apenas falar. Se, em vez de se fechar defensivamente como um ouriço, a China mostrar-se disposta a uma discussão, de modo confiante, até ofensivo, sobre os valores universais, precisamos acolher essa disposição com os braços abertos. As alternativas são mais prováveis, mas piores. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO


É HISTORIADOR E ANALISTA BRITÂNICO


 


 


Cláudia Trevisan


Veteranos do PC chinês pedem mídia livre


Não são apenas os críticos do Partido Comunista da China que têm suas declarações censuradas no país. Trechos de discursos do premiê Wen Jiabao em defesa de reformas políticas foram barrados em quatro ocasiões desde agosto pelo poderoso Departamento de Propaganda, ao qual estão subordinados um exército de cerca de 35 mil censores encarregados de controlar as informações.


A menção à censura do primeiro-ministro está em uma carta aberta assinada por 23 membros veteranos do PC que fazem uma defesa enfática da liberdade de imprensa e de informação na China. Entre eles, estão Liu Hui, ex-secretário de Mao Tsé-tung, e Hu Jiwei, ex-editor-chefe do Diário do Povo, jornal oficial do PC. O documento é mais um desafio à natureza autoritária do regime chinês, poucos dias depois de o dissidente Liu Xiaobo ter recebido o Prêmio Nobel da Paz.


‘Neste momento, o Departamento de Propaganda está acima do Comitê Central do PC e do Conselho de Estado (liderado por Wen). Nós devemos perguntar com que direito o Departamento de Propaganda corta o discurso do premiê? Com que direito eles suprimem da população o direito de saber o que o premiê disse?’, questionam os signatários da carta.


Wen é identificado com o grupo que se opõe às facções mais autoritárias dentro do partido e defende transformações em direção a um sistema mais democrático. Os adversários se enfrentarão hoje em reunião do Comitê Central do Partido Comunista, que oficialmente terá a função de analisar o Plano Quinquenal para o período 2011-2015.


Em 21 de agosto, Wen fez um discurso no qual afirmou: ‘Sem a proteção dada por reformas políticas, os ganhos que tivemos com as reformas econômicas podem ser perdidos e nosso objetivo de modernização não poderá ser realizado.’ Na versão que apareceu na agência Nova China, o discurso foi reduzido apenas à exaltação das zonas econômicas especiais do país.


A carta aberta começou a ser redigida antes da entrega do Nobel da Paz a Liu Xiaobo, condenado a 11 anos de prisão sob a acusação de subversão. Seus autores afirmam que os dois fatos não estão relacionados. O destinatário é o Comitê Permanente do Politburo, órgão que detém o poder de fato na China, integrado por nove pessoas, entre as quais Wen e o presidente Hu Jintao.


O grupo ressalta que o direito à liberdade de informação e de expressão é garantida pela Constituição desde 1982, mas não foi implementado, constituindo um dos ‘maiores escândalos’ da história da China.


 


 


TECNOLOGIA


Sony lança televisores conectados à web com plataforma Google


A Sony está fazendo sua maior empreitada até o momento no segmento dos chamados televisores conectados, revelando uma linha de aparelhos que usa tecnologia do Google para combinar conteúdo de TV e internet nas salas de estar.


A gigante de eletrônicos apresentou esta semana televisores de alta definição que também permitirão aos usuários navegar na internet, utilizar aplicativos, assistir conteúdo online e pesquisar de maneira mais organizada a programação.


Resta saber se os consumidores estarão interessados. Tentativas anteriores de trazer a internet aos televisores não conseguiram impressionar.


Mas a Sony, com a ajuda da marca Google e do que definiu como grande campanha de marketing voltada aos jovens, espera convencer os consumidores que internet e televisão podem coexistir em um único aparelho.


‘Há muita gente por aí que deseja ver algo mais em seus televisores’, disse Jeff Goldstein, vice-presidente de produtos e serviços domésticos conectados na Sony Electronics. ‘Creio que o ritmo de adoção desse tipo de aparelho será muito rápido.’


A Forrester Research projeta que 43 milhões de domicílios terão televisores conectados, nos Estados Unidos, até 2015, ante pouco menos de 2 milhões em 2010. O grupo de pesquisa afirmou que as ofertas anteriores não haviam sido fortes o suficiente e que muita gente com televisores com acesso à internet nem havia pensado em conectá-los.


Na rede. Os televisores de internet da Sony vêm prontos para acesso Wi-Fi e conexão a redes de banda larga, e funcionam com a plataforma Google Android e com o chip Intel Atom.


O preço inicial, nos Estados Unidos, é de US$ 600 para o modelo de 24 polegadas, e chega a US$ 1,4 mil para o de 46 polegadas. A Sony também está lançando um decodificador, com custo de US$ 400, com funcionalidades semelhantes às dos televisores, e que inclui um player Blu-Ray.


Os produtos estarão à venda no sábado em pontos de venda da Sony e serão colocados à venda pouco mais tarde nas lojas da Best Buy. Até o fim da temporada natalina, eles estarão disponíveis apenas nos EUA.


 


 


Microsoft faz parceria com Facebook em buscas


A Microsoft ampliou sua parceria com a rede social Facebook, impulsionando seu site de buscas Bing para concorrer com o líder de mercado Google.


Desde ontem, o Bing passou a integrar conteúdo da maior rede social do mundo aos seus resultados de buscas, que serão mais personalizados de acordo com informações da rede de amigos dos usuários no Facebook – algo que o Google não faz.


A maior fabricante de software do mundo vem ampliando seus esforços na divisão de serviços online – que registrou um prejuízo de US$ 2,3 bilhões no último ano fiscal -, buscando desafiar o domínio do Google, maior site de buscas do mundo.


Com o anúncio, as ações da Microsoft fecharam o pregão de ontem em Nova York com alta de 2,1%. Já as ações do Yahoo, que tem um contrato de 10 anos com o Bing, saltaram 5,7%.


 


 


INTERNET


Phyllis Korkki, The New York Times


Perfil na web pode prejudicar busca de emprego


Seu currículo é ótimo, suas referências são altamente elogiosas e a entrevista foi tranquila – e, mesmo assim, você não conseguiu o emprego. O problema pode estar na web. Será que eles viram aquela sua foto no Facebook dançando sobre a mesa? Descobriram que você está devendo seis meses de hipoteca? Talvez você nunca fique sabendo, mas verificações de antecedentes podem destruir uma candidatura. Em um mundo rico em dados, a pessoa com menos situações embaraçosas pode ter vantagem na disputa por uma vaga.


Há poucas pesquisas sérias sobre como os gerentes de contratação usam a internet para vetar candidatos. Mas é possível supor que eles ao menos o estão olhando em mecanismos de busca. Portanto, seja esperto e verifique os resultados de uma busca rápida de seu nome.


É muito difícil remover qualquer coisa questionável a seu respeito de um mecanismo de busca, mas você pode ao menos colocá-la numa posição mais baixa com a adição de entradas positivas, disse Barbara Safani, dona da Career Solvers, uma empresa de gerenciamento de carreiras de Nova York.


Barbara diz que procura ajudar clientes a criarem uma identidade profissional positiva na internet mediante perfis no Google, LinkedIn e ZoomInfo, por exemplo, já que esses tendem a ser os primeiros a aparecer em resultados de buscas. Acrescentar essas entradas pode também ajudar pessoas com pouca ou nenhuma presença online, já que isso pode ser considerado estranho hoje em dia, disse ela.


Quem procura emprego também deve dar uma olhada em sua página do Facebook. ‘Até que ponto sua página no Facebook é privada?’, questionou Lewis Maltby, fundador do National Workrights Institute, um grupo de advocacia ligado a questões trabalhistas. Para ele, apesar dos controles de privacidade, não é inconcebível que um empregador possa se tornar amigo de um de seus amigos e com isso ganhe acesso à sua página.


Se estiver mostrando ou dizendo algo no Facebook que não gostaria que sua mãe visse, ‘tire agora mesmo’, disse Maltby. O mesmo vale para postagens de amigos que mencionam ou ‘marcam você com um tag’. ‘Há uma diferença entre ser uma pessoa decente e passar essa imagem na internet’, explicou Michael Fertik, fundador da Reputation Defender, que ajuda pessoas a melhorar seu perfil online.


O advogado disse que começou seu grupo ‘para oferecer proteção de liberdades civis ao mundo do emprego’. Mas, como já dirigiu um departamento de RH, ele ponderou que não se pode culpar o pessoal de RH por examinar sites de relacionamento. ‘Contratar a pessoa errada é um erro muito caro.’


Sua preocupação é que alguns gerentes de RH podem desqualificar candidatos ‘por razões que não têm nada a ver com o emprego’ – por exemplo, fotos deles bebendo cerveja. É bem provável que os empregadores não lhe digam que uma foto sua no Facebook com um abajur sobre a cabeça foi a razão para não ser contratado. De qualquer forma, eles em geral podem se recusar a contratá-lo por qualquer razão que não seja vedada por lei, disse Maltby, como raça, religião, deficiência física ou idade. / TRADUÇÃO DE CELSO M. PACIORNIK


 


 


TELEVISÃO


Cristina Padiglione


Crime triplica ibope do site de Passione


Foi só Passione, da Globo, engrenar na trama policial, para que o interesse do público aumentasse, não só à frente da TV, como também na web. Desde o dia 3, quando site da novela lançou um conteúdo baseado no mistério do assassinato de Eugênio (Mauro Mendonça), até a última segunda – dia em que se revelou quem era a nova vítima -, a média de visitas diárias do site ficou 55% acima do mesmo período das últimas novelas das 9. No sábado, a página recebeu 1, 3 milhão de visitas, 188% acima da média dos outros sábados desde a estreia da trama. No domingo, a média de visitas foi 250% maior para um domingo, e na segunda, 81% acima do normal. / Alline Dauroiz


8 pontos de média e vice-liderança na audiência em São Paulo abocanhou o Brasil Urgente na terça, dia em que o mundo esteve voltado para o resgate no Chile


‘Eu era o vilão, o resto lá é vilinho. Quem será que vai assumir meu papel?’, Werner Schünemann, ao falar sobre a morte de Saulo, seu personagem em Passione


Luciano Faccioli, em sua estreia à frente do Primeiro Jornal, da Band, dobrou a audiência do horário. E dobrou para quanto? 1,5 ponto de média na Grande São Paulo.


A Record rufa tambores por ter iniciado à 0h05, cinco minutos antes da Globo, a transmissão ao vivo para o primeiro resgatado dos mineiros no Chile, com placar que chegou a lhe ser favorável em 14 a 11 na prévia do Ibope minuto a minuto em São Paulo.


A RedeTV! também colocou o resgate dos mineiros no Chile no ar com antecedência, à 0 h. A operação rendeu audiência no mundo todo.


Telecine Light não era nome facilmente associado à memória do assinante, segundo detectou o resultado de uma pesquisa qualitativa encomendada pela Rede Telecine.


Daí o rebatismo precoce que o canal sofrerá a partir do dia 21, como ‘Telecine Touch’. Há apenas três anos, o canal mudava de Emotion para Light. A proposta é reunir ali filmes que emocionem. Faz sentido. O Light já teve em sua programação títulos como 21 Gramas, incompatível com a denominação atual do canal.


A reforma na Rede Telecine, incluindo novos canais e linguagem visual, entra no ar no dia 21.


Curta produzido por mais de 30 cineastas em 32 países para a anunciar a Copa de 2014, A Copa das Pessoas estreia na TV pela tela da ESPN Brasil, dia 24, às 19h30. A produção é da Olympikus.


Ti-ti-ti bateu seu recorde de audiência na segunda-feira, plena ponte de feriado, com 35 pontos de média na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a 56 mil domicílios com TV.


Enquanto isso, o SBT põe no ar no dia 25 a novela Camaleões, mais um título made in Televisa.


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem