Terça-feira, 18 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1004
Menu

ENTRE ASPAS > SEXTA-FEIRA, 26/05

TV Bandeirantes contrata
o jornalista Franklin Martins

Por Luiz Antonio Magalhães em 26/05/2006 na edição 382


Leia abaixo os textos de sexta-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


Folha de S. Paulo


Sexta–feira, 26 de maio de 2006


TELEVISÃO
Daniel Castro


Band contrata jornalista Franklin Martins


‘Após uma negociação muito rápida, a Band contratou anteontem à noite, por dois anos, o jornalista Franklin Martins, que cumpre vínculo com a Globo até quarta-feira, 31. Ele estréia na nova emissora já na primeira quinzena de junho.


Martins será comentarista do ‘Jornal da Band’ e do ‘Jornal da Noite’. Atuará também no programa ‘Canal Livre’ e será o destaque da Band nos debates eleitorais que a emissora promoverá a partir de agosto.


Ao voltar de férias no início deste mês, Martins recebeu da direção de jornalismo da Globo a notícia de que seu contrato não seria renovado. A relação entre as duas partes vinha se desgastando havia algum tempo. Martins, que há alguns anos deixou o cargo de diretor de jornalismo no DF, ficou muito insatisfeito com a Globo quando a rede, no início deste ano, cortou todos os comentaristas do ‘Jornal Nacional’.


A Globo nega que a demissão do jornalista tenha sido conseqüência de rumores de que ele tivera indiretamente participação na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, que culminou com a queda de Antonio Palocci Filho. Martins teria alertado o então ministro da Fazenda de que o caseiro recebera dinheiro para denunciá-lo. À direção da Band, Martins negou tudo. Até a conclusão desta edição, o jornalista não havia atendido aos recados deixados pela Folha em sua caixa postal.


DE NOVO? JÁ?


Exibida há pouco mais de dois anos, a novela ‘Chocolate com Pimenta’ nem se acomodou direito nos arquivos da Globo e já vai retornar ao ar. Será o próximo título da sessão ‘Vale a Pena Ver de Novo’, a partir de 24 de julho.


BOLA DE CRISTAL


Antes mesmo da aprovação pelo Cade, ontem, de sua fusão com a Sky, a DirecTV antecipou a decisão do órgão a seus assinantes. Um e-mail da operadora, na quarta, informava que a fusão seria aprovada nas próximas semanas. E que a Copa do Mundo para quem tem DirecTV não corre nenhum risco.


ESPAÇOSO


Gilberto Barros renovou com a Band até o final de 2008. Não terá mais programa todos os dias, mas ganhará mais.


‘HILDA’ NAS BANCAS


Embora ainda não confirme sua reapresentação durante o horário eleitoral, a Globo lança nas bancas em junho três fascículos de ‘Hilda Furacão’ (1998). Cada fascículo traz textos sobre o livro que originou a minissérie e um DVD com quatro horas de cenas.


AMÉM, MINISTRO 1


O Ministério da Justiça indiretamente ajudou a Record. Ontem, publicou no ‘Diário Oficial’ despacho classificando a novela ‘Cristal’, do SBT, como inadequada para antes das 20h, por ter ‘linguagem depreciativa e insinuação de sexo’.


AMÉM, MINISTRO 2


O problema é que Silvio Santos pretendia exibir sua novela, a partir do dia 5, às 19h, numa tentativa de tirar alguns pontos da Record. Cabe recurso.’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Ao exagero


‘Na manchete da Folha Online, até o fim da tarde, ‘Governo faz em abril o maior esforço fiscal em 15 anos’. Segundo a Globo.com, atingiu-se uma ‘marca histórica’.


Na Band News, início da noite, ‘o dólar despenca’. Segundo o UOL, ‘a maior queda desde 2002’.


Também a Bovespa disparou ‘quase 5%’. Segundo a Band, ‘a maior alta desde 2004’.


Entra ao vivo a repórter da Globo News, do pregão, com um economista:


– Como é que a gente vai explicar um dia tão positivo depois das perdas?


– Parte se deve ao exagero que foram estes últimos dias. E também às boas notícias.


A saber, o superávit fiscal no Brasil e o crescimento ‘sem pressão inflacionária’ do PIB dos EUA.


Registre-se que a revista ‘Economist’, ainda antes da reação de ontem, já dizia em seu editorial:


– Não entre em pânico.


Na reportagem, sob o título ‘O Viagra da volatilidade’, mais ironia:


– Mercados não são para os fracos de coração.


De volta ao Brasil, a submanchete da Folha Online, até o fim do dia, dizia que o ‘desemprego pára de subir e renda aumenta’. Na Globo News, ‘renda de abril foi a maior do governo’.


Daí Lula avaliar, segundo Kennedy Alencar na Folha Online, que ‘o desempenho da economia e o mínimo de R$ 350’ foram responsáveis pelo desempenho nas novas pesquisas.


E até São Paulo saiu-se bem, ontem.


O americano ‘Christian Science Monitor’ entrevistou investidores internacionais, como o presidente do grupo Grosvernor, segundo a BBC o mais rico da Grã-Bretanha, e concluiu que São Paulo é uma das cidades do futuro para aplicação, ao lado de Xangai e outras. No título:


– Muitos enxergam São Paulo como uma das cidades mais promissoras do mundo, apesar da violência.


Entre os fatores de atração, estabilidade e ‘queda gradual das taxas de juros’.


AUTORIDADE


Arnaldo Faria de Sá: ‘Você aprendeu bem com a malandragem, hein’


Sérgio Weslei da Cunha, advogado: ‘A gente aprende rápido aqui’


O deputado Arnaldo Faria de Sá, que ontem à noite foi o protagonista da propaganda do PTB em São Paulo ao lado de Luiz Fleury, certamente não esperava a resposta acima, em seu show da tarde na CPI das Armas.


Foi um dia depois de o ‘Jornal Nacional’ ecoar que o Congresso é ‘dominado por quadrilhas’, em referência aos ‘sanguessugas’. Ontem, o ‘JN’ mudou o tom e defendeu o Congresso de Sá, Alberto Fraga etc.


No UOL, findo o espetáculo, o enunciado era ‘Acareação tem prisão, mas não explica o caso’. Para o blog de Josias de Souza, foi ‘muito teatro e pouco resultado’.


BATE-ESTACA


Com cores e canções como nos velhos tempos de Duda Mendonça, o horário do PT parecia festa.


Lula falou quatro minutos, com o bate-estaca ‘quanto mais alunos colocarmos nas escolas, menos gastaremos com grades’.


FREIO


Como se não bastasse seu ‘ex-blog’, o prefeito Cesar Maia deu longas entrevistas à CBN e ao Terra Magazine. Manchete tirada pelo Globo Online, à tarde:


– Maia ataca campanha de Geraldo Alckmin.


Fim de tarde e, na home da Folha Online, apareciam os bombeiros:


– Vice quer frear críticas de Cesar Maia.


O pefelista vai hoje ao Rio.


ORKUT


Sites do ‘New York Times’ ao ‘Le Monde’ dão que o ‘Google fechará comunidades criminosas’ no Brasil.


São as que divulgam coisas como ‘pedofilia com crianças de zero a um ano’ ou pregam ‘explodir o Congresso’. Mas nada de entregar os autores, por enquanto.


COM RESTRIÇÕES


Após a semana de rusgas entre Globo e Band, a segunda noticiou/comemorou que ‘o Cade aprovou a fusão da Sky e da DirecTV com restrições’. Entre elas, manter veiculação para canais não-globais como a Band News.


Ainda assim, no enunciado do site Pay-TV:


– Fusão: Globo perde veto ‘estratégico’, mas deve ter compensações.’


LURIAN CONDENADA
Folha de S. Paulo


Filha de Lula é condenada a pagar indenização a colunista


‘A filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Lurian Cordeiro, foi condenada pelo juiz Sérgio Luiz Junkes, da 1ª Vara Cível de Blumenau (SC), a pagar R$ 4.000 de indenização a um colunista.


Na decisão, o magistrado concedeu a Lurian o benefício da gratuidade da Justiça -normalmente destinado aos pobres- e ela não terá de pagar o valor.


O processo foi iniciado em março de 2002 pela própria Lurian, que argumentou ter sido moralmente ofendida em notas escritas pelo jornalista Cláudio Humberto.


Entre as notas publicadas, por exemplo, está a intitulada ‘Espírito de Corpo’, em que o colunista atribuiu à direção nacional do PT ‘um esforço especial para tentar salvar o pescoço do seu prefeito de Blumenau, Décio Lima, em retribuição ao emprego que ele deu a Lurian’.


Em outro texto, afirmou que Lima foi acusado de irregularidades em geral e ‘de proteger Lurian, a filha de Lula, até com dinheiro’.


Para o magistrado, as notas faziam referência a investigações abertas pelo Ministério Público e que, portanto, configuravam a prática do exercício regular do jornalismo, ‘imprescindível ao Estado Democrático e de Direito’, informou Junkes na sentença do dia 11 de maio.


‘Em nenhum momento o réu [Cláudio Humberto] teceu algum qualificativo pejorativo ou deu como culpado o autor’, escreveu o juiz.


Lurian e Lima, também condenado, poderão recorrer contra a decisão judicial.’


FSP REPAGINADA
Barbara Gancia


Lula não é Chávez


‘Este canto da página dois do caderno de Cotidiano saiu perdendo. Ficou com cara de bula de remédio


‘DIPIRONA sódica: formas farmacêuticas’. Começo minha primeira coluna sob os auspícios da nova reforma gráfica desta Folha com as quatro palavras que constam da introdução da bula da Novalgina. O jornal como um todo está mais formoso e ganhou em agilidade com a reforma. Mas, na minha modestíssima opinião, este canto específico da página dois do caderno de Cotidiano saiu perdendo. Ficou com cara de bula de remédio. Daí a singela homenagem. E, como ninguém normal gosta de ler bula de remédio, conto com o leitor fiel (alô, mamãe!) para continuar ao meu lado nesta nova empreitada. Dá-lhe dipirona sódica! É tiro para todo o lado


Por falar em pessoas normais, onde é que ficamos nós, meu querido leitor, que não apoiamos a direita nem temos afinidade com a esquerda? Refiro-me à imputação de culpas pelo caos que acometeu São Paulo com a onda de ataques do PCC. Nós, que não reagimos de forma histérica aos atentados nem pretendemos colocar debaixo do tapete os nomes dos 31 mortos inocentes na retaliação policial, onde nos encaixamos? Quatro dias depois de iniciados os ataques, começaram a circular na internet e-mails acusando o governo Lula de estar por trás das ações do PCC. A lógica usada nessa correspondência é rudimentar e falaciosa. Um dos e-mails, que acusava o PT de ‘instrumentalizar o terrorismo do crime organizado para fins político-eleitorais’, era assinado por um rapaz que dizia ser vice-presidente financeiro de um banco. Liguei ao banco para confirmar se ele havia mesmo lançado teorias conspiratórias na internet e descobri que o dito-cujo fora demitido por usar em sua mensagem o nome da instituição bancária. Além dos e-mails relacionando, entre outros, as ações do PCC com o MST, começaram a pipocar na minha caixa-postal eletrônica mensagens de paulistanos indignados convocando a população a protestar em praça pública contra a insegurança. Imagino que, depois de escrever os e-mails, os autores tenham ido passar o fim de semana no Guarujá, pois, que eu saiba, a única manifestação ocorrida de lá para cá foi a que juntou 800 gatos pingados na av. Paulista para reclamar da corrupção. Na Venezuela, Hugo Chávez domina com maestria a arte de incitar ricos contra pobres e esquerdistas contra capitalistas. O negócio dele é servir-se do nacionalismo para se fortalecer internamente e do antiimperialismo para provocar os EUA. Nesse jogo, vale até o uso de retórica anti-semita e a aliança com o medieval presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Mas, vem cá: não somos a Venezuela, e Lula não é Chavez. Ou será que, no episódio da nacionalização do gás da Bolívia, Lula não foi tratado pelo colega Evo Morales como se fosse o ianque predador? Em meio à instabilidade gerada pela falta de segurança, só o que nos falta para completar o quadro de ruína é a população de São Paulo ficar dividida na guerra contra a bandidagem.’


INTERNET
Folha de S. Paulo


Yahoo! e eBay se unem por maior competitividade


‘DA BLOOMBERG – O Yahoo!, o site mais visitado dos EUA, e o eBay, o maior site de leilões da internet, formaram uma parceria para a realização de buscas on-line, anúncios em formato gráfico e sistema de pagamentos. Segundo as duas empresas, o acordo será implementado nos EUA até 2007 e a parceria não afetará seus lucros neste ano.


O acordo permitirá ao eBay expandir seu número de produtos e manter seus clientes, num momento em que a concorrência de empresas como o Google e a Amazon se intensifica e invade a área de atuação do eBay. O Yahoo!, que é o segundo maior do setor de buscas na internet, atrás do Google, obterá acesso aos 75 milhões de usuários dos recursos de busca e de anúncios do eBay.


Ainda segundo o acordo, o Yahoo! se tornará fornecedor de anúncios em formato gráfico para o site do eBay.


As empresas também adotarão um sistema de cooperação para aumentar a qualidade dos resultados de busca do Yahoo!.’


FUSÃO SKY-DIRECTV
Humberto Medina


Cade aprova a fusão Sky-DirecTV


‘O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou ontem, com restrições, a fusão da Sky com a DirecTV. A nova empresa de TV por assinatura que surgiu da fusão -a Sky Brasil- não poderá ter contratos de exclusividade para transmitir jogos de futebol dos campeonatos Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e estaduais de São Paulo e do Rio de Janeiro. A restrição vale por cinco anos e só para transmissões no país.


Segundo o relatório enviado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) ao Cade, a união Sky-DirecTV resultará, além da perda de um concorrente, numa empresa com cerca de 97% do mercado de provimento de TV por assinatura na plataforma DTH (‘direct to home’, por meio de satélite) e mais de 34% do mercado nacional de TV por assinatura.


Por determinação do Cade, a Sky Brasil deverá oferecer o mesmo preço (descontado o ICMS) e os mesmos pacotes em todo o país. Promoções localizadas só poderão ser feitas por, no máximo, 90 dias. ‘A concorrência nos principais mercados, Rio e São Paulo, vai determinar o preço nos mercados menos competitivos’, disse o conselheiro Luiz Carlos Prado, relator do processo no Cade.


Os atuais assinantes da DirecTV que migrarem para a nova empresa terão direito a manter, por três anos, os canais pagos de conteúdo nacional.


Todos os canais pagos de conteúdo nacional que estão na grade da DirecTV deverão estar chegando a 20% da base de assinantes da Sky Brasil em um prazo de seis meses.


A votação da fusão foi concluída em dois dias. Na quarta-feira, Prado leu seu voto, mas houve pedido de vistas por parte do conselheiro Ricardo Cueva, que apresentou ontem um relatório substituto, que foi aprovado.


No novo relatório, a restrição para que a Sky Brasil não pudesse ter exclusividade nos principais campeonatos de futebol do país foi abrandada: caiu de dez para cinco anos.


‘Houve uma correção no que se refere ao tempo. Não creio que haja diferença substancial. Esses mercados são muito dinâmicos. Daqui a cinco anos, inclusive, pode haver alterações nos campeonatos mais importantes’, disse Prado, que concordou com a mudança.


Empresas ligadas ao grupo Globo não poderão vetar a contratação de programas de conteúdo nacional para a grade da Sky Brasil. ‘Ela não pode vetar um concorrente’, explicou Prado. O grupo Globo, no ramo de TV por assinatura, tem a Net e participação na Sky Brasil.


A decisão de ontem do Cade não afeta os diretor de exclusividade da Net em relação ao campeonato brasileiro. Esse assunto será tratado em outro julgamento.’


DOCUMENTÁRIO
Valmir Santos


Circo ganha dimensão memorialística


‘A reexibição do documentário ‘Circo’, produzido pela TV Cultura em 2000, torna-o, talvez involuntariamente, uma referência para a memória do circo nacional em tão curto espaço de tempo. A excepcionalidade vem da reunião de depoimentos de palhaços que morreram recentemente, entre eles Arrelia (1905-2005) e Carequinha (1915-2006). Permite acompanhar ainda os últimos momentos do tradicional Circo Garcia, fundado em 1928, cuja lona veio abaixo em 2002. Quem fala pela família Garcia é Rolando, que era filho do fundador do circo, o espanhol Antolim Garcia. Coincidência ou não, o corpo de Carola Boets, mulher desse último, foi enterrado ontem em São Paulo. O tom memorialístico, assim, dá mais substância ao documentário. O roteiro de Gilberto Otávio e a direção de Simone Bastos proporcionam um recorte nacional dessa arte milenar. Vai desde o século 18, quando a igreja se queixava das festas populares; passa pelo início do 19, quando aportam por aqui as primeiras famílias circenses européias; e alcança o presente, com a coexistência da tradição e do contemporâneo. Artistas que fugiram com o circo ou nasceram sob lona, pesquisadores ou trupes, todos repetem: ‘Enquanto houver criança, terá que existir circo’.’


************


O Globo


Sexta–feira, 26 de maio de 2006


FUSÃO SKY-DIRECTV
Martha Beck


Cade aprova fusão de Sky e DirecTV com restrições


‘BRASÍLIA. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou ontem, com restrições, a fusão entre as empresas de TV por assinatura Sky e DirecTV. Por unanimidade, os conselheiros decidiram que a nova empresa a ser criada – Sky Brasil – deverá cobrar o mesmo preço em todo o país durante cinco anos, sendo que ela poderá fazer promoções locais que durem, no máximo, 90 dias.


– A concorrência nos principais mercados, como Rio e São Paulo, vai determinar o preço em mercados menos competitivos – explicou o relator do processo no Cade, Luis Delorme Prado.


O Cade também assegurou que os assinantes da DirecTV não percam o acesso a canais pagos de conteúdo nacional. Durante três anos, a Sky Brasil será obrigada a incluir esses canais em sua programação.


O processo de fusão começou em 2003, quando a News Corp. (acionista da Sky) comprou da Hughes Electronics Corporation o controle da DirecTV. Juntas, as duas detêm agora 97% do mercado de TV por assinatura via satélite no Brasil.


O Cade decidiu que o News Corp. – controlador da nova empresa – não poderá, durante cinco anos, fazer contratos de exclusividade para a transmissão de cinco eventos de futebol: campeonatos brasileiro, carioca e paulista e as copas Libertadores da América e do Brasil. O grupo (donos dos canais Fox) também não poderá dar exclusividade de programação ou conteúdo a qualquer operadora de TV por assinatura no Brasil, além de não praticar conduta discriminatória nos contratos de aquisição de conteúdo.


Outra restrição é que a Net, empresa das Organizações Globo, não tenha direito de veto ou de determinar unilateralmente as condições de transmissão de conteúdo na Sky Brasil. As Organizações Globo já eram sócias da News Corp. no controle da Sky, o que daria ao grupo poder de influenciar a programação de mais de 70% do mercado de TV por assinatura no país.


Os conselheiros determinaram que a Sky Brasil garanta aos programadores de conteúdo nacional da DirecTV as receitas atuais durante três anos. O Cade decidiu ainda que pelo menos 20% da base de assinantes da nova empresa tenham acesso a conteúdo nacional.


‘DirecTV e Sky estão satisfeitas com a decisão do Cade em aprovar a fusão, a qual acreditamos que trará inúmeros benefícios aos atuais assinantes de ambas as empresas’, diz uma nota assinada por Luiz Eduardo Baptista, presidente da empresa resultante da fusão. ‘Vamos esperar a emissão da aprovação oficial para analisar com mais cuidado as condições impostas pelo Cade. Até que isso ocorra, não temos qualquer comentário adicional, sendo que as duas operadoras continuarão a operar de forma independente’.’


************


O Estado de S. Paulo


Sexta–feira, 26 de maio de 2006


FUSÃO SKY-DIRECTV
Gerusa Marques


Sky e DirecTV podem se unir, mas com restrições


‘O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou ontem a fusão da Sky com a DirecTV. A nova empresa, que se chamará Sky Brasil, terá o controle de 97% do mercado de TV por assinatura via satélite e 32% do mercado nacional de televisão paga, que também envolve TV a cabo e por microondas terrestres (MMDS). Os dois mercados somam cerca de 4 milhões de assinantes.


O Cade, porém, impôs uma série de restrições para a operação dos serviços, como a proibição à empresa, por cinco anos, de exercer direito de exclusividade na transmissão dos jogos de futebol do Campeonato Brasileiro, da Taça Libertadores da América, Copa do Brasil e dos campeonatos estaduais do Rio e de São Paulo.


Também por determinação do Cade, a Sky Brasil deverá oferecer, pelo período de cinco anos, o mesmo preço, em todo o País, para seus pacotes de programação. Entretanto, o Cade permitiu que ela faça promoções locais, desde que durem, no máximo, 90 dias.


A empresa terá, ainda, que publicar, em três jornais de grande circulação, o compromisso de manter os mesmos preços em todo o território nacional, o que permitirá maior controle por parte dos Procons. Essa medida foi tomada para proteger aqueles consumidores que moram em lugares onde só há acesso a TV por assinatura via satélite.


O parecer inicial do relator, conselheiro Luiz Carlos Prado, apresentado na quarta-feira, previa um prazo de dez anos para a proibição de exclusividade nos jogos de futebol, mas a redação do conselheiro Ricardo Cueva, incorporada ontem, reduziu esse prazo para cinco anos. Ao concordar com a redução, Prado disse não ver diferença substancial na mudança, porque o mercado de TV por assinatura é muito dinâmico.


Ele esclareceu, ainda, que a medida não afeta o Campeonato Brasileiro deste ano, que já está em curso e cuja exclusividade é da operadora de TV a cabo Net. A Net, assim como a Sky, pertence ao mesmo grupo de empresas das Organizações Globo, que é sócia da americana News Corp na Sky Brasil. Também tramita no Cade um outro processo em que a NEO TV, associação que reúne 54 operadoras de TV por assinatura, acusa a Net de abuso de poder econômico na distribuição exclusiva dos canais SporTV 1 e 2 e Premiere Esportes.


O órgão definiu ainda que, nos próximos três anos, a Sky Brasil terá de manter os atuais canais nacionais veiculados pela DirecTV. Essa medida assegura, pelo menos por esse período, a permanência da BandNews, da TV Bandeirantes, na grade de programação da DirecTV. O Cade determinou que o grupo Globo não poderá ter poder de veto ou decisão unilateral na compra de conteúdo nacional pela Sky Brasil, tendo de ouvir a sócia News Corp nessa decisão.


A nova empresa deverá também, em 180 dias, permitir que pelo menos 20% de seus clientes tenham acesso a canais nacionais existentes na DirecTV, e terá ainda que garantir às programadoras de conteúdo nacionais, pelos próximos três anos, a mesma receita em vigor hoje nos contratos com a DirecTV.


O processo de fusão das duas empresas começou em 2003 nos EUA, quando a News Corp, controladora da Sky, adquiriu uma participação na DirecTV.


Antes da fusão, a DirecTV da América Latina estava em concordata. Um dos argumentos apresentados pelas empresas era de que o mercado não comportava duas operações de satélite. Semana passada, o presidente do Grupo Bandeirantes, Johnny Saad, acusou o Ministério das Comunicações de omissão, por não ter participado do processo de decisão sobre a união entre Sky e DirecTV e da entrada da Embratel, do mexicano Carlos Slim Helú, no bloco de controle da Net. COLABOROU RENATO CRUZ’


***


Medida provoca concentração


‘O Brasil demorou mais que outros países para aprovar a fusão entre Sky e DirecTV, que coloca 97% do mercado de TV via satélite nas mãos de uma única empresa. Para a maioria dos municípios brasileiros, ou cerca de 20% da população, a tecnologia e a única opção disponível de TV paga. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde a união das empresas teve origem, a News Corp., dona da Sky, atuava como programadora, sem operação própria de TV via satélite, o que facilitou a aprovação.


No Brasil, as condições eram mais complicadas. Além de haver poucos municípios cabeados, as Organizações Globo participam tanto do controle da Sky quanto da Net, a maior operadora de TV a cabo. A principal preocupação do mercado dizia respeito ao conteúdo, tanto em relação aos contratos de exclusividade no futebol . Programação que não pode ser substituída por similares e é essencial na decisão de compra do consumidor. Quanto ao acesso de outros canais nacionais ao meio de distribuição por satélite. Nos EUA, a fusão foi aprovada com o fim da exclusividade de programação. O Grupo Bandeirantes havia entrado com representação contra a fusão, temendo não haver mais espaço para os seus canais, como BandNews, BandSports e Terra Viva’


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Tramas mais baratas


‘Bom e barato. É assim que os portugueses estão vendo as novelas da Record. A exibição do capítulo final da versão de A Escrava Isaura na lusitana RTP rendeu a rede 66% de audiência e liderança absoluta no horário. Durante a sua exibição, a trama manteve médias em torno dos 50%, impressionando a emissora.


Boa surpresa os portugueses tiveram também com outra trama da Record, Essas Mulheres, que vem alcançando médias de 46% de audiência, batendo de frente no horário com a global Laços de Família, que caminha em médias mais modestas na SIC, na faixa dos 22% de audiência. Belíssima e Sinhá Moça, por sinal, vão muito bem na rede, com médias na casa dos 30% de audiência.


Além do bom ibope, é fato que as novelas da Record custam pelo menos 30% a menos que as tramas da Globo aos portugueses. Tanto é que Prova de Amor, ainda no ar, já tem exportação garantida.


No entanto, é fato que mesmo caminhando a passos largos na exportação, a Record ainda engatinha perto da Globo, que chega a faturar cerca US$ 35 milhões anuais com vendas de programas para o exterior.’


***


Justiça decreta prisão de dirigentes da Rede TV!


‘Foram decretadas ontem as prisões de Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho, presidente e vice da RedeTV!. O motivo foi o não pagamento de uma suposta dívida trabalhista. Segundo a superintendência jurídica da emissora, tudo não passou de uma ‘falha da Justiça’, pois há, desde 11 de maio, um habeas corpus preventivo, impedindo que a prisão ocorresse.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem