Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DO LEITOR > QUARTA-FEIRA, 6/1

TV pública digital custará até R$ 2,8 bi

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 06/01/2010 na edição 571


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010


 


TELEVISÃO


Elvira Lobato


TV pública digital custará até R$ 2,8 bi


‘O governo federal prevê gastar até R$ 2,8 bilhões, em 20 anos, na transmissão dos canais de televisão estatais em sinal digital. A rede de transmissão será construída pelo setor privado, que terá concessão para prestar serviço à EBC (Empresa Brasil de Comunicação).


A empresa (ou consórcio de empresas) que construirá e administrará a rede deverá ser escolhida em concorrência internacional. A minuta do edital da licitação foi colocada em consulta pública apenas três dias antes da virada do ano.


O edital admite a possibilidade de a concessão ser prorrogada para até 35 anos. A EBC fará duas audiências públicas para discutir o edital: uma no Rio de Janeiro, no dia 27 deste mês, e outra no dia seguinte, em Brasília. As regras terão de ser aprovadas pelo Tribunal de Contas da União antes da licitação.


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financiará o vencedor da licitação na compra de equipamentos e serviços produzidos no Brasil. O empréstimo oficial pode cobrir até 80% do valor do empreendimento.


Pelo projeto da EBC, até o final de 2014 os 273 municípios com população acima de 100 mil habitantes estarão cobertos pela rede pública de TV digital. É um público total estimado em 121 milhões de habitantes, o que daria alcance nacional não obtido com a TV analógica.


A empresa pretende que o sistema seja inaugurado nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte ainda no governo Lula.


Segundo o gerente jurídico da EBC Marco Antonio Fioravante, os R$ 2,8 bilhões são o valor máximo admitido no edital para remuneração pelo uso da rede, em 20 anos de concessão. O desembolso anual máximo previsto é de R$ 160 milhões, quando todos os equipamentos estiverem implantados. A EBC espera que, com a realização da licitação internacional, o custo seja reduzido substancialmente.


Por determinação dos ministérios da Fazenda e do Planejamento, os equipamentos terão de ser devolvidos ao governo ao final do contrato de concessão.


Grupos estrangeiros


O vencedor da licitação construirá a infraestrutura de transmissão e será remunerado pela EBC para transmitir os canais estatais (TV Brasil, TV Senado, TV Câmara e TV Justiça, entre outros) citados no decreto do presidente Lula que autorizou a televisão digital.


A remuneração obedecerá a um critério variável de parcelas que terá, como principal parâmetro, a qualidade do serviço prestado. Portanto, interrupções na transmissão serão descontadas no pagamento.


A terceirização da rede de transmissão de TV digital foi inspirada nas experiências de Japão, França e Espanha. A japonesa Marubeni e o grupo francês TDF, que administram redes de transmissão de radiodifusão em seus países, são pré-candidatos ao leilão -ambos participaram de reunião com a EBC no final do ano passado, na sede do BNDES, no Rio.


Após o encontro com a direção da EBC, os empresários interessados tiveram audiências individuais com técnicos do BNDES para conhecer as condições do empréstimo.


A Folha apurou que está em curso uma articulação para que um consórcio nacional dispute a licitação. Entre os integrantes do consórcio brasileiro está a empresa mineira STB (Superior Technologies in Broadcasting), fabricante de sistemas de transmissão de TV, de Santa Rita do Sapucaí (MG).


O presidente da empresa, Armando Lemes, já havia ameaçado entrar com ação judicial para pedir a impugnação do edital. Segundo ele, se um grupo estrangeiro vencer a licitação, a tendência é que os equipamentos sejam trazidos do exterior e que os fabricantes nacionais percam mercado.


A EBC atuará como distribuidora dos demais canais públicos federais no sistema digital. Receberá a programação das TVs Câmara, Senado e Justiça e, ainda, dos canais que serão produzidos pelos ministérios da Educação e da Cultura, e os entregará ao operador da rede pública de TV digital.


A ideia é que a rede tenha três canais digitais nacionais, com programação gerada em Brasília, e um canal local, em cada capital. A tecnologia digital permite que um canal transmita até oito programações diferentes simultaneamente.’


 


 


Financial Times


ESPN lançará 1º canal de TV em 3-D dos EUA


‘A ESPN, canal de esportes pertencente ao grupo Disney, será a primeira emissora a ingressar no mercado de TV em 3-D. As transmissões começarão nos EUA em junho, com a Copa do Mundo.


A iniciativa vem no momento em que os canais sofrem com o declínio da renda proveniente dos anunciantes e em que a tecnologia 3-D passa a ser a joia da coroa da indústria cinematográfica, com filmes como ‘Avatar’ arrebatando mais de US$ 1 bilhão em bilheteria.


Sony, Samsung e LG estão entre as empresas que desenvolveram a tecnologia, que requer o uso de TVs especiais e óculos.


Em 2011, a Sony também deve lançar seu canal em 3-D. Para analistas, à semelhança do que ocorreu com a TV em alta definição, o mercado só decolará quando houver conteúdo em larga escala.’


 


 


‘Big Brother 10’ terá doutora em linguística, drag queen e policial


‘A décima edição do ‘Big Brother Brasil’, que estreia na Globo no dia 12, terá entre seus participantes um maquiador drag queen, uma doutora em linguística, uma publicitária ‘musa do Twitter’ e uma policial. A Globo divulgou ontem foto, primeiro nome, idade, profissão e cidade de origem de 15 participantes.


Pela primeira vez, há um número diferente de mulheres (oito) e homens (sete). Na estreia, o telespectador ficará conhecendo mais dois participantes, que estão confinados, como os 15 já anunciados. O prêmio mudou -passou de R$ 1 milhão para R$ 1,5 milhão.


Desta vez, em vez de uma, haverá duas casas. A expectativa do diretor José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, é que isso já crie um clima de conflito.


A chamada ‘casa 1’ tem uma varanda com mesa de sinuca, cozinha, banheiro e dois quartos -um do líder e outro com cinco camas de solteiro e uma de casal. A ‘casa 2’ é um loft, com sala, quarto (duas camas de casal e uma de solteiro), cozinha e banheiro. Outra mudança é a construção de uma garagem, que provavelmente será cenário do merchandising de carros. No fundo, fica o ‘quarto branco’. Usado como uma espécie de ‘solitária’ na edição anterior, causou a desistência de um dos participantes.


A Globo recebeu 370 mil inscrições para o ‘BBB 10’. Os horários e datas de provas serão os mesmos, mas, de acordo com Boninho, às segundas-feiras será realizado ‘um jogo que vai gerar polêmica’. Ontem, 15 minutos após a divulgação dos participantes, o Twitter (microblog) de Boninho travou.’


 


 


Sílvia Corrêa


RedeTV! começa a gravar reality nos EUA


‘As primeiras imagens para ‘Tanque dos Tubarões’, o reality que a RedeTV! estreia em abril, começaram a ser gravadas ontem nos EUA. São entrevistas feitas no prédio da Nasdaq pela apresentadora Luciana Gimenez com os cinco ‘tubarões’ da versão norte-americana, exibida pela redeABC.


Luciana comandou as conversas porque está no país em férias com o marido, o vice-presidente da emissora, Marcelo de Carvalho. ‘Tanque dos Tubarões’, no entanto, provavelmente não terá apresentador, apenas um narrador, formato considerado mais dinâmico.


As entrevistas com os ‘tubarões’ os empresários Barbara Corcoran, Daymond John, Kevin Harrington, Kevin O’Leary e Robert Herjavec serão usadas pela emissora no ‘Superpop’, no ‘TV Fama’ e no ‘Programa Amaury Jr.’ A primeira temporada de ‘Tanque dos Tubarões’ deverá ter 13 episódios semanais.


Em cada episódio, cinco empresários (os ‘tubarões’) ouvirão propostas de dois ou três empreendedores. Se convencidos da lucratividade dos projetos, os empresários investirão. Aqui, os ‘tubarões’ serão José Carlos Semenzato (Microlins), Lírio Parisotto(Videolar), Ricardo Bellino (Trump Realty Brazil) e Lucilia Diniz (Pão de Açúcar).


O quinto nome ainda não foidefinido pela RedeTV!. Interessados em participar poderão inscrever suas ideias a partir do dia 15, exclusivamente pela internet. As gravações começarão em março.


ELEIÇÃO DE ENLATADOS


DanielaBeyruti (diretora-geral do SBT) informa que a série ‘Gossip Girl’ lidera votação para substituir ‘Sobrenatural’, seguida por ‘Moonlight’ e ‘Smallville’. A vencedora vai ao ar primeiro.


FESTA NO CAMPO


O ‘Globo Rural’ comemora hoje 30 anos. A edição de aniversário, no próximo domingo, terá uma reportagem especial no Xingu. O repórter Ivaci Matias, que está no programa desde a estreia, ficou um mês com os índios cuicuros.


PRATA DA CASA


A Record abre no dia 18 sua oficina de atores. Os 20 alunos foram selecionados entre 1.127 inscritos. Vai funcionar no Rio, sob a direção de Roberto Bomtempo. A ideia é formar nomes para as produções da casa.


VOLTA VIRTUAL


Longe da TV desde 2007, Jorge Kajuru acaba de ser contratado como apresentador pelo Esporte Interativo. Nesta semana, ele aparecerá no ‘Jogando em Casa’, um programa diário via internet e parabólica.


TRINTINHA


A estreia da minissérie ‘Dalva e Herivelto’ (Globo) registrou média de 29 pontos no Ibope. ‘Cinquentinha’, que entrou um pouco mais tarde, marcou 24 na estreia.


DUPLA JORNADA


O delegado Alexandre Zakir, atual Corregedor da Secretaria de Estado da Saúde de SãoPaulo, será o apresentador de ‘Operação de Risco’, o reality policial da RedeTV!.’


 


 


ORIENTE MÉDIO


Irã veta contato com 60 ONGs e mídia externa


‘O Irã proibiu cidadãos do país de entrar em contato com 60 ONGs ocidentais, meios de comunicação estrangeiros publicados em persa e páginas da internet ‘contrarrevolucionárias’, de acordo com uma lista publicada pela imprensa oficial.


O Ministério da Inteligência, responsável pela lista, alegou que todas as organizações da lista estavam envolvidas nas manifestações contra o governo após a controvertida reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, em junho do ano passado.


A relação das ONG inclui as americanas Human Rights Watch e instituto Brookings, além das fundações George Soros, Ford e Rockfeller.


Já a britânica BBC e a americana Voz da América (VOA) estão entre os meios de comunicação vetados ontem pelo regime de Teerã.’


 


 


FUTEBOL


Argentino posa para revista gay e causa polêmica


‘O meia Jesús Dátolo, ex-jogador do Boca Juniors e atualmente no Napoli, provocou polêmica ao fazer um ensaio fotográfico para uma revista gay italiana. Em algumas fotos, Dátolo aparece com a camisa do time. Segundo a imprensa argentina, isso irritou o presidente do clube, Aurelio de Laurentis. ‘Violaram os direitos de imagem que são propriedade exclusiva do Napoli’, afirmou o cartola. O jogador vem sendo convocado com frequência pelo treinador Diego Maradona para defender a seleção de seu país.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010


 


TELEVISÃO


Cristina Padiglione


Dalva e Herivelto, trama bem narrada


‘Alguém está prestes a desmaiar, mas consegue caminhar até um telefone, pegar uma agendinha, folheá-la, discar para um número e pedir socorro. Liga para um parente? Para o médico? Para o hospital mais próximo? Não. ‘É da Rádio Globo?’, pergunta ela, antes de se anunciar. A cena em que Adriana Esteves se apresenta como Dalva de Oliveira na minissérie que a Globo pôs no ar anteontem dá a mais clara dimensão do que era uma estrela naquela era do rádio. Não equivale, nem de longe, aos quase famosos que hoje se dispõem a desfilar suas mazelas nas páginas da revista Caras. Não. Dalva pisa em outro nível de dramaticidade, tem de fato a necessidade de causar comoção, de sentir-se vitimada pelas circunstâncias, não liga para a Rádio Globo a fim de se promover, eis a distância lunar que separa uma celebridade atual de uma estrela da primeira metade do século passado. Eis o que faz de Dalva e Herivelto um bom programa: não basta ter uma boa história, é preciso saber contá-la, o que Maria Adelaide Amaral e Dennis Carvalho bem fazem.


Um primeiro close nas costas de uma das mãos da atriz, no início do capítulo, denuncia que o enredo começa de trás para frente. A pele está enrugadinha com quase perfeição. A caracterização, no entanto, mostra-se avançada para o envelhecimento exibido, nas cenas a seguir, na pele entre o rosto e o pescoço. Afora essa mão que prenuncia mais idade do que sua dona, todo o make up visto até então é de extrema competência.


É claro que o mise-en-scène da época conspira muito a favor de quem trabalha com figurinos e cenários. A turma da direção de arte e da trilha sonora, então, poderia perfeitamente dizer que ‘Dalva é um presente’, como reza um dos clichês prediletos do meio artístico. Mas a constatação de que a equipe da minissérie faz bom uso desse presente é algo que salta aos olhos do telespectador.


Convém notar como o resultado exposto na tela vai além do que as possibilidades oferecem em cada quesito, a ressaltar que a música consegue se fazer presente como se fosse, e é, um personagem. A luz tem marcação tão irrepreensível nas passagens de tempo, que toma para si até a função de legenda. Independentemente da maquiagem de Dalva, a iluminação se encarrega de distinguir presente e passado, tempo que merece variações de amarelo, do dourado condizente ao sucesso do Trio de Ouro, formado por Dalva, Herivelto e Nilo Chagas, à meia-luz do cortiço que ilustrava a origem humilde da protagonista.


Por falar em protagonista, com perdão a lapsos de memória referente a personagens do passado, é seguro afirmar que Dalva de Oliveira é a melhor performance de Adriana Esteves em produções televisivas. A percepção da estrela que comunica seu mal-estar à rádio, mencionada no início deste texto, não é mérito que se alcance só por texto ou direção. Adriana tem o tom sob medida para quem cantava como Dalva, para quem sofria como Dalva, para quem brilhava como Dalva.


Como Herivelto, Fábio Assunção faz jus ao drama da parceira. O sujeito que se atraca com outra no banheiro da própria casa, enquanto a titular prepara uma macarronada aos convidados do casal, está francamente arriscado a ganhar alguma antipatia da plateia, mas há de despertar em boa parte das mulheres que o assistem algum consolo sobre a indiscreta infidelidade masculina.


O Ibope não desmente. A estreia bateu em 29 pontos de audiência média na Grande São Paulo, o que corresponde, no mínimo, ao melhor patamar do horário no último mês (cada ponto equivale a 56 mil domicílios com TV). Durante o programa, 49% dos televisores ligados sintonizaram a Globo.


Além da façanha artesanal alcançada por direção, texto, elenco, cenógrafos, figurinistas, músicos e produção de arte, Dalva e Herivelto se vale, com louvor, da tecnologia, em rara soma feliz de todos os pontos que costuram uma produção como essa, até chegar ao ar. Edição e pós-produção são felizes no aproveitamento da história e do material produzido. Dublagens e eventuais efeitos gráficos de computador escapam daquelas ciladas fáceis de se cair em ocasiões similares. Dalva vale ser vista.’


 


 


Keila Jimenez


2009 amargo na TV


‘A troca de farpas entre a Globo e a Record foi grande, o SBT mostrou que realmente quer recuperar o segundo lugar, a RedeTV! ganhou nova sede, mas a única emissora que cresceu em ibope em 2009 foi a Band.


Segundo medição consolidada do Ibope na Grande São Paulo (das 7 h à meia-noite), Record, SBT e RedeTV! amargaram queda de audiência no ano que passou, em relação a 2008. A Record foi a emissora que mais perdeu público, caiu de 8,3 pontos (média/dia em 2008), para 7,3 pontos, média da emissora em 2009. Uma queda de 12% de audiência. No SBT, a queda foi de 11%. Apesar de apresentar recuperação no segundo semestre, a rede fechou o ano com média de 5,7 pontos. Na RedeTV!, a queda foi de 5%, e a média anual da emissora ficou em 1,6 ponto de audiência.


A Globo passou longe de sua meta de voltar à casa dos 22 pontos na média diária, mas não perdeu público em São Paulo. Encerrou o ano com média/dia de 17,4 pontos, a mesma de 2008, e espera retomar o crescimento em 2010.


Apesar de pequeno, o crescimento da Band, de 4%, fez a emissora encerrar 2009 com média de 2,6 pontos.


Pipoca e samba-canção


O diretor Dennis Carvalho, a mulher Deborah Evelyn e o ator Fábio Assunção se reuniram anteontem com o elenco da minissérie Dalva & Herivelto – Uma Canção de Amor, para assistir ao primeiro capítulo da trama, em um cinema da Barra da Tijuca. Como as filmagens foram feitas com câmera cinematográfica digital, o episódio foi exibido em HD, simultaneamente à veiculação da minissérie na Globo.’


 


 


Entrelinhas


‘Tudo bem que Lost pira qualquer um, mas a Globo se mostrou mais perdida que o povo da ilha ao exibir o primeiro episódio da quinta temporada da série, anteontem. Em vez de um especial com o resumo das temporadas passadas, para situar o telespectador, a rede colocou no ar o resumão dos 13 episódios ainda inéditos no canal. Adiantou tudo o que vai acontecer. Os fãs reclamaram, mas assistiram. Lost registrou 9 pontos de média.


Nos EUA, tal resumo da série só foi ao ar após o 13.º episódio da 5.ª temporada de Lost. Procurada, a Globo não assume a falha, e diz que fez uma espécie de ‘degustação’ da temporada atual.


Dalva & Herivelto estreou anteontem na Globo com média de 29 pontos de ibope.


A Record faz questão de esclarecer que na medição consolidada de audiência, Gugu empatou com Silvio Santos no último domingo, com média de 10 pontos de ibope. Então tá.


Sem Paula Abdul, a nova temporada de American Idol estreia dia 16, às 21 horas, no canal Sony. No lugar de Paula estará a humorista Ellen DeGeneres, que dividirá a bancada do júri com o trio Simon Cowell, Randy Jackson e Kara DioGuardi.


Isso é que é ligação forte entre gêmeos: no réveillon de Viver a Vida, Miguel e Jorge (Mateus Solano) estavam com uma espinha no queixo.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem