Sexta-feira, 25 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

FEITOS & DESFEITAS > GRILO

O gibi que trouxe ao país mestres da HQ

Por Leonardo Cazes em 31/12/2012 na edição 727
Reproduzido de O Globo, 29/12/2012

Uma publicação de vida curta, mas cuja herança está presente até hoje: o gibi Grilo foi responsável por trazer ao país, pela primeira vez, os traços de grandes nomes da HQ na década de 1970, como Robert Crumb, Guido Crepax, Wolinski e Schulz, que influenciaram gerações de quadrinistas. É a história da publicação que circulou entre outubro de 1971 e outubro de 1973, fechada pela ditadura militar por conter ilustrações e textos considerados subversivos, que o jornalista Gonçalo Junior se propõe a contar em A morte do Grilo (Editora Peixe Grande).

Tudo começou no ano de 1998, quando o autor escreveu uma reportagem para a Gazeta Mercantil sobre o Grilo, 25 anos após seu fechamento. Na época, ele ouviu 17 pessoas ligadas à publicação. Dez anos e muitas outras entrevistas depois, o jornalista colocava o ponto final no livro que agora é lançado.

Para contar a história do Grilo, Gonçalo Junior usa como fio condutor a trajetória de Sérgio de Souza, jornalista e fundador da Editora A&C, responsável pelo gibi e pelo jornal-revista O Bondinho, porta-voz da contracultura e da cultura brasileira em São Paulo. Souza fez parte da geração responsável pela modernização da imprensa nacional nos anos 1960. Foi a turma que criou e comandou a revista Quatro rodas, o Jornal da Tarde e, em um momento especial, a revista Realidade.

Ao relembrar um pedaço da história do jornalismo brasileiro, o livro dá a dimensão da importância do Grilo e sua equipe, não só por editar as obras de grandes quadrinistas no país , mas também de resistir, do seu modo, à ditadura.

***

[Leonardo Cazes, de O Globo]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem