Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Só pesquisa traz boas notícias para governo Dilma

Por Ricardo Kotscho em 12/11/2013 na edição 772

Termino de ler os jornais e me dá um desânimo danado: só tem notícia ruim, comentários apocalípticos sobre a economia, denúncias para todo lado, uma desgraceira geral, com o país a meio passo da beira do abismo.

“Com um PIB mixuruca, superávit fiscal frouxo, inflação no teto, balança desbalanceada (…)”, assim resume a situação minha amiga Eliane Cantanhêde em sua coluna na Folha de S.Paulo de quinta-feira (7/11).

Nem dá vontade de abrir o computador. Por isso, levo um susto quando vejo a manchete do R7: “CNT: contra Marina ou Campos, Dilma venceria no 1º turno – Aprovação de Dilma tem leve alta”.

Deve ter alguma coisa errada, fora de ordem e de lugar: os números da pesquisa CNT/MDA não batem com o noticiário da imprensa, segundo o qual, Dilma deveria estar despencando pelas tabelas e a oposição em festa, só esperando a hora de receber os abraços pela vitória.

Ou a maior parte do povo não lê mais jornais nem se interessa em saber o que a imprensa pensa, ou daqui a pouco vai aparecer algum blogueiro furioso justificando os bons números da presidente Dilma pela ausência do nome do pré-candidato tucano José Serra nesta pesquisa.

Para entender

Relaciono abaixo apenas alguns números que devem deixar atônitos nossos analistas e cientistas políticos, que já não encontram mais nem adjetivos para mostrar o fracasso do governo e a decadência do país nos governos do PT:

** Além de vencer qualquer adversário no primeiro turno e ganhar de lavada no segundo, se houver, Dilma cresceu quase três pontos na pesquisa espontânea, aquela em que os votos são mais consolidados: passou de 16% para 18,9%. Na mesma pesquisa, Aécio foi de 4,7% para 6,7%; Marina caiu um pouco, de 5,8% para 5,6% e Eduardo oscilou positivamente de 1,6% para 2,2%.

** Outra tabela que só dá boas notícias para Dilma é a da rejeição. Dilma viu seu índice cair quase cinco pontos percentuais de setembro para novembro: de 41,6% para 36,5%. Os outros todos aumentaram a rejeição: Aécio, foi de 36,8% para 38,7%; Eduardo, de 33,5% para 37,3% e Marina, de 30,8% para 33,6%. Em outras pesquisas anteriores, o campeão de rejeição era José Serra, mas desta vez seu nome não foi incluído na lista dos presidenciáveis.

** A avaliação positiva do governo Dilma passou de 38% para 39% e o desempenho pessoal da presidente oscilou de 58% em setembro para 58,8% em novembro.

** Segundo Marcelo Souza, diretor da MDA pesquisa, Dilma foi quem mais herdou votos de Marina de uma pesquisa para outra: dos 22% que a ex-ministra tinha em setembro, quando ainda tentava criar seu partido e era candidata, 7 pontos percentuais migraram para Dilma; 4 foram para Aécio e 4 para Eduardo.

Está bom assim ou precisa desenhar para mostrar a distância existente entre o que a população pensa da presidente, do governo e do país, conforme todas as pesquisas publicadas nos últimos meses, e aquilo que lhe é apresentado diariamente pela nossa mídia e por alguns dos nossos comentaristas?

Com a palavra, os caríssimos leitores do Balaio: vocês poderiam me ajudar a entender melhor o que se passa para poder fazer meu comentário à noite no Jornal da Record News, com o Heródoto Barbeiro

******

Ricardo Kotscho é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem