Direcionamento de entrevista | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

FEITOS & DESFEITAS > OBSERVAÇÃO DO LEITOR

Direcionamento de entrevista

04/03/2014 na edição 788

No dia 28 de fevereiro de 2014, em entrevista ao repórter Gerson Camarotti, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, reconheceu a precariedade da situação dos reservatórios das hidrelétricas. A apresentadora do Jornal das Sete da Globonews, Leilane Neubarth, fez a chamada como se a fala do ministro estivesse se “baseando” na ajuda de São Pedro para resolver um problema, o racionamento energético, que ainda não existe. Contudo, ao assistir à entrevista na íntegra, ficou claro que a pergunta capciosa sobre a ajuda de São Pedro foi feita pelo repórter Camarotti.

O ministro não deu muita importância à pergunta tendenciosa, sorriu, brincou e continuou de maneira competente e profissional a entrevista. Dessa forma, ficou claro que a irresponsabilidade foi do repórter e da apresentadora, que tentaram direcionar e deturpar a entrevista do ministro que, em nenhum momento, quis deixar a solução para o sagrado. E para piorar a situação da imprensa, o portal G1 deu, como manchete, não a entrevista, mas a “fala” direcionada e tendenciosa do ministro – http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2014/03/sao-pedro-sempre-nos-ajudou-diz-ministro-de-minas-e-energia.html. Ou seja, não se pode mesmo, em hipótese alguma, confiar nesta imprensa de baixa qualidade (Ramsés Albertoni, professor, Juiz de Fora, MG)

 

Idosos na Globo News

Neste momento terminou um programa na Globo News sendo uma das questões sobre a velhice: os filhos devem cuidar de seus pais? Aí vem o grande despreparo da mídia – estamos falando da Rede Globo. Colocando no ar o correspondente da Globo nos Estados Unidos, veio uma informação bombástica: apenas 3% dos pais acreditam que os filhos vão ajudar e apoiar. Depois disto só se falou sobre o que os filhos imaginam da riqueza que os pais irão deixar. A conclusão: os americanos acreditam que os pais têm menos do que alardeiam e os brasileiros acreditam que os genitores têm mais. Que visão estreita é esta? Por que não ver na Ásia, Europa ou África como são vistos os entes mais velhos? Porque as pesquisas dos Estados Unidos são tão importantes para nós? Qual é a visão mundial da Rede Globo? Que tipo de informação é esta? A minha conclusão (pode não ser verdadeira) é: o nosso jornalismo está muito mal. Parece-me que os jornalistas são marionetes das grandes redes sem nenhuma opinião própria. Estamos mal (Helmut Kleczewski, autônomo, Joinville, SC)

 

Elogios

Esse programa, sim [Observatório da Imprensa na TV]. Seria muito bom se passasse em rede nacional. Vocês conseguem informar sem emburrecer. Parabéns (Antonio Castro, fotógrafo, Paulínia, SP)

 

Absurdo no BBB

É revoltante assistir a um programa no formato do BBB, colocar alguém no paredão e fazer intrigas para “eliminar” concorrentes, mas ontem tratava-se de eliminar parceiros da casa “mais famosa” por meio de facadas. É, no mínimo, um absurdo em uma sociedade como a nossa, onde as relações são extremamente violentas. (Daysi Lange, professora, Caxias do Sul, RS)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem