Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

FEITOS & DESFEITAS > DIÁRIOS ASSOCIADOS

Sede vai virar prédio de escritórios

Por Luiz Ernesto Magalhães em 08/07/2014 na edição 806
Reproduzido do Globo.com, 7/7/2014; título original “Sede de Diários Associados vai virar prédio de escritórios”, intertítulo do OI

Projetado em 1949 por Oscar Niemeyer para abrigar a gráfica da extinta revista “O Cruzeiro”, a antiga sede do “Jornal do Commércio” e das rádios Tupi e Nativa, na Zona Portuária, deverá ser totalmente reformada, sendo convertida em salas para escritórios. As mudanças no imóvel preveem, inclusive, a construção de um anexo na lateral do imóvel. Há dois anos, o grupo de comunicação Diários Associados vendeu o prédio por R$ 35 milhões, segundo fontes do mercado. Porém, somente no fim de junho, transferiu o jornal e as rádios para São Cristóvão, abrindo caminho para mudanças.

– Sei que o imóvel tem história. Mas nós estávamos usando apenas 30% do prédio. Precisávamos de um lugar mais adequado para atender às nossas necessidades. Mudamos no dia 24 de junho. Trouxemos as obras de arte da antiga sede para o novo prédio – disse o diretor dos Diários Associados no Rio, Maurício Dinepi, que preferiu não confirmar o valor de venda.

O prédio foi comprado pela SPE Porto Maravilha Offices. Procurados, os responsáveis pela empresa preferiram não se manifestar. A empresa, no entanto, tem uma proposta conceitual para reformar o imóvel, já aprovada pelo Conselho Municipal de Patrimônio Cultural. O projeto prevê a recuperação da fachada, que é tombada pelo município.

Em 2011, quando o prédio foi colocado à venda, a prefeitura chegou a cogitar utilizá-lo como sede do Comitê Organizador Rio 2016. Mas acabou desistindo e optou por ceder um terreno na Cidade Nova, onde a sede do projeto olímpico passou a funcionar em contêineres.

Projeto de revitalização

O presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, Washington Fajardo, explicou que a proposta apresentada prevê um retrofit interno. Segundo o projeto, cada andar teria duas unidades de escritórios, uma com 630 e outra com 780 metros quadrados. O novo anexo teria 11 andares – mesmo gabarito do prédio desenhado em 1949, com três pavimentos destinados a garagens.

– O tombamento exige a preservação da fachada, mas alterações internas são permitidas. O início das obras ainda depende de uma nova análise do projeto pelo conselho, detalhando a execução – acrescentou Fajardo.

Fajardo acrescentou que o imóvel pertence à chamada “fase racionalista” de Niemeyer. Uma das características arquitetônicas do prédio é ser revestido por cobogós. Trata-se de um acabamento externo vazado, empregado para permitir a entrada de luz natural e ventilação. No Rio, um dos exemplares mais conhecidos desse tipo de revestimento é a sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na Rua Araújo Porto Alegre, no Centro.

O edifício dos Diários Associados fica na Gamboa, no Porto, onde os imóveis estão se valorizando devido ao projeto de revitalização, que começou em 2010. Na área, têm sido aprovados mais prédios comerciais do que residenciais, o que preocupa a prefeitura.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem