Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Sindicato tem o direito de se posicionar

Por Mário Augusto Jakobskind em 23/09/2014 na edição 817

Um grupo de jornalistas que faz oposição à atual diretoria do Sindicato de Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, em nota pública, está a demonstrar “indignação” pelo fato de a diretoria apoiar a chapa ‘Prudente Moraes, neto’, que concorre na eleição para a renovação da diretoria e dos Conselhos Deliberativo, Consultivo e Fiscal da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a ser realizada no próximo dia 26 de setembro.

A “indignação” não tem razão de ser. A chapa ‘Prudente Moraes, neto’, que se opõe à atual diretoria da ABI, imposta pela Justiça, não consegue espaço na entidade para se comunicar com os associados. A diretoria da ABI impede que isso aconteça.

Medidas antidemocráticas

A diretoria da ABI tem primado por ações que confrontam o estatuto da entidade. Numa tentativa de evitar que a chapa ‘Prudente de Moraes, neto’ não consiga se comunicar com os associados da ABI, a direção do SJPMRJ, numa atitude democrática, ofereceu apoio para os integrantes da chapa se reúnam no sindicato e se comuniquem com jornalistas.

O caráter antidemocrático da diretoria da ABI ficou muito claro também quando lançou uma nota, assinada pelo presidente interino Tarcísio Holanda, pelos diretores Domingos Meireles e Jesus Chediak, acusando a diretoria do SJPMRJ com base em informações totalmente infundadas, divulgadas pelo jornal O Globo, durante uma entrevista coletiva, marcada com uma semana de antecedência, pelo Grupo Tortura Nunca Mais e pela Justiça Global. Chegaram ao ponto de inventar que jornalistas foram expulsos de sua sede por manifestantes.

Direito de resposta é negado 

A diretoria da ABI, além de basear-se numa mentira para a elaboração da nota, visivelmente com o objetivo de indispor a direção sindical com a categoria, especialmente a presidenta Paula Mairán, ignorou os argumentos de defesa da diretoria do SJPMRJ.

E o que é pior, a direção da ABI recusou-se a permitir o direito de defesa da diretoria do SJPMRJ, que foi obrigada a recorrer à Justiça. O fato ocorreu há cerca de dois meses e aguarda-se até agora a decisão judicial.

É vergonhoso que a direção da ABI proceda dessa forma. Cabe então uma pergunta: que moral tem uma diretoria que se recusa a conceder o direito de resposta de condenar restrições à liberdade de imprensa?

Como se não bastasse, os diretores da ABI, sem qualquer tipo discussão e direito de divulgação no site da entidade, desautorizaram a Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos, que se posicionou em um dos seus relatórios mensais em defesa da direção do SJPMRJ. Na prática, censurou relatório da Comissão ao impedir a sua opinião.

Informações necessárias 

Tais fatos são importantes de serem mencionados para que a categoria seja informada sobre os lamentáveis acontecimentos que depõem contra os próprios jornalistas.

A direção da ABI é responsável pela adoção de atitudes autoritárias e que entram em choque com a própria história da entidade, que sempre defendeu a liberdade de expressão. Jamais aconteceu em quase 107 anos de existência da ABI algo do gênero.

Ao apoiar uma das chapas que concorre para a renovação da diretoria e dos Conselhos da ABI, dando espaço para que os integrantes da ‘Prudente Moraes, neto’ possam se comunicar com jornalistas, a diretoria do SJPMR está exercendo um direito democrático decidido coletivamente pelos integrantes da diretoria.

Não tem sentido, portanto, que um grupo de oposicionistas sindicais, que já tentou inclusive o impedimento da diretoria do SJPMRJ e foi repelido em assembleia dos jornalistas cariocas, lance nota demonstrando “indignação” e novamente tentando indispor a diretoria e a presidenta Paula Mairán com a categoria.

Este informe, sem dúvida, ajudará os jornalistas e integrantes de outras categoriais profissionais a formarem opinião sobre o momento atual que atravessa a ABI e a manipulação da informação que vem sendo exercida por um grupo de jornalistas que deveria exatamente repudiar este tipo de prática tão nefasta à democracia.

Na sexta-feira (26/9), os associados da ABI estarão escolhendo os integrantes da diretoria e os Conselhos Deliberativo, Consultivo e Fiscal. 

******

Mário Augusto Jakobskind é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem