Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

FEITOS & DESFEITAS > ‘CHARLIE HEBDO’

O humor destrutivo

Por José Maria Rabêlo em 10/03/2015 na edição 841
Reproduzido d’O TREM Itabirano nº 115, março/2015; título original “Charlie Hebdo, humor destrutivo”

Eu o conheci bem quando morei na França, durante o exílio. Publicação conservadora, discriminadora de negros, muçulmanos, gays e outras minorias perseguidas. Até o papa Francisco e a igreja católica transformaram-se em motivos de suas matérias provocativas. O humor que pratica é altamente destrutivo, sem a graça e a sutileza do riso inteligente.

Muitos por aqui estão confundindo-o com o verdadeiro expoente do humor francês, que é o Le Canard Enchaïné, este, sim, modelo de crítica e mordacidade. Um nada tem a ver com o outro.

Não se pode, no entanto, defender nem justificar a reação de grupos extremados que partem para a violência física, como no caso do inexpressivo jornal francês. Mas é preciso ver os dois lados da questão: ninguém tem o direito de tripudiar sobre valores de outras culturas, de suas crenças e tradições, por mais que divirjamos delas.

Se não, dá nisto: o império da intolerância e da barbárie, vizinho das cavernas.

******

José Maria Rabêlo é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem