Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

FEITOS & DESFEITAS > TELENOVELAS E PROSTITUIÇÃO

A febre que não quer passar

Por Charlise do Carmo Alves em 04/09/2007 na edição 449

Duas matérias foram estampadas na página principal do site G1 sobre a personagem Bebel, da novela das 8 (que na realidade é das 21hs) da TV Globo, interpretada pela atriz Camila Pitanga [‘Brinco de Bebel vira febre em comércio popular‘ (15/8) e ‘Prêmio da Mega-Sena paga 82.500 vestidos de `catiguria´‘ (22/8). As reportagens tratavam sobre a ‘moda de Bebel’ e o que impressiona é o público adotar uma moda inspirada numa prostituta, incentivado pela televisão.

Segundo as matérias do G1, os brincos da prostituta do folhetim televisivo estão em alta. De acordo com o site, em quase todas as lojas de bijuterias e nas barracas dos ambulantes os adereços são destaque. Uma vendedora diz que a loja recebeu brincos com os nomes de várias personagens da novela das 8: Bebel, Taís, Alice e Marion. Percebam que os brincos são todos de personagens más. Um vendedor diz: ‘Aqui, a irmã má é campeã.’ Esta afirmação se baseia nas irmãs gêmeas Taís e Paula, interpretadas pela atriz Alessandra Negrini. Na trama, Taís é a irmã má que faz planos diabólicos para acabar com a irmã que é boa.

Programações educativas

Bebel e suas colegas de profissão são bem-sucedidas como prostitutas. Elas freqüentam hotéis, restaurantes caríssimos, festas luxuosas e ainda se destacam como o centro das atenções por onde passam. O fato é que tudo isso incentiva a prostituição no Brasil. Muitas profissionais do sexo pensam inconscientemente que podem ser como elas e terem tudo que sempre sonharam. Será que crianças e adolescentes devem aprender como vender o corpo e ser bem-sucedido, ganhando mais que um profissional com ensino superior? Esse é apenas um dos muitos problemas da mídia brasileira num país que se diz contra a prostituição. Por um lado quer combater, por outro incentiva descaradamente.

Quisera o problema de incentivo à prostituição, à mentira, à blasfêmia contra Deus, entre inúmeros outros, fosse apenas exibido e estimulado pela novela Paraíso Tropical. O buraco é mais fundo, pois se estende todas as novelas, de todas as emissoras. Mais um exemplo: a música tema da novela global Sete Pecados tem como trecho principal: ‘A alegria do pecado, às vezes, toma conta de mim e é tão bom não ser divina’. A música de abertura diz explicitamente que pecar traz alegria. Sendo que Deus, nosso Criador, odeia o pecado.

Que essas febres passem logo e não aumentem e contagiem mais ainda os telespectadores. Se você assiste a essas novelas, não coloque a culpa só na televisão, pois é possível selecionar o que se vê e escuta. Há exemplos de TVs abertas e fechadas que veiculam programações educativas que só irão acrescentar à sua vida cultural e intelectual.

******

Jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem