Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

FEITOS & DESFEITAS > RENAN & RORIZ 2

A imprensa e o ‘efeito bumerangue’

Por Alberto Dines em 06/07/2007 na edição 440

Agora está claro que a perfídia de Renan Calheiros (PMDB-AL) contra a imprensa é obra do desespero. O senador alagoano percebeu que o governo começa a preparar o maranhense José Sarney (PMDB) para eventualmente substituí-lo na presidência do Senado e não perdeu tempo. A fim de garantir o apoio do presidente Lula, relembrou as acusações ao golpismo da mídia vocalizadas pelos grupos mais radicais do PT no final da campanha de 2006.


A manobra mostra como os setores mais reacionários da política brasileira são capazes de virar a casaca e adotar o discurso revolucionário da esquerda delirante. Pior: mostra o grau de satanização da imprensa convertida em saco de pancadas daqueles que são desmascarados publicamente.


Antes de renunciar, o senador Joaquim Roriz também (PMDB-DF) atacou a imprensa, porém Renan Calheiros, mais sofisticado e mais perverso, foi adiante e tentou reavivar as feridas de um dos piores confrontos entre o governo e a imprensa desde o fim da ditadura.


Jogada irresponsável, ‘aloprada’ e suicida: Renan esqueceu que o bumerangue retorna sempre às mãos de quem o lançou.

Todos os comentários

  1. Comentou em 08/07/2007 Marco da Costa

    O verdadeiro saco de pancadas dos políticos é o povo. Passa eleição, entra eleição, o eleitor gosta de receber carinho masoquista, a famosa umas bancadas não dói. Essa gente dita representantes do povo está lá graças a falta de discernimento político partidário, que uma parcela considerável da população ainda não descobriu quem esta sofismando ou falando meias verdades, falar a verdade é muito difícil saber. Agoira os distintos homens da nobre arte de fazer ilusionismo com as palavras, mais especificamente os dois que se enroscaram com os seus pares, que também não dá para pôr a falange distal do quinto dedo da mão/D no fogo, estão fazendo um jogo pesado, batendo na imprensa da medalhinha acima, isto porque os meios de comunicação estão mostrando a lata de lixo que a política esta enfiada.

  2. Comentou em 07/07/2007 Francisco Bezerra

    Dines, que nada ouve e nada responde, acha que isso que ele escreveu acima é observar a imprensa? Quem seria mais radical que um jornalista renomado que num mesmo post de quatro ínfimos parágrafos usa expressões como ‘esquerda delirante’, ‘satanização da imprensa’, ‘saco de pancadas’, ‘desmascarados publicamente’, ‘piores confrontos’, ‘jogada irresponsável, aloprada e suicida’… Para não enveredar pelo mesmo caminho do radicalismo dinesiano vou creditar tudo isso à escassez argumentativa. Ora direis observar a imprensa.

  3. Comentou em 06/07/2007 joão paulo filgueiras

    Dines, não embole as idéias. A mídia vive dando golpes, o tempo todo
    . . .

  4. Comentou em 06/07/2007 Carlos N Mendes

    A grande infâmia do caso Renan não reside no fato do senador ser culpado; é o MOMENTO a partir do qual ele se TORNOU culpado. Nós, leitores ‘Homer Simpson’, apesar de nosso cérebro frito por milhares de horas de TV comercial, ainda assim percebemos a conveniência de certas culpas. ‘Ué, mas Renan não foi aliado de FHC ? Por quê as pessoas só começaram a falar agora ?’. Fica a impressão que, se você mexer nas gavetas de certas escrivaninhas de redações brasileiras, você descobrirá os pecados de nossos políticos. Para serem purgados no tempo certo, é claro…

  5. Comentou em 06/07/2007 Fabiana Tambellini

    Renan Calheiros (ex-ministro de FHC e da base aliada de Lula) faz tempo que não fala lé com cré. Quanto aos confrontos com a imprensa, aconteceram por malfeitorias de ambos os lados. Se o PT muitas vezes acusou injustamente a mídia, a mídia por seu lado praticou (e ainda pratica eventualmente) um jornalismo de quinta.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem