Segunda-feira, 28 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

FEITOS & DESFEITAS > CASO DOS GRAMPOS

A pergunta que não cala

Por Alberto Dines em 15/09/2008 na edição 502

‘Quem – e para que – vazou o grampo no telefone do presidente do Supremo?’


Com esta pergunta simples, perturbadora e que ninguém consegue responder há pelo menos duas semanas, o jornalista Luiz Weis encerra um comentário no seu blog do Observatório da Imprensa [ver ‘Mais peças no quebra-cabeça‘].


Perguntas simples são sempre perturbadoras, mas esta questão do grampo no telefone do presidente do STF não pode ficar sem resposta por muito mais tempo. As matérias de capa da Época e da IstoÉ neste fim de semana deram uma dimensão ainda maior à pergunta de Weis.


Então, oficiais da ativa trabalharam na Operação Satiagraha? As forças armadas forneceram elementos para investigar o dono do Banco Opportunity, que estava prestes a consumar uma megafusão na área da telefonia que tanto interessava ao governo?


Ai aparece o chefe-de-gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, que em entrevista ao Estado de S.Paulo declara que ‘estamos no meio de um pântano, se acreditar em grampo vou ficar louco’.


Gilberto Carvalho não foi apenas grampeado pela Polícia Federal, mas verificou pessoalmente que a PF e a Abin colaboram numa investigação judicial, o que é teoricamente proibido.


Como se não bastasse, a Folha de S.Paulo revelou também no domingo (14/9) que por menos de mil reais qualquer cidadão pode quebrar o sigilo do histórico das chamadas telefônicas de outro cidadão, o que também é inconstitucional.


Compreende-se a preocupação da mídia brasileira com a ameaça de secessão na vizinha Bolívia. O que não se entende é a falta de respostas a uma pergunta que revela um dramático confronto nos bastidores da República: quem – e para que – vazou o grampo no telefone do presidente do Supremo?

Todos os comentários

  1. Comentou em 06/04/2011 Jofran Oliveira

    Mais de uma vez fui aconselhado por médicos (principalmente pediatras) a JAMAIS COMPRAR ANTIBIÓTICOS GENÉRICOS, pois estes não tem o mesmo efeito dos medicamentos de referência. Acontece que aconteceu exatamente isso comigo, comprei genérico e me dei mal. Ai fica a pergunta: Será que isso é mesmo verdade? Ou tive o azar de comprar de um lote defeituoso? Será resultado da relação promíscua médicos/industria farmaceutica? Será que a ANVISA não fiscaliza direito?
    Gostaria de ver esse assunto por aqui.
    Saudações,

  2. Comentou em 15/09/2008 Paco Mantovani

    Pois é Thomaz, depois que o Mainardi foi culpabilizado por injúria e difamação o Oi está até lhe prestando um favor: evitando que você caia em suas próprias armadilhas neoliberais literárias.

  3. Comentou em 15/09/2008 Paco Mantovani

    Pois é Thomaz, depois que o Mainardi foi culpabilizado por injúria e difamação o Oi está até lhe prestando um favor: evitando que você caia em suas próprias armadilhas neoliberais literárias.

  4. Comentou em 15/09/2008 Pedro pereira P

    Interesante a mudança da lei amplamente defendida e divulgada somente para que houvesse a fusão da Brtelecom com a telefonica.
    Isso tudo com o aval do Grão mestre da grampolandia.Porque haveria de facilitar a fusão de dois conglomerados mudando a lei ao arrepio das formalidades? Depois de tudo a escuta chega a antesala, mais precisamente no gabinete do Gilberto carvalho!!!Chego a pensar que se o Dantas sair ileso desta patacoada será melhor para as instituiçoes brasileiras e tbem para as foquinhas de auditorio.

  5. Comentou em 15/09/2008 Rodrigo Violante Spagnol

    A pergunta que não cala: onde foi parar o profissional do jornalismo que zela pelo supremo direito de sigilo da fonte? Aquele que ficou indignado quando Diogo Mainardi quebrou o sigilo de uma fonte política na época do mensalão?

    Em relação ao ‘para que’, bom, é uma pergunta importante, mas secundária frente à magnitude do escândalo. Ao menos que o preclaro sugira que ela foi feita pela própria oposição para criar tumulto, não é? Se quer insinuar alguma tese, tenha a hombridade de explicitá-la.

    Em suma, foi perguntado de tudo, menos o essencial, o cerne da questão: quem encomendou a escuta, e para que!? Não é a falta de respostas a estas questões que realmente deveriam incomodar?

  6. Comentou em 15/09/2008 Carlos esteves

    Grampo já era! O Ministro mendes, que acusou a ABIN logo de cara e o Minsitro Jobim, que acusou a ABIN de possuir uma mala igual àquelas que anunciam na internet, amarelaram na hora de aparecer na CPI. A montanha pariu mais um rato, a exemplo do Dossiê Fajuto e das Malas da Denise Abreu. O assunto agora é a quase trombada de um teco com um boeing. Claro, também é necessário fazer a população crer que quem paga pistoleiros e baderneiros para instaurar o caos na Bolívia é ‘Líder Cívico’ e não golpista. Também é preciso fazer a população acreditar que os mercenários que estão trabalhando para os ‘Líderes Cívicos’ são populares se manifestando espontâneamente contra Evo Morales. Incrível mesmo é a falta de memória da mãe-mídia: ninguém se lembra que as propostas separatistas e revogatórias dos ‘Líderes Cívicos’ foram totalmente derrotadas em um referendo realizado a menos de um mês, com observadores internacionais.

  7. Comentou em 15/09/2008 dante caleffi

    Para que, serviços de informações? As ‘revistas semanais’, substituem ,e são incontestáveis. Alguém da mídia,ou os chamados ‘coleguinhas’,questionou a origem,confirmou gravações originais,das recentes matérias ‘reveladoras’? Têm a vantagem, do corporativismo,que as protege,da curiosidade constrangedora de ‘abelhudos’ ,ao contrário dos ‘órgãos de inteligência’,que se acusam e digladiam.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem